História Amor proibido - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Híbrido, Lobisomem, Mestiço, Mpreg, Vampiro
Exibições 330
Palavras 1.178
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 21 - Capitulo 21



Pov. Johnny

Fazia três semanas que o Miguel não falava comigo nem ia para a escola, eu sempre ia na casa dele para tentar ver ele, mas a mãe dele sempre falava que ele não queria me ver, isto me machucava muito.

Passava a noite toda choramingando na minha forma de lobo.

Queria que pelo menos ele falasse comigo, eu sei que ele está chateado e com medo do que aconteceu três semanas atrás por ter quase bebido meu sangue. Minha família ficou toda preocupada mas depois que comi uns 3k de alimentos de todos os tipos recuperei minhas forças.

Eu tinha ouvido minha mãe falando com os meus tios de como ela tinha razão sobre o Miguel e meus tios que já não eram muito fãs do Miguel começaram a desgostar mais dele, mas eu não me importava realmente, se ele tinha se recuperando e eu estava bem.

Infelizmente o Miguel não compartilhava isto comigo.

O dia tinha amanhecido, acordei meio dolorido e com frio por ter dormindo ao relento. Entrei em casa e comi só uma panqueca e um suco natural, que não era normal para mim que comia de cinco a sete panquecas, para poder ir para a escola.

Agora também levava o Dylan comigo, ele estava se adaptando bem ao novo estilo de vida.

Seria bom se não estivesse mais ocorrendo nenhum ataque mas infelizmente, ocorreram dois ataques de vampiros mais nenhum conseguiu chegar no Miguel, o que era um alívio para mim.

Chegamos na escola e foi direto para a sala, não queria falar com ninguém então fiquei sentando quieto sem falar com ninguém.

Não sei em que momento, mas acabei dormindo e acordei sentindo um toque na minha testa mais tinha algo diferente deste toquei, não era frio e delicado como do Miguel.

- você está ardendo em febre - a Carolina falou - Vem vou te levar para a enfermaria.

Me fez levantar e me puxou para a enfermaria me fazendo deitar na cama.

Estava meio zonzo mais vi o rosto da Carolina se aproximando do meu como se você me beijar, mas ela pareceu ter percebido que eu estava acordado.

- Sinto muito Johnny... E que eu gosto de você deste o primeiro ano... Eu sinto muito -  disse mais uma vez e saiu correndo e senti cheiro de lágrimas vindo dela.

Senti um aperto do coração por fazer uma amiga chorar, mas não podia corresponder os sentimentos dela.

Acabei dormindo de novo e acordei com a voz do Manuel e o Dylan.

- Ele já acordou - Dylan falou quando me viu abrindo os olhos.

- Ok! Vamos para casa.

Concordei e fomos até o carro. No caminho estava quase dormindo mas me mantive acordado.

- Meus Deus, você está com febre - minha tia Sofia falou, porque de tanta surpresas? nós lobisomens não ficamos doentes, principalmente com febre - E porque você está dormindo ao relento no inverno.

No dia seguinte fiquei de cama recebendo sopa quente, que não comia, e lençóis. Fiquei três dias na cama sem nenhuma melhora, a cada hora ficava com mais saudades do Miguel, meu lobo parecia estar morrendo pela saudades dele.

Passei a tarde toda dormindo, não tinha vontade de fazer mais nada. Quando senti um toque estranhamento familiar e abri meus olhos lentamente tentando descobrir quem era.

- Miguel? - me levantei rápido puxando ele para o meu peito forte, para ele não fugir.

- Calma lobinho - falou suavemente no meu ouvido e afroxei um pouco o abraço. Notei que a barriga dele estava um pouco maior, se olha se com atenção já poderia perceber.

Não aguentei e colei nossas bocas, primeiro ele ficou surpreso mas não demorou a reagir, puxei sua cintura para sentar em cima de mim, podia sentir que ele estava com tantas saudades quando eu.

- Você está doente - falou se separando de mim calmamente enquanto eu estava ofegante.

- Miguel...?

- Sinto muito ter de ignorado, mais estava com tanto medo que algo pudesse acontecer a você se eu surtasse e bebesse seu sangue de novo... - começou a chorar mais forte e não conseguiu terminar a frase, mas sabia o que ele queria dizer.

- Eu estou bem Miguel. Doeu mais quando você se afastou de mim - terminei tanto um beijo na sua testa.

- Sinto muito - sussurrou ainda derramando lágrimas que beijei cada uma secando elas.

- Já estou feliz por você e o meu pequeno filhote estarem aqui - falei puxando ele para dentro do coberto.

- Também estamos - disse escondendo seu rosto no meu peito.

Ficamos em silêncio, um silêncio agradável e aconchegante, comecei a fazer um carinho nos cabelos castanhos dele. 

Acabei dormindo novamente, mais desta vez mais tranquilo por ter meu parceiro e meu filhote nos meus braços.

Acordei novamente estava quase escurecendo, ouvi as vozes do Miguel e do Manuel do outro lado da porta.

- Obrigado por ter conversado comigo e ter me convencido a vim conversar com o Johnny - o Miguel falou.

- De nada. Fico feliz que vocês se assertaren.

- Obrigado - disse e abriu a porta me vendo acordado - Boa noite, lobinho! - disse com um sorriso pequeno me tanto um selinho.

- Obrigado Manuel - falei alto para ele ouvir.

- Está com fome? - perguntou com uma voz baixa e doce, e um pequeno sorriso, adorava cada sorriso e modo de falar dele.

- Um pouco - disse admirando ele.

- Vou pegar algo para você comer - saiu do quarto e voltou em três minutos com pão e sopa.

- Estou cansado de comer sopa - falei com um biquinho, mais acabei comendo todo - Vai dormir aqui?

- Se você pedi...

- Dorme aqui - falei puxando ele devagar e fazendo se deitar comigo.

Acordei no meio da noite excitado, poderia sair e me aliviar no banheiro, se meu namorado pelo menos dormisse.

- O que foi, algum  problema?

- Não nã~o - falei mais ele de repente tocou meu membro me fazendo gemer baixinho.

- Você está excitado! - falou com um riso baixo. Se levantou e subiu em cima de mim.

- Mi~guel - gemi quando ele rebolou em cima do meu membro.

- O que? - disse com uma voz inocente que me deixou louco.

- Está querendo brincar? - disse invertendo nossas posições - Vamos brincar.

Comecei a lamber seu pescoço ate sua orelha e quando estava já mordendo seus mamilos ele inventou as posições novamnete.

- Eu que comando hoje - disse e isto fez meu membro latejar mais. Ele começou a chupar devagar a cabeça e depois engoliu ele todo, estava me segurando para nao urrar de prazer.

Ele parou antes de eu poder gozar,o que agradecia não queria ser o primeiro, mas então ele subiu no meu membro e começou a cavalgar devagar dele.

- Mais rápido - pedi num suspiro sofrido. Ele deu um sorriso malicioso mais começou a ir mais rapido ate nos dois gozarmos, e dormirmos abraçados depois de um beijo cheio de sentimentos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...