História Amor, sangue e guerra - Capítulo 65


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Chris Argent, Cora Hale, Derek Hale, Erica Reyes, Isaac Lahey, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Peter Hale, Theo Raeken
Tags Derek, Drama, Gay, Hot, Lemon, Lobisomem, Romance Gay, Slash, Sterek, Stiles, Suspense, Teen Wolf, Yaoi
Visualizações 71
Palavras 2.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá. Espero que gostem desse capítulo.
Irei explorar um pouco a primeira vida de Stiles apenas para que vocês saibam como ele e Derek se conheceram e começaram a se amar. Achei que seria interessante para que a história dos dois ficasse mais profunda.
A segunda temporada será mais longa do que a primeira, ok?
Boa leitura.
<3

Capítulo 65 - SEGUNDA TEMPORADA - Capítulo Trinta e Dois


Fanfic / Fanfiction Amor, sangue e guerra - Capítulo 65 - SEGUNDA TEMPORADA - Capítulo Trinta e Dois

Memórias – Parte Um

“O Sol estava no topo do céu, parecendo queimar tudo ao seu redor com sua auréola de fogo. O verão havia chego mais cedo no reino de Sonnenlicht, localizado mais ou menos no Sul do que hoje seria considerada como a Alemanha. O calor parecia se espalhar em pequenas ondas a partir do solo feito todo de pedras brancas, mas nem mesmo a alta temperatura impedia as pessoas de saírem de suas casas para trabalharem.

As crianças corriam pelas ruas de modo desenfreado, rindo alto enquanto seus pais tentavam comprar algo para comer e suas mães lavavam as roupas ou cozinhavam. A vida em Sonnenlicht era muito calma até. Calma até demais. Nada de espetacular acontecia naquela cidade. Isso é... Até a chegada de Derek Hale naquele lugar.

Assim que o lobisomem pisou na Alemanha pareceu ter virado uma atração particular dos moradores. Ele havia entrado no reino em um imenso corcel da cor de um carvão e que tinha os olhos vermelhos como sangue e uma crina longa. No dia em que entrara trotando pelos portões forjados de ferro que protegiam o local, o homem trajava roupas simples e tinha a barba por fazer e sua pele estava queimada pelo Sol, ficando dourada e brilhante.

Ele era diferente dos demais. Muito sério, muito misterioso e fechado demais. Porém, mesmo com aquele jeito todo duro de ser, o moreno havia conquistado a confiança do rei que o nomeou como cavaleiro real e desde esse dia, o Alfa era visto sempre circulando nas ruas, trajando armadura e tomando conta da população.

Mas nem mesmo a confiança do Rei e seu serviço eram suficientes para aplacar o vazio que Derek sentia dentro do peito. O lobo estava cansado de ter que fugir, indo de Reino em Reino para que ninguém notasse que ele nunca envelhecia ou que ele não era humano.

E ficar migrando estava o deixando louco, pois o Alfa mal podia ter uma vida digna, não podia construir laços de amizade e muito menos amar alguém e não só por conta de ter que sumir, mas pela maldição também. Se apaixonar era um risco agora, um dos grandes e que poderia causar muitos danos.

E Derek estava conseguindo evitar que seu coração ferido fosse domado. Estava tudo certo para o lobo. Ele ignorava os suspiros bobos das mulheres e os olhares maliciosos dos homens, se isolando em seus aposentos e treinando sempre que podia e sempre que a noite de Lua Cheia chegava, o moreno se trancava ou escapava para a floresta que havia no Reino para caçar e não matar derramar sangue de um inocente.

E estava tudo indo bem, até que um dia o rei teve um filho. Ele chamaria Stephan e seria a razão dos problemas de Derek. O príncipe alemão que seria o responsável por capturar o coração do homem, deixá-lo louco e levá-lo a ter os sentimentos destruídos.

Stephan com seu olhar inocente, sua força e sua gentileza era nada mais e nada menos do que a primeira vida que Stiles teve. A primeira vez que surgiu no caminho do Alfa para fazê-lo se apaixonar de modo intenso e se entregar de corpo e alma...

*******************************************************************************************************

- Sor Hale.

Derek ergueu os olhos da carta que lia e avistou um garoto pálido e esguio se aproximando. Stephan Scheidemann trajava pesadas roupas feitas de couro escuro que pareciam deixá-lo ainda mais branco e destacavam seus cabelos negros como as asas de um corvo.

O Alfa ficou observando o príncipe caminhar em sua direção, deixando pegadas na neve fofa que se acumulava no jardim. Uma coroa prata pousava suavemente na cabeça do garoto de dezesseis anos.

