História Amores - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 0
Palavras 2.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Só leia e veja as notas finais

Capítulo 12 - Momoko e Seed


Como eu ainda estava sem cabeça para fazer missões depois daquela última que fiz,voltei para onde o multi e o seed moravam para me distrair um pouco.

Chegando lá,vi o seed ajudando algumas pessoas e conversando com outras,ele parecia se inrturmar bem até alguém parecer dizer algo ruim a ele o deixando triste. Corro até ele o abraçando vendo o mesmo corar em seguida.

Momoko: ooooiiii turu baum?

Seed: o-oi....as coisas estão bem por aqui.

Momoko: não foi o que pareceu,aquela garota deve ter dito algo ruim a você.

Ele fica um pouco mais corado,acho que ficou com vergonha por eu ter visto o " fora " que ele levou .

Seed: é que...acho que fui muito frio com ela e...aquela garota não gostou disso.

Momoko: mas é claro, ninguém gosta de ser tratado com frieza,só algumas mulheres que gostam de ser submissas mas isso é difícil de achar.

Seed: você é uma delas?

Momoko: bom,acho que sim e não,não gosto que falem com frieza comigo,mas acho que se falar da maneira " correta " talvez fique submissa.

Seed: e qual seria a maneira correta?

Momoko: sei lá,nunca parei para notar enquanto...- antes de falar,percebi que isso só acontecia em um momento de muita intimidade,falar isso pro seed é muito vergonhoso, provavelmente fiquei corada pois senti meu rosto esquentar- d-deixa pra lá.

Ele me olhou com um olhar confuso mas logo deixou pra lá.

Seed: então...quer...ir tomar um sorvete?

Momoko: quero!- meus olhos brilharam e minha cauda ficava balançando de um lado para o outro enquanto eu dava alguns saltinhos de alegria,estava parecendo uma criança- quero muito!

Ele começou a rir e me levou a uma sorveteria próxima,compramos os sorvetes e começamos a andar pela cidade de refugiados,apesar de todos terem sido descartados e injustiçado,viviam felizes naquela cidade,tinha crianças brincando,pessoas conversando e outros construindo casas,era realmente bom ver aquilo,mas não parava de me vir a cabeça aqueles experimentos defeituosos cuja única salvação e libertação era a morte,sempre acabava por lembrar e isso me deixa muito triste,tanto que não percebi uma lágrima escorrer pelo meu rosto caindo na minha mão seguida de outras que pareciam uma cascata, é como se eu sentisse a dor deles sem estar na pele, é doloroso demais.

Seed: Momo,por que está chorando? Eu disse alguma coisa errada?

Ele dizia preocupado e isso de certa forma era engraçado,mas as lembranças daquela missão não me permitiam rir,e como não queria preocupá-lo mais,tentei mentir, falhando miseravelmente.

Momoko: e-eu estou bem... s-so foi uma coisa...meio complicada de l-lembrar.

Seed: é sobre missões com experimentos, não é?

Desistir de esconder e afirmei com a cabeça,ele faz um leve carinho nas minhas orelhas e me levou para uma casa,acho que provavelmente era dele pois ele tinha uma chave,assim que entramos o local não era tão ruim assim,havia vários quadros bem pintados e emoudurados nas paredes com uma coloração leve dando um ar de tranquilidade ao local,os móveis eram cor de caramelo que contrasta com o tapete marrom claro,aqueles mínimos deles me deixaram mais calma. Seed pegou a minha mão e me levou até o sofá me sentando e logo se sentando ao meu lado,deitei minha cabeça em seu ombro respirando fundo o ar da tranquila sala.

Momoko: você quem pinta esses quadros?

Ele havia ficado novamente corado,acho que para tudo ele ficava vermelho,muito fofo,preciso me controlar senão eu o aperto.

Seed: b-bem...a-a maioria...foi eu.

Momoko: são bem bonitos,eles de certa forma me tranquilizam ao olhar- fiquei os observando até parar em um quadro diferente,ele tinha uma silhueta feminina e possuía cores vivas,por estar coberto,aquilo era o máximo que eu podia ver,como minha curiosidade se atiçou muito, resolvi perguntar a respeito.

Momoko: seed,que quadro é aquele coberto por um pano?- aponto com o dedo para o canto da sala- posso ver?

Ele olhou e no mesmo instante corou violentamente,estava mais vermelho que um tomate, será que o quadro era da menina que ele gostava? Minha curiosidade aumentou e tive que perguntar.

Momoko: você pintou a garota que você gosta?

Acho que por ele estar no máximo de vermelho a única coisa que pode fazer foi olhar para os lados envergonhado,depois de alguns minutos suspirou bem fundo,se levantou e pegou o quadro,assim que se virou e eu pude vê-lo por completo,fiquei extremamente surpresa,era eu,eu estava pintada ali,em uma pose super fofa,que lisonjeiro, fiquei mais vermelha que um tomate.

