História Amor Sem Limites - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~LuCardoso

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Personagens Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Tags Celebridades, Realidade Alternativa, Romance
Visualizações 246
Palavras 4.001
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, como só faltava mais dois capítulo resolvi postar logo mais um, e espero que gostem. Bjs e boa leitura *--*

Capítulo 9 - Capítulo 8


–Pronto? – Karol perguntou olhando para o Ruggero enquanto eles saíam do carro já parado em frente a casa dela.

–Vamos lá. – Ruggero sorriu pegando na mão dela, mas Karol parou o puxando.

–Rugge, desculpa... – Ela sorriu um pouco envergonhada.

–Porque amor? – Ruggero não entende, mas Karol dá de ombros.

–Ah, por fazer você passar por isso... Ter que ir falar com meus pais assim, enquanto meu pai não aceita muito bem nosso namoro.

–Karol... – Ele sorri e a abraça. -Você não tem porque se desculpar, e eu entendo seu pai, se fosse eu no lugar dele também ficaria preocupado.

–Tudo bem, eu só não queria que você precisasse passar por isso. – Karol sorri e ele a beija docemente.

–Eu não me importo, de verdade... E além do mais...

–O que? – Karol pergunta ao vê-lo sorrir divertido.

–Além do mais, semana que vem você é quem vai conhecer meu pai. – Ele ri e a puxa para a casa dela.

–Rugge... – Karol o olha espantada, mas ele continua sorrindo divertido e ela acaba rindo junto. -Tudo bem, mas vamos lá... Um pai de cada vez.

E então ela entra em casa puxando ele junto.

–Mãe, pai. – Karol abre a porta e Ruggero vai junto.

Ele não pode negar que está um pouco nervoso, como não se sentia há muito tempo, mas isso acaba o fazendo sorrir.

–Karol você... – Ana chega na sala falando, mas para assim que vê Ruggero ao lado da filha segurando a mão dela.

–Oi mamãe... Resolvi que seria melhor fazer o almoço hoje então aqui estamos... Esse é o Ruggero e amor essa é Ana Carolina minha mãe.

–Olá, é um prazer. – Ruggero sorri largamente em direção a Ana que fica sem fala.

Não só pela surpresa de vê-lo ali, mas também porque agora ela realmente entende o porquê de sua filha estar tão apaixonada... Esse Ruggero é mesmo um homem lindo e parece tão bem educado.

–Ah... Olá, me desculpe, eu fui pega de surpresa, é um prazer conhecê-lo... – Ana se recompõe e sorri.

Ruggero se sente mais tranqüilo.

–Ele é lindo não é mamãe?! – Karol abraça o Ruggero que sorri balançando a cabeça.

–Sim minha filha... Agora entendo toda sua paixão. – Ana brinca e Ruggero percebe a quem Karol puxou.

Os três riem, todos mais aliviados, mas então Davd chega na sala vindo do quarto e para no lugar ao ver sua filha ao lado do tal namorado mais velho... Ele tinha concordado em conhecê-lo, mas não sabia que seria hoje.

–Pai... – Karol é a primeira a vê-lo e David não sabe direito como agir, no final resolve ser ao menos educado, de qualquer jeito Ana tinha sido bem firme na noite passada o convencendo de que o que importava era a felicidade e o bem estar de Karol.

–David venha conhecer o Ruggero... Muito simpático e lindo. – Ana sorri para o marido que os alcança.

–Hum... Olá. – David fala meio receoso e Ruggero fica o mais tranquilo possível.

–Olá, é um prazer conhecê-lo. – Ruggero lhe estende a mão e Karol olha esperançosa para o pai que depois de um instante aperta cordialmente a mão do Ruggero.

–Bom, agora que foram feitas as apresentações vamos almoçar, aí conversamos mais. – Ana quebra o estranho silêncio e todos concordam.

Sentaram-se ao redor da mesa e o almoço foi servido... Todos estavam em silêncio, sem saber direito como agir e Ana é a primeira a falar...

–Ruggero... Então, em que você trabalha? – Ela o serve e sorri.

Karol lança um olhar agradecido em direção à mãe...

–Eu sou arquiteto, trabalho em um escritório no centro. – Ruggero agradece quando ela lhe serve.

–E como vocês se conheceram? – David fala ainda hesitante.

–Na praia pai... – Karol é quem responde e ele assente.

