História Amor, você vai me deixar. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Deathfic, Drama, Drogas, Jikook
Exibições 16
Palavras 1.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieeeeew :3

Gente, sim, é o 2º cap do dia. Por que eu estou postando mais um? Bem, amanhã não vai dar pra postar, pois vou para uma festa que durará o dia inteiro ;-;

Por isso agora... :>

Espero que gostem mesmo assim...

sz Boa leitura sz

Capítulo 3 - Sim, eu me preocupo.


 É.... Agora será impossível ignorar... 

- Jungkookie, olha pra mim - Estou quase implorando para ele me dar atenção, mas o mesmo continua me ignorando, como das outras vezez, aish.

   Parece que meu biscoito está com vergonha, vergonha de que afinal? Continua bonito, mesmo sem seu cabelo. De qualquer forma, ele se recusa a comer, já não sei mais o que fazer, o doutor disse que se continuar assim tera de tomar vitaminas por meio de uma seringa, não quero isso, não quero vê-lo assin

- Kookie, por favor - Segurei seu rosto e o forcei a olhar para mim, ele foi meio bruto e empurrou minha mão, fazendo com que a torrada caísse no chão, a segunda torrada perdida.- Coma, amor, vai...- Mesmo eu quase ajoelhando ele não cedeu, não abriu a boca.

    Perdi as contas de quantas vezes aproximei e afastei a bendita torrada da boca do Jungkook, ele não demonstra emoção e não me lembro da última vez que ouvi sua voz. O silêncio dele me preocupa. Um garoto que costumava cantar a cada 5 minutos, que dançava melhor do que eu, que vivia fazendo piada com a minha voz ou tamanho, agora se fechou, está depressivo. Ver Jungkookie nesse estado me deixa mal, mal por ser um inútil e não conseguir ajudá-lo a aproveitar os poucos dias que lhe restam. Odeio admitir que ele está morrendo e logo irá me deixar, isso me faz chorar. É torturante olha-lo e perceber a tristeza no seu rosto, um rosto que eu mal consigo admirar, porque ele não levanta a cabeça. 
  Pediu para que eu o deixasse em paz, disse que está cansado, eu sorri em resposta e desci da cama onde estava, sorri pois escutei sua voz que mesmo estando fraca é encantadora, tudo nele é. Desde seus músculos que estão começando a desaparecer ao seu sorriso, que não vejo faz um tempo, mas só de imagina-lo sorrindo, sinto alegria, sinto vontade de continuar aqui, do seu lado. Poderia deixá-lo, poderia ir para debaixo da terra antes dele, mas eu preferi ficar, porque o amo. Sei que ele não se importaria, passou essas últimas horas me ignorando, e só agora falou comigo.
  
    Acho que vou roubar uma das seringas que vi sobre a mesa do doutor Byun, roubar não, roubar é errado, vou pegar emprestado, percebi que quando ele aplica o remédio que há dentro do objeto a pessoa adormece, simplesmente apaga.. Não sei ao certo o que contém ali, mas se me fará dormir, aceito. Não consigo descansar e estou morrendo de sono, eu preciso usar aquilo. Vou aproveitar que ele não se encontra no quarto, não é o mesmo que Jungkook está, então não corro o risco dele me pegar. Chega de enrolação, agora pegue, Jimin.

   Pegar a seringa foi fácil, fácil até demais, ejetei uma pequena quantidade e já estou sentindo os sintomas, os possíveis sintomas, uma tontura nada forte e fraqueza nas pernas. O pequeno objeto que usei para ejetar o líquido transparente no meu braço estava do lado do próprio frasco com o tal remédio. Agora, preciso apenas me deitar e terei uma boa tarde de sono.
  Segui para o quarto de JK, eu só o chamo assim quando estou com raiva dele, o que por incrível que pareça, não estou. Enfim, adentrei e o que encontrei no local não foi nada agradável. A mãe dele estava ao seu lado, ela não demonstrava qualquer tipo de emoção. Parecia que estava sendo forçada a estar ali.

- Sra. Jeon? - E novamente só se escutava a minha voz, sério que a velha veio vê-lo? Ela só aparece nos momentos de desgraça. Jimin, sorria, seja um bom garoto. Bem, agora os dois, mãe e filho, estão me encarando, o sorriso sínico dessa mulher está me deixando irritado.

- Oh, Park Jimin - Percebi que ela se enforçou para lembrar meu nome, relevei.

- Ele está dormindo, pode deixar que eu... eu fico com ele - Travei no meio da frase por sentir a tontura ficar mais forte, tudo ao meu redor estava de mexendo, certo, coisas se mexem Jimin, mas eu acho que as paredes não. 

- Você vai ficar? - A mulher perguntou e riu em um tom sarcástico.- Ele estava sozinho agora a pouco, você não estava do lado dele... Nem pra isso serve.- Levantei o braço direito ao ouvir o que a velha havia dito, e logo o abaixei.

- Sou um ser humano, preciso beber água - Sim, eu menti. A Sr.Jeon já me odeia, seria capaz de me matar se soubesse que injetei um remédio em mim, por conta própria. Não que ela se importasse, ela pensaria que eu que coloquei Jungkook nessa situação e bla bla bla.


    Ficamos em silêncio por alguns minutos, sem nos olhar, ela sentada na poltrona ao lado da cama do Jungkookie e eu no pequeno sofá um pouco afastado dos dois. Minha cabeça está girando e mal consigo pensar, com certeza estou parecendo um drogado. No momento eu só quero me deitar e fechar os olhos, mas com a minha querida sogrinha aqui não vai dar. Arranjaria motivos para eu não descansar.
  Algo me chamou atenção, e isso me fez olhar para a cama no centro do quarto, Kook está acordado. Me levantei quase que pulando do sofá ao vê-lo abraçar sua mãe e chorar, ele chorando... Aish, estou tão mal. Eu me aproximei da cama e fui expulso mais uma vez do quarto, mas, agora eu não obedeci, eu não consegui. Após escutar o "Minie, nos deixe sozinhos." caí de joelhos no chão e em seguida para o lado me deitando, fechei meus olhos e pude escutar a porta do quarto ser aberta antes de perder a consciência. O remédio fez efeito, o que é bom, mas fez efeito na hora errada.

    Ah, Jungkook deve me odiar agora.

   E sua mãe? Sua mãe deve me odiar mais, não que seja possível.

E se... O remedio do bem na verdade for do mal? E se eu me envenenei? Shiu Jimin, você não fez nada demais.
  

     
 
    
 
    


Notas Finais


Eu sei, ta uma merda... MAS RELEVEM, melhorarei ;-;

Obrigada por ler e...

Até a próximaaaaaw


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...