História Amor Sem Limites ( Camren) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 804
Palavras 1.592
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Olhos verdes



P.O.V  LAUREN




Aí que fome, já não aguento mais vestir de homem,  não aguento mais passar fome. Tô caminhando já faz hora na direção do restaurante. Lá com certeza lá eles vão jogar comida boa no lixo. Uma coisa eu não faço e rouba, posso passar fome mais não faço isso. Depois de andar um bom tempo chego no restaurante já vou direto para  lata de lixo.  A fome já grande.  Acho umas comida até boa. Sendo no chão do lado do lixo e como como se não estivesse amanhã. Se bem se eu morrer hoje ninguém ia sentir falta.  Eu cresci na ruas quando eu tinha 7 anos eu comecei a viver na rua, não sei o porque dos meus pais ter me deixado na rua. Não sei se eles estão vivos ou não,  eu não lembro muito do meus pais e nem como vim parar nesta vida. Acabo de fazer o meu "Almoço" pego mais um pouco de comida e levo comigo pra não precisa andar tudo isso de novo pra poder jantar. no caminho de volta pra minha "casa" vou prestando atenção nas pessoas no jeito das roupas bonita, eu queria pode me vestir de menina,  poder deixar meu cabelo crescer, mais eu sei que se eu me vestir como menina  corro o risco de ser abusada. Não tô mem um pouco afim de perde a virgindade com um tarado então pela minha segurança melhor que os povo acha que sou um garoto. Junto alguns papelão pré vender mais tarde. Pego alguns dentro de uma lata de lixo na calçada na hora que eu viro topo com alguém. 


-Me desculpe senhor - falo pro rapaz com cara de bravo na minha frente. 

-Você não olha pra onde anda não seu inútil - o rapaz começou a gritar e me empurrar pra traz. 

-Desculpa eu não vi você - começo a juntar o meu papelão e a sacola que tá vá a minha comida, mas antes de eu pega a sacola ele chutou e derrubou toda a minha comida - Senhor não precisava chutar a minha comida eu já pedi desculpas - falei com os olhos marejados. 

-A o viadinho vai chora por causa da comida do lixo que achou - falou debochado.

-Austin Chega - a garota que só agora reparei gritou com o rapaz o tal de Austin, que moça linda parece boneca. - O garoto já pediu desculpas, não precisa humilha ele, nem ter chutado a comida dele. - ela mexeu na bolsa dela e tirou dela um dinheiro - Toma aqui pra você compra alguma coisa pra comer.

-Não precisa não moça,  você não tem culpa de nada.

-Agora você vai dar dinheiro pra ele Camila - o cara grita. 

-O dinheiro é meu eu faço o que eu quiser, aqui o olhos verdes - me entregou o dinheiro - vamos embora logo Austin - saiu arrastando o garoto. 

-Obrigado moça -falo rindo,  nossa que garota linda com os olhos castanhos mais lindo que eu já vi.

Continuo caminhando igual besta rindo, como uma garota tão bonito anda com um imbecil daquele. Pego mais alguns papelão e vou para o beco onde é a minha "casa" com o dinheiro que a Camila me deu da pra fazer refeição uns 5 dias ou mais se economizar. Coloco os papelão no canto, deito no meu sofá velho que faço de cama e fico olhando as figuras de um jornal velho,  eu não sei ler nem escrever,  quando eu comecei ir pra escola eu comecei a morar na rua, eu não sei escrever nem meu nome.  Escondi meu dinheiro num atrás de um tijolo solto da parede e sai pra catar mais papelão. Estava andando destruída na rua quando fui cercada pelo o grupo do Luiz. 

-Olha se não é o viadinho do Lourenzo que se recusa a vender droga para gente - fala o Luiz.

-Deixa eu passar Luiz eu não quero confusão com vocês - Estava o Luiz mais dois garotos. 

-Quem disse que você tem escolha aqui seu viado - deu um soco no meu estômago que fiquei sem ar na hora. 

-Lucas vigia a entrada do beco, eu e Brad vai dar uma surra neste viado. - segurou meu braço e  começou a me arrastar para dentro do beco.

-Por favor Luiz me deixa ir,  eu juro não passar mais perto de você. - começo é explorar pra eles me soltar. 

-Eu já disse que você não tem escolha, segura ele Brad - Brad segurou os meu  braço e Luiz começou a me bater. No rosto barriga, ele dava tanto soco como chute - agora pra você não ter nem a chance de dar prazer a uma mulher, isso se alguma te querer - quando ele falo isso eu já sabia o que ele ia fazer.  Ele deu um chute no meio da minha perna. 