Ana logo começa outra conversa e vai deixando Ruggero mais a vontade, está muito claro que ela já o aprovou e isso deixa Karol muito feliz, mas ela ainda se preocupa com o pai, ele está tão calado.

–Karol tem seu senso de humor Ana e a beleza. – Ruggero sorri, eles já estão indo para a sobremesa.

–Pronto Ruggero, agora você conquistou a mãe também. – Ana se rende de vez e ele e Karol riem.

–Quantos anos mesmo você tem Ruggero? – David pergunta bem direto e os três ficam em silêncio.

Ana olha seriamente para o marido e Karol suspira, mas David está olhando fixamente para Ruggero que sorri, ele sabia que David estava quieto demais.

–Tenho 30... – Ele fala e David continua o olhando fixamente, então Ruggero resolve continuar falando.

–Eu entendo que o senhor não aprove meu namoro com sua filha, ou melhor, que não aprove a idéia de que sua filha namore um homem de 30 anos, no seu lugar eu provavelmente agiria do mesmo jeito, mas eu quero dizer que amo a Karol, foi inesperado, surpreendente, mas eu me apaixonei por ela e nossa relação não é só uma brincadeira pra mim, muito pelo contrário, eu nunca a magoaria e estar aqui hoje é só uma prova do quanto eu levo tudo isso muito a sério.

Karol aperta a mão de Ruggero quando ele para de falar e lhe sorri emocionada, Ana também sorri satisfeita e David fica surpreso... Ele não esperava que Ruggro fosse tão sincero assim, realmente o pegou de surpresa.

David olha para Ana que sorri largamente, olha para Karol e vê como os olhos da filha brilham e respira fundo... Ele conhece muito bem a filha e sabe que nada a impedirá de continuar namorando esse Ruggero, que por sinal, acabou de mostrar que é melhor do que ele tinha imaginado...

Ruggero sorri confiante e seguro olhando para David que acaba sorrindo levemente de volta... É melhor acompanhar esse namoro de perto do que proibir e acontecer algo pior, e de qualquer forma ele tem que confessar ao menos para si mesmo que prefere mil vezes esse Ruggero, mesmo o conhecendo a tão pouco tempo, do que aquele ex de Karol, o tal de Lionel.

–Bom, acho que depois de tudo isso não me resta outra opção a não ser aceitar esse namoro né?! – David deu de ombros e Karol se levantou sorrindo e o abraçou.

–Muito obrigada pai, eu estou tão feliz. – Ela o abraçou apertado e ele acabou sorrindo.

–Mas vou ficar de olho. – Ele olhou para Ruggero que assentiu sorrindo.

–Tudo bem. – Ruggero levantou as mãos divertido e Ana e Karol riram enquanto David sorria, sem outra opção, convencido.

Depois tudo foi tranqüilo e divertido como ninguém imaginou que seria aquele almoço, nem o mais otimista deles.

David e Ruggero acabaram encontrando diversos gostos em comum, futebol principalmente e no final David estava gostando de poder conversar tão bem com seu novo genro, eles tinham assuntos em comum, a conversa fluía e David ficava cada vez mais tranqüilo com o novo namorado de sua filha.

–Mãe, você viu como o papai está se dando super bem com o Ruggero?! – Karol olhou empolgada para a mãe enquanto a ajudava na cozinha.

–Sim, mas a gente já sabia que no final seu pai ia acabar aceitando e esse Ruggero é mesmo incrível hein?! – Ana abraçou carinhosamente a filha.

–Sim, ele é mesmo mãe. – Karol nunca esteve tão feliz, finalmente tudo estava se ajeitando.

As duas voltaram para a sala e Karol sorriu largamente ao ver seu pai conversando animadamente com Ruggero.

Ruggero olhou para Karol e sorriu, tudo estava saindo melhor do que ele podia imaginar...

–Podemos participar da conversa? – Ana sorriu se sentando ao lado do marido e Karol foi prontamente para o lado de Ruggero.

–Claro... Mas estávamos falando de futebol. – David sorri.

–Você não me disse que seu pai torce pelo mesmo time que eu. – Ruggero olha para Karol divertido.

–Oh, me desculpe, eu não acredito que me esqueci disso.

–Engraçadinha. – Ruggero a abraça e ela ri.

–Você sabe que Karol faz 18 anos mês que vem Ruggero? Acho que seria bom fazermos uma festa. – Ana fala, mas Karol faz um muxoxo.

