História Amor Proibido - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtanboys, Bts, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rapmonster, Suga
Exibições 103
Palavras 1.962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii amores!
Como vocês estão? Eu vou bem.
Minhas provas acabaram, vou pegar o resultado dia 05/12.
Mas hoje eu vim aqui atualizar a fic!!!

O titulo tem TUDO com o capitulo! kkkk, esse povo que não decide o que sente, meu Deus!!

~ Estamos na reta final! ~

Acabei de escrever, ignorem os erros!
Boa leitura!

Capítulo 48 - Confusos sentimentos


Fanfic / Fanfiction Amor Proibido - Capítulo 48 - Confusos sentimentos

Voltamos para sala e meu pai estava falando sobre Taehyung com Namjoon e Hoseok, os três estava digitando rapidamente algo no computador.

 

– Nam, ache a ficha dele. Se ele não tiver, procure os lugares de Yoongi ia. Eles eram amigos e cumplices, com certeza frequentaram os mesmos lugares. – Meu pai disse a Nam.

– Eu já fiz isso, mas ele não tem ficha em lugar algum. Parece que ele ‘’nunca’’ existiu. Não temos certidão de nascimento, ficha médica, nada. –

– Como alguém consegue não existir? – Hoseok pergunta. Ele passa mão no cabelo e olha fixamente para o computador. Ele murmura algo, levanta e pega a chave do carro. – Eu já volto!

– Aonde você vai? – Jimin, pergunta.

– Procurar uma pessoa. – Ele sai correndo.

– Sophia, vá lá no meu quarto. Tem uma surpresinha para você! – Meu pai diz.

– Surpresa? Sabe que eu amo surpresas! – Saio correndo para o quarto do meu pai. Quando eu abro a porta, Mari está segurando meu irmãozinho. – MARI! – Corro para cima dela e a abraço.

– Sophia, cuidado! – Ela diz rindo.

– Eu estava com tanta saudade de você, não faz o quanto! – Eu dou um sorriso.

– Vou botar ele no berço e conversamos sobre tudo isso. – Ela diz e coloca meu irmão no berço. – Eu estava no Brasil, visitando minha mãe. E com tudo isso, eu precisava proteger seu irmão.

– Eu estou tão mal com tudo isso. – Vou para o seu abraço e começo a chorar. – Eu não acredito que eu me envolvi com ele, não acredito.

– Não precisa chorar. Ele já está sendo julgado. Hoseok me contou quando vocês se envolveram, não poderíamos imaginar que ele faria isso tudo.

– Mas é difícil.

– Sei que é. Mas agora levante esse rosto e pense no Jimin que voltou. Vocês vão poder ficar juntos e ninguém pode impedir isso.

– Eu não sei, Mari.

– Não sabe o quê?

– O que você não sabe, Sophia?

– Oque eu sinto pelo Jimin. – Eu digo e ela arregala os olhos.

– Não me diga que...

– Sim... eu gosto do Yoongi.

– Sophia, você tem certeza do que está falando? – Mari perguntou.

– Infelizmente, eu tenho. Eu não queria ter essa certeza, mas eu tenho. Não queria que fosse desse jeito. Quando eu fui no apartamento dele e acabamos passando a noite, foi diferente. Eu não sei se é o fato dele ser mais velho, eu só sei que... não sei.

– É complicado.

– Eu estou me odiando nesse exato momento por gostar dele, por sentir algo por ele. Olha o tanto de coisa que ele fez. O que eu faço?

– Não fale nada com o Jimin, ele irá se sentir muito rejeitado. As vezes o que você sente pelo Yoongi é só uma atração, isso acontece em algum tempo da vida.

– Mas não poderia ser por outra pessoa? Tinha que ser por ele?

– Não podemos escolher quem amamos, Sophia. A vida é assim, complicada. Pare de pensar nisso.

– Vou parar.

 

Peguei meu irmão no colo e fique brincando com ele, cresceu bastante. Enquanto brincava com ele, não consegui tirar meus pensamentos de minha conversa com Mari, ela foi a primeira saber dos meus ‘’sentimentos’’ por Yoongi. É horrível sentir um sentimento por uma pessoa como ele. Mas é uma sensação tão diferente, que chega ser inexplicável. Se esse sentimento continuar, eu vou ser obrigada a falar sobre eles com Jimin, ele não merece isso.

Quando Bernardo dormiu em meus braços, o deixei no berço. Mari estava no banho. Esperei ela sair, para descer.

 

– Eu amei a surpresa, pai. – Disse sorridente e o abracei.

– Hoseok ainda não voltou? – Mari pergunta.

– Ainda não. – Jin responde.

– Enquanto ele não volta, vamos esquecer esses assuntos por enquanto. – Mari diz.

– Vamos falar sobre o natal. Como é o natal aqui?

