História Amor Possessivo - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Personagens Originais
Tags Pauléria, Romance
Visualizações 75
Palavras 1.438
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura

Capítulo 29 - Capitulo 29


{Ponto de Vista Valéria}

 

— Ficou bom ? - perguntei 

 

Tinha tomando um banho. Davi pegou emprestado a roupa de sua irmã para eu vestir 

 

— Está ótima - sorriu e me deu um selinho. Fiquei envergonhada

 

— Cheguei - escutei alguém dizer do andar de baixo 

 

— Vem - Davi me puxou. Descemos as escadas — Demorou - diz 

 

— É que estav..... - a garota para de falar assim que me vê — Essa não é a Valéria ? A garota do Paulo ? - a morena perguntou 

 

— Não sou a garota do Paulo - intervi

 

— Verdade. Paulo não é de ter uma garota só - ela sorriu 

 

— Valéria, essa é Carmen, minha irmã, ela é apaixonada pelo Paulo - fiz uma careta — Carmen essa é Valéria, a garota que o Paulo prendia e que eu queria ir atrás, lembra ? - ele disse e ela concordou 

 

— Como não lembrar, você ficou vários dias falando dessa garota - Corei violentamente — O que ela esta fazendo aqui ? Vocês se livraram do Paulo ? - ela pergunta preocupada e o Davi revira os olhos 

 

— Infelizmente não. Mas eu consegui tirar a Valéria de lá - explica. Ele se aproximou do meu ouvido — Lembra que eu falei que tinha prometido, não me livrar do Paulo pelas minhas próprias mãos ? - confirmo — Foi para ela que eu prometi 

 

Olhei pra ela. Ela era tão apaixonada pelo Paulo que fez o irmão prometer que não o mataria 

 

— Carmen, você pode levar a Val para fazer compras ? - Davi perguntou e ela abriu um enorme sorriso 

 

— Espera, você não é minha rival certo ? - olhei sem entender — Você não quer nada com o Paulo, não vai ser mais uma no meu caminho ? - explicou

 

— Pode ficar tranquila, do Paulo eu quero distância - ela pegou minha mão 

 

— Então vamos - me puxou. Olhou pra o Davi e estendeu a mão — Cartão - ele tirou um cartão do bolso e deu pra ela 

 

— Antes de ir, Val, posso falar com você - ele me puxou para um canto — Eu sei que você quer ir embora. Eu vou começar a investigar a onde seus pais estão morando no momento. Aí depois eu compro uma passagem pra você ir pra casa - sorri de felicidade e o abracei 

 

— Obrigada Davi - ele me apertou em seus braços. Alisou meu rosto e me deu um selinho 

 

— Cuidado no shopping, está bem ? Não vou com vocês, por que tenho coisas para fazer - disse — Será necessário segurança ? - perguntou olhando para sua irmã 

 

— Acho que não. Eu tomo conta dela - ela sorriu

 

Carmen segurou minha mão e me puxou para fora da casa 

 

[...]

 

— Hora das compras - disse ao estacionar. Saiu do carro empolgada. Sorriu e saio do carro também. 

 

— Oi Val - Assustei com a voz, virei para trás e vi Mário tampando a boca da Carmen e Jaime do lado deles 

 

— Como me acharam - perguntei já com vontade de chorar 

 

— Fácil, sabíamos onde o Davi morava, só esperamos você sai de lá. Seguimos vocês e agora estamos aqui - Jaime deu de ombros 

 

— Jaime, me deixa aqui. Eu não posso voltar pra lá. Paulo vai me matar - ele evitava olhar no meus olhos. Do nada, Carmen caiu desmaiada no chão — O que você fez ? - perguntei para o Mário 

 

— Você vai vim por bem, ou por mal ? - Jaime perguntou, respirou fundo — Não vou deixar ele te matar. Você vai ficar sobre a minha proteção, só que você vai te que vim comigo. Eu prometi cuidar de você, não dá pra cuidar se você estiver longe - se aproximou de mim 

 

— Jaime, eu já sofri tanto, você quer que eu sofro mais ? - perguntei. Ele negou — Então, Paulo, vai acabar comigo, quer você queira ou não - limpei as lágrimas que temiam em cair 

 

— Ele gosta de você Valéria, você não enxerga isso, Paulo só é descontrolado - ele segura minha mão — Eu tenho um plano, para quando chegar em casa. Confia em mim ? - afirmo — Então vamos 

 

— Não da Jaime - digo, solto da mão dele e saio correndo. Corria pelo estacionamento todo, até que esbarrei em alguém e cai no chão 

 

— Desculpe senhorita - um segurança me ajuda a levantar — Tudo bem ? Se machucou ? - nego com a cabeça — Esse homem estava te perturbando ? - ele pergunta olhando para Jaime 

 

Olhei para o Jaime, se eu dissesse que sim, Jaime estaria encrencado 

 

— Não, está tudo bem, obrigada - digo, sorrio simpática e ele retribuiu. Jaime segura minha mão e me puxa para o carro 

 

— Obrigado - agradeceu —  Mário, cuida da garota - disse 

 

— Como vocês soube que o Davi que me tirou da casa ? - perguntei já dentro do carro 

 

— Ligando uma coisa na outra - deu de ombros 

 

— Jaime, você promete que um dia eu voltarei pra casa ? - ele me olhou, deu um pequeno sorriso 

 

— Prometo 

 

[...]

