História Amor possessivo. - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Tags Drama, Romance
Exibições 82
Palavras 1.287
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


*Achei que tinha postado, terminei o capitulo hoje cedo, mais nao postei kkk*
*Desculpa a cabeça ta a mil*


SEM REVISAO...

Capítulo 17 - - Quase o matou.


Fanfic / Fanfiction Amor possessivo. - Capítulo 17 - - Quase o matou.

CAP 17.

ALANA.

Acabei de ter a melhor noite da minha vida, fui amada cada pedacinho do meu corpo, Vinicius e incrível e eu sinto uma coisa dentro do meu peito não sei muito bem o que e mais e estranho, ele e muito reservado e eu mesmo assim perguntei o que ele achou, lógico ele falou que foi bom mais um bom tao desanimado e lógico ele já deve ter tido outras muito boas, eu não sei o que será de mim agora o que ele ira querer ou não ira querer nada, não espero que ele me pesa em namoro ou casamento ate por que para ele essa transa não significou nada, já comigo mexe com o meu emocional, será que to apaixonada, será que eu amo ele, não sei eu tenho um desejo enorme desde o dia em que ele me beijou  pela primeira vez, ele me intimida de uma certa maneira e eu gosto disso.

Abro os olhos com uma dor no corpo raios solares invadem o quarto, me ergo um pouco sentindo uma dor da minha intimidade, acho que e por causa de ontem, olho para o lado e não vejo Vini, ele deve ta la em baixo já, me levanto com o lençol cobrindo meu corpo e entro dentro do banheiro, desenrolo o lençol e coloco no chão ligo o chuveiro e começo a tomar um banho a dor se intensifica um pouco e arde muito lavo com muito cuidado esta sensível, mais a culpa foi minha, Vini foi ate bondoso demais comigo e minha estupidez.

- Ah! Grito ao ver Jesse com o lençol sujo de sangue no cesto, ela me olha assustada enrolada na toalha, e olha para parte de baixo tipo olhando e conferindo se ta tudo bem.

- Ta tudo bem com voce menina Lana? Ela larga a cesta e caminha ate mim, eu gosto da Jesse ela parece boa pessoa ela deve ter seus 40 anos, magrinha e baixinha, dos cabelos longos e prendido estilo senhorinha.

- Esta sim Jesse! Falo com a voz tremula.

- Vou trazer um remédio para voce deve tar dolorida ne! Coro, e afirmo com a cabeça.

- Não fica com vergonha Lana isso acontece, e fico feliz que tenha sido com um rapaz bom como o Vini ele e do jeito dele mais e muito bom, já volto! Afirmo e ela sai com o cesto e o lençol na Mao, procuro minha roupas e não a acho , saio do quarto rapidinho e entro no meu, o telefone começa a tocar e e Laura.

*Bom dia Laura!

*Bom dia filha, vocês não me ligaram tava preocupada, sorte que liguei pro Fernando e falou que vocês estavam bem!

*Desculpa nem deu para ligar, eu achei que o Vini tivesse ligado, e pode deixa que quando voltar eu trabalharei dobrado.

*Que isso filha, pode ficar tranqüila não liguei por causa do serviço eu sei que voce e boa, so liguei para saber se voce esta bem, to ligando para o Vi mais ele não atende!

*Eu acabei de acordar eu não o vi a ainda!

*Ta bom linda, Curti ai viu, ate mais beijos, e mando pro Vi tbm.

*Sim Laura mando, beijos.

Ela desliga, me seco devagar e abro a mala pego uma calcinha não apertada, e um shorts e pego uma blusa de moletom de frio, estou sentindo cala frios, não sei o porque.

- Lana. Me desperto e me viro ao ver Jesse com um copo de suco e um comprimido.

- Obrigada Jesse, voce viu o Vini? Pergunto tomando o remédio.

- Não eu não vi, mais ele deve ter saído de carro pois ele não esta na frente da casa. Ela fala indo a porta.

- Obrigada de novo, Jesse.

- Imagina menina, termina e vem tomar café estou esperando voce! Afirmo. Termino de me arrumar escovo os dentes e arrumo o cabelo em um rabo de cavalo frouxo, termino e desço a mesa esta linda, repleta de coisas boas sucos duas jarras lindas, e também Paes de diferente formatos, e bolos e um bolo lindo de chocolate que so de olhar deu água na boca.

- Pode tomara café Lana. Joe aparece na sala.

-  Oi bom dia garotão,Eu vou esperar o Vi.

- Ele não ta em casa saiu, vo vai ter que tomar sozinha, e bom dia! Ele vira e sai correndo descalço, parecendo o menino Mogli rsrsrs, fofinho.

Olho para a mesa toda linda, e me imagino aqui sozinha e não gosto da idéia, me viro e caminho para a saída vejo la na frente Joe brincando com os cachorros correndo, me viro e vou para a praia começo a andar perto da água, olhando para o mar como e bonito, vejo uns caras surfando e parece ser tao fácil, mais tenho certeza que não e nada fácil.

Depois de muito andar, me sento na areia e junto minhas pernas ao peito fico ali olhando para o mar, lindo o céu que tinha raios de sol forte, ta sumindo acho que ira chover.

- Oiii gatinha voce e nova por aqui ne! olho para o lado e vejo um cara fortão, de bermuda e todo molhado.

- Gosta do que ve delicia! Eu fecho a cara e me levanto.

- Ela gosta disso aqui olha! Me viro com tudo e vejo Vini atrás de mim rancar a regata, ele puxa com força para seu corpo.

- E que e voce? O surfista pergunta.

- So o namorado dela, ta bom pra voce, agora vamos Lana! Nos viramos e vejo Joe atrás de nos com os cachorros.

- O frutinha cuida, bem da sua gata pois se eu ver ela so outra vez, ela não me escapa. Sinto os braços forte do vi aperta com forca minha cintura, e o maxilar dele trincar.

- Desgraçado, filho da puta. Sinto me solta olho para o lado e Vini se vira brusco, quando vejo ele indo para cima do cara.

- Vini não! Grito, ele pega o surfista e agarra pelo pescoço e joga o cara no chão com fora ouço ossos estralar, Vini sobe em cima dele e os dois se atraca em soco, corro ate eles e tento separar Vini me empurra com um dos braços o outro ele da um soco no cara.

- Sai daqui Lana. Ele grita eu olho para o lados e vejo uns três surfista chegando, correndo.

- Ajuda por favor! grito, dois tiram o Vini de cima do outro que ta qualhado de sangue, me assusto vejo o cara desfalecido e o outro chamando o surfista.

- Me solta, esse maldito tinha que ter morrido, pelo menos ele ira mexer com a mulher do capeta, pois com a minha ninguém mexe! Vini se solta dos cara, e vem em minha direção, ele ta sujo de sangue, e eu to petrificada, to com medo.

- Vamos Lana. Sinto meu braço se puxado com força, não consigo pensa e nada, estou em choque.

- Voce ta bem? Vini me tira do choque, eu o encaro na frente da casa já.

- Como pode voce quase matou o cara Vinicius, o que ele falou foi para te irritar! Puxo meu braço e massageio ele.

- Voce e minha Lana, caralho ninguém mexe com minhas coisas! Eu o encaro.

- So uma das suas coisas? Ele me fita com fúria e tenta falar, mais eu corro para dentro da casa.

- Lana. Ele grita, eu entro dentro de casa subo para o quarto, preciso pensar estou confusa, meus sentimentos estão aflorados, não to pensando direito.

- AHHH! Grito e fecho a porta e tranco me jogo na cama e começo a chorar.

 


Notas Finais


E AGORA EIN??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...