Seed: d-d-desculpa,deveria ter pedido sua permissão para isso mas, não deu tempo porque eu queria muito pintar isso, você me inspira a fazer esses quadros porque sempre que vem me da paz e alegria,algo que eu nunca tive em tempos, então... só...desculpe!

Ele some com o quadro me deixando pasma,o seed... não,não pode ser,só o inspiro a pintar,nada mais que isso. Depois de um certo tempo comecei a ouvir barulho de coisas sendo quebradas e vinham do segundo andar,corri até lá e vi o seed quebrando vários outros belos quadros,alguns como aqueles da sala e outros de mim em poses fofas esbanjando alegria e felicidade.

Talvez pela raiva e vergonha misturada ele não me viu ali e continuou a quebrá-los,corri até ele me jogando em cima dele fazendo ambos cair na cama,segurei seus braços com força para que parasse de se debater o que não adiantou muito,ao ver seu rosto estava um pouco inchado,ele havia chorado,por quê? Eu não tinha dito nada sobre os quadros,tentei pedir para ele se acalmar e parar de lutar,mas a única coisa que ele dizia era "desculpa pelo que fiz","eu deveria ter pedido permissão",sem querer ser má, porém isso estava irritante demais, só tinha me restado uma opção e eu não estava mais com cabeça para pensar nas consequências então somente o fiz. Me inclinei e o beijei,seed parou de se mexer de imediato e logo foi relaxando seu corpo,soltei os braços dele e logo ele fechou os olhos para aproveitar,quando eu ia me separar dele,seed me puxou para si aprofundando o beijo pedindo passagem com a língua,pensei rapidamente e provavelmente se eu recusasse ele se sentiria pior do que está, então somente aceitei e cedi passagem para ele,nossas línguas brigavam por espaço,ele colocou a mão na minha nuca para que encaixasse melhor seus lábios nos meus,devo admitir que o beijo realmente era bom,mas não ganhava do Torane,o dele me possuía bem no início. Nos separamos por falta de ar e reparei que os olhos do seed não estavam mais como antes,havia duas coisas ali,luxúria e inveja,espere...inveja? Por que seed tem inveja ou do quê? Fiquei tão distraida com a pergunta que não notei o seed trocar as posições ficando por cima de mim beijando e mordendo o meu pescoço,no mesmo instante o afastei antes que continuasse.

Momoko: não podemos fazer isso seed,eu amo o torane e...-antes que de eu terminar seed tomou meus lábios com um beijo feroz e prendeu minhas mão com uma algema diferente das outras,ela era mais tecnológica que o normal- s-seed...por que está fazendo isso?...e-eu amo o...

Seed: eu sei! Sei que você o ama e tenho inveja disso,porque eu também te amo Momoko Hashikari,desde o dia que conversamos,notei o quão legal,divertida,carinhosa e engraçada você é,mas quando notei o olhar daquele tigre/leão sobre nós,percebi o que ele era pra você,achei que eu iria esquecer porque você provavelmente não voltaria mais,só que, você tem vindo tanto pra cá e temos conversado tanto estes dias que,esse amor cresceu demais...sonhei com a gente juntos,se divertindo,brincando e até mesmo...nesta situação... então...só te peço uma coisa agora Momo...- ele se aproxima do meu ouvido e sussurra- geme para mim e peça para que eu te foda cada vez mais.

Aquilo me arrepiou por inteira,ele era bom com as palavras,se continuar ficarei submissa e terei traído quem eu mais amo,mas infelizmente não posso mais voltar atrás,se eu continuar negando a ele esse desejo, provavelmente irá achar que sinto nojo e pena dele,ficará triste e nunca mais irá querer me ver,pode acontecer de tudo no mundo menos isso,como me senti sem escolhas resolvi seguir com o desejo dele e me entreguei para o seed fazer o que quisesse comigo.

Momoko: está bem seed... faça o que quiser...neste dia e neste lugar...- me aproximei do ouvido dele e sussurrei- eu pertenço a você.

Mordi o lóbulo de sua orelha logo levando as mordidas para o seu pescoço dando algumas lambidas e chupões para deixar marcas o que fez gemer baixo,ele me deitou novamente na cama e começou a me dar vários chupões e mordidas bem visíveis,me fazendo arfar constantimente,logo ele tirou minha blusa e meu sutiã os jogando para qualquer canto e foi direto para os meus mamilos dando chupões e mordidas fortes me fazendo gemer alto e apertar os lençóis.

Seed tira minha saia e calcinha me deixando completamente nua vislumbrando meu corpo durante alguns segundos dando um sorriso ladino foi até minha intimidade e começou a lamber com tanta avidez que me fez gemer cada vez mais,ele colocou a língua dentro a movimentando por todos os lados me fazendo gemer mais ainda.

Ele tira as próprias roupas e se posicionando entre minhas pernas.

