História Amores Obsessivos - Capítulo 24


Escrita por: ~

Exibições 54
Palavras 1.249
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá meus divos lindos.
Bom mais um capítulo para vocês.
Espero que gostem.
Boa leitura.
Desculpem lá errinhos.
Kisses <3

Capítulo 24 - 25 de agosto de 2016 -Madrugada.


POV Adam.



          Acordei e vi que Dean não estava na cama. Resolvi descer, sai do quarto e senti um cheiro de mingau, imaginei que Dean poderia estar fazendo, mas já era 03:17 da manhã, e ele não costuma acordar na madrugada.

          Entrei na cozinha e vi minha mãe comendo um potinho de mingau.

-Mãe? -Disse.

-Oi meu amor... -Disse ela sorrindo.

-Eu achei que estivesse dormindo... -Disse me sentando ao seu lado.

-Ah eu resolvi comer mingau, eu estava com muita vontade, aceita? -Perguntou ela.

-Não obrigado... Onde estão todos? -Perguntei incerto.

-Seu pai e Dean dormem que nem uma pedra, Sam... Bem eu não sei onde ele está. -Disse ele meio triste.

-Ele vaí voltar logo. -Disse a confortando.

-Querido eu preciso falar umas coisas com você. -Disse ela colocando o mingau na pia, e se sentando ao meu lado.

-Pode falar. -Disse receoso.

-Filho... O Sam me contou o que aconteceu hoje. -Disse ela.

-Ele fala o que acontece para você? -Perguntei estranhando.

-Sim, ele sempre me conta tudo. -Disse ela. -Mas o que eu quero saber é porque você está se prostituindo?

-Como você sabe? -Perguntei atônito.

-O Sam me falou. -Respondeu ela. -E então?

-Bem... E que o Sam começou a pegar o meu dinheiro da mesada escondido, e eu fui falar com ele... E ele me bateu sem mais nem menos... Aí eu fiquei mal com isso... E como a quantia que ele tinha pego era muito alta, eu não vi outra solução... Entao um ex-amigo meu...Me disse que se eu me prostituisse, eu ia recuperar o dinheiro rápido... Mas aí o Sam me roubou de novo... E eu só tinha juntado novecentos e setenta e quatro dólares... -Disse envergonhado.

-Entendi... E por que você chantageou o seu pai hoje? Sam me disse que vocês transaram. -Ela falou, e eu arregalei os olhos. 

-E que... Depois que eu comecei a me prostituir... Eu mudei muito, isso muda as pessoas de um forma inacreditável... E nesse meio tempo eu me tornei uma pessoa... Diferente. -Digo comprimindo os lábios.

-Entao você o chantageou e pegou dinheiro com ele para comprar meu presente de aniversário... Meu bem... Não precisa... Só sai desta vida... Isso não vai te levar a lugar nenhum... Sabe a tia Rose? -Disse ela.

-Sei... 

-Ela também se prostituia... Mas acabou morrendo assassinada... Um cliente dela... Ele achou que ela só pertenceria a ele... E quando ela se recusou a ele... Bem... Ele a matou... Foi preso depois de alguns meses... Mas eu não quero isso para você. -Disse ela passando a mão no meu rosto. -Não ache que o seu pai só transou com você por causa da chantagem... Ele é desequilibrado e foi um dos motivos pelo qual eu me separei dele.

-Como assim? Desde quando vocês são separados?. -Perguntei pálido.

-Há dez anos. -Disse ela.

-Por que? -Perguntei.

-Por que ele abusou sexualmente do Sam... Ele deixou marcas tão profundas no seu irmão... Que fizeram o Sam ir para as drogas... O Jonh nunca foi normal... Ele quase fez isso com você, mas eu não deixei... Por isso eu te peço para não fazer mais nada com ele.- Disse ela tristemente.

-Mas você não está chateada com isso... De eu dormir com ele... Ou dele te trair? -Perguntei confuso.

-Estou... Mas pelo fato de você ter transado com ele... O Jonh tem uns parafusos a menos... E eu ja sou separada dele, temos o direito de ficar com que quisermos... E eu só uso a aliança para que vocês não descobrissem... Mas já era. -Disse ela simplista.

-Nossa... -Disse em um sussurro.

-Querido... Tome cuidado com as suas escolhas... A vida não é um mar de rosas... Ela pode ser extremamente bela, como pode ser extremamente cruel... Eu e Dean sempre te mimamos muito, para que sua vida fosse boa... Mas... Eu não vou poder te proteger para sempre... Eu vou sentir tanta falta de vocês. -Disse ela me abraçando.