Ele estava lindo como sempre e Derek não podia deixar de reparar que a barba do menino já estava começando a crescer. Logo o herdeiro do trono seria um homem feito e teria de achar uma pretendente e pensar naquilo deixava Derek morto de raiva e de ciúme. O lobo não queria que Stephan tivesse outra pessoa em sua cama e em seu coração e muito menos em seus braços, mas ao mesmo tempo, o homem sabia que não tinha direito algum de sentir tudo aquilo e que além de errado era muito, mas muito perigoso mesmo, pois o jovem poderia morrer.

- Meu Senhor. - O Alfa disse de modo respeitoso e se curvou devagar. - Precisa de algo?

Stephan abriu um sorriso sapeca e tirou de dentro de sua capa uma pequena rosa azul que havia florescido alguns dias atrás e sobrevivido as temperaturas baixíssimas que estavam fazendo. Ele havia pensado no cavaleiro assim que a viu e decidiu que queria dar a flor ao Sor de presente para que se lembrasse dele.

- Isso é para mim, Vossa Graça? - Derek olhava as pétalas delicadas da rosa. - É muito gentil de sua parte. Agradeço ao presente.

Assim que o príncipe foi lhe entregar a rosa, as pontas dos dedos do Hale roçaram levemente nas de Stephan, fazendo um arrepio profundo percorrer a espinha do lobisomem. Ambos se entreolharam e o sorriso do menino se ampliou, revelando seus dentes brancos e perfeitos. Stephan foi mais ousado naquele momento e resolveu segurar a mão de Derek sem se importar se alguém os veria.

- Hoje a noite quero te ver, meu nobre cavaleiro. Temos que conversar. Não suporto mais ficar longe de seus braços.

Derek queria dizer que eles nunca mais deveriam se ver ou sequer trocar beijos e carícias, que aquele amor custaria a vida de Stephan. A maldição não iria falhar e o lobisomem sabia que a culpa seria só sua se o herdeiro do Reino viesse a falecer. Porém, assim que ele olhou nos olhos claros e castanhos do garoto, tudo parecia mudar. Ele estava atraído e não tinha mais como negar aquilo.

Seu desejo falava muito alto e o deixava cego e burro mesmo que sua mente lhe gritasse para que fosse embora daquele reino alemão e nunca mais voltasse. A verdade era que ele estava entre a cruz e a espada.

- Tudo bem, meu Senhor. Irei te aguardar nos estábulos como sempre. - O Hale disse baixo, pois parecia que aquele castelo ás vezes tinha ouvidos. - Ás nove horas estarei lá.

Stephan se inclinou para frente como se quisesse beijar os lábios do cavaleiro, porém, pensou melhor e se afastou mesmo que não quisesse fazer aquilo. Ele mal podia esperar para que a noite caísse para finalmente ter o que merecia: Seu homem.

- Tudo bem, Sor. Irei lá. Cuide-se.

O príncipe teve de ficar nas pontas dos pés para poder roçar levemente os lábios contra a bochecha de Derek que sentiu as faces arderem. O cavaleiro abriu a boca para dizer algo, mas Stephan riu e saiu andando depressa, deixando-o só novamente e cheio de dúvidas e ansiedades.

*************************************************************************************************************

O crepúsculo finalmente havia chego e passado mais rápido do que um piscar de olhos. A neve ainda caia sem piedade, se acumulando nos telhados enegrecidos do Castelo fazendo com que a construção parecesse um bolo grande feito de pedras frias e cinzas. A Lua começou a despontar lentamente, tomando conta do céu enquanto as estrelas apareciam também, iluminando o Reino.

Derek estava nos estábulos após uma longa tarde de treinos, cuidando de seu corcel enquanto comia um pedaço de queijo de cabra e tomava leite. Ele não sentia muita fome devido a sua ansiedade. Sempre que o lobo estava perto de encontrar Stephan seu corpo começava a ter reações diferentes. O Alfa suspirou, se sentindo um tolo apaixonado.

- Acha que sou idiota Sirius? - O moreno perguntou para seu animal.

O corcel soltou um relincho em resposta, movendo as orelhas e encostou a cabeça no ombro largo do cavaleiro. Derek afagou a crina do equino e sorriu, tentando acalmar seus nervos a flor da pele, mas era tudo em vão. Ele não ficaria tranquilo até que Stephan aparecesse.

- É. Você tem sorte por não ser humano. - O Alfa disse ao seu corcel enquanto dava um tapa leve em seu flanco e acendia algumas tochas.

