História An life in SPORT! (adaptação) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Lucy Hale, Sasha Pieterse, Shay Mitchell, Troian Bellisario
Tags Emison, Emison G!p
Exibições 265
Palavras 2.614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Luta, Orange, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Foi mal a demora galera.
Este é o meu Capítulo favorito da fic original, tentei fazer o melhor possível na minha versão, mas enfim irei esperar vocês decidirem o que acharam. Espero ter ido bem, até porque nesse Capítulo fugiu um pouco da original, pois tive que adaptar para esta versão.

Capítulo 5 - Capítulo 5


Pov Emily

 

Depois da pequena confusão que aconteceu na entrada, Alisson não desgrudava os olhos de mim há essas horas Hanna já não estava mais ao meu lado, eu estava encostada no balcão do bar improvisado onde a cada minuto o barman enchia meu copo cada vez que ele via vazio, fazendo com que eu não notasse quantos copos eu já havia bebido e ele acabou conseguindo isso, pois havia perdido a conta.

 Notei Alisson vindo em minha direção, era só o que faltava esta agora arrumar confusão agora. Eu estava preparando uma bela de uma resposta, quando ela se aproxima o suficiente para alcançar a minha mão e entrelaça-la a sua e puxa-la para si, fazendo com que meu corpo desencostasse automaticamente de onde ele estava e voltou a andar para o meio da pista e fazendo com que meu corpo automaticamente lhe acompanhasse.

Já fazia duas horas ou até mais que estávamos na pista de dança junto com uma quantidade de pessoas grande e durante esse período não tinha encontrado Hanna, ou melhor, nem estava lhe procurando para ser sincera. Alisson acompanhava o ritmo da batida que o DJ tocava na festa, seu corpo estava tão grudado ao meu que a cada rebolada que ela dava eu poderia me sentir excitada e como eu estava gostando daquela sessão minhas mãos estavam em sua cintura a segurando com firmeza a cada ritmo daquela musica, estávamos em nossa bolha quando sinto uma mão em meu ombro, me fazendo virar e dando de cara a uma morena, magra com uma tonalidade de pelo um pouco mais clara do que eu.

- Vamos Ali, esta na hora do shot de tequila, já tem uma boa galera lá perto do carro do Noel – disse olhando para Alisson. Estávamos então concentradas que não havíamos notado que aquelas pessoas que estavam dançando ao som do DJ estavam começando a sair da pista e ir em direção ao um carro estacionado perto da entrada.

- Nossa Spencer. Eu nem percebi que o pessoal já estava saindo da pista – falou olhando pra mim e depois para a sua amiga que lhe encarou com um sorriso malicioso.

- Vamos Ali, traga ela com você – disse seguindo em direção que as pessoas iam.

- Vem vamos Emily, ira começar a diversão – falou me puxando pela mão para direção da multidão.

A segui em direção a multidão pude notar uma caminhonete estacionada com a caçamba virada com as luzes ligada para a multidão e duas meninas em cima dela. Spencer uma das garotas que foi chamar Alisson também estava em cima da caçamba e ela segurava um microfone juntamente com uma garrafa de tequila, não somente ela, como também as duas outras garotas, mas elas seguravam duas garrafas em cada mão.

- GALERA DE RAVENSWOOD AGORA VAI COMEÇAR A VERDADEIRA FESTA. VAMOS FAZER COM QUE AS NOSSAS FÉRIAS TENHAM SENTIDO – disse levantando a garrafa. Todos começaram a gritar e levantaram seus copos. – IREMOS COMEÇAR O SHOT, QUEM SERÁ O PRIMEIRO? - disse. O DJ coloca uma musica de suspense para entrar na brincadeira, todos comemoram. A primeira pessoa a subir na caçamba foi a Hanna, não duvidava que ela fosse, mas não iria acreditar que ela seria a primeira a participar dessa loucura. Iria fazer um tempo que a brincadeira estava rolando, já tinham esvaziado três garrafas de tequila, todos estavam se divertindo e foi quando Cece apareceu na caçamba que todos gritaram.

