História An Unexpected Journey - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Como Treinar o seu Dragão, Enrolados, Frozen - Uma Aventura Congelante, Valente
Personagens Angus, Anna, Banguela, Bicho-papão (Pitch Black), Elsa, Flynn Rider, Grand Pabbie, Jack Frost, Kristoff, Mérida, Pascal, Rainha Elinor, Rapunzel, Rei Fergus, Soluço
Tags A Origem Dos Guardiões, Como Treinar O Seu Dragão, Enrolados, Jelsa, Mericcup, Valente
Visualizações 40
Palavras 1.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii gente! Vai ter um encontro da nossa ruiva com o moreno nesse cap, espero que gostem! Nos vemos lá em baixo :3

Capítulo 5 - A Distinct Princess


Fanfic / Fanfiction An Unexpected Journey - Capítulo 5 - A Distinct Princess

-Não acredito! Ele veio!


-Soluço?! - Elsa avista Soluço de longe e fala em um tom um pouco alto. O moreno ouve, vira-se, vê a velha amiga e segue em sua direção em passos rápidos. Em seguida, os dois se abraçam.


-Elsa! Nossa como você cresceu, a última vez que eu te vi, você era…

-Uma criança?!! - Elsa completa, dando uma risada.

-Uhmm... - Fala Soluço, pensativo. - É! - O moreno também ri.

-Mas me conta, como vai o seu pai? Ele não veio?!

-É uma história meio complicada, mais resumindo tudo, é que.... ele se foi - Soluço fala cabisbaixo.

-Me desculpe, Soluço, eu não sabia, sinto muito! Seu pai foi um grande homem - Elsa diz, com os olhos marejados.

-O meu pai e a minha mãe, bom.....também....também... morreram. - Elsa sentiu uma lágrima escorrer pelo seu rosto - Eles foram fazer uma viagem e o navio acabou naufragando.


Soluço e Elsa, acabaram conversando um pouco sobre o assunto, mas resolveram parar, porque chegaram a conclusão de que aquilo não era coisa para se falar durante uma festa. Ambos decidiram botar o papo em dia depois, já que haveria bastante tempo e por aquele momento resolveram se divertir.



-Mas e então? Quer dançar comigo? - O moreno pergunta.

-Não, você sabe que sou uma péssima dançarina! - Elsa ri e replica - Mas talvez a Merida queira!

-Quem é ela? A princesa de DunBroch?

-Sim! - Elsa exclama, contente.

-Aonde ela está? Até me esqueci - Soluço ri - Ah! é aquela?! - Soluço aponta discretamente para Merida sentada em uma cadeira.

-Aquela mesma! - Elsa diz, dando uma risada meio irônica. 


Em seguida, Soluço despediu-se de Elsa e seguiu em direção a Merida até chegar aonde a mesma estava.


-Olá, você deve ser a princesa Merida, certo?! - O moreno pergunta com um pequeno sorriso.

-Sim, sou eu. - Merida responde ainda meio desconfiada.

-É um prazer conhecê-la, meu nome é Soluço Horrendous Haddock III, nome comprido, eu sei. - Soluço ri, tentando parecer simpático.

-Nossa, bem comprido mesmo! - A ruiva também ri - É um prazer conhecê-lo também.

-Eh……então você gostaria de dançar comigo? - O moreno diz, meio tímido.

-Eh…claro! Eu adoraria dançar com você! - Merida responde meio surpresa. Ela nunca tinha sido uma bela dançarina, mas havia aprendido a dançar graças à sua querida mãe perfeccionista.


De repente um dos empregados posicionou-se no centro do salão, anunciando logo em seguida a demonstração de arco e flecha de Merida que ela havia combinado em fazer


-Ah, desculpe! A dança pode ficar para outra hora? - Merida pergunta.

-Claro! - Soluço responde, sem hesitar.


Merida posicionou-se, respirou fundo, mirou, atirou e acertou o primeiro, o segundo e o terceiro alvo, todos eles com um acerto perfeito. Soluço ficou completamente de boca aberta ao ver aquilo. Ele não entendia como uma princesa atirava de arco e flecha e fazia tal coisa tão bem, até melhor do que muitos guerreiros, sem errar nenhum alvo.

Todos na parte de fora do castelo, aplaudiram a ruiva com orgulho. Em seguida, Merida retornou ao lugar onde se encontrava antes, aproximando-se de Soluço novamente.


-Uaaauuu!! Nossa....você foi....foi...incrível! Parabéns! Eu nunca vi uma princesa atirar de arco e flecha e ainda mais fazer isso tão bem! - O moreno diz, ainda em êxtase com o acontecimento.