Seed: serei carinhoso Momo, porém só no começo.

Ele põe dois dedos na minha frente e diz para que eu os chupe,para provocá-lo,chupei como se fosse o pênis dele fazendo sons estralados e sexys o deixando excitado,depois de bem molhados,ele os pressionou na minha intimidade os colocando de uma vez me fazer soltar um gemido alto,seed começou a movê-los dentro de mim,me contorcia a cada movimento e rebolei para ter mais contato,neste momento ele tirou os dedos me fazendo soltar um gemido em reprovação.

Seed: não se preocupe,o que vem agora é bem melhor.

Ele me penetra de uma vez começando os movimentos de vai e vem me fazendo gritar a cada estocada,ele me mordia,chupava meus mamilos,só aumentava mais meus gritos que viravam gemidos altos e prazerosos,mais algumas estocadas e eu cheguei ao meu ápice porém seed não parou e continuou,deslizando e indo cada vez mais fundo pelo meu gozo que havia lubrificado mais o local.

Seed: aaah... Momo... você é tão apertada...uhrg...e já gozou...foi tão rápido...eu te dou tanto... tesão assim é aahr!

Ele goza dentro de mim e na mesma hora de senta apoiando-se na cabeceira da cama e me senta com força me fazendo quicar bem rápido enquanto continua me marcando e chupando meus mamilos,seed realmente era bom,o prazer estava sem limites,estava quase tão bom quanto o Torane mas aí é que tá,ele não é tão bom quanto o Torane, entretanto,dava bastante prazer.

Eu gemia sem parar enquanto quicava com força sobre o pênis do seed,o mesmo apertava minha bunda com força cravando suas unhas alí me permitindo gemer mais até que eu gozo novamente e sinto escorrer enquanto seed continua a me fuder gozando depois de mais alguns minutos.

Momoko: seed... a-a-acho que...

Seed: uma última vez Momo,quero aproveitar o máximo que eu posso deste momento.

Concordei e o beijei novamente,ele me tira de seu colo e me deita de costas logo me penetrando novamente com força, velocidade e profundidade enquanto eu fico gemendo sem parar,seed se aproxima do meu ouvido e sussurra- oh Momo,como você é gostosa,te fuder é tão bom, não acha? Está sentindo? Eu entrando e saindo de você,te preenchendo e te enchendo de prazer constante. Aaah! Momo,vou gozar de novo dentro de você e te preencher novamente.

Ele lambe minha orelhas e a morde,seed pensa que só ele provoca com palavras,pois irei mostrar que neste jogo jogam dois.

Viro minha cabeça ficando próxima ao ouvido dele e começo a sussurrar - aahr, vai,mais seed! Me fode mais! Oh! Como você é grande! Nyan! Mais! Ahr,ahr! Mais fundo,oh seed,preciso que me foda,preciso sentir você me preencher,vai,goza em mim,oh!

Ele ficou tão incentivada que fez exatamente o que eu falei e gozamos juntos em seguida,ele tira o pênis de dentro de mim e se deita ao meu lado recuperando o fôlego perdido.

Seed: você é muito boa com as palavras.

Momoko: sei disso, você também é.

Seed: obrigado por me permitir fazer isso com você,achei que não deixaria e nunca mais iria querer me ver e sei que fez por pena,mas mesmo assim não me arrependo,pode deixar que nunca direi a ninguém,levarei para o túmulo comigo.

Momoko: ok,muito obrigada por isso seed. Tinha mesmo que me marcar? Assim terei que ficar aqui até sumir e provavelmente o torane vai ficar preocupado.

Seed: em menos de dois dias essas marcas saem,mas as dores de quadril...

Momoko: que dor? Não estou sentindo nada,acho que é por causa do Torane,dia desses eu o provoquei e sai quase aleijada do quarto,precisava de muletas para andar.

Seed: kkkk uau, sério?

Momoko: sim kkkk,bem,quer tomar banho?

Seed: juntos?

Momoko: sim,algum problema?

Seed: mas, você não...

Momoko: esqueceu o que eu disse a você antes de começarmos? Eu disse que neste dia e neste lugar eu pertenço a você,ou seja, não tem problema pois o dia ainda não acabou, até porque está de noite agora.

Ele se levantou rapidamente me pegando no colo e me beijando carinhosamente.

Seed: então vamos,meu amor.

Corei ao ouvir aquilo e murmurei um "vamos",ele nos levou para o banheiro,me deu um banho,me emprestou um moletom que ficou que nem um vestido em mim e fomos dormir,mas antes ouvi ele dizer "mesmo que ame outro,sempre irei amá-la momoko" ele me deu um beijo na testa e por fim dormiu me abraçando. Aquilo me doía o coração mas,pelo mesmo naquele momento ele estava feliz.


Notas Finais


Se quiserem que eu especifique a história em que o personagem está,me digam


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...