Derek se sentou perto do animal e ficou aguardando no silêncio pelo seu amante, olhando para o nada. E enquanto estava ali sozinho, o lobisomem ficava pensando em seu pai. Rodrik lhe parecia um estranho agora. Um homem que o Alfa só conhecia pelo nome, mas não por completo. O patriarca da família Hale era fechado e Derek tinha certeza de que escondia muitos segredos sujos por trás de todo seu silêncio. Afinal... O que será que Rodrik já fez em sua vida, além de  inocentes?

- Queria saber quem ele realmente era. - O homem disse para o nada. - Será que irei acabar louco igual meu pai? Será que serei ruim como ele? Um assassino?

E então, repentinamente, as portas pesadas de madeira do estábulo se abriram devagar, rangendo de modo fantasmagórico. Derek olhou em direção a entrada e viu uma silhueta alta. Era o príncipe em fim. O garoto vinha segurando uma vela e tinha um capuz lhe ocultando o belo rosto.

- Derek. - A voz do menino ecoou pelo local.

O Alfa levantou depressa e esperou por seu amado. Stephan tirou o capuz e fechou as portas atrás de si. O adolescente correu para o homem, o envolvendo em seus braços. Derek o abraçou de volta e sorriu, apoiando o queixo no topo de sua cabeça.

- Você está gelado, meu príncipe. Deveria tomar cuidado e se aquecer mais ou vai acabar doente. – Derek afagava lentamente as costas do Scheidemann. – Venha aqui.

O Hale conduziu o príncipe até um canto limpo do estábulo onde havia um pequeno colchão e cobertas macias. Ambos se sentaram lado a lado e tão próximos que seus joelhos se roçavam. O casal tinha as mãos entrelaçadas e seus dedos se cruzavam.

- Estou preocupado esses dias. Papai já me veio falar sobre pretendentes. Quer que eu conheça princesas de outros reinos para que o casamento seja logo realizado em troca de uma aliança política.

Aquela notícia fez o coração de Derek ficar apertado, mas ao mesmo tempo ele sabia que aquilo era o certo a se fazer, pois Stephan era de uma família nobre e naquela época era preciso que os casamentos fossem arranjados por diversas questões políticas e o amor ficava em último plano quando o assunto era matrimônio.

- Não devemos pensar nisso agora. Vamos apenas aproveitar o momento que temos juntos um ao outro.

O Scheidemann apertou a mão do homem. Ele tinha vontade de cometer uma loucura, de fugir naquele momento para viver sem regras. A vida no palácio era infeliz, uma prisão para aquele menino cujo espírito era livre e queria voar por aí, sabendo mais coisas sobre o mundo ao seu redor.

- Sei que não devemos falar de coisas que nos magoam, mas sinto que a cada dia estou morrendo por dentro. É uma vida vazia preenchida por festas idiotas, com pessoas tolas e riquezas fúteis. E tenho que sorrir o tempo todo, conversar com nobres e fingir estar interessado em assuntos políticos.

Derek queria aliviar toda a dor que o menino sentia. Ele sabia que mesmo que ás vezes não admitisse, Stephan chorava escondido por ser controlado como uma marionete. O lobo desejava poder fazer com que o príncipe escapasse e vivesse em paz, porém, não era possível, ainda mais se o Alfa estivesse ao seu lado. O único jeito seria ajudá-lo a escapar, mas permanecer no Reino ao lado do Rei mesmo sabendo que o traiu.

- Um dia isso tudo vai acabar, prometo. Irei garantir que será feliz.

Os olhos de Stephan ficaram iluminados e o menino abriu um sorriso que ia de orelha a orelha e ele sentou no colo do cavaleiro, passando os braços ao redor do pescoço do lobisomem, colando sua testa junto a dele e mordeu levemente o lábio inferior.

- Irá mesmo, meu valente cavaleiro? Iria se arriscar em meu nome?

Não há nada que Derek não faria por seu grande e primeiro amor, por seu Stephan Scheidemann, até mesmo permitir que ele fosse de outro por mais que não quisesse aquilo.

- Meu príncipe é a lua de minha vida.

Stephan tocou no rosto bronzeado e bem esculpido do Alfa, afagando suas bochechas. Ele era lindo e era apenas dele. O Scheidemann sentia que aquele homem seria seu amor pelo resto de sua vida.

- Então me beije, Sor Hale. E não, não é uma ordem de um príncipe. É uma ordem de um amante desesperado por seus lábios.

Derek não podia negar aquele pedido, afinal, aquele seria o último beijo que ele daria em seu amor antes de ajudá-lo a fugir. Ele selou os lábios dele aos do Scheidemann, o beijando com toda sua alma e seu coração, entregando-se por completo mal sabendo que o pior estava por vir... “

Continua


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...