–Eu já falei sobre isso mamãe, com o Rugge também, eu não quero festas.

–Mas porque Karol? – David a olha e ela dá de ombros.

–Não sei pai, só não quero festa.

–Mas nós pensamos em um almoço com nossas famílias e nossos amigos, pode ser uma ótima oportunidade para vocês conhecerem minha família. – Ruggero fala e Karol assente.

–Bom, por nós tudo bem, resolva Karol e nos conte, temos que preparar tudo. – Ana olha para a filha que assente.

–Eu tenho um amigo que é dono de um restaurante, nós podemos fazer lá... – Ruggero sorri e Karol concorda na mesma hora.

–Ok, então faremos um almoço lá nesse restaurante do seu amigo. – Karol afirma e os pais assentem.

–Mas a noite é toda sua. – Karol sussurra no ouvido do Ruggero aproveitando a distração dos pais e ele balança a cabeça a olhando divertido.

Continuam conversando, rindo e se entendendo e assim mais um, um dos maiores obstáculos daquele casal é vencido.

(***)

Três dias depois

–Com a minha família foi tudo tão bem, eles já te adoram... Será que sua família vai gostar de mim também? – Karol está ansiosa e se remexe inquieta no banco do carro olhando para Ruggero que dirige tranquilamente.

Eles estavam indo para a casa dos pais de Ruggero, para jantar, para eles conhecerem finalmente a Karol... Seu pai mesmo a contra gosta estaria lá, por educação, como ele tinha falado quando Ruggero anunciou esse jantar.

–Claro que eles vão gostar de você meu amor. – Ruggero sorri para Karol segurando em sua mão tentando tranqüilizá-la.

Tudo estava perfeito nesses últimos dias desde que Ruggero conheceu os pais de Karol, eles se davam cada vez melhor o que deixava todos felizes, até dormir na casa de Ruggero mais vezes Karol já estava, apesar de que David não sabia desse pequeno detalhe, só Ana.

David já tinha sido conquistado pelo genro e Ana nem se fala... Agora faltava Karol conquistas os sogros.

–Você falou mesmo com eles né?! Não vamos chegar lá tipo de surpresa né Rugge? – Karol fica mais nervosa e Ruggero ri.

–Karol você estava ao meu lado quando eu telefonei para minha mãe que por sinal está muito ansiosa para te conhecer, e minhas irmãs também...

–Menos seu pai. – Karol suspira.

–Seu pai também não queria me conhecer Karol, mas hoje já nos damos super bem e meu pai é todo durão e cabeça dura, mas no fundo tem um coração mole, vai ficar tudo bem e logo estaremos com nossas famílias reunidas. – Ruggero sorri entrando na rua da casa dos pais.

–No meu aniversário né?! Vamos mesmo fazer o almoço no restaurante daquele seu amigo Agustín? E você já falou com ele e com sua família?

Ruggero solta uma gargalhada, agora ele já conhece Karol o bastante para saber que quando ela fica nervosa fala sem parar.

–Karol, se acalme... Vai ficar tudo bem e quanto ao seu aniversário também está tudo sob controle, agora vamos lá. – Ele para o carro e Karol o olha espantada.

–Já chegamos, é aqui? – Ela olha em volta e Ruggero sorri.

–Sim amor, vem... – Os dois saem do carro.

–Espera amor. – Karol segura Ruggero e respira fundo. -Como eu estou?

Ruggero sorri e a olha... Ela está com um vestidinho até os joelhos e florido, sandálias de saltos altos e os cabelos soltos, está linda.

–Linda, perfeita. – Ele fala sem hesitar e ela sorri.

–Obrigada. – Ela se sente um pouco mais tranquila e ele a beija docemente.

–Vamos então. – Ele segura a mão dela entrelaçando seus dedos e Karol assente respirando fundo.

Os dois vão de mãos dadas em direção a casa dos pais de Ruggero onde são atendidos pela própria mãe dele... Giovana sorri carinhosamente ao ver o filho de mãos dadas com aquela linda menina.

–Olá Rugge... – Giovana abraça o filho enquanto ele e Karol entram. -Essa deve ser a Karol.

–Sim mãe, essa é a Karol... Amor, essa é Giovana minha mãe. – Ruggero as apresenta

–Oi, é um prazer conhecê-la, obrigada por me receber em sua casa. – Karol sorri apertando a mão do Ruggero que ainda está entrelaçada a sua e Giovana sorri.