– Não sabe? – Nam pergunta, eu nego com a cabeça. – Aqui não é como no Brasil. No Brasil é comemorado em família, certo? Aqui é uma comemoração entre namorados, entende?

– Sério?

– Vamos passar o natal juntos, amor. – Jimin dá um sorriso.

– Sim. – Forço um sorriso. – Aonde você quer passar?

– Surpresa! – Ele vem até a mim e dá um beijo em minha bochecha.

 

Passar o natal com ele é uma ótima ideia para decidir o que está passando pela minha cabeça, eu poderia colocar as coisas em ordem.

 

Off

Com toda a velocidade, Hoseok acelerava o carro cada vez mais. Sua cabeça estava a mil. Seus pensamentos só se passavam por uma pessoa, MinHee. Ele estava com a fúria nos olhos, com ódio, raiva e angustiado com tudo isso. Hoseok estava cansado. Apesar de tudo, ele ainda sentia algo por ela, ele sentia algum sentimento por ela.

Ele está indo atrás dela para tirar suas conclusões finais e achar Taehyung, ele sabia por onde procurar ela, seu lugar favorito era um café no interior. Ela ficava lá nesses dias como esses. – Nublados. – Ele não entenda o motivo dela ser de dois jeitos diferentes, uma hora doce, inteligente, gosta de ler livros. Outra hora ela é egoísta, falsa. Hoseok se sente tão confuso quanto a irmã sobre os sentimentos.

Ele chegou no café, estacionou seu carro na vaga, saiu do carro e logo avistou o carro de MinHee. Hope soa frio, ela estava na janela lendo um livro e com certeza tomando seu café favorito.

Hoseok colocou seus óculos escuros e entrou na cafeteria, aproximou-se da sua mesa e sentou a sua frente, ela o olhou e disse em imediato sem prestar atenção.

 

– Eu estou sentada nessa mesa. – Ela diz e paralisa ao perceber que era ele. – H-hoseok?

 

Ela gostava dele, ela o amava.

Não sabia o motivo de ter feito aquelas coisas horrorosas com ele, ela era imatura.

 

– MinHee... – Ele suspirou.

 

Seu coração estava acelerado, sua mão suando frio. Ele perdia os sentidos quando estava com ela, ele não consegue sentir a raiva que ele desejava ter sobre ela. Seu coração era dele e o dela era dele, isso é inevitável. Eles se amam.

 

– O que te trás aqui? – Ela pergunta e dá um gole em seu café.

– Eu vim perguntar sobre o Yoongi e o Taehyung. – Ele responde e faz um sinal para a garçonete.

– Eu já prestei depoimento, eu não tenho que declarar mais nada. – MinHee se apoia na cadeira. – Olha Hoseok, eu preciso ir... – Ela ameaçou a levantar, mas ele segura sua mão.

– Fica... – Hoseok encostou sua mão na dela. Um choque correu pelo corpo dos dois e eles separaram as mãos rapidamente.

– Hoseok, me deixe ir. – Ela queria ir embora para esquecer ele, ela não queria sentir.

– Por favor. Eu pedi um café, me faz companhia. – Ele pediu. Esperando por uma resposta, ela senta e bufa.

– Esta bem, eu fico. – MinHee dá um sorriso sem mostrar os dentes.

 

O pedido dele chegou, a garçonete colocou em sua frente e deu o troco a Hope. MinHee o observou, olhava cada detalhe, cada gesto. Ela se encantava com o homem que estava em sua frente, o amor por ele era enorme. Mas o perdeu por vários erros cometidos, nem mesmo ela sabia o motivo das barbaridades cometidas. Ele não merecia isso, MinHee sabe e se arrepende.

 

– Por que me olha desse jeito? – Hoseok pergunta, após perceber os olhares de MinHee sobre ele.

– N-nada. – Ela cora. Não queria que ele percebesse. – Já acabou? Preciso ir embora.

– Já acabei. Precisa ir para onde? – Hoseok pergunta e segura sua mão novamente.

– Para casa. Eu estou um pouco cansada. – Ela escondia algo.

– Tem certeza? – Ele pergunta e larga sua mão.

– Absoluta. – MinHee responde um pouco baixo.

 

Eles levantam da mesa e seguem um ao lado do outro até seus carros.

 

– Eu quero que me responde de Taehyung. – Hoseok diz, quando chega ao carro de MinHee.

– Ele frequenta bastante aquele lugar de tiro, eu esqueci o nome do local. Não sei aonde exatamente agora, mas você deve saber. – Ela diz. – Quando a gente... namorava... – MinHee sente algo em seu peito ao dizer a palavra. – Fomos levar Suga lá.

– Eu sei onde é, obrigado.

– De... nada.

 

Eles estavam parados um na frente do outro, o orgulho de dizer o que estavam sentindo, era muito grande. Hoseok não queria saber de mais nada, a não ser, beija-la. MinHee só conseguia olhar para sua boca e desejar suas bocas coladas e abraços apertados que só ele sabia dar. Ela estava tão mal. Ele estava tão mal.

