História Amor Sem Medida - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Wesley Safadão
Personagens Personagens Originais, Wesley Safadão
Tags Wesley Safadao
Visualizações 32
Palavras 786
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - Capítulo 17


Fanfic / Fanfiction Amor Sem Medida - Capítulo 18 - Capítulo 17

“A lua dormiu, o sol já chegou e a gente fazendo amor, a chuva passou, mas o nosso fogo não apagou”
(Henrique e Juliano - 3 horas de motel)
1 de maio, 07:34
— Nat! — ouvi alguém me chamar — Eu... Causei problemas pra tu? — Hilton perguntou meio sem graça.
— Que nada, Hilton, imagina... — respondi o tranquilizando —  Olha, depois a gente conversa, eu tenho que ir agora! — respondi pegando a minha bolsa.
— Tá bom então! — ele me deu um rápido beijo na bochecha e eu saí.
— E aí mô? Vamos? — perguntei assim que encontrei Wesley, que assentiu.
[...]
Wesley entrou me beijando com urgência, fechando a porta com o pé. Ele terminou o beijo puxando meu lábio inferior para si, enquanto suas mãos passavam por todo meu corpo e pararam até minha bunda, apertando-a fortemente, fazendo nossos quadris se colarem e eu senti o seu membro já duro e aperto o mesmo.
— Wesley... — gemi e ele olhou pra mim com mais desejo. Seus olhos verdes pareciam brilhar de tanta excitação, suas mãos foram até minha blusa, que logo tirou a mesma e a jogou em qualquer canto da sala, e apertou meus seios, fazendo minhas pernas estremecerem com aquele movimento inesperado. Seus lábios foram até meu pescoço, que deu uns beijos no mesmo e deixou um chupão ali, que não demoraria pra ficar roxo no dia seguinte.
— Cê não cansa de fazer isso não é?
Só pra mostrar que tu é minha! — ele respondeu.
Eu sabia que ele tava se  referindo ao Hilton.
Ele abriu o fecho do meu sutiã e tirou revelando meus seios, ele segurava firme minha cintura enquanto a gente se beijava e me deu impulso para​ cima e eu entrelacei minhas pernas em sua cintura e ele me levou pro seu quarto.
Chegando lá, ele me jogou na cama, subiu em cima de mim e abocanhou meus seios, alternando entre o esquerdo e o direito, fazendo eu gemer involuntariamente. Ele desceu seus beijos pela minha barriga e parou no meu quadril, onde ele tirou minha calça e continuou até chegar na minha virilha. Um sorriso cafajeste brotou de seus lábios e eu arfei baixo ao perceber o que ele ia fazer. Ele começou a tirar minha calcinha lentamente.
— Porra Wesley, anda logo com isso! — falei um pouco irritada e ele riu da minha impaciência.
Assim que ele tirou minha calcinha completamente, eu senti sua respiração quente bater contra minha intimidade e a minha respiração já estava acelerada. Sua língua começou a passar pela minha intimidade e eu gemi baixinho.
Sua língua brincava com o meu clitóris fazendo eu me contorcer naquela cama e gemer mais alto. Ele me chupava com força e por impulso, eu tentei fechar as minhas pernas, só que ele impediu e me sugou com mais intensidade.
Quando  o meu estava quase chegando no meu ápice, ele parou e veio pra cima de mim de novo, fazendo eu gemer em desaprovação e olhar brava pra ele.
— Calma mô, pra que a pressa? — ele perguntou ironicamente.
Em um movimento rápido, eu fiquei por cima e o beijei com intensidade, tirando sua camiseta. Desci meus beijos para o seu pescoço e dei um chupão ali.
Eu desci até seu quadril e tirei sua calça e sua boxer preta, revelando seu membro ereto e comecei a chupá-lo com força, fazendo ele soltar um gemido rouco e quando ele estava quase chegando no seu ápice, eu parei.
— Pra que a pressa, né meu amor?! — repeti a sua pergunta.
— Tu vai ver! — ele falou sério.
Novamente ele ficou por cima e pegou um preservativo no criado mudo e rasgou a embalagem, e  colocou em seu membro e em um movimento rápido ele me penetrou, me fazendo gemer alto o sentindo dentro de mim. Seus movimentos eram rápidos e fortes e eu arranhei suas costas e ele distribuiu beijos e mordidas pelo pescoço e colo. Logo chegamos ao nosso ápice e deitamos na cama ofegantes.
Horas depois...
11:57

Eu acordei sentindo a claridade bater contra meu rosto, olhei pro outro lado da cama, mas não vi o Wesley. Coloquei minha calcinha e a camiseta dele que estava ali jogava e fui fazer minhas higienes matinais.
— Mô? — perguntei descendo as escadas.
— Oi, tô aqui! — ouvi ele lá da cozinha.
— Olha, fazendo café... — olhei a mesa e o abracei por trás, lhe dando um selinho.
— Viu, tô pra casar de novo já! — ele falou e eu dei uma leve risada.
Eu ajudei ele terminar e logo começamos a comer, mas fomos interrompidos pela campainha.
— Cê tá esperando alguém? — perguntei.
— Não, tô não. — ele respondeu confuso — Vou lá ver! — ele falou se levantando e eu assenti.
— O que tu tá fazendo aqui? — eu ouvi a voz do Wesley ficar séria.


Notas Finais


Hey amores
O que cês acharam?
Até o próximo capítulo!
Beijo ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...