–Imagine queria, o prazer é nosso, estávamos todos curiosos para conhecê-la, nunca vi meu filho tão feliz e apaixonado.

Karol sorri quando Ruggero revira os olhos...

–Vamos, estão todos esperando ansiosos. – Giovana sorri começando a caminhar para a sala de jantar e eles a seguem.

Ruggero aperta a mão de Karol e a olha confiante, ela respira fundo e sorri... Giovana é linda, e tão gentil, ao menos tudo começou muito bem...

–Chegaram e olhem como Karol é linda. – Giovana chega na frente deles na sala e Karol cora levemente ao ver todos a olhando.

–Hei Karol... – Michael que já a conhecia é o primeiro a sorrir e ela acena sorrindo de volta.

–Olá Michael...

–Oi... Eu sou Luz, irmã do Rugge, mas, por favor, me chame só de Lu... E você é realmente linda.

–Obrigada Lu. – Karol recebe seu abraço sorrindo.

–Eu sou Malena, é um prazer conhecê-la Karol. – Male também se aproxima e a abraça carinhosamente.

Elas quase idênticas, mas tem estilos diferentes... Mas o sorriso e a simpatia é a mesma, o que deixa Karol mais a vontade, e também se parecem muito com o Ruggero, é uma família linda.

–Eu estou muito feliz de poder conhecê-los. – Karol relaxa um pouco, mas logo fica mais tensa.

Um homem alto, forte e elegante se aproxima, e não há dúvidas de que é Mauricio Balsano, Ruggero é incrivelmente parecido com ele.

–Karol esse é meu pai Mauricio... – Ruggero olha fixamente para o pai enquanto abraça Karol pela cintura.

–Olhe como ela é linda e simpática querido... – Giovana se aproxima do marido. -E eles formam um belo casal.

–Olá... – Mauricio se limita a fazer um leve aceno de cabeça e Karol sorri levemente.

–Olá, muito prazer. – Ela se ampara mais em Ruggero.

–Vamos jantar... Estou morrendo de fome. – Male se aproxima entrelaçando o braço no de Karol e a levando consigo para a mesa.

–Não se fala assim Malena. – Mauricio a repreende, mas ela revira os olhos só para Karol ver.

–Mas eu estou morrendo de fome papai, não vejo outra forma de falar e estamos em família.

Mauricio fica quieto e todos se acomodam em torno da mesa, Ruggero fica ao lado de Karol e Luz em seu outro lado.

O jantar logo é servido...

–Karol, o Rugge nos convidou para o almoço do seu aniversário, se precisar de ajuda para preparar algo é só falar. – Mallena sorri.

–Ah sim, obrigada Male, mas na verdade não tem muito o que fazer, é um almoço simples, só com minha família, vocês e nossos amigos. – Karol olha sorrindo agradecida pela gentileza de Male.

–Vai ser no restaurante do Agustín né?! – Michael pergunta.

–Sim, ele topou e está cuidando de tudo, Karol não quer festas. – Ruggero sorri olhando para Karol.

–As meninas também nunca gostaram muito de festas nos aniversários, para os 15 anos foi um sacrifício convencê-las. – Giovana fala e as gêmeas riem.

–Sim, e essa nossa festa de 15 anos mostra o porquê nunca gostávamos de festa mãe, você sempre exagera. – Malena ri.

–Sim, Karol, ainda te mostraremos as fotos e você vai ver que estamos falando a verdade. – Luz também participa da conversa divertida e leve.

–Eu adorei, eu fui seu par. – Michael olha sorridente para Luz.

–E Ruggero o meu, eu não tinha namorado e no momento também não tenho. – Malena suspira e Ruggero ri.

–E seu aniversário de 15 anos Karol? Não faz muito tempo né?! – Mauricio fala pela primeira vez e Karol cora entendendo muito bem a indireta dele.

Ruggero bufa, estava demorando para o pai falar algo do tipo...

–Isso é desnecessário pai. – Ruggero o olha e ele dá de ombros.

–Foi uma pergunta simples, e é verdade, ela acabou de sair dos 15 anos.

–Desculpa, mas ninguém te obrigou a participar desse jantar, e eu não vou permitir que a Karol passe por isso. – Ruggero se irrita.

–Não seja dramático Ruggero...

–Você está sendo indelicado Mauricio. – Giovana o interrompe.