- Eu sou a próxima, mas irei fazendo um brinde – falou.

- FALA! – falaram ao mesmo tempo as três meninas. Elas já estavam bem bêbadas, pois enquanto as pessoas subiam para receber uma grande bolada de tequila elas bebiam também.

- Eu quero brindar ao respeito, sexo, aos DiLaurentis por fazer esta festa e a RAVENSWOOD!!! – disse, recendo uma boa quantidade do liquido da garrafa em sua boca. Todos gritaram e levantaram seus copos.

Eu já não me sentia confortável com aquela brincadeira então comecei a sair do meio da multidão e ir em direção à outra saída onde estava um segurança liberando a entrada e a saída da galera. Quando estava quase chegando à saída, sinto um braço segurar o meu fazendo com que eu olhasse para trás e vendo uma Alisson sorrindo maliciosamente.

- Onde você pensa que vai? Nós ainda não dançamos nossa musica. – disse me puxando novamente para a pista de dança. Agora estávamos dançando frente a frente, seus olhos azuis estávamos em uma tonalidade escura, eu não sabia exatamente se era por causa do álcool ou luxuria ou os dois juntos. Alisson passou seus braços em volta do meu pescoço e aperto seu corpo mais ao meu. Neste momento me veio Paige.

- Alisson, você esta bêbada e então acho melhor eu te levar para casa – disse tentando me separar dela que a cada tentativa me tentava manter mais perto do seu corpo.

- Emily, eu quero você e irá ser agora. Para de tentar fugir, eu sei que você quer também. Vem vamos sair daqui. – disse me puxando em direção oposta onde todos estavam não sabia exatamente onde estávamos indo, pois Alisson começou a caminhar entre a mata, mas era um caminho onde ela parecia saber exatamente aonde ir, não demorou muito para que encontrássemos um carro um pouco afastado da festa. Alisson abre a porta de trás do carro e me joga dentro dele e logo em seguida entra também já subindo em meu corpo e atacando meu pescoço com vontade e colocando suas mãos por de baixo da minha camiseta e arranhando minha barriga, eu não tive nem tempo para pensar. Quando tomei consciência do que estava acontecendo, já estava entrando em estado de alerta.

Tentei tira-la de cima de mim, mas a cada chupada no meu pescoço foi ficando mais difícil de tira-la de cima de mim. Paige não merecia isso, mas Alisson estava me tirando à consciência que eu tinha que parecia ser errado. Foi quando Alisson se sentou no meu membro e rebolou com vontade que eu não aguentei me segurar e agarrei a sua cintura com força a forçando ter mais contato com meu membro, pude a sentir tão molhada por cima do jeans que aquilo acabou me causando mais excitação.  Levantei meu corpo, me sentando no banco Alisson não perdeu tempo e encaixou suas pernas em cada lado do meu corpo fazendo nosso atrito por cima da roupa ser maior, enquanto ela atacava meu pescoço e arranhava minhas costas com vontade eu fui tirando minha camiseta, ficando somente de calça e top.

Não perdi mais tempo e logo procurei a sua boca e como aquela boca era maciça e estava faminta para um beijo feroz e foi o que eu fiz, minha língua adentrou na sua boca sem pedir licença a fazendo gemer de aprovação quando minha língua encontrou a sua, a chupei com força a fazendo soltar outro gemido e começar a rebolar em meu colo lentamente, me fazendo fincar as minhas unhas na por cima do tecido que ainda cobria seu corpo, o que me fez soltar um suspiro pelo contato inesperado. Mas logo trato de me livra do seu vestido e joga-lo em algum canto do quarto. Deito-lhe sobre o estofado do banco e me deitando sobre seu corpo, Alisson desliza a suas duas mãos que estão em minhas costas e vai em direção ao botão da minha calça e a desabotoa e não perde tempo de enfiar uma das suas mãos dentro da minha calça e apertar meu membro, me fazendo gemer pelo contato.