 

– Hoseok... – Ela diz. – Eu... – Suspira. – Quero lhe pedir perdão. – Finalmente a barreira de orgulho foi corrompida.

– Por? – Hoseok sabia, mas queria escutar de sua boca.

– Por tudo. Eu errei em ter feito aquelas coisas que aconteceram, eu quis mostrar uma pessoa que não sou. Eu não sou daquele jeito, eu só queria mostrar para os meus pais e para meu irmão que não sou uma mimada. – Ela suspira novamente. Seu coração batendo rapidamente, seus sentimentos que nunca sumiram, estava a atrapalhando-a de dizer.

– Escolheu o modo mais errado de mostrar isso a eles, só fez parecer mais pirralha. Não deveria ter feito isso. – Ele diz. – Você sabe o quanto eu amei você? O quanto eu me dediquei para te dar tudo, para te fazer feliz? – Hoseok a segurou pelos braços e a sacodiu devagar.

– ‘’O quanto eu amei você?’’ – Ela diz, repetindo suas palavras. – Você não me ama mais?

– Eu não deveria... Mas eu amo você.

 

Após Hoseok dizer aquelas palavras – Eu amo você –, não aguentaram de tanta saudade, de tanto sentimento, que juntaram seus corpos novamente e deram o beijo de saudade. Aquele beijo estava sendo a melhor coisa para os dois. A saudade era tanta, que estavam pouco ligando para as pessoas olhando.

 

– Eu te amo, Hoseok. – Ela diz com toda a sinceridade. – Me desculpa, me desculpa. – MinHee derramava lágrimas no ombro de Hoseok, ela estava muito emocionada.

– Eu também amo você, MinHee... – Ele disse.

 

Ele poderia amar ela, mas ainda estava com medo do que ela é capaz de fazer. Hoseok está magoado com tudo, ele sofreu demais por ela.

 

– Vamos com calma, MinHee. – Ele se afasta dela. – Eu preciso pensar. – Hoseok corre paro o seu carro sem deixar que ela responda.

 

Hoseok sai com carro rapidamente e vai atrás de Kim taehyung.

 

Sophia

Estou deitada no sofá com Jimin, mas meus pensamentos são em outro lugar, é inevitável não pensar.

 

– No que tanto pensa? – Namjoon perguntou. – Você está me assustando com essa cara. – Ele riu.

– Em nada. Eu estou pensando em nosso natal. – Menti. – Nunca passei um natal em modo coreano, é diferente.

– Vou fazer o meu melhor para você, amor. – Jimin diz. – Já até sei onde vamos passar.

– Isso que é um namorado. – Namjoon ri.

– E você vai passar sozinho, Hyung? – Jimin perguntou a Nam. – Você nunca passa sozinho.

– Eu sempre tenho um segundo plano, aprenda. – Nam diz rindo. – Antes eu ia ter uma diversão por uma noite, esse ano...

– Esse ano o quê? – Pergunto.

– Vai ser diferente. – Ele dá um sorriso.

– Esse sorriso de apaixonado, quem é a garota. Conte-me. – Jimin diz.

– Um dia vocês vão conhecê-la. Quero ver se gosto dela de verdade, entende.

– Você irá passar o natal com ela, isso não é gostar?

– Vamos para com esses assuntos, está bem? Qualquer dia desses, eu vou apresentar para vocês. – Nam diz.

– Ok. – Jimin responde.

 

Ficamos conversando um pouco, até que Jin entra na sala. – Ele estava no telefone com Jungkook. – Jin colocou no viva voz e ficamos conversando com Jungkook e Hyuwa. Conversamos mais um pouco e depois subi para o meu quarto, eu não estava me sentindo muito bem.

 

– Quer que eu vá com você? – Jimin pergunta.

– Se você quiser, tanto faz. Eu preciso deitar na minha cama, urgente. Foi um dia bem cheio, não acha?! – Ri.

– Realmente.

 

01 Dezembro...

23 dias para o natal...

 

Jungkook e Hyuwa tinham voltado para o de viagem, eles estão aqui em casa, como Jin é o único que sabe cozinhar bem, ele se ofereceu para fazer um almoço para todos.

 

« Continua... »

 

 


Notas Finais


COMENTEM O QUE ACHARAM!
Comentários são muito importantes para mim.

O que vocês acharam do capítulo de hoje?!
Hope e MinHee, apoiam novamente?
Os sentimentos da Sophia? É só algo bobo?
Será que Min Yoongi a ama?
hahahaha!

Espero muito que vocês tenham gostado!
Obrigada pelos favoritos! Quase 320 favoritos, OBRIGADA!
Até o próximo capítulo, bjsss! <3
Amo vocês!

~ Twitter: @_secretwriter_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...