História Amor próximo - Capítulo 30


Escrita por: ~

Exibições 5
Palavras 1.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência
Avisos: Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 30 - Capítulo 30 - Frayssexual e demigirl


Fanfic / Fanfiction Amor próximo - Capítulo 30 - Capítulo 30 - Frayssexual e demigirl

Por um segundo estranhei e muito a presença da Asashio e do Gabriel na minha loja, eles parecem sempre tão seguros com tudo, mas algo deve ter mudado essa rotina e eu até suspeito o que tenha sido.

— Olá, sejam bem-vindos, quais materiais são de interesse de vocês?

Assim que recebi a resposta percebi que era sério e não só uma mudança de rotina, algo me diz que ela descobriu aquele sentimento que nós já havíamos suspeitado desde o começo do curso.

— Posso fazer um desconto para vocês, assim terão uma segurança boa e barata.

— Obrigado.

Que angustia horrível era passada com o olhar dela, uma garota tão fofa que precisa sofrer com um cara tão louco de ciúmes e que diz ser apaixonado, nada disso é amor, pelo menos não um amor saudável.

Ao vê-los sair chegou a arrepiar todos os meus pelos, inclusive o meu cabelo, mas esse nem é considerado um pelo para a maioria, então é irrelevante, porém saber do estado atual da mente dela é doentio e qualquer um se sentiria da mesma forma.

Melhor eu nem pensar mais no caso ou não conseguirei dormir mais tarde, enfim, vou ver o que a Atsuko está fazendo ou entrarei em um tédio sem fim, ainda mais com o pouco movimento da loja.

— Me ligou? Que raridade, enfim, o que quer fazer?

— Pode vir na loja? Quero conversar para passar o tempo.

— Claro que posso, logo estarei ai.

Preciso ver algo para realizar enquanto ela não chega ou travarei em uma posição até que eu sinta dor e precise mudar caso contrário nem pensarei em mover, mas fazer o que.

Lembrei que eu guardo várias músicas no celular para cantar e ver se o tempo passa mais rápido e se passar nem necessitarei de ideias novas, essa que é a parte boa de gostar de cantoria.

Quando notei já havia se passado o tempo que ela demoraria a chegar e então nos vimos fora da faculdade, por mais que os nossos cursos sejam diferentes, ambas somos noturnas e de humanas, mas ela foi obrigada a fazer direito e depois que terminar prestará um curso de sua escolha.

O que importa é que consegue ter pelo menos um pouco de tempo para se divertir diferente de nós que temos um curso menos pesado, se comparado com esse curso difícil e cheio de matérias.

— Está tão pesado continuar, mas se eu não terminar não poderei escolher o meu próprio curso.

— É uma pena que tenha que terminar o que não quer, mas tudo vai dar certo e pelo menos na sua primeira formatura estará perto de mim, sem contar que te esperarei todos os dias.

— Obrigada.

Vê-la sorrir é uma perfeição, mesmo que eu não me atraia, sei que sinto algo por ela, mesmo que seja só amizade, o que a machuca, mas o que posso fazer? Nada.

— Seria tão bom se eu fosse correspondida, mas não, somos apenas amigas.

— Tenho culpa se eu só te vejo como amiga? Para mim você é como uma irmã e só.

— Que cruel!

Ela é bem infantil, mas gosto da sua presença me faz melhor e eu espero que eu tenha meu primeiro amor logo, já estou na faculdade e ainda não encontrei a pessoa certa, sei que quando eu criar laços com ela a minha atração sexual não existirá mais e isso poderá afetar o nosso relacionamento.

Por mais mal que eu me sinta em ter de rejeitá-la, não é minha culpa se não foi com ela o meu primeiro amor, espero que ela se apaixone por alguém que a ame do mesmo jeito ou poderá tentar comigo o resto da vida.

Suspirei fundo e pensei se eu iria a alguma festa para conhecer mais pessoas, cansei de ver sempre as mesmas todas as noites, tem uma hora que enjoa só não me enjoo do professor, pena que ele namora e com duas pessoas.