-Como assim vai sentir? O que você não está me contando? -Perguntei a olhando nos olhos.

-Filho... Eu não queria que vocês soubessem... Mas eu não tenho muito tempo. -Disse ela com os olhos marejados.

_Ahm? Como? -Perguntei estático.

-Sabe essa semana que eu viajei para a Alemanha? - Ela perguntou e eu afirmei com a cabeça. -Então... Eu fui fazer um diagnóstico... E o doutor Hambers me disse que o meu câncer se espalho pelo corpo todo, comprometendo os órgãos vitais... E ele disse que eu só tenho mais cinco meses de vida.., Até que o câncer destrua o meu corpo por completo... Mas não fale nada para eles filho... Deixe que eu conto... Eles vão sofrer muito... Mas o Dean vai ser o que mais vai sofrer, por que você e ele são muito apegados a mim... Ja Sam é mais apegado a Jonh... -Disse ela chorando.

-Mãe... Não vai... Fica aqui comigo... Comigo e com o Dean. -Pedi chorando.

-Não tem como filho... Eu queria muito... Mas eu ja aceitei minha condição. -Disse.

-Entao é isso? Eu não posso acreditar que você escondeu isso de nós. -Disse Dean aparecendo na porta.

-Filho... Entenda... Eu não quero que sofram por mim... -Disse ela chorando junto a mim.

-Mas nós temos o direito de saber. -Disse ele chorando.

-Eu sei filho... Desde quando estava ouvindo nossa conversa? -Perguntou ela.

-Eu ouvi tudo. -Disse ele.

-Entao você sabe os meus motivos. -Disse ela.

-Eu até posso entender, mas não consigo aceitar... Isso dói muito... E saber tudo o que o Dam fez... Eu estou me sentindo horrível por não poder proteger vocês. -Disse ele.

-Me perdoa Dean....Por favor. -Eu pedi chorando, me aproximando dele.

-Eu entendo tudo isso... Mas eu não quero que se prostitua mais... Você é só meu, entendeu. -Disse ele me abraçando.

-Ta bom, eu paro eu prometo... Eu te amo muito. -Sussurro a última parte.

-Não meus filhos. -Disse minha mãe.

-Ahm? -Dissemos em uníssono.

-O que vocês sentem é amor sim, porém fraternal... O que o Adam sente é admiração por você Dean... E você o ama como um pequeno e indefeso menino... Mas O Adam não é mais um menino frágil e indefeso... Não pensem que eu estou julgando vocês, longe disso... Mas eu não quero que se enganem, por que se levarem adiante isso... Vocês vão se machucar muito... E eu já vi isso acontecer antes... E o resultado não foi bom... -Disse ela tristemente.

-Como você... -Dean ia perguntar mas ela o interrompeu.

-O Sam me contou tudo... Eu sinto muito por tudo isso... Eu só queria que vocês fossem feliz. -Diz ela chorando.

-E nós somos... Mãe. -Disse Dean.

-E me prometam mais duas coisas. -Disse ela.

-Tudo mãe. -Disse.

-Eu quero que vocês deem um jeito de internar o Sam numa clínica de reabilitação... E internem o Jonh num hospital psiquiátrico, ele precisa se tratar, a mente dele ja está muito conturbada, ele não sabe diferenciar o certo do errado... Eu só quero que nossa família volte a ser o que um dia foi. -Disse ela nos abraçando.

-Nós prometemos. -Disse Dean.

-Obrigada. -Disse ela. -Bom... Eu vou dormir por que amanhã é dia de trabalhar, e vocês vão dormir, esta muito tarde.

          Disse ela, nos dando um beijo na testa e subiu para o quarto. Eu e Dean subimos, nos deitamos e ele começou a fazer cafuné em mim.

-Dean. 

-Ahm.

-Me perdoa por ter mentido para você. -Disse com arrependimento.

-Não se preocupe Dam... Eu só não quero que se prostitua mais ok? Eu não quero que você sofra na mãos de alguém. -Disse ele me dando um beijo no topo da cabeça.

-Ok. -Digo.

-Eu te amo. -Disse ele.

-Eu também te amo muito. -Disse eu.

          Não demorou muito e pegamos no sono.

Ah Dean... Você é tão bom... Me sinto honrado de ter você na minha vida.


Notas Finais


Olá de novo.
Bom, espero que tenham gostado do capítulo.
Até o próximo.
Comentem.
Kisses <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...