História Anata no Fantasy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fantasy
Visualizações 3
Palavras 1.346
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção Científica, Romance e Novela, Shounen, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Yo! Esse é o primeiro Capítulo de uma LONGA história.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Azar


Dois samurais estavam batalhando como loucos em uma noite sombria. Sozinhos no meio do deserto, eles tinham apenas uma grande lua azul assistindo aquela mortal batalha. Um deles usava uma armadura vermelha, o outro vestia uma azul. Ambos estavam cansados, pois já estavam lutando sem parar a 3 horas seguidas.
Os dois começam uma intensa troca de golpes com suas espadas, um interceptando o outro em uma velocidade incrível, até que ambos pulam para trás se afastando igualmente a uma longa distância. Cansado, o vermelho decide terminar a luta com seu próximo golpe. Ele faz uma estranha posição de batalha e parte correndo para cima de seu oponente. No meio do caminho, o mesmo executou um gigantesco salto de aproximadamente 20 metros e enquanto subia, sua espada adquiria uma estranha aura vermelha.

— Hunf, finalmente perdeu a calma. Eu estive esperando isso por três intermináveis horas! – Disse o Azul, tentando recuperar o folego. Por algum motivo, sua voz era a de uma garota.

Este também faz uma posição de batalha e sua espada ganhou uma aura azul. Enquanto isso, o vermelho já começara e cair em direção ao azul. Ele levantou sua espada (agora totalmente vermelha) para cima, como se fosse esmagar seu inimigo com ela.

— Tsc, não fale como se pudesse impedir minha melhor técnica tão fácil! – Diz o vermelho, aterrissando no chão e “martelando” sua espada contra o Azul. Porem o Azul agilmente se esquivara para a esquerda fazendo com que o vermelho acertasse o chão. O impacto do golpe no chão criou uma enorme explosão no silencioso deserto.

— Você foi derrotado no momento que decidiu usar esta técnica. – O Azul aproveita a brecha aberta por seu inimigo e friamente ataca seus dois braços que estavam esticados, devido á espada que estava cravada no chão.

Os braços do Vermelho são ambos arrancados fora.

— GRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! – Gritou o vermelho, com uma expressão de infinita dor e desespero. Ele cai no chão e começa a se arrastar na tentativa de fugir.

O Azul já se preparava para finalizar a luta, quando as seguintes letras se materializaram em sua frente: [LOST CONNECTION].

02/02/2015 (Segunda Feira)
— O que?! Precisava cair logo agora?! – Aquilo era um Game, e quem estava vidrada nele era uma garota de 13 anos. A garota media 1,52 e estava vestindo o que parecia ser um uniforme escolar. 
O uniforme era formado por uma jaqueta branca, uma camisa também branca por baixo, e um laço azul amarrado entre onde deveria ser o peito dela. Ela também vestia uma saia azul e meia-calça brancas. Tinha um longo cabelo laranja que chegava quase aos seus pés, e penetrantes olhos roxos. Seu cabelo tinha duas Maria chiquinhas, e uma franja bem no meio de seu rosto.

— Fui eu que desconectei a internet. Você vai se atrasar para a escola, Luka! – Implicava Ayumi, mãe da garota.

— Poxa mãe, eu estava quase derrotando um dos lideres do império vermelho. Você tem noção de quanto tempo eu levei pra conseguir isso? Três intermináveis horas! – Retrucou Luka, exagerando um pouco.

— Isso não importa. Seu portão fecha as 13:00 horas, já são 12:50 e você ainda está aqui jogando esses jogos. Já disse que eles mechem com você. Olha só os seus olhos, estão assustadores! – Ayumi pega no pé de sua filha. Luka é extremamente sedentária e anti-social, e Ayumi sabe que se ela continuar assim nunca vai conseguir um lugar no mundo.

— Ok, ok, já estou indo, irritadinha... – Respondeu Luka, mostrando a língua enquanto tentava provocar sua mãe. Seus olhos já haviam voltado ao normal.

A garota levantou, colocou sua mochila nas costas, e foi andando lenta e silenciosamente em direção á porta. A atmosfera de alguma forma ficou pesada. Quando ela abriu a porta para sair – Luka! – Chamou a mãe.

— Huh? – Luka se virou para ver o que ela queria.

— Boa sorte! Tente virar amiga deles! – Exclamou, com um sorriso confortante. Essas palavras de alguma forma ajudaram a garota e a deixaram mais alegre.

— Vou fazer o meu melhor! – Respondeu Luka, com outro sorriso. E saiu de casa.