–Não, está tudo bem... – Karol resolve interferir mesmo ainda corada. -Eu também não queria festa sabe, mas minha mãe insistiu e como eu sou filha única topei.

Karol responde a pergunta dele com naturalidade e Mauricio arqueia uma sobrancelha a olhando enquanto Ruggero segurando sua mão.

Malena logo começa outro assunto e o jantar continua mais leve novamente. Mauricio continua em silêncio e logo a sobremesa chega.

–Hum, está tudo uma delicia. – Karol sorri.

–Nós temos sorte com Cristina, nossa empregada, ela é maravilhosa. – Giovana fala sorrindo largamente.

–Mas a mamãe cozinha muito bem também. – Luz a olha.

–Sim, não podemos dizer o mesmo de você e Malena. – Ruggero pisca para as irmãs e Karol sorri.

–Nisso eu tenho que concordar com você Rugge. – Michael sussurra e Luz lhe bate no ombro divertida.

–E você Karol, gosta de cozinhar? – Giovana pergunta.

–Sim, eu adoro, aprendi muito com minha mãe e já até cozinhei para o Rugge.

–Sim, e ela cozinha muito bem, é perfeita... Ana a mãe dela também, a comida dela é divina. – Ruggero sorri.

–Vou gostar de conhecê-la. – Giovana olha para Karol que assente sorrindo.

–É verdade que seus pais aceitaram o seu namoro com o Ruggero? – Mauricio pergunta voltando a participar da conversa.

–Jura que você vai continuar com isso? – Ruggero o olha abismado.

–Para papai... – Malena vai em auxilio ao irmão e Giovana olha fixamente para o marido.

–Ora, mas não posso participar da conversa? Só fiz uma pergunta. – Mauricio resmunga, é claro que ele não gostaria de estar ali, só está porque sua mulher praticamente o obrigou e no final ele sempre faz tudo que sua Giovana lhe pede.

–Meus pais aceitaram muito bem sim... É claro que no começo eles ficaram temerosos, principalmente meu pai, mas assim que eles conheceram o Ruggero viram o quanto ele é incrível, o quanto me faz feliz e no final é só isso que importa para eles, a minha felicidade. Eu amo o Ruggero e ele me ama também, nossa diferença de idade pouco importa pra gente, e eu gostaria que os outros também não se importassem com isso.

Karol fala seriamente, mas com tranquilidade...

Luz e Malena sorriem em aprovação e Michael lhe pica sorrindo também.

–Sim, para os pais sempre o que importa é a felicidade dos filhos e é por isso que quero que você se sinta em casa aqui Karol, porque eu nunca vi meu filho tão feliz como agora que está com você. – Giovana segura na mão de Karol por cima da mesa e sorri.

–Vocês falam e agem como se eu fosse o vilão nessa história. – Mauricio está um pouco desconcertado depois de ouvir Karol falar daquele jeito.

Na verdade ele ficou a observando o jantar inteiro e não tinha como negar que apesar de muito nova ela parecia bem madura, inteligente e divertida...

–Desculpe pai, mas é assim que você está agindo... – Luz o olha intensamente.

–Eu não quero causar problemas... – Karol sussurra, ela falou tudo o que podia falar para tentar convencer Maurico, agora não queria que tivesse algum tipo de briga, o jantar tinha sido maravilhoso até ali.

–Nem pense nisso querida... – Giovana falou antes de Ruggero que já estava pronto para falar.

–Talvez seja melhor a gente ir... – Ruggero começa a falar segurando a mão de Karol, mas Mauricio respira fundo e os interrompe.

–Não precisa disso Ruggero... Está tudo bem, e desculpe se fui grosseiro Karol. – Ele sorri levemente.

–Tudo bem, sem problemas. – Karol responde de imediato e sorri.

–Então vamos voltar para essa sobremesa que está uma delicia. – Michael fala divertido e todos assentem.

Depois do jantar, que ficou um pouco mais silencioso todos vão para a sala e se sentam confortáveis... A conversa é retomada mais animada novamente e Mauricio observa em silêncio seu filho e Karol...

Os dois conversam com os outros e sorriem, mas o tempo todo estão de mãos dadas. Nesse instante Ruggero olha para Karol e acaricia sua mão, ela o olha e sorri apertando a mão dele de volta e então voltam a prestar atenção nos outros...

