História Amor sem limites - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~KarinaSesshy

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Bankotsu, Inu no Taishou, Rin, Sesshoumaru, Youkai Satori
Tags Corrida, Rin, Sessoumaru
Exibições 236
Palavras 1.578
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Karina e eu agradecemos pelos favoritos e os comentários anteriores.

Boa leitura a todos! =3

Capítulo 2 - Capítulo Dois


Fanfic / Fanfiction Amor sem limites - Capítulo 2 - Capítulo Dois

Rin on

Cheguei em casa quase 1h da manhã. Meu pai já estava dormindo e minha mãe... Bom, minha mãe morreu dois anos atrás. Ela teve câncer e, mesmo com o tratamento, acabou não resistindo.

Meu pai tenta não demonstrar, mas eu sei que ele sofre até hoje. Se eu sofro, por que ele não sofreria?

Entrei no meu quarto e fui recebida pela Kagura, minha gata. Ela tem a pelagem toda preta e os olhos bem amarelos. Meu pai, quando eu trouxe a Kagura pra casa, a chamou de "gato de bruxa". Eu não acho isso. Ela é linda! Se bobear, o pêlo dela é melhor do que o meu cabelo, e olha que eu cuido bastante dos meus belos fios castanhos.

Fui até o banheiro e tomei um banho relaxante, enquanto pensava no Naraku e na noite que tivemos.

É! Está decidido! Vou perder minha virgindade com o Naraku. Farei isso no nosso próximo encontro. Ai! Mal posso esperar pra, finalmente, sentir um homem entre minhas pernas.                        

Sesshoumaru on

- O filho é mais gostoso que o pai. - Ela disse, fazendo meu ego de macho subir.

- Que o InuYasha não saiba, ou ele me mata. - Abotoava alguns botões intactos da minha blusa.

- Não por mim. - Ajeitou o vestido.

- Podemos repetir em casa. - Beijei seus lábios.

- Não acho que seja prudente. - Revirei os olhos - Você sabe, por causa do InuYasha.

- Ok. Então nada aconteceu aqui. - Virei de costas, enquanto ajeitava minha calça.

- Minha boca é um túmulo. - Deu um beliscão na minha bunda e saiu sorrindo.

- Safada. - Sussurrei, esperando alguns minutos ali, para poder sair.

Rin on

Dia seguinte

Devia ser 13h da tarde, quando acordei. Kagura pulou em mim, pois estava com fome e eu precisava alimentá-la.

- Sabe que a mamãe aqui leva uma vida noturna. Eu só acordo tarde.

Tudo o que ela fez foi miar, então levantei e fui tomar um banho.

Quando desci, meu pai já estava a mesa, almoçando.

Bankotsu: Boa tarde, filha.

- Boa tarde, pai.

Dei um beijo em seu rosto e depois fui colocar comida pra minha gatinha, que está me seguindo sem parar.

Aff's! Eu a amo, mas bicho com fome é muito chato.

Bankotsu: Com quem estava, ontem a noite?

- Como assim? - Me fiz de desentendida.

Bankotsu: Eu quero saber quem é o seu namorado misterioso. Não pense que sou burro e não reparei que você sai, quase todas as noites.

- Não é ninguém importante, não precisa se preocupar.

Bankotsu: Você está se relacionando com esse rapaz?

- Não papai. - Coloquei a vasilha de comida da Kagura no chão e sentei ao lado do meu pai.

- Saiba de uma coisa, eu continuo virgem. Não sei por quanto tempo vou continuar, mas até o momento eu sou.

Bankotsu: Hum. Sabe que sou um pai liberal, mas mesmo assim eu gosto de saber o que acontece com você.

- Eu sei, papai. Não se preocupe. Quando acontecer, eu vou me prevenir, não pegarei doença nenhuma e você não será avô tão cedo.

Bankotsu: Isso já me tranquiliza bastante.

Peguei um prato e me servi também, já que estou morrendo de fome.                        

Sesshoumaru on

Acordei com uma puta dor de cabeça e, ao olhar pro lado, percebi que estava com alguém ao me lado.

- Izayoi? - Sussurrei.

Olhei em volta e vi que estava em seu quarto.

- Tenho que sair daqui.

Levantei atordoado e, nu, foi em busca das minhas coisas.                         

Rin on

Já era noite, hora da corrida. Elas sempre são organizadas aos finais de semana e feriados, durante a noite, é claro. A polícia não se mete com a gente, pois meu pai paga propina pra eles.

Eu nunca corro, embora goste da adrenalina. Sou apenas a responsável por abaixar a bandeira, dando a largada.

Pra fazer isso, uso apenas um short jeans e a parte superior do biquíni.

Entrei no carro, junto com o meu pai, e seguimos pro local.                        

Sesshoumaru on

Depois que fui pro meu quarto, dormi até a noite.

- Mano... - Sinto alguém me cutucar.

- Hum? - Resmunguei.

- Não vai se arrumar? Todos já estão aqui para o jantar do meu noivado.

- Puts! Esqueci. - Levantei.

- Caralho! - InuYasha gritou.

- Que foi?

- Suas costas. Parece que passou a noite com uma leoa.

Sim, passei. Sua mãe, aquela gostosa.

- É, eu não me lembro de nada. Tava chapado. - Entrei no banheiro.

- Não demora.

- Ta! - Gritei.                       

Rin on

O local estava uma enorme confusão, como sempre. Pessoas que vieram pra assistir, os corredores, os donos dos outros quarteirões... Todos me comendo com os olhos e eu nem dou a mínima. Finjo que nem é comigo.

