História Amor suicida [JB] - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~criminal

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 10
Palavras 653
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 9 - Eu estou melhor agora


Fanfic / Fanfiction Amor suicida [JB] - Capítulo 9 - Eu estou melhor agora

           ATLANTA


             Reyle


Um dos motoristas de meu pai chega em um carro, eu entro nele e ele começa a dirigir até a mansão, entrou na mesma vou para o meu quarto, vou para banheiro e então tiro  minhas  roupas, entrando no box, ligando o chuveiro  deixando a água quente cair sobre meu corpo.


Depois de alguns minutos no banho, desliguei o chuveiro e me enrolei na toalha.vou para o closet pegou meu celular mandando uma mensagem para Castiel "avisando que eu iria me atrasar um pouco", colocou  minhas  roupas íntimas, colocou um vestido azul marinho, faço uma maquiagem simples e um sapato de camurça Preto. Soltei meus cabelos, peguei minha bolsa e meu
iPhone 7, e desci.

O mesmo motorista que me trouxe estava a minha espera, entrou no carro e o mesmo faz o mesmo,  minutos depois estava No parque onde conheci Castiel e Dylan, não demora muito nós chegamos no local de encontro, desço do carro e o motorista parte, ando um pouco e avisto Castiel e sigo em sua direção, ele estava muito bonito, com um terno preto e uma gravata vermelha, era uma bela vista.

-Oii...

-Oi, Anjo! -Grita Dylan indo em minha direção.

-Oii, Dylan. -O garotinho me abraça e eu lhe dou beijo na cabeça.

-Oi, você está linda. -Diz ele olhando para meu vestido azul marinho.

-Obrigada, você também está bonito.

-Obrigado. Então... está com fome já ou ainda quer ficar aqui enrolando um pouco?

-Não, vamos comer logo.



Nós três começamos à andar, Dylan não permite que um silêncio permaneça, pois ele falava sobre sua semana para mim. Não demora muito chegamos no restaurante, Castiel fala com a atendente e ela o indica uma mesa, ele agradece e vai em direção à mesa, ele puxa a cadeira para mim e eu me sento, Dylan senta na cadeira que estava ao meu lado e Castiel na cadeira da frente e em seguida nós pegamos os menus e olhamos os pratos por alguns minutos.

-Já sabem o que vão pedir? -Castiel pergunta para mim e o sobrinho.

-Ainda não, e você? -Eu respondo.

-Eu quero pizza. -Dylan fala cutucando o braço de Castiel.

-Tudo bem, Dylan, e você, Reyle? Eu pensei em pedir um Risoto à Carbonara... eu nunca comi mas parece ser bom.

-Acho que vou querer o mesmo.

Depois de decidirmos o que comer, Castiel chama um garçom, o mesmo anota os pedidos rapidamente e vai em direção à cozinhaem seguida ele tenta puxar assunto comigo enquanto Dylan vai para um lugar onde haviam brinquedos para ele enquanto seu pedido não chega.

-Então... é... bem eu não sei puxar assunto em encontros... por eu quase nunca ter um...

-Porquê? Você parece ser uma pessoa tão interessante.

-É que... desde que minha irmã morreu e eu comecei à cuidar de Dylan tive que deixar minha vida pessoal de lado, por causa dele...

-Que pena... bom, pelo menos eu posso te ajudar à saber como falar com garotas denovo.

-Obrigado, professora de etiqueta. -Castiel responde fazendo nós dois rir.

-Então... como foi sua infância e adolescência? -Castiel pergunta se levando e indo para a cadeira de Dylan.

-Não sei como posso dizer isso... minha vida parecia uma maravilha: meus pais se davam muito bem, eu amava muito meu irmão, ele era meu melhor amigo, apesar de brigarmos as vezes, mas isso é normal entre irmãos... mas eu dia eles... se foram... eles morreram e eu joguei a culpa em meu pai e em mim... e aos poucos fui me tornando uma pessoa ruim... eu mudei... e não sei se voltarei ao normal um dia... -Eu fico com lágrimas nos olhos ao falar.

-Reyle, eu sinto muito...


-Tudo bem, estou melhor agora...não se preocupe.




Venha e pegue a minha mão. Eu não vou te deixar ir. Eu serei seu amigo, te amarei  profundamente, eu serei que te beijará a noite, eu te amarei até o fim dos tempos.


Notas Finais


Espero que gostem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...