História Amores Obsessivos - Capítulo 26


Escrita por: ~

Visualizações 63
Palavras 1.080
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meu divos por quem eu choro lagrimas de mel.
Bom eu dedico este capítulo a vocês, pois eu estou muito grata pela quantidade de favoritos e comentarios.
Isso é muito especial, e quanto mais melhor, pois assim me faz chorar de alegria.
Mas voltando...
Mas este capítulo para vocês.
Espero que gostem.
Musica: Deja Vú - Pitty.
Desculpe os errinhos.
Kisses <3

Capítulo 26 - 26 de agosto de 2016.


POV Adam. 

 

 

 

          Acordamos no dia seguinte por volta das 09:00 da manhã. Tomamos café e fomos para casa. Charlie nos acompanhava, pois iria terminar de decorar o presente da Jô. Chegamos em casa, e Dean nos esperava na porta, e pela sua cara inchada, ele não estava de bom humor. 

-Adam seu filho da puta. -Gritou ele. -Onde você estava seu corno desgraçado? -Disse ele enrivecido. 

-Eu tava com o Sam e a Charlie na casa dela. -Disse simples. 

-E porque não avisou? Eu encontrei nosso pai caído na sala com o nariz sangrando, e uma garrafa de Whisky ao seu lado... VOCE PODE COMEÇAR A FALAR. -Disse ele serio. 

-Calma Dean, so estávamos dançando. -Disse eu calmamente. 

-Ah so estavam dançando... Ok. -Disse ele puxando uma cinta de trás das costas. -Então vamos dançar agora. 

-Dean calma, olha para mim... Isso amigo, amigo... -Disse para ele, porém foi em vão. 

          Dean começou a correr atrás de mim com a cinta na mão, eu comecei a correr mais rápido, porém ele estava em meu encalço. Charlie e Sam estavam, atrás dele. 

-DEAN, NAO BATE NELE, CALMA... DEAN. -Gritou Charlie. 

          Eu fui diminuindo a velocidade, parei e ele ficou me olhando intensamente. 

-Dean, por favor,não faz isso. -Peço tomando fôlego. 

-Você passou dos limites... AGORA VEM AQUI! -Gritou ele. 

-Dean... Você não vai fazer isso com o seu Dam, vai?... Você não me ama mais... Dean. -Disse com os olhos marejados, me aproximando dele. 

-Vem cá. -Disse ele me puxando para um abraço. -Eu não conseguiria fazer isso com você, eu não ia suportar te ver chorando. -Disse ele e eu suspirei aliviado. 

-Obrigado. -Sussurro. 

-Mas não quer dizer que eu não vá te punir. -Disse ele maliciosamente. 

-Ahm? -Perguntei olhando em seus olhos. 

-Isso mesmo, você vai ter que me compensar por ter ficado a noite em claro e... Você vai ter que fazer o trabalho de casa por dois dias. -Disse ele sorrindo abertamente. 

-Você não seria capaz. -Disse indignado. 

-Prefere a surra? Eu posso não conseguir te bater, mas o pai consegue. -Disse ele com uma sobrancelha arqueada. 

-Você é impossível... Eu te odeio. -Digo revirando os olhos. 

-Que nada, você me ama. -Disse ele sorrindo. 

          Voltamos para perto de Sam e Charlie, eles estavam sentados na soleira da porta de entrada, nos olharam analíticos. 

-E então? -Perguntou Sam. 

-Eu não bati nele, mas em,compensação ele terá que fazer o serviço de casa por dois dias. -Disse Dean simplista. 

-Como você convenceu-o a não te bater? -Perguntou Charlie. 

-Ele fez "cara de cachorrinho que caiu da mudança". - Disse Dean. 

-E com quem ele aprendeu isso? -Perguntou Charlie. 

-Aprendi com o melhor. -Digo olhando para Sam, que sorri e cora levemente. 

-Ah, tinha que ser... Agora vou ter dois fazendo cara de "cachorrinho que caiu da mudança. -Disse ele fazendo aspas com as mãos. 

- Eu to com fome. -Disse. 

-Vamos entrar, eu fiz o almoço. - Disse Dean. 

