História An Unexpected Love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Caleb Rivers, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh
Tags Aria Montgomery, Bissexuais, Gay, Hannily, Lesbicas, Pretty Little Liars, Sparia, Spencer Hastings
Exibições 138
Palavras 2.323
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gente mil desculpas pela demora. Eu estava sem ideias para o capítulo, até que ouvi umas músicas e minha criatividade voltou. Espero que gostem. <3

Capítulo 4 - I'm special to you?


P.O.V Narrador

 Depois de todo o ocorrido da semana passada, hoje Spencer e Aria, finalmente, iriam reunir o seu grupo para ensaiar para o trabalho. Ambas estavam ansiosas e esperavam isso desde o momento que combinaram. Esse trabalho seria importante, pois exploraria mais ainda o relacionamento das duas.

 

 Como já havia passado uma semana desde os acontecimentos com a família de Aria, ela ainda estava um pouco triste, mas era quase imperceptível. A baixinha já estava bem melhor em comparação ao primeiro e segundo dia do seu luto. Alguém que a ajudou bastante foi Spencer que sempre dava conselhos e tirava risadas de Aria.

 

 Isso tudo fez com a ligação entre as duas ficassem melhor, mas isso não quer dizer que elas viraram melhores amigas e sim conhecidas, e hoje elas poderiam levar esse relacionamento a outro patamar, como a amizade ou algo além disso.

 

P.O.V Spencer Hastings

 

 Hoje acordei - milagrosamente - disposta, mas o motivo eu já sabia, eu finalmente iria ensaiar o trabalho com Aria e, infelizmente, alguns meninos. Queria tanto que fosse só eu e ela, mas como todo mundo já sabe: querer não é poder. Tomei um banho e vesti uma roupa casual para ir à escola. Peguei meu celular e o meu fone de ouvido, desci as escadas rapidamente, passei pela sala e fui até a saída para ir à escola.

 

 Fazia aproximadamente 40 segundos que eu já estava andando quando um carro foi parando lentamente do meu lado, na mesma hora eu me virei, no momento fiquei com medo, pois o carro estava com os vidros levantados e não era capaz de ver quem estava dentro dele, mas rapidamente a pessoa que estava no sedan abaixou a janela e pude ver que era Aria.

 - Oi, Spencer.

 - Olá! – Meu tom de voz parecia com a de alguém assustada.

 - Assustei você? – Ela me questionou.

 - Um pouquinho. – retomei o fôlego – Nunca devemos confiar em alguém que aparece de carro do meu lado com as janelas fechadas. – Dei uma risadinha para amenizar o suspense do momento.

 - Desculpa, não foi minha intenção.

 - Não, não tem nada de mais.

 - Mudando de assunto, você quer uma carona para a escola?

 - Se você me oferece, eu aceito.

 Entrei no carro e me acomodei no banco. Em boa parte do caminho para a escola nós ficamos conversando sobre assuntos variados. Depois de um rápido tempinho, nós chegamos ao nosso destino.

 Aria me deixou na frente da escola, disse que iria estacionar o carro e que depois me encontraria dentro da sala de aula.

 

P.O.V Aria Montgomery

 

Hoje seria o dia no qual eu tanto aguardava, pelo menos desde a última semana. Finalmente eu e a Spencer vamos ensaiar para o trabalho, ah, e também dois meninos da nossa sala.

 Acordei com o barulho do despertador no meu ouvido. Abri os olhos e passei um bom tempo observando o nada, até que eu tive a coragem de sair daquela cama. Fui ao banheiro, fiz minha higiene matinal e coloquei uma roupa normal para ir à escola. Sai do meu quarto, desci as escadas, fui em direção à garagem, entrei no carro e parti até a escola.

 Estava na metade do trajeto quando encontrei uma garota caminhando na rua sozinha, andei mais um pouco para ver quem era e percebi que era Spencer. Na mesma hora decidi dar carona a ela. Fui parando o carro lentamente do lado dela até que ela parou. A morena ficou olhando para o carro como se estivesse com medo de que algo de ruim acontecesse, mas logo abaixei o vidro do carro e ela pôde me ver.

 Trocamos algumas palavras e a pedi permissão para dar-lhe uma carona, ela aceitou e logo entrou no carro.

 Quando nós chegamos à escola falei para ela que iria estacionar o carro e que ela poderia me esperar dentro da sala de aula, e assim se fez.

 Depois de ter encontrado um bom lugar para estacionar fui em direção à sala, e lá estava Spencer, ela tinha me reservado um lugar do lado dela, como sempre fazia ultimamente. Sentei e falei poucas palavras até o professor chegar e começar a ministrar a aula.                        

Após todas as aulas terem acabado fui embora rapidamente – ainda tinha que arrumar algumas coisas a respeito do trabalho – e com isso me esqueci de dar carona para Spencer, para que ela voltasse para casa. Chegando em casa, fui para o meu quarto e peguei meu celular, quando fui checar as mensagens pude ver umas 500 mensagens da Spencer me dizendo:

MENSAGEM ON

"Você não ia vir me buscar?"

"Oiiii!!!"

"Obrigado por ter me dado o bolo."

