História Amy Robot & Crazy Anny - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's, Jeff The Killer, Lendas Urbanas, Slender (Slender Man)
Personagens Foxy the Pirate, Golden Freddy, Jeff, Nightmare Foxy, Personagens Originais, Shadow Bonnie
Tags Creepypasta
Visualizações 61
Palavras 421
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey hey genteeee, eu andei mais sumida que o planejado, além de ter mudado pra cacete, meus gostos mudaram, meus vícios, minha escrita, TUDO.

Tô meio enferrujada com fanfic, mas vou tentar, desculpa se não agradar a alguém ou algo assim, ou acharem que copiei de alguém, eu criei essa história faz tempo, numa comunidade minha do Amino (Survive This Creepypasta, procurem la :3), agora estou apenas detalhando mais.

Espero que gostem, então vamo pra fanfic!

Capítulo 1 - Aos 8 anos, as primeiras mudanças


Fanfic / Fanfiction Amy Robot & Crazy Anny - Capítulo 1 - Aos 8 anos, as primeiras mudanças

Acordei com um estouro, provavelmente meu pai em seu laboratório. Me levantei, apressada, indo em direção a saida do quarto, estava de pijama, uma camiseta de mangalonga e uma calça, ambos rosa e com estampas de morangos, meu cabelo ruivo comprido estava todo embaraçado, mas não me importei, estava preocupada com meu pai, vai que acontece algo com ele...? Ele é a unica familia que me resta desde que mamãe sumiu...

Antes de ir para seu escritório passei em seu quarto e vi... Uma mulher... Ao menos achava ser uma mulher. Ela tinha algo como uma cauda se sereia feita de cabos de algum tipo de maquina, seu tronco parecia ser todo metálico e seu "cabelo" era feito do rio material que a cauda. Olhei para o chão, onde havia um buraco... Percebi que que havia saído do escritório do meu pai, mais especificamente da entrada secreta do laboratório.

A "mulher" se virou para mim e me encarou por um minuto, que para mim mais pareceu um século, estava óbvio que eu estava apavorada, ainda mais que o meu pai estava em seus braços, desmaiado.

— Fi-filha... — Murmurou ela, como se não falasse a anos. Esqueci de falar, a mandíbula e a boca dela em si também eram robóticas.

— Não... Mãe???!!?!?!? — Gritei tão alto quanto pude, ela virou um robô? Meu pai fez isso com ela? Ela fez isso com ela mesma? Minha cabeça estava a mil, repleta de perguntas. Quando olhei para meu pai, ele piscou os olhos, dizendo que estava acordado. A mulher que dizia ser minha mãe avançou sobre mim, derrubando meu pai. 

Soltei um grito agonizante quando as garras, que eu não havia percebido que ela tinha, cortaram meu braço, e continuei gritando, lágrimas escorriam pelo meu rosto e eu toquei o pedaço que havia sobrado, saia muito sangue, olhei o chão e vi uma poça de sangue. Eu estava em estado de choque, parei de gritar, mas as lágrimas não pararam.

Até que o meu pai me abraçou, me tirando do transe hipnótico do sangue, retribuí o abraço olhando para trás dele, curiosa, apesar do gigantesco ferimento, com o que havia acontecido com a mulher. Ela estava de bruços sobre a borda do buraco que ela mesma havia cuidado, com um buraco na nuca, no exato lugar onde meu pai sempre colocava o núcleo de energia de suas criações.

Ele me levou correndo para o banheiro, onde tem um kit de primeiros socorros, ao menos para estancar o sangramento, depois me levou ao laboratório, onde acontecem as primeiras mudanças...


Notas Finais


E aí? Gostaram? Espero que sim, se tiver qualquer erro, podem me avisar.

Críticas? Agradeço, críticas nos ajudam a fazer cada vez melhor, porém as críticas construtivas.

Esse capítulo ficou meio curto na minha opinião, mas essa será a média. Minha criatividade não é infinita.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...