-Aiii - comecei a fingir que estava com dor Levei minha mão até o local e fiquei rolando no chão pra mentir que estava com dor. - eles me largaram ali e sairam correndo. Fiz força pra levantar - Aiii - senti dor na minha costela. Meu nariz estava sangrando. Passei a mão no rosto e limpei o sangue e fui andando escorada na parede  até chegar na minha "casa" fiquei deitada no sofá, até que cai no sono. Acabei sonhando com os olhos castanhos da Camila. Acordei já era de noite,  peguei minha segunda muda de roupa, eu tenho duas muda de roupa e um tênis velho.  Peguei meu sabonete e fui toma banho num bar de um senhor que é muito bom pra mim, o senhor Jorge sempre me deixa tomar banho e Lavar a minha roupa lá. Cheguei no bar.

-Boa noite seu Jorge.

-Boa noite menino Lourenzo,  o que fizeram com você. 

-Me bateram de novo. 

-Foi lá toma banho e lava sua roupa que vou prepara um prato de comida pra você. 

-Obrigado seu Jorge. 

Fui tomar banho, lavei os meus machucado. Depois de banhar, vesti uma cueca e enrolei uma faixa no meus seios prós homens não perceber meus seios,  vesti uma calça folgada já que é masculina e uma camisa preta. Lavo minhas roupas e coloco numa sacola pra levar pra secar em "casa".  Saio do banheiro e vou até o seu Jorge e como a comida que ele me deu agradeço ele pela comida,  ele me deu uma garrafa com água e fui andando pra casa. Seu Jorge e um anjo. Sempre que ele pode ele me ajuda com alguma coisa, tanto comida, água ou até mesmo roupas. Estava quase chegando em "casa" quando vi a turma do Luiz correndo atrás de uma garota entrei no meu beco e fiquei olhando de longe eles se aproximando. Quando a garota olhou pra frente que eu vi que era a Camila,  fiquei esperando ela chegar perto e puxei ela pro beco e escondi atrás da lata de lixo coloquei a mão na boca dela pra não grita e fiquei olhando até eles passar correndo direto. 

-Por favor não abusa de mim - começou a chorar. 

-Calma Camila não vou te fazer mal.

-Como sabe meu nome garoto. 

-Eu esbarrei com teu amigo hoje cedo,  e você me deu um dinheiro. 

-Sabia que conhecia estes olhos verdes de algum lugar. O que aconteceu com o seu rosto. 

-Este mesmo garotos me bateram hoje de manhã. Vem vou te esconder na minha casa, depois te acompanho até na sua. Não repara a "casa" - falo rindo. Minha casa nada mais é que uma cobertura com papelão e em baixo tem o meu sofá e mais nada - pode senta aí. 

-Qual o teu nome olhos verdes? 

-E Lauren - vejo a confusão na cara dela - mais na ruas sou Lourenzo. 

-Porque? ?

-Uma menina moradora de rua corre mais risco que um garoto. Assim não corro o risco de nem um homem nojento tentar abusar de mim. E você o que faz na rua a hora desta -  coloco minhas roupa no varal improvisado. 

-Eu estava voltando da casa de uma amiga, mais no meio do caminho eles me abordaram. Sorte que vvocê apareceu.  E desculpa por mais cedo meu namorado foi muito mal educado.

-Tudo bem você não tem culpa.

-Acho que é melhor eu ir pra casa.

-Eu te acompanho até lá. Vou ver se tá limpo pra gente sair - olhei pra fora do beco e não vir os garotos. -vamos. Fomos caminhando pela caçada em um completo silêncio.  Abracei o meu corpo porque já está sentindo frio.

-Tá sentindo frio? 

-Tô sim.

-Já estamos chegando  na minha casa - Andamos mais um pouco e chegamos na casa dela. - Obrigada Lauren, como posso te pagar.

-Não precisa paga não Camila,  mais me chame de Lourenzo,  ninguém pode saber que sou garota. 

-Oi Lo. Espera aqui um pouco vou pegar um negócio pra você - ela saiu correndo pra dentro da casa dela passou uns minutos e ela voltou com um moletom e um cobertor - Aqui pra você. 

-Camila muito obrigado, obrigado mesmo - falo feliz e num impulso Abraço ela - Desculpa Camila.

-Não tem que se desculpar. - falou rindo.

-Tchau Camila e muito obrigado.

- Tchau Lo e eu que agradeço por salvar a minha vida -deu um beijo na minha bochecha eu correi na hora - a gente se ver por aí. 

 Ela entrou na casa dela e eu fui pra minha, vesti o moletom que a Camila me deu e ele é tão cheiroso tem o cheiro da Camila.  Cheguei na minha casa deitei no meu sofá e cobri com o cobertor e dormir pensando nela.


Notas Finais


Como estamos??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...