História Anchor - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Amizade, Gravidez, Romace, Zayn
Visualizações 33
Palavras 1.925
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Faith Green na Capa.

Espero que gostem, eu escrevi essa fanfic a um tempo e só agora decidi postar.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Anchor - Capítulo 1 - Capítulo 1

FAITH GREEN

O elevador se abriu no 12º andar e eu sai do mesmo, apertei a campainha do apartamento 121 e logo a porta se abriu. Zayn deu espaço para mim entrar em seu apartamento e depois fechou a porta. 

— Espero que tenha um bom motivo para me ligar essa hora. Eu estava quase dormindo, Zayn.— Tirei meu casado grosso e joguei-o no sofá. Meus tênis foram parar perto da porta, quando os joguei lá. 

— Eu não ligo. E sim, eu tenho um ótimo motivo.— Ele pegou minha mão e me arrastou até a porta de seu quarto.— Eu preciso de ajuda. 

Pediu desesperado. Olhei em seus olhos e juro que os vi um pouco avermelhados. 

— Você se drogou?— Perguntei preocupada.  Zayn negou e respirou fundo, abrindo a porta logo em seguida. 

Um bebê. 

Tinha um bebê dormindo em sua cama. 

Um menino.

— Meu Deus.— Tampei a boca com as mãos.  Zayn entrou no quarto e ficou encarando o pequeno ser em sua cama. 

— Eu não sei o que fazer, Faith. Me ajuda.— Ele choramingou. Me recompus e entrei no quarto, ficando ao lado dele. 

— De quem é esse bebê?— Sussurrei.

— Meu.— Ele pôs as mãos no rosto e sentou no chão. 

— O que? Como? Como essa criança apareceu?— O enchi de perguntas. Zayn apenas negou e continuou no chão. 

O bebê começou a chorar e eu me assustei. Zayn me olhou também assustado sem saber o que fazer. 

— Vai lá.— Ele pediu nervoso. 

— O que? Eu não sei cuidar de um bebê, Malik.

— Mas você é mulher. Toda mulher tem instintos de mãe.— Ele disse apontando para o bebê. 

— É. Quando ela quer ser mãe.— Exclamei. 

Zayn grunhiu e o bebê continuava a chorar. Não muito alto, é claro. Ele deveria ter uns 2 meses de vida. Respirei fundo e fui até a cama ver o bebê. Depois de uns segundos o peguei com muito cuidado e medo, e o aninhei em meus braços até que ele foi parando de chorar. 

— Ele gostou de você.— Zayn se levantou e se aproximou com receio. 

— É um bebê, Zayn. Ele gosta de todo mundo.— Aquele era o bebê mais lindo que eu já vi. Ele estava de olhos fechados, por isso não via a cor de seus olhos. Mas seu rostinho era perfeito. Nariz fininho, as bochechas rosadinhas e enormes cílios. Seus pouquíssimos cabelos eram negros, e seu corpo tão pequeno, tão frágil. 

— É. Deve ser.

Passei alguns minutos com o bebê no colo até que ele começou a ronronar baixinho, sinal que tinha caído no sono. Pus o mesmo de volta na cama e coloquei alguns travesseiros em volta, para sua segurança. 

Saímos do quarto com cuidado para não o acordar, deixando a porta aberta e parando no corredor. 

— Mas que porra?— Olhei para o meu melhor amigo. Ele passou a mão no cabelo, um sinal de que estava nervoso e me encarou com receio.

— O deixaram na minha porta, sem mais nem menos, com uma carta dizendo que ele é meu filho e mais nada. 

— Como assim? Mais nada? Quem é tão desumano para abandonar um bebê?— Eu andava de um lado pro outro no corredor. Zayn se encostou na parede e cruzou os braços. 

— Carrie.

Me virei pra ele.

— Que? 

— Carrie. Ela é a mãe.— Ele bufou.— Aquela Australiana gostosa que eu conheci na boate no dia do aniversário do Liam.

— Eu lembro. O que ela tem na cabeça de deixar um bebê na porta de alguém? Mesmo se esse alguém for o pai irresponsável.

— Ei.— Ele se defendeu. O encarei e ele encolheu os ombros. — O que fazemos agora?

— Como eu vou saber, Zayn?— Perguntei rude. 

— Não precisa falar assim comigo.— Ele revirou os olhos. Suspirei e me encostei ao seu lado na parede. 

— Desculpa. É só que, você só tem 20 anos e mal sabe cuidar de si mesmo, não tem condições financeiras pra criar uma criança e eu tô puta com a vaca da Carrie.— Expliquei. Zayn assentiu e deitou a cabeça no meu ombro. 

— Eu não sei o que fazer, mas vamos dar um jeito nisso.— Ele me abraçou. 

— Você vai ficar com ele, não é? 

— Eu não sei.—Suspirou em meu pescoço. Me soltei de seu abraço e segurei seu rosto com minhas mãos, o fazendo me encarar. 

— Ele foi rejeitado pela mãe, Zayn. Eu sei o que é ser rejeitada, não desejaria isso pra ninguém, muito menos para um bebê tão indefeso e que não tem culpa de absolutamente nada. Eu sei que vai ser uma enorme confusão e que vai dar um baita trabalho pra cuidar dele, mas por favor, não o abandona.— Pedi. Deixei uma lágrima escorregar pela minha bochecha e ele a secou delicadamente.— Eu vou te ajudar. Eu prometo. 

Zayn assentiu e me abraçou forte. Passei meus braços pela sua cintura e deitei minha cabeça em seu ombro. 

— Não vou o abandonar. Eu prometo.— Beijou meus cabelos. 

— Qual o nome dele?

Zayn deu de ombros. Estávamos agora deitados na cama, com o bebê brincando com seus próprios pés no nosso meio. 

— Ele não tem nome, eu acho.— Zayn olhava para o filho.— No papel só diz que ele tem dois meses. 

— Ele precisa de um nome.— Eu sorri para o bebê. Ele ficou me encarando enquanto mordia o próprio pé. Os olhos dele eram castanhos, assim como os de Zayn. 

— Abelardo.— Zayn sugeriu. 

Olhei para o meu melhor amigo e ele gargalhou, chamando a atenção do bebê, que o encarou.

— Dylan.— Falei. Zayn negou. 

— Hum... ele tem cara de... Anthony. 

— Noah. 

Zayn me encarou e sorriu. 

— Noah é um belo nome. Não é, garotinho? Agradeça a tia Faith pelo seu nome não ser Abelardo.— Ele brincou com o bebê.

— Precisamos comprar coisas pra ele.

— É. Estamos com sorte, eu estava juntando dinheiro pra viajar nas férias, mas podemos usá-lo para o Noah.— Zayn deu de ombros. Se levantou da cama e foi até o guarda roupa e pegou uma caixa de sapato, voltou a se sentar na cama e abriu a caixa. Dinheiro. Muito dinheiro.

— Meu Deus. Onde seriam essas