História Amores roubados - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Incesto, Novela, Originais, Romance, Yaoi
Exibições 8
Palavras 815
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie, to entrando de férias hj \o
desculpa a demora pra postar mas vou recompensar o tempo perdido ok? c:
Já tenho vários caps prontos, nn esqueci dela, continuei escrevendo mas nn tava conseguindo postar.
Boa leitura e desculpa os erros .

Capítulo 14 - Ele ainda estava comigo


Ao acordar vejo que Oliver não estava mais ali, fico com um aperto no coração, não sei por qual motivo se já sabia que isso aconteceria. Levanto e vou até o banheiro e bato na porta,não escuto nada em resposta, abro a porta e ele estava la, em pé na minha frente só de cueca com os cabelo molhados, com uma toalha amarrada na cintura e com outra na mão passando no cabelo para secar, bagunçando os fios, ele estava de costas para mim, escorria algumas gotas de água por ela, suas costas eram definidas e largas, nada exagerado, o vapor do chuveiro quente deixava tudo mais sedutor, olho para suas pernas pouco expostas pela toalha. Ao me dar conta da analise que estava fazendo minhas bochechas esquentam em uma temperatura que nunca vi antes, saio e fecho a porta, me escoro nela e fecho os olhos para me acalmar, mas penso no corpo dele húmido pela água, no banheiro com o cheiro fraco dele, tudo em perfeita combinação.

Escuto passos em direção a porta e vou correndo até a cama me deitando nela virado para a parede, encara a parede tentando não exibir nenhuma expressão mas meu rosto não sabia mentir, ele se aproxima da cama e toca o meu rosto, sento na cama e esfrego os olhos, olho para ele que ainda estava só de toalha, barriga dele era linda, corei de imediato.

-Bom dia_ ele fala sorrindo.

-Bom dia_ esfrego os olhos com a mão tentando esconder de alguma maneira o meu rosto vermelho.

-Termine de se arrumar que vamos sair para comer alguma coisa, eu vou botar uma roupa e vou descendo.

Ele me alcança uma toalha, vou ate o banheiro e fecho a porta, ligo o chuveiro e entro em baixo da água fria. Ele ainda esta comigo, não me deixou. Termino o banho e me seco, saio do banheiro e vou pegar uma roupa, a visto e saio do quarto, desço as escadas, escuto uma conversa de Oliver com minha mãe.

-Então você já sabe o que ele fez né?_ ela perguntou provocativa.

-Sim_ ele responde serio.

-E não vai se afastar dele?_ continuou provocativa.

Minha garganta e fechou com um pequeno nó.

-Não, não pretendo deixa-lo, nunca, da minha parte eu sempre estarei ao lado dele, nada me fara mudar de ideia.

-Ele é um assassino, ele matou a família dele_ ela alterou um pouco a voz.

-Ele não é, ele só amou alguém que não foi a pessoa certa e não que o amor tenha sido errado, não foi culpa dele._ Oliver continua falando calmamente.

-Ele beijou o próprio irmão, abusou dele, uma criança, ele é um monstro!_ ela grita.

-Sentimento não se controla, o irmão dele não foi forçado a nada.

-Ele confundiu a cabeça do meu pequeno, não pensou no que poderia acontecer, só pensou em si mesmo_ ela fala cada vez mais alto.

serro os pulsos.

-Ele foi a pessoa que mais se importou com o irmão, ele pensou o tempo todo no que estava fazendo, pensou que estava sentindo algo errado ou fazendo, algo errado e que ninguém poderia saber, ele tentava se convencer do contrario do que sentia, e não era errado, sentimento não é uma coisa que tenha certo ou errado, ele passou a vida toda se culpando pelo o que aconteceu e pelo que sentia. Você tinha que dar apoio pra ele e ele daria a você se deixasse, você so quer jogar a culpa nele para não ter que acordar todo dia e lembrar que a culpa foi sua. Pare de culpa-lo porque agora ele se culpa e se odeia, abra os olhos para o que esta em volta de você e não para o que esta só em você. Eu vou ajudar ele a se sentir bem novamente, a se entender e a parar de se culpar._ ele fala irritado.

Ele ainda estava comigo. Sorrio de canto.

-Mas a culpa é dele, você tem que se afastar ! Ele só vai te fazer mal, ele é uma vadia, ele é fraco, só esta com você para te usar, depois ele vais afastar você, é isso o que ele faz, ele manipula as pessoas, ele nunca amou ninguém, ele é um monstro, uma aberração.

Entro na sala chamando a atenção dos dois para mim.

-Tenho certeza que ele não é assim e não vou abandona-lo_ ele fala olhando para mim.

-Vamos?_ pergunto

-Conhece algum lugar aqui perto que não seja muito caro para almoçar?

-Almoçar?

-Sim, agora é quase uma e meia da tarde_ ele explica com um sorriso idiota no rosto.

-Ah... Conheço um lugar não muito longe e nem muito caro_ falo meio atrapalhado.

-Ok, vamos?

Assenti com a cabeça e o segui, ele parou em frente a porta e estendeu a mão para mim, olhei para minha mãe e segurei a mão estendia, sorri e saímos.

 


Notas Finais


Oi dnv ehueuehueue
Foi esse hoje. Até o proximo e desculpa qualquer erro, amo vcs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...