-Obrigada! - Merida diz e sorri, ficando meio corada - Foi meu pai que me ensinou a atirar. Enquanto isso minha mãe detestava, porque ela dizia que eu tinha que ser uma princesa e que uma princesa não devia usar armas. Nunca fui de acordo com o que ela dizia, sempre quis escolher o que ia fazer da minha vida, não queria ser o que estava predestinada a ser, queria ser eu mesma, mesmo que precisasse ser diferente de outras princesas e ir contra algumas tradições do meu reino.

-Nossa eu…eu…acho isso fantástico! Nunca conheci uma princesa assim! - Soluço diz completamente encantado - Mas, bom, retornando ao assunto, então……vamos dançar? - Diz o moreno estendendo-lhe a mão.

-Ah…perdoe-me! Eu falo demais! Claro! Vamos dançar! - Merida diz, segurando a mão do novo conhecido logo em seguida.


Merida e Soluço dançaram um bom tempo, até que pararam e começaram a conversar


-Então…quer dizer que a senhorita é das distantes terras escocesas de DunBroch?! - O moreno pergunta, simpático.

-Sim! E você de onde é? - Merida diz, intrigada. Afinal o rapaz não havia falado nada à respeito dele a não ser seu nome.

-Sou de Berk, uma grande ilha no meio do oceano, lá treinamos dragões, os quais, algum tempo atrás, nós caçávamos.

-Mas, espera aí! Seu pai é o Stoico o Imenso?! - Merida pergunta surpresa.

-Sim, por que? - O moreno afirma e questiona.

-Meu Deus! Não acredito! Meu pai se chama Fergus, ele e seu pai eram.....eram.....

-Amigos de infância?! - Soluço completa - Eram sim! Meu pai sempre falou do seu pai para mim!

-E o meu pai do seu! - Merida ri - Mas como é que eles nunca mais tiveram contato? - Merida fica confusa.

-Bom, meu pai disse que os pais do seu pai, no caso, seus avós, tiveram que se mudar para outro lugar quando seu pai era adolescente, devido a isso meu pai perdeu o contato com o seu, e então eles nunca mais souberam um do outro!

-Ah…é verdade! Agora entendi, mas e então…seu pai veio? Onde ele está? - A ruiva pergunta animada.

-Bom…não……o problema é que… ele…morreu. - Soluço diz, cabisbaixo.

-Me desculpe! Sinto muito, gostaria muito de ter conhecido ele, tenho certeza de que ele foi um grande homem!

-Foi sim, obrigada!

-Bom, mas é melhor a gente sair desse assunto. Você disse que tem dragões em Berk?! - A ruiva diz, novamente confusa.

-Sim, muitos! Um deles está aqui comigo, é o meu dragão, ele se chama Banguela. Gostaria de vê-lo?!

-Claro!


Soluço levou Merida até um lugar especial que Banguela tinha ficado, era uma espécie de quarto para dragões. Merida observou as paredes de pedra, enquanto ia descendo as grandes escadas que os levavam para onde se encontrava o misterioso dragão, estas a faziam lembrar de seu castelo. 

Chegando ao local, Merida observou, que o mesmo parecia ser bem rústico, com algumas almofadas, e um enorme travesseiro, que parecia ser onde o dragão dormia. Ela observou tanto que nem reparou o dragão a olhando intensamente nos olhos. Sentiu medo ao aproximar a mão para encostar em sua cabeça, mas logo foi ganhando mais confiança, e não demorou muito tempo para Banguela já estar completamente entregado aos afagos de Merida


-É, parece que ele gostou de você! E parece que você daria uma ótima treinadora de dragões, pegou o jeito rapidinho! - Soluço elogia a ruiva, ela ri e fica um pouco corada.

-É mesmo! Nossa, ele é muito lindo e fofo! Gostei dele!

-Que bom! Acho que você também deve ter um certo dom para isso, porque geralmente, quando conto isso para pessoas quem não sabem que treino dragões, elas saem correndo sem nem me deixar explicar o quanto eles são fascinantes e dóceis! - Soluço explica e Merida sorri. Tanto ele quanto a ruiva estavam fascinados. Merida por conta de nunca achar que dragões realmente existissem e que tais criaturas não passavam de lendas. E Soluço por nunca ter conhecido uma garota como Merida, tão determinada e corajosa. Ambos não sabiam direito o que sentiam, era como se finalmente cada um tivesse achado alguém que o compreendia perfeitamente.



Notas Finais


Eu fiquei em dúvida entre vários gifs da Merida atirando de arco e flecha pra por no cap porque todos são maravilhosos, hehe. Acabei escolhendo esse. Mas enfim, espero que tenham gostado, beijos de Chantilly♥😜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...