História Amor proibido - J-Hope - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Suga
Exibições 22
Palavras 1.523
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


BOA LEITURA :3

Capítulo 2 - Ombro amigo


Fanfic / Fanfiction Amor proibido - J-Hope - Capítulo 2 - Ombro amigo

Cai de joelhos no chão abraçada a mochila do colégio, lágrimas escorriam pelo meu rosto aquilo tinha me deixando em estado de choque. Hoseok logo me levanta e me abraça bem forte sussurrando em meu ouvido, ( vai tudo ficar bem eu estou aqui para te proteger e apoiar no que for necessário ) aquelas palavras, aquele abraço forte e a sua respiração quente em meu pescoço fez me sentir aconchegada e não aguentando comecei a chorar ainda mais. Ele me segura pela mão e me lava para o carro de seus pais que arranca para a casa de Hoseok. No carro a mãe dele já tinha parado de chorar mas ainda estava muito abalada com o acontecido o pai dele não fala só dirigia, Hoseok segurava a minha mão com força e eu estava ali no meio daquele silêncio todo sem saber o que fazer, até que o carro para e olho pela janela e noto que já tinhas chegado a casa de Hoseok saímos do carro e entramos em casa, eu fico parada na sala e Hoseok pegar um copo de água. 

Hoseok: Pega, toma um pouco de água vais te sentir melhor. Hoje dormesorrideÉperfeitoem casa amanhã os meus pais falam melhor com você e logo arranjaremos uma solução.

Pego no copo sem dizer nada e tomo um pouco de água. Após alguns minutos olho para o Hoseok com os olhos vermelhos, tentado falar... O que faço agora? Eu não tenho família aqui em Seul, e a pouca família que tenho me odeia o que vai ser de mim daqui para a frente? Hoseok me abraça de novo dizendo que tudo ia ficar bem.

Entretanto a mãe de Hoseok chama para irmos almoçar ou pelo menos tentar, mas eu não tinha apetite e decidi ir para o quarto de Hoseok para descansar um pouco. Subi as escadas mais ele e entramos em seu quarto estava um pouco escuro mas estava perfeito logo me joguei na cama agarrada ao travesseiro a pensar no ocorrido e no que seria de mim sem os meus pais, mas senti algo se deitando ao meu lado abro os olhos e vejo o rosto lindo de Hoseok  ali parado bem a minha frente eu podia sentir a respiração quente dele tocando meu rosto, não sei mas o silêncio e aquilo fez me esquecer tudo o que estava acontecendo so conseguia ouvir o bater do meu coração que estava bem acelerado. Até que sito a mão de Hoseok massageando o meu cabelo fecho os olhos e me sinto no céu não sei o que estava aconteceu mas eu não queria que terminasse. Me sentia muito bem até que acabei pegando no sono. 

Foi então que do nada tudo ficou muito escuro eu não conseguia ver nada então comecei a caminhar para ver se encontrava alguma luz sei lá ou qualquer coisa que desse luz para conseguir ver e derrepente vejo uma luz branca bem lá no fundo e vou a correr até lá até que vejo o carro dos meus pais todo destruído e quando dou mais um passo em direção ao carro vejo a minha mãe dentro do carro coberta de sangue ao ver aquilo dou dois ou três passos para trás e caiu fazendo me acordar aos gritos daquele horrível pesadelo. Hoseok que já não estava no meu lado logo apareceu no quarto meio assustado com os meus gritos, aproximasse e levanta meu rosto, seca as minhas lágrimas e da um beijo na minha testa.

Hoseok: Estas bem? Que foi? 

Nada, sim estou bem foi so um pesadelo nada mais, ele sorri e vai até seu guarda fatos e pega uma blusa e um short dele e da-me. 

Hoseok: Sorrindo diz vai tomar um banho e veste essas roupas, sei que não são muito a sua cara mas não tenho mais nada.

Olho para ele meio sem jeito e falo, não se preocupa estas estão ótimas sorrio e levanto da cama. Pois não sabia o que estava acontecendo mas cada vez me sentia mais estranha ao pé de Hoseok. Vou para o banheiro e tomo um banho bem quente e não me sai da cabeça aquele sorriso perfeito de Hoseok, termino o banho e pego uma toalha para me secar quando visto as roupas que Hoseok me tinha emprestado sinto aquele cheiro doce e que se estava a tornar irresistível. [...] 

Logo batem na porta do banheiro e falam esta tudo bem? Era a voz doce e suave de Hoseok. 