Depois de pagarem suas inscrições para correr, meu pai sorteou a ordem dos corredores e as apostas começaram.

A primeira dupla seria Naraku contra Kouga. Fiquei entre os dois carros e me inclinei para olhar pela janela.

- Preparado Kouga?

Kouga: Estou sempre preparado, gata. - Sorriu pra mim.

- Preparado Naraku?

Naraku: Hoje, 00h. - Foi tudo o que disse.

Eu não estranhei, pois era daquele jeito que marcávamos nossos encontros, sem que ninguém soubesse. O que eu achei estranho foi a seriedade na voz dele.

Apenas concordei com a cabeça e fui para a frente. Peguei o lenço, que estava no meu bolso, e o levantei o mais alto que consegui.

- Prontos? - Eles ligaram os motores.

- 3 - Olhei pro Kouga.

- 2 - Olhei pro Naraku.

- Agora! - Abaixei o lenço e então os dois partiram, ouvindo as pessoas gritando e torcendo.               

Sesshoumaru on

Pronto, fui para a sala, onde os convidados do meu irmão conversavam animados.

Cumprimentei a todos e logo seguimos para a mesa.

- Queria pedir a atenção de todos. - InuYasha falou sorrindo - Como todos sabem, hoje é um dia especial para mim e a minha Kagome. - Beijou a face dela.

Se ajoelhou diante dela e tirou uma caixinha de dentro do bolso da calça.

- Kagome, amor, você aceita se casar comigo?

- Sim, sim, sim! - Disse com lágrimas nos olhos.

- Te amo!

Começaram a se beijar, enquanto todos os aplaudiam.                         

Rin on

Depois da noite agitada das corridas, que continuava rolando, pois só acaba com o nascer do sol; fui até em casa, tomei banho e coloquei uma roupa confortável.

Sai de casa, subi na moto e fui pro local do encontro. 00h e pulei o muro.

Estava ansiosa, claro. Eu pretendia me entregar ao Naraku e foi inevitável o frio na barriga.

- Oi! - Cheguei sorrindo, mas ele continuava sério

- O que houve? Por que está assim a noite inteira?

Naraku: Preciso te contar uma coisa muito, muito importante.

Pediu que eu me sentasse ao seu lado e assim o fiz.

- Vai! Me fala logo, porque estou curiosa.

Naraku: Escondi uma coisa de você.

- E o que seria?

Não gostei nem um pouco do rumo dessa conversa.

Naraku: Eu sou casado. - Por essa eu não esperava - E minha mulher teve nosso primeiro filho a cinco meses.

- Você ficou louco? - Levantei e o olhei indignada - Você é um nojento. Um estúpido, melhor dizendo.

Naraku: Rin, me escuta. - Levantou-se também e segurou minhas mãos - Eu não pretendia, mas acabei me apaixonando por você. Eu só queria me divertir, pois estava sem sexo a meses. Dormi com várias mulheres e pensei que você seria mais uma delas, porém foi tudo diferente. Eu realmente estou apaixonado por você. Eu te amo e vou fazer o possível e o impossível pra me separar e ficar com você.

- Não! - Me afastei dele - Eu não quero e não vou ficar com você. Jamais ficaria com alguém como você. Eu me arrependo, completamente, desse "caso" que tivemos. Não me procure novamente. Coloque uma coisa na sua cabeça: Eu. Não. Quero. Saber. De. Você. - Falei tudo pausadamente

- Adeus Naraku!

Dei as costas a ele, que me chamou e tentou me manter ali, mas eu fui embora do mesmo jeito.

Sesshoumaru on

Algumas semanas depois

Finalmente estava em casa. Lar doce lar.

- Como foi lá? - Minha mãe tomava café da manhã comigo, já que morávamos juntos.

- Bem.

- Seu pai andou por aqui, enquanto você esteve fora.

- E não vai me dizer que deu pra ele. - Falei irônico.

- Que isso, menino? Isso é coisa que se fale?? - Disse envergonhada.

- Argh! Deu sim.

Ela ficou calada.

- Tchau, vou atrás dele.

- Por que? Não vai fazer confusão por isso, né?

- Não, mãe. Eu tenho meus assuntos com o pai, mas irei conversar com ele. Não quero que ele faça você chorar de novo. - Beijei sua testa.

- Te amo, filho.

- Também te amo, mãe                        

Rin on

Depois do que o Naraku me contou, eu passei a evitá-lo. Ele tentou falar comigo, tentou marcar encontros, mas eu ignorava completamente.

Resolvi partir o coração dele, beijando o Kouga bem na frente daquele estúpido traidor.

Quem gostou foi o Kouga, neh? Que se aproveitou da situação e me agarrou de jeito. Admito, o beijo foi bom, mas não vou repetir. Não vou me relacionar com mais ninguém. Já decidi isso.

Se é pra ser enganada por homem, eu prefiro estar sozinha. 


Notas Finais


Links das novas parcerias com a @KarinaSesshy:

Nem tudo é sofrimento, o amor transforma tudo: https://spiritfanfics.com/historia/nem-tudo-e-sofrimento-o-amor-transforma-tudo-6677840

Um amor de verão: https://spiritfanfics.com/historia/um-amor-de-verao-6668631

Um mafioso em minha vida: https://spiritfanfics.com/historia/um-mafioso-em-minha-vida-6658251

Um amor inesperado: https://spiritfanfics.com/historia/um-amor-inesperado-6504548

Obrigada pela presença de todos! Bjs e até o próximo. *Sem previsão*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...