Noto algo em mim desde a minha adolescência e isso acaba comigo, toda vez que eu me atraio por alguém, pode ter certeza que ela namora ou está para namorar, acabando com quaisquer chances entre nós.

Deve ser por isso que eu desisti há anos de tentar esse tipo de relacionamento, ainda mais ações entre humanos, vou continuar nas animações pelo resto da vida, a não ser que proíbam.

— Pare de pensar em coisas tristes, venha para o lado alegre da força!

— Não sei como consegue ser alegre em tudo, mas ‘né quem sou eu.

Nisso ela fingiu me atacar, querendo tirar algumas risadas de mim, adoro pessoas como ela, mas eu sinto uma culpa enorme por não correspondê-la da maneira que eu gostaria e eu falo isso muitas vezes por dia, eu em.

— Duvido que consiga me vencer!

— Eu que duvido!

Tentamos nos distanciar o máximo possível dos equipamentos ou eu teria um longo prejuízo com o material que vendo, então pensamos em ir a casa dela, já que os pais estão em uma viagem ao exterior e não pretendem voltar tão cedo por confiarem nela e em mim.

Mas ela não fica sem conversar com eles, pelo contrário, eles estão sempre pelo programa do computador ou pelo celular, eles são muito ligados um com o outro e por isso não conseguem se desgrudar um minuto sequer.

Fechei a loja e andamos até a residência, uma casa, algo não tão comum no nosso país pela falta de espaço sem ser de montanha em cima de montanha, é uma raridade ver uma casa daquele tamanho.

Em contra partida eu moro em um apartamento pequeno e que dá para no máximo duas pessoas, sem mais. O que me atrapalha, pois não posso chamar meus parentes para cá, apenas conversamos da mesma forma que a Atsuko e os pais dela, além de irmos aos restaurantes que podemos bancar.

É incrível ver a fortuna que essa família possui, mas não posso pensar só nisso o tempo todo, mas sim que estou com a minha melhor amiga e que vamos nos divertir e muito durante esses meses ou anos.

— Quero ver me pegar!

— Não escapará das minhas presas!

Rugimos feitos animais selvagens e corremos pela casa toda, com o mínimo de cuidado para não quebrarmos nada, de resto nos libertamos das dores do dia a dia corrido e puxado que possuímos por conta da nossa rotina.

— Eu disse que não escaparia!

— Não!

Ouvi-la rindo é ótimo para quebrar meus sentimentos ruins e pessimistas, até porque ninguém deve ser dessa maneira o dia inteiro, contando também o tempo noturno, ou não tem mais jeito de pensar em momentos bons, em um futuro bom, apenas no contrário disso.

Algo que me irrita nos meninos em relação a ela, é que eles observam demais seu corpo, como se fosse uma mercadoria que eles podem e devem tocar o tempo inteiro, só não bato em cada um porque viso a minha reputação.

Não sei como que ela aguenta ser paparicada o tempo inteiro, recendo presentes, elogios e diversos pedidos de namoro, até a segunda parte é aceitável, mas quando eu vejo um a cada dois meninos tentando namorar com a minha melhor amiga só por sexo, sinto um nojo deles sem tamanho,

— Não seria bom cortar de vez os meninos?

— Eu gosto de presentes e de elogios e me sinto ótima sendo querida por todos, mas sei que isso pode acabar comigo em algum momento.

— Pense duas vezes ou até mais que isso antes de aceitar qualquer tratamento, daqui a pouco eles vão querer mais do que só te ver e vai começar a ficar sério, toma cuidado de verdade.

— Sei bem das consequências e por isso estou aprendendo defesa pessoal com a Asashio.

Assim que ela citou esse nome parece que apertaram meu coração, não sei como ela está e eu não deveria pensar nisso, ela precisa é de um tempo com seu amado e só, não da minha ajuda nesse instante, afinal, eu já ajudei no que pude.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...