- Ooh ... Emily, como você é grossa – falou. Direciono uma das minhas mãos até o centro da sua calcinha por cima do tecido a fazendo gemer e a sentindo molhada.

- Como você esta molhada Alisson – disse não demoro muito para adentrar minha mão por dentro do seu pano e começar a estimular seu clitóris lentamente e a vendo soltar um suspiro longo pelo contato. – Irei te fazer gozar três vezes hoje Alisson, para você aprender a não ser uma vadia – disse, aumentando os estímulos e lhe fazendo gemer um pouco mais alto para abafar seus gemidos beijo a sua boca com vontade e com isso aumento mais a velocidade do contato a mesma como ainda estava com as mãos dentro da minha calça aperto meu membro com certa força suportável me fazendo gemer pelo contato, deslizo minha boca da sua boca até seu pescoço e o ataco com vontade a fazendo gemer mais alto ao chupar o seu ponto sensível no pescoço.

Enfio um dedo em sua boceta para que possa se acostumar com a invasão e logo enfio outro dedo movimentando lentamente para não a machucar.

- Emily, mais rápido e vamos logo você não disse que não iria me fazer gozar, pois não sou virgem. – fala em um folego só. Então tá vadia, enfio mais outro dedo e aumento as estocadas a fazendo a gemer com aprovação, não demora muito para ela gozar e lambuzar os meus dedos com o seu gozo. Tiro a minha mão de dentro da sua calcinha e os chupo com vontade experimentando o seu gozo e que por sinal era gostoso.

- Nossa que delicia Alisson. – disse. Alisson me empurra fazendo me sentar no banco e começa a tirar a sua calcinha e tira o seu salto e logo em seguida seu sutiã e depois vem em minha direção e ataca minha boca em um beijo feroz, com uma das suas mãos ela coloca dentro da minha calça novamente e aperta meu membro agora tão duro quanto antes estava. Gemo em sua boca, logo começo a me livrar do meu tênis e logo a calça o acompanha.

- Ooh meu Deus! Você é bem grossa Emily. – disse Alisson, olhando meu membro marcado pela cueca branca, ela abaixa a cueca fazendo com que meu pênis sai de dentro do tecido e ela logo o abocanha com vontade fazendo com que eu gemo pela sua rapidez e a sua boca quente Alisson chupa com tanto louvor que me fazer jogar a cabeça para trás e fechar os olhos e só pensar no quanto àquela boca pequena é boca no que faz. Enquanto a loira da sua total atenção ao meu pênis aproveito e tiro meu top e o jogo no banco da frente do carro, volto a olhar para a loira e a vejo dar sua atenção a cabeça, seguro o seu cabelo em um rabo de cavalo e tendo total visão da sua boca em contato ao meu pau, quando a sua mão vai até a base do meu pênis o estimulando mais rápido e a sua boca fica somente na cabeça, não demoro muito para soltar jatos entre da sua boca.

- Isso ai Alisson, você chupa muito bem, mas vamos ver se eu consigo ser melhor que você – disse sorrindo e a fazendo deitar novamente no banco do carro.

- Gostou né Emily? Eu ainda estou esperando gozar mais duas vez... –sua fala foi cortada com três dedos lhe invadindo, como ela já estava molhada facilitou a invasão. Alisson solta um gemido alto, abocanho um dos seus seios e o sugo com força a fazendo gemer mais alto sinto a suas mãos em minha cabeça e fazendo um carinho de aprovação, aumento as estocadas dos dedos em sua boceta e lhe atingindo seu ponto esponjoso a fazendo se revirar por de baixo de mim, quando pude sentir suas paredes da boceta se apertarem sabia que estava vindo seu segundo orgasmo, mas parei a movimentação o que lhe causou raiva.