Mauricio que foi o único a perceber aquele simples gesto e troca de olhar não resiste e sorri. O jeito como Ruggero olha para essa menina é exatamente o mesmo jeito que ele próprio sempre olhou para sua Giovana...

Karol é mesmo muito nova e ele não imaginava e nem queria uma relação assim para Ruggero que já estava com 30 anos, mas ele nunca tinha visto seu filho tão radiante... Então indo contra todos seus costumes e sua teimosia ele toma uma decisão...

–Você pretende seguir qual carreira Karol? – Ele pergunta enquanto a empregada chega servindo café e todos olham para ele, Giovana sorri.

–Hum... Eu estava em dúvida, mas eu tenho muita vontade de fazer medicina, talvez pediatria. – Karol sorri o olhando e ele sorri mais tranquilo, mais empolgado.

Todos ali, menos Karol, sabem o porquê de sua animação e sorriem...

–Sério?! Sabe que eu sempre quis fazer medicina, mas não pude, tive que assumir os negócios da família... Ruggero nunca lhe contou?

–Não... Rugge nunca me contou e há uns dias eu comentei com ele que queria fazer medicina. – Karol olha divertida para Ruggero que sorri mais relaxado.

–Você também não tinha me contado que seu pai torce pelo mesmo time que eu. – Ruggero retruca e ela ri.

–Ok, é verdade amor, estamos quites. – Ela fala e ele sorri acariciando seu rosto.

–Eu posso te ajudar com a universidade, quer dizer, te indicar algumas, as melhores. – Mauricio está mesmo surpreso por aquela afinidade com Karol e se vê mais animado.

A conversa agora fica ainda mais animada, Mauricio participa o tempo todo... E aos poucos todo e qualquer preconceito que ele pudesse ter vai caindo, sumindo, sendo vencido pelo jeito doce e alegre de Karol.

Depois de mais algumas horas de conversa Ruggero percebe que está muito tarde, está na hora deles irem, Karol dormirá com ele hoje.

–Nós temos que ir. – Ele anuncia e Karol concorda.

–Mas já? Karol você tem que vir mais vezes aqui. – Malena ri, as duas se deram muito bem, na verdade, Karol já conquistou a família inteira.

–Eu virei sim, pode deixar. – Karol se levanta com Ruggero.

–De qualquer forma nos veremos em breve em seu aniversário não é?! – Mauricio sorri e ela assente.

–Claro, quero todos vocês lá.

Karol vai se despedir de Giovana as cunhadas e de Michael e Mauricio se aproxima de Ruggero...

–Ela é mesmo fascinante, desculpe se fui cabeça dura, mas você me conhece... Então... Fico feliz que você esteja feliz. – Mauricio o olha e Ruggero sorri lhe abraçando.

–Obrigado pai.

–Karol, foi realmente um prazer conhecê-la, e me desculpe qualquer coisa. – Mauricio a abraça levemente enquanto Ruggero se despede dos outros agora.

–Obrigada Mauricio, agora que eu conheço vocês e o Rugge conhece minha família, está tudo perfeito.

–Você é uma graça Karol, meu filho teve sorte. – Giovana sorri.

Todos se despedem mais uma vez, com promessas de se verem de novo logo e depois de um tempo Ruggero e Karol estão entrando no carro dele.

–Ufa... Nem acredito que está tudo bem. – Karol ri quando Ruggero fecha a porta se ajeitando no carro.

–Meu pai deu mais trabalho que o seu viu?! Eu estive a ponto de perder o controle, mas sabia que no final você ia acabar conquistando o velho. – Ruggero a puxa para seus braços e ela sorri se deixando levar por ele.

–Sim, mas o que importa é que agora ele nos aceita também, sua mãe, suas irmãs e Michael foram incríveis... Parece que vencemos todos os obstáculos amor. – Karol o olha divertida e ele ri assentindo.

–É verdade... Agora só falta reunir todo mundo. – Ele brinca.

–Sim, mas ainda temos um tempinho até o meu aniversário e o pior já passou. – Ela se aproxima mais dele e lhe beija.

–Você está certa... Então vamos aproveitar? – Ele pisca divertido e malicioso e ela ri lhe beijando novamente.

–Sempre... Eu te amo Rugge.

–Eu te amo Karol.


Notas Finais


No final das contas tanto Ruggero quanto Karol conseguiram conquistar seus sogros, e agora só love.
Amanhã tentarei postar o último okay? Bjs e obrigada por tudo *--*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...