Sim está tudo, eu já terminei se quiser podes entrar. Logo vejo a porta se abrindo e ele entrando e do nada meu coração acelarou de novo ele pega na escova e começa a pentear o meu cabelo.

Hoseok: Até que te ficaram bem as roupas. Vamos descer para jantarmos e não quero ouvir um não, sei que esta sendo difícil mas tens que comer alguma coisa não quero que fiques doente. N aguentaria ver te sofrer mais.

Não se preocupa, vamos lá jantar. Saiu do banheiro para descer as escadas e sinto algo a segurar meu braço e me puxando para trás me virando vejo Hoseok quase encostado em mim segurando o meu braço e passando a outra mão em meu rosto. 

Sem saber o que fazer ou dizer no momento ouvimos a mãe dele a chamar para irmos jantar pois o comer estava na mesa e estava arrefecer. Pensei para mim mesma, salva pelo jantar e dou uma risada baixinha. Descemos e fomos para a mesa sentamo-nos e os pais de Hoseok olha pra mim e dizem. 

Pais de Hoseok: Gostavas de ficar aqui a viver conosco? Assim n tens que mudar de colégio novamente.

Logo surgiu um grande sorrio em meu rosto e respondi que sim. Adorava a ideia. E agradeci pelo convite e pelo o apoio que me estavam a dar.

Terminamos de jantar ajudei a levantar os pratos da mesa e Hoseok me chamou para ir com ele até seu quarto, eu fui e vi que ele tinha feito uma segunda cama no chão, pensei logo que era para mim e que iria dormir no mesmo quarto que Hoseok.

Hoseok: Esta noite dormes no meu quarto para o caso de teres mais algum pesadelo eu estou aqui assim não te sentes sozinha, ficas na minha cama eu fico nesta aqui no chão bem no seu lado e fica me encarando com aquele olhar penetrante.

Eu só abanei a cabeça a dizer que sim e me sentei na cama a pensar nos meus pais. Hoseok senta se ao meu lado e diz.

Hoseok: Amanhã não vamos a escola vamos fazer o velório dos seus pais.

Me deitei para trás com vontade de chorar mas fechei os olhos para me aguentar hoseok também se deitou no meu lado e me abraço me senti tao segura e quente que peguei no sono e ele também.

No dia seguinte acordei bem cedo e olho para o lado e vejo Hoseok a dormir. Pensei pra mim, como ele é lindo, meigo e doce fiquei a velo dormir durante tempo. Não sei o que se passa comigo não sei porque fico de coração acelerado quando Hoseok sorri para mim ou quando me toca, será que? Nah impossível ele é o meu melhor amigo desde infância não posso estar a gostar dele logo agora que vou ficar aqui a viver não, não posso.

Entretanto Hoseok acorda e me vê ali parada a olhar para ele sem dizer uma única palavra. Ele sem demoras me da um beijo na ponta do nariz e sorri.

Hoseok: Bom dia, estas acordada a muito tempo? 

Corada respondi de imeditado n-não, acabei agora mesmo de acordar também. E disfarcei o caso. Sai da cama me vesti com a roupa do colégio era a única que tinha ali no momento e disse a Hoseok que tinha de ir a casa pegar as minhas coisas saiu do quarto e desço as escadas e vejo os pais dele a entrarem em casa já com as minhas malas. 

Mãe de Hoseok: Espero que não te importes nos pegamos as tuas chaves e fomos buscar as tuas coisas não querias que fosses lá sozinha.

Não, tudo bem não faz mal. Hoseok desce as escadas e pega em algumas malas e logo leva para seu quarto e me chama. Voltei a subir a escadas e entrei no quarto.

Hoseok: Tens que te vestir hoje é o velório dos teus pais não podemos chegar tarde. É um dia difícil para todos nós. 

Baixo a cabeça e digo que não vou. Pois não vou conseguir ver a minha mamã e o meu papa naquele estado dentro do caixão, sabendo que nunca mais os vou ouvir, ver e falar com eles. Eu não vou prefiro ficar em casa e tentar me distrair e seguir em frente. Hoseok se aproximou. 

Hoseok: Se assim vai ser melhor para você então tudo bem eu fico com você aqui em casa. 

E sai do quarto para ir avisar os pais que nós não íamos. Consigo ouvir Hoseok a falar com os pais e a porta de casa a fechar, Hoseok sobe as escadas e volta para o quarto.

Hoseok: Pronto, agora só estamos os dois. Vamos nós distrair juntos como vou disse e sorri.


Continuaaa...


Notas Finais


Espero que gostem beijinhos :3 até ao próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...