“Ela disse olhos assustadores? Por algum motivo eu me empolgo de mais com espadas e coisas do gênero...” Pensava ela, enquanto corria em direção á escola. Aquele era um lindo e ensolarado dia, o primeiro dia de aula do ano.

Luka é fechada para o mundo por alguns motivos. Ela não se sente “em casa, nesse mundo”. É como se ela pertencesse a outro lugar, outro universo. Graças a esse maldito sentimento, ela não consegue ter foco para seus objetivos. Por mais que pareça idiota, ela não sente interesse em conseguir um bom emprego para ter boas condições de vida. Isso fez com que ela tivesse que criar seu próprio mundo, graças aos Animes, games e fantasias do gênero. 
Se olharmos de modo realístico, ela é apenas uma preguiçosa sedentária que usa sentimentos irracionais como desculpa para sua vagabundagem. Mas esse não é o único fator que a impede de querer ir para a escola. Ela nunca teve nenhum amigo. Na verdade, quase todos são “inimigos dela”.

Apesar dos problemas, Luka se esforça para esconder sua tristeza. Isso fez com que ela adotasse uma forte personalidade, a personalidade que ela usa quando precisa encarar a sua classe. Pois no fundo ela sabe que precisa superar isso. Sua mãe não tem uma condição financeira muito boa, e seu pai desapareceu quando ela ainda era pequena. Por isso ela precisa sobreviver á escola para um dia poder ajudar sua mãe.

***

Por sorte, Luka conseguiu chegar bem encima da hora, sendo a ultima aluna ainda fora das salas. Cansada, ela foi andando devagar pelos corredores da escola a procura da sala 32, 9º Ano C.
“Espero que os alunos desse ano não sejam como os do ano passado. Caso o contrário, não vou conseguir fazer amigos.” Pensava, enquanto caminhava sozinha até ficar de cara com a porta fechada.

Aquele era o momento de descobrir o que ela queria saber. Ela abriu a porta devagar enquanto sentia um pequeno nervosismo, até dar de cara com sua turma.

— Olha só, a alienada decidiu vir! – Gritou uma garota sentada no fundo da sala.

A maioria dos alunos da sala começaram a rir junto.

“Asako...” Pensou a Ruiva, expressando desaponto. Asako media por volta de 1,63. Tinha um cabelo Verde escuro um pouco curto, Iris de cor azul escura e uma expressão de deboche muito irritante.

— Ela deve ter se cansado daquela vida medíocre que ela tinha! – Disse outra garota, dessa vez sentada no meio da sala. A garota era a maior da sala. Media 1,75, tinha um longo cabelo roxo um pouco bagunçado e duas sinistras luvas de ferro. Mas diferente de Asako, sua expressão era assustadoramente intimidante.

“Que azar...” A pequena já se lamentava após ver as duas que estavam em sua sala. – Mafumi. Você é a ultima da sala que pode chamar a vida de alguém de medíocre! – Respondeu ela.

Ao ouvirem a resposta, muitos alunos da sala vibraram, botando mais lenha na fogueira.

— Como é?! Ta afim de apanhar como no ano passado? Luka! – A garota se levantou da cadeira e deu um soco na mesa com suas luvas, amassando-a sem problemas.

— Tenta a sorte. – Respondeu, não abaixando a cabeça. Luka já se preparava para a provável briga que agora iria começar.

Tudo não durou mais de 2 segundos. De alguma forma, Mafumi levantou a sua mesa com um dos pés e rapidamente chutou ela com toda a força, lançando-a na direção da Luka. A ruiva se esquivou para a esquerda, fazendo a mesa debater contra a parede. Mas quando se deu conta, Mafumi já estava bem na sua frente. A delinqüente fecha sua mão metálica com tanta força que chegou a estalar, e lança seu pesado soco na direção do rosto da Luka. Porem, ninguém supera a velocidade dela quando seus olhos despertam. Luka fica séria, e se abaixa facilmente, esquivando-se do golpe da Mafumi. A garota então aproveita a brecha, dando um super gancho em sua inimiga.

— Gr! Vadia! – Gritou Mafumi, enquanto era lançada para longe.

“É, parece que não vou ter amigos de novo...”


Notas Finais


Eu costumo vincular certos videos como "Endings" da história. Não é obrigatório que vejam, mas eu aconselho >< Elas ajudam muito na interpretação da história.

Até o próximo capítulo!

Ending : https://www.youtube.com/watch?v=6IJBjixaaBY

- Não perca o próximo capítulo de Anata no Fantasy! "Destroçar!" Eu vou... Te destroçar!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...