"Spencer para Aria, Spencer para Aria. Algum sinal de vida?!"

 

MENSAGEM OFF

 

 Na mesma hora em que vi tais mensagens, disquei o numero dela no celular e liguei. Em menos de 10 segundos ela atende.

 

LIGAÇÃO ON

 

 - Oi, Spencer!

 - Oi, Senhorita que me deu o bolo. – Deu para perceber sua risada sarcástica ao terminar de falar.

 - Sério, mil desculpas. Não era minha intenção. Eu precisava “ajeitar” algumas coisas a respeito do trabalho e tanto é que me esqueci de te dar carona de volta.

 - Não tem problema. Só estava brincando.

 - Mesmo assim, me desculpas, de novo, por ter te esquecido, é sério. O que eu faço pra te recompensar?

 - Ei, calma, era só uma carona, não o fim do mundo. – ela riu – Não precisa fazer nada. Já estou em casa, deitada na cama, acessando o meu computador. Pra mim isso já é ótimo.

 - Nossa, você é rápida, hein?

 - Que isso, não exagera. A escola é pertinho daqui. Eu vim em um piscar de olhos.

 - Ok. – dei uma breve pausa – Não se esqueça de hoje aqui em casa às 2:00 da tarde.

 - Já estou me arrumando já que faltam 40 minutos.

 - Ahh, nossa, é verdade. Estou te esperando.

 - Daqui a pouco estou aí. Tchau.

 - Tchau.

 

LIGAÇÃO OFF

 

P.O.V Spencer Hastings

 Aria tinha combinado comigo que depois da aula me daria carona, mas eu acho que ela esqueceu. Fiquei 5 minutos esperando ela na escadaria da escola e nada dela chegar. Mandei mensagem e ela não respondia. Fiquei um pouco preocupada, mas logo imaginei que ela estaria arrumando coisas relacionadas ao teatro. Depois de um bom tempo de espera levantei da escada e fui a pé até em casa.

 O trajeto foi rápido, até porque é perto a distancia entre minha casa e a escola – cerca de 1km. Quando cheguei fui para o meu quarto, peguei o notebook e deitei na cama. Poucos minutos após eu ter chegado, meu telefone começa a tocar, na mesma hora atendi e pude perceber que era Aria.

 A conversa foi rápida, ela estava sempre pedindo desculpas e eu disse que não precisava. Depois do nosso pequeno “bate-papo”, me levantei da cama, coloquei o notebook em cima do meu criado-mudo e fui tomar banho.

 Depois de um banho de água quente, coloquei uma roupa casual, com cores neutras e não muito chamativas. Peguei meu celular e uma mochila com algumas coisas da escola e o notebook. Desci a escada da casa e fui em direção à garagem. Peguei minha bicicleta que pouco usava e fui até a casa de Aria.

 O caminho foi tranquilo, a cidade estava com pouco movimento, como sempre. Até chegar à casa da baixinha foi consideravelmente rápido, cerca de 10 minutos.

 Fui me aproximando com a bicicleta e desci, a encostei na calçada da casa e fui até a porta. Bati a companhia duas vezes e rapidamente ela veio me atender.

 - Hey!!! Veio rápido. – ela disse.

 - Pois é. Tem uma razão. – apontei para a bicicleta – ela é usada só em momentos e ocasiões especiais.

 - Então quer dizer que essa ocasião é especial?! – ela questionou.

 - Claro que sim. – dei um sorriso largo.

 - Hm. – deu uma breve pausa – Vamos entrar.

 - Espera aí. Só vou trancar a bicicleta. – ela assentiu.

 Fui até a bicicleta e a tranquei rapidamente – queria aproveitar o tempo em que os meninos não chegavam, para ficar só eu ela.

 - Vem, entra. – me puxou para dentro da casa.

 Sua casa não era enorme como a minha, mas era bem organizada e aconchegante.

 - Você quer ficar aqui ou quer ir até o meu quarto? – ela me questionou.

 - Você quem sabe.

 - Tá. Vamos lá para o meu quarto esperar os meninos. Já, já eles chegam. – Concordei com a cabeça e segui a baixinha até seu quarto.

 O quarto dela era pequeno, mas bem confortável. Fiquei analisando ele todo por um bom tempinho. Não imaginava que Aria gostava de ler livros clássicos, muitos menos que ela gostava de ler. Na escola ela sempre parecia a menina popular, com sua duas outras amiguinhas; ela parecia uma menina que não gostava de estudos e muitos menos de leitura. De primeira instância, para mim, ela era apenas mais uma daquelas meninas que só gostavam de ir às festas e “curtir a vida adoidada”. Mas isso não era verdade.

 - Aria chamando Spencer, Aria chamando Spencer. – fala me tirando dos meus pensamentos.

 - Oi, oi! – respondi imediatamente.

 - Você tava viajando, hein?!

 - Não, não. Só estava pensando, mesmo. – Ela semicerrou os olhos e fez uma cara de sapeca.

 - Posso saber no que você estava pensando?

 - Ah, nada.

 - Fala logo! – exclamou.