 

Ele estacionou na frente do casa 

 

 

— Vamos - disse e saiu do carro. Fiz o mesmo. Segurou minha mão e fomos entrando 

 

Não tinha ninguém na sala

 

— Sobe para seu quarto, daqui a pouco vou lá - afirmo. Subo as escadas e vou até meu quarto 

 

— To ferrada - pensei comigo mesma 

 

— Não conseguiu fugir por muito tempo, não é mesmo - Paulo entra no meu quarto 

 

— Sai daqui - digo com medo. 

 

— Eu não vou te machucar - ele disse. Estranhei — Prometi para o Jaime lá embaixo  

 

— Então o que quer ? - perguntei 

 

— Pedir desculpas. Não sei se você notou, mas eu estava bêbado, sai do controle - disse 

 

— Você fala como se desculpas fosse resolver 

 

— Você atirou em mim - se defendeu 

 

— Você iria me matar 

 

— Não iria - revirou os olhos 

 

— Cadê ela ? - escutamos alguém perguntar do andar de baixo 

 

— Fica aqui - disse e saiu do quarto — O que você está fazendo na minha casa ? - escutei o Paulo perguntar 

 

— Cadê a Valéria ? - reconheci a voz. Não estava acreditando 

 

Sai do quarto. Fui até a escada 

 

— Sai da minha casa, se não eu mato você - Paulo ameaçou 

 

— Eu só quero a Valéria - Davi disse. Paulo e ele estavam cara a cara 

 

Desci as escadas 

 

— Val - Davi diz e vem até mim. Paulo entra na frente 

 

— Sai daqui - ele diz sem olhar para Davi — Você roubou ela de mim e agora vem querendo pega-lá de novo ? 

 

— Eu não roubei ela. Eu salvei ela de você - se defendeu — Não sou eu que roubo garotas de amigos aqui - cutucou 

 

— Eu não roubei garota nenhuma sua. Não tenho culpa se ela preferiu eu do que você - retrucou, Davi acertou um soco na cara de Paulo. Paulo foi pra cima dele

 

— Parem vocês dois - Grito. Mas nada adiantou. Foi então que eu escurei um tiro.

 

Davi caiu no chão ensanguentado. Paulo havia atirado nele

 

— O que você fez ? - perguntei e fui tentar socorrer o Davi 

 

— O que esta acontece.... O que aconteceu ? - Jaime perguntou assim que entrou na sala

 

— O Paulo atirou no Davi - digo. Sinto lágrimas caírem — Ele está perdendo muito sangue, temos que levá-lo ao hospital - digo olhando pra o Jaime

 

— Deixa ele morrer aí - Paulo diz frio

 

— Como você pode ser tão horrível ? Davi era um do seus melhores amigos e agora está caído no chão cheio de sangue, por que você atirou nele. Você é um merda Paulo - digo e começo a dar soco em seu peito 

 

— Temos que levá-lo ao médico agora - Jaime avisa. Pega Davi no colo e sai da casa correndo.

 

Saio correndo atrás dele

 

[...]

 

— Se meu irmão morrer vai se culpa sua - Carmen entrou na sala de espera gritando e foi para cima do Paulo 

 

— Calma Carmen, ele não vai morrer - digo tentando acalma-la — Ele é forte - seguro sua mão 

 

— Parentes de Davi Rabinovich - o médico entrou na sala de espera 

 

— Somos nós - Carmen diz 

 

— Todos ? 

 

— Sim, todos. Como ele está ? Está bem ? - Paulo perguntou

 

— Ele perdeu muito sangue, irá sobreviver, só precisamos de doação de sangue. O sangue que ele precisa é O- e está em falta no hospital - o doutor diz, olho pra a Carmen 

 

— Ela não pode - Paulo diz — Ela não é irmã de sangue do Davi - explicou

 

— Eu sou adotada e também sou O+ 

 

— Precisamos urgente do sangue. Não sabe alguém que seja O- ? - perguntou 

 

— Sim - Paulo disse — Eu sou, vou doar para ele - diz. Todos ficaram surpresos 

 


Notas Finais


Será que o coração de gelo do Paulo está amolecendo ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...