- O que esta fazendo idiota? Eu iria gozar – disse, não lhe respondo apenas beijo sua barriga e a mordo com certa força a fazer arfa, desço mais um pouco até seus lábios molhados pela excitação abro o seus grandes lábios e assopro o local a fazendo deixar seu lado furioso e voltar ao seu lado prazeroso.

- Você quer gozar, Alisson? – perguntei assoprando novamente o local sensível do seu corpo, pude sentir suas pernas se fecharem lentamente a seguro com as mãos e logo abocanho a sua boceta e a sugo com força a fazendo delirar de prazer, brinco com seu clitóris e o chupo com mais força a fazendo arfa e gemer mais alto, sinto a suas mãos irem de encontro ao meu cabelo e fazendo meu rosto a forçar mais contato com a sua boceta o que não demoro a dar tentação total e acaba não demorando muito para ela gozar novamente em minha boca e eu sugar todo seu gozo com prazer. 

Escalo seu corpo não demoro muito, pois meu corpo precisava se aliviar novamente, mas dessa vez não iria esperar ela se recuperar de um orgasmo, mas me lembro de que não tinha trago camisinha.

- Alisson sei que é idiota perguntar, mas você tem camisinha nesse carro? Não estava pensando em transar hoje, então ... – falei. Ela somente apontou para o porta luvas do carro, fui até lá e encontrei uma caixa de camisinhas, peguei qualquer uma, logo rasguei o pacote e coloquei no meu pênis e voltei a deitar sobre seu corpo. – Preparada para gozar mais uma vez? – perguntei maliciosa.

- Vai logo com isso Em.... – não deixei termina de falar e logo enfiei meu pau todo na sua boceta, eu sabia que aquilo tinha doído, mas estava ficando brava da forma que ela falava comigo, não esperei ela se recuperar da invasão do meu pênis na sua boceta e logo comecei a me movimentar rápido. Alisson era tão apertada que eu me sentia transando com uma virgem, era como se a sua boceta estivesse esmagando meu pau todo e isso fazendo com que eu quisesse mais e muito mais, aumentei a velocidade das estocada a fazendo gemer mais alto e eu não ficando atrás, não demorou muito para gozarmos juntas. Por causa da boceta apertada de Alisson fazendo meu pênis ficar mais sensível e liberando o gozo na camisinha. Deito sobre seu corpo descansando por causa da maratona de sexo. Tiro meu pênis de dentro da sua boceta, ela reclama pelo vazio dentro de si, começo a vestir minhas roupas, jogo a camisinha pela janela do carro. Alisson continua deitada no banco de trás do carro, me encarando e vendo eu vestir minha roupa.

- Acho que acabou a festa, tenho que ir. Você ira ficar bem sozinha aqui? – pergunto para a loira.

- Sua carona já foi faz tempo, eu vi a Hanna saindo com o Lucas e eles não foram com o carro do Lucas e sim com o seu. – disse a loira se levantando e começando a vestir a sua roupa. – Eu te levo em casa, não tem problema, fica a poucas quadras da minha. – disse terminando de se vestir e pulando para o banco do motorista, pegando a chave que ficava no para-sol do carro, dou de ombros e vou para o banco de passageiro. Já que Hanna foi embora com o carro não teria como eu voltar andando mesmo. Então irei aceitar a carona, coloco o cinto e a Alisson sai com o carro, pude ver que onde seu carro estava era o único lugar que aparentemente ninguém saberia onde o encontrar somente a dona mesmo, pois ficava escondido dentro de uma pequena estrada na floresta e que era passando por despercebido por outras pessoas, mas não por Alisson.

Fomos em silêncio até minha casa, não tinha o que falarmos havia sido somente um sexo casual como qualquer outro sexo. Assim que chegamos na porta da minha casa, Alisson parou o carro e nem desligou o veículo. Tiro o cinto e saio do carro, apenas bato a porta e Alisson já parte com o carro. Sem falar nada.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...