História Amor proibido - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Híbrido, Lobisomem, Mestiço, Mpreg, Vampiro
Exibições 248
Palavras 1.566
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 28 - Extra 2



Pov. Johnny

O Júlio estava completando três anos hoje e eu queria dar uma grande festa para ele, já que do primeiro e segundo ano não fizemos por Miguel alegar que ele nem lembraria, mais depois de muito insistir ele concordou em fazermos de três anos.

Estávamos acabando de decorar a casa, tinha convidado os meus amigos do colégio, Julieta, Henri, Carolina, Allen e Safira, que não via muito deste que nos formamos. Claro que inventamos uma desculpa para o Júlio, que ele era adotado.

- Esta tudo pronto. Só falta os convidados chegarem - o Miguel disse entrando em casa.

- Daqui a uma hora, já devem estar chegando - falei olhando o relógio.

- Ótimo, tá tempo de eu tomar um banho - disse e subiu as escadas para o nosso quarto. 

Eu fiquei na sala com o Júlio que estava adorando os carrinhos que eu e o Miguel tinhamos comprado para ele.

Uns dez minutos depois senti o cheiro do Manuel e do Dylan se aproximando. Os dois agora estavam quase casados, so faltava mesmo oficializar.

- Os titios estão chegando - falei e ele nem ligou de tão concentrado que estava brincando.

Me levantei e foi abrir a porta para eles que estavam com uma pacote

grande nas mãos.

- Cadê meu afilhado - o Manuel perguntou, a um ano atrás tínhamos decidido que ele junto com o Dylan seriam os padrinhos do Júlio.

Dei espaço para eles entrarem e o Júlio logo virou para eles.

- Brinquedo pra mim? - perguntou com os olhinhos e a boca aberta. Esta super fofinho, acho que era como o Miguel disse, eu era um pai bobão.

- Sim, e para você pequeno - o Dylan falou afogando os cabelos do Júlio e tanto o presente para ele.

- Obrigado - falou com um sorriso pequeno parecido com o do Miguel e voltou a brincar com os seus brinquedos.

Na maioria das vezes ele era bem tímido, falava muito pouco até mesmo comigo e com o Miguel.

Duas horas depois a maioria dos convidados já tinha chegado, uma música infantil tocava pela casa toda animando as crianças.

Me aproximei por trás do Miguel, que nem se abalou, deveria já ter sentindo minha presença quando me aproximava dele.

- O Júlio está se divertido bastante - falei para ele vendo ele correndo com os primos.

- Sim, estou feliz de você ter me convencido a fazer isto - disse se aconchegando mais em mim.

Ficamos conversando com nossos amigos, sabendo como eles estavam depois de três anos e com a nossa família.

- Está na hora dos parabéns - gritei depois que vi às horas.

Todos começaram a se juntar em torno da mesa onde estava o bolo e outros doces.

Começamos a cantar e de começo pensei que o Júlio iria chorar mais ele parecia estar gostando.

- Para quem você vai dar o primeiro pedaço?

- Papai - falou estendendo para o Miguel.

Depois dos parabéns e todos terem voltado a brincar, peguei um prato de salgadinhos e foi em direção ao Miguel que correu em direção ao banheiro.

- Amor todo bem?

- Sim lobinho, só me senti... Enjoado.

- A última vez que você se sentiu enjoado você estava esperando o Júlio.

- Será que eu estou... De novo? - perguntou olhando para mim.

- Não sei, vamos esperar mais um pouco - falou e voltamos para a festa.

Dois meses depois nossas suspeitas foram confirmadas, o Miguel estava esperando mais um filhote. Minha alegria foi imensa quando pode ouvir o coraçãozinho dele batendo.

Nossa família também ficou feliz pela notícia mas o que foi mais dicifil foi explicar para o Júlio. No começo ele pareceu não se importar mas depois acabamos percebendo que ele ficava pedindo mais colo e atenção do que o normal, e quando perguntamos sobre isto ele tinha respondido que quando o bebé nascesse não iríamos mais dar atenção para ele.

Isto me batiu o coração vendo meu filhote falar daquele jeito, com os olhinhos todos húmidos, diferente de mim que tentava segurar as lágrimas o Miguel chorou abraçando ele falando que aquilo não era verdade, sempre iríamos dar atenção e amar ele muito, não importando se um bebé estava vindo.

No começo ele pareceu entender, mas quando a barriga do Miguel começou a crescer e ficar mais visível, o ciúme dele voltou e tivemos que ter mais uma conversa com ele.

Esta gravidez estava sendo mais fácil do que tinha sido a do Júlio, ja que tínhamos uma leve experiência. O Miguel começou a comer comida por volta dos quatro meses e não teve muitos desmaios também, só teve um desmaio. 

- Sua barriga esta muito grande para só cinco meses, né? - minha tia Sofia comentou quando veio nos visitar. Eu concordava com ela, a barriga dele estava muito maior do que a última vez.