 - É-é... Eu nunca imaginei você... tipo... – falei gaguejando – Nunca passou pela minha cabeça que você gostava de ler livros desse gênero. Pensei até que você não gostava de ler.

 - Ahh sim. Eu gosto sim de ler, principalmente clássicos. Amo assistir filmes e séries do gênero.

 - Olha, acho que temos algo em comum. Também amo ler e assistir filmes de clássicos, principalmente baseados nas histórias de Shakespeare.

 - Hm... Prefiro os típicos clichês, algo tipo, romance policial, histórias onde o vilão fica com a mocinha. – Ela me explicou.

 - Ahh sim. – Assenti.

 - Ei, vem sentar aqui. – Me chamou indicando o lugar aonde eu deveria sentar.

 - Ok. – Me sentei na cadeira do lado da sua cama.

 Ficamos um tempinho jogando conversa fora, falando sobre assuntos do cotidiano. Após uns cinco minutinhos de conversa, ela disse que iria até a cozinha fazer alguma coisa para lanchar. Assim se fez, ela saiu do quarto e foi em direção ao andar de baixo.

 Fazia aproximadamente oito minutos que ela tinha decido. Eu estava lendo um livro que ela tinha, só para passar o tempo, até que pude ouvir um grito vindo lá de baixo. Na mesma hora sai correndo de onde estava e fui até ela. Ao chegar à cozinha vi o chão molhado de água quente e ela com um pano na mão, apertando com força e se debatendo.

 - Ei, Aria! – Gritei desesperada e fui correndo até ela.

 - Me ajuda. – Ela falou com a voz embargada – A água quente derramou e caiu um pouco na minha mão.

 - Ok. Ok. - falei enquanto averiguava o local do ferimento – Onde está o kit de primeiros socorros?

 - Está na segunda gaveta do armário da sala. – Falou já calma diante da situação.

 Fui correndo até onde ela tinha me indicado. Peguei o kit e retornei à cozinha.

 - Vem, vamos até a sala, é melhor. – Chamei-a e ela assentiu.

(...)

 - Sério. Ainda bem que você estava aqui porque se não eu já estaria no hospital. – falou rindo – Sou muito desastrada.

 - Já posso começar a trabalhar como enfermeira. – disse enquanto amarrava a faixa em sua mão.

 - Não exagera também. – deu uma risadinha.

 Ao terminar de enrolar a faixa, dei um beijinho no local do ferimento e falei:

 - Minha vó dizia que quando você dá um beijo em cima do machucado de alguém que é especial para você, ele iria sarar rapidinho. – expliquei com uma cara fofinha.

 - Eu sou especial para você? – Confirmei com a cabeça – Que fofo. Você também é muito especial para mim.

 Ela foi se aproximando de mim lentamente e me deu um forte abraço. Juro que queria ficar em seus braços o restante do dia. Passamos pouco segundos abraçadas que, para mim, pareceram minutos. Logo depois ela o desfez. Ficamos um tempo em silêncio até que ela veio até mim e me deu um beijo na bochecha, de repente.

 - E esse é para te recompensar pelo que você me fez hoje. – Fiquei vermelha de vergonha – Olha quem está com vergonha. Que coisa fofa. – falou enquanto apertava minhas bochechas.

 - Ah, que isso.

(...)

 Estávamos ainda na sala, sentadas no sofá assistindo televisão. Os meninos ainda não tinham chegado. Já os esperávamos a um bom tempo até ouvirmos o som da campainha. Aria no mesmo momento saiu em direção à porta para atender.

 - Oi! – Pude ouvir Aria falar com eles – Vamos entrar.

 Virei de costas e vi os dois vindo em minha direção. Foram chegando mais perto e me cumprimentaram. Trocamos poucas palavras, perguntamos coisas básicas sobre cada.

 Aria, enfim, nos convida a irmos ao quarto dela para discutir coisas básicas sobre o trabalho. Assim fazemos, subimos as escadas e fomos até onde ela nos convidara.

(...)

 - Então, eu tenho uma ideia para o teatro. – Fui a primeira a declarar.

 - Eu também tenho. – Falou Caleb.

 - Vamos fazer uma votação. – A baixinha se manifestou.

 - Ok. Minha proposta é fazer um teatro baseado na história do clipe de “Take me to church”. – Falei.

 - E você Caleb? – questionou Aria.

 - A nossa peça poderia ser baseada em alguma história de Shakespeare.

 - Tudo bem. Então Toby, em qual você vota? – Aria o perguntou.

 - Seria uma boa fazer um teatro baseado naquele clipe. É bem interessante e além do mais, seria algo inovador. – Todos nós assentimos.

 - Bom, eu voto em “Take me to church”. – Fiz uma cara de feliz e Caleb abaixou a cabeça – 3 a 1, acho que TMTC¹ ganhou.

 - Ebaaa! – Comemorei – TMTC¹ aqui vamos nós.

 


Notas Finais


1 - Take me to church.
Gostaram? Comentem, por favor, para que eu possa saber a opinião de vocês.
Para quem não sabe vai ter Taleb/Taloby (Toby e Caleb) na fic, então quero saber o que acham disso.
Beijo <3
- J


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...