          Entramos e fomos para cozinha, ajudei Dean a colocar a mesa, nos sentamos e nos servimos. Dean havia feito lasanha e o clima parecia um pouco melhor. Eu fui levar um pedaço de lasanha a boca, quando John entra na cozinha e fica apoiado no batente da porta, eu deixei acidentalmente o garfo cair no prato, chamando a atenção de todos. 

-O que foi Dam? -Perguntou Dean. 

          Eu fiquei encarando a porta, ele r Sam se viraram e viram nosso pai parado. 

-Ola crianças. -Disse meu pai. 

-O que você quer? -Perguntou Sam ríspido. 

-So vim ver como meus filhos estavam. -Disse Ele. 

-Estamos bem, agora já pode ir. -Disse Sam. 

-Não obrigado, eu acho que vou almoçar com meus filhos, tal muito tempo que não conversamos em família. -Disse meu pai pegando um prato os talheres, e se sentando a mesa. 

-Acho que perdi a fome. -Digo o encarnado friamente. 

-Eu acho que vou deixar vocês conversarem. -Disse Charlie se levantando. 

-Senta ai. -Disse Dean. 

-Ta. -Disse Charlie se sentando novamente. 

          Uma tensão começou a se instalar no ambiente, nos deixando desconfortáveis. 

-Já não basta você morar aqui, e ainda tem que conviver conosco... Não consegue nos dar um minuto de paz. -Perguntei o olhando fixamente. 

-Ora... Eu sou o pai de vocês, eu prezo pelo bem estar da família. -Disse ele cinicamente. 

-Que família? A que você destruiu? Por que se for esta eu tenho certeza de que não é uma família estruturada. -Disse Dean em ironia. 

-Se eu fosse você, teria mais respeito comigo, eu sou seu pai. -Disse Jonh ameaçador. 

-Pois é, você não é ele... Então termina isso e some daquilo, não quero ver sua cara por hoje. - Disse Sam se levantando, e saindo da cozinha. 

-Eu acho que já esta na minha hora, eu tenho que ajudar minha mãe,na lanchonete. - Disse Charlie dando um sorriso sem graça. 

-Vai la Charlie... E desculpa por te fazer assistir esse vexame. -Disse Dean cansado. 

-Bem, até mais tarde. -Disse ela saindo. 

          Levantei, coloquei meu prato na pia, e fui par sala. Me deitei no sofá, e coloquei meus fones, começou a tocar Boy in luv BTS ( 상 남 차 BTS ) e fiquei mexendo no Facebook, esperando o dia de ver John morto. 

          Depois de um tempo, Dean se sentou no chão a minha frente a ficou me olhando. 

-Oi...O que foi? -Perguntei. 

-Temos que interná-lo logo... Ele ja passou do limite do caralho. -Disse ele suspirando. 

-Como eu queria que tudo fosse mais fácil. -Disse. 

-Verdade Dam. -Disse ele. 

-Vem, vamos ouvir musica. - Disse, e puxei ele para um beijo. 

-Dam? –Chamou ele.

-Hum? –Respondi.

-Você acha que vamos conseguir interná-lo. –Disse Dean.

-Claro vamos, é só força de vontade... E alem do mais, nós vamos colocar ele para ser tratado... E eu tenho certeza que tudo vai dar certo.

-Dam?

-Ahm?

-Você me ama? –perguntou ele manhoso.

-Sim, eu amo muito? –Disse manhoso.

-Mas você também esta amando o Sam não é? Digo... Mais que irmão. –Disse ele envergonhado.

-Olha Dean... Eu estou amando ele sim, na verdade eu sempre  tentei chamar a atenção dele... Mas... Sempre nos desentendíamos. –Disse calmo.

-Entendo. –Disse ele.

-Está com ciúme? –Perguntei sorrindo.

-Eu? Por que eu teria ciúme de alguém que já é meu? –Disse ele rindo.

-Nossa, como eu amo quando você é possessivo, fica mais sexy. –Disse rindo.

          Ele colocou os fones e ficamos ouvindo musica a toda. 

Eu queria que tudo fosse fácil que nem nas histórias do Walt Disney. 

 

 


Notas Finais


Olá de novo.
Obrigada por lerem mais este capitulo, comentem o que acharam.
Ah, e ate o proximo.
Link:https://www.youtube.com/watch?v=His5BZcgxj8
Kisses <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...