Ele deu de ombros e continuamos a conversar.

O quarto do novo filhote ja estava completamente arrumado para a chegada dele. Internamente eu torcia para ser uma menina, ja que tínhamos um menininho, assim teríamos um casalzinho.

Estava dormindo tranquilamente quando um estrondo me vez acordar assustado, e me assustei mais ainda quando não vi o Miguel do meu lado. Corri para o andar de baixo procurando ele.

- Amor o que foi? - perguntei

- Esta nascendo Johnny?

- Mais da última vez foram seis meses

- Johnny, chame logo alguém para ajudar

Corri na minha forma de lobo até a casa da minha mãe e eles logo me acompanharam de volta.

Quando chegamos o Miguel estava sentando respirando de pressa com o Júlio no colo.

Minha mãe e meus tios agiram rápido, pegando o Miguel e levando para o quarto e me dando o Júlio. Eu queria poder entrar no quarto para ficar com ele mas o Júlio estava assustado então tive que ficar com ele. Também liguei para os pais dele que chegaram em cimo minutos, e a mãe dele foi se juntar no quarto onde ele estava tanto a luz.

- O papai está bem?

- Esta sim, o seu irmãozinho ou irmãzinha esta nascendo - falei e ele não falou mais nada, ficou abraçando no meu pescoço, depois de alguns minutos pensei que ele ja estava dormindo.

Ja tinha se passado duas horas e nada, nem um choro ou alguém vindo avisar se estava tudo bem, mas meia hora depois um choro alto e forte se vez por todo a casa, não aguentei a emoção e comecei a chorar. Esperei alguém vim falar que ja podíamos subir para ver eles mas nada aconteceu, isto começou a me preocupar, será que tinha acontecido alguma complicação com eles?

Então meia hora depois um outro choro forte e alto se fez presente. Eu não consegui entender, o bebé deveria chutar duas vezes.

- Gémeos. Você deve gémeos Johnny - o Dylan falou

- Pode subir para ver seus dois filhotes

Segurei o Júlio mais firme nos meus braços e subi as escadas até o quarto de hóspedes onde a porta ja estava aberta e pode ver de cara o Miguel segurando dois enbulhos.

- Um menino e uma menina - disse e rir com dejavu que tive, me aproximei da cama vendo os dois com os olhinhos abertos e pareciam incomodados com a luz da lâmpada, a menina tinha puxado a mim, cabelos pretos e olhos azuis, ja o menino era uma mistura minha e do Miguel, cabelos castanhos e olhos azuis.

- Qual é meu irmãozinho? - o Júlio perguntou baixinho.

- Os dois meu amor - o Miguel respondeu com um sorriso materno que só era direcionado ao Júlio. De repente ele começou a ficar quietinho e a chorar baixinho.

- O que foi principezinho? - perguntei checando ele.

- O papai e o pai não vai mais te tempo pra ficar com eu, só com eles - disse se encolhendo mais em mim, ja estava vendo que seria difícil para o Júlio aceitar os irmãos.

- Júlio, isto não é verdade. Eu sempre vou ter tempo para você meu amor, você sempre será meu príncipe - o Miguel disse tanto um beijo nas bochechas molhadas dele e eu dei do outro lado - Quer nos ajudar a colocar um nome deles?

- Eles não tem nome? - perguntou curioso e o Miguel negou com a cabeça - Andy

- Andy... - falou testando os nomes, mas percebi que ele ja tinha gostado - Eu gostei! E para a sua irmãzinha? - perguntou e vi i Júlio fazendo um beicinho que ele sempre fazia quando pensava ou não entendia alguma coisa.

- Emme - falou um pouco alto quase assustando os filhotinhos mas eles não choraram.

- Então será Andy e Emme Adams Garcia - o Miguel falou e eu também gostei dos nomes.

Foi meio difícil o Júlio se acostumar com os novos irmãozinhos que diferente dele não eram mestiços, a Emme era uma lobisomem, não tinha nenhum traço de vampiro que tenhamos notado, o mesmo com o Andy, era um vampiro é não tinha traços de lobisomem.

Mas ainda amava a minha família, mesmo com os ciúmes do Júlio com os irmãs, o Miguel sempre morrendo de preocupação por não saber se estava fazendo direito as coisas, a Emme que não parava quieta, o Andy que não dormia ficando chorando a noite toda por atenção. Amava todo isto.



Notas Finais


Os extras acabaram. Agora iremos começar a segunda parte.

A sinopse da segunda parte; Júlio agora tem 15 anos e um menino muito quieto e tímido, se sente meio deslocado na família por ser o único verdadeiramente mestiço.

Um garoto novo chega na cidade e a atração deles e inevitável, mas ele e a família escondem um segredo.

Será o amor deles mais forte que este segredo ou não?

Ficaram interresadas(os)?

Se sim 💚💚 dois corações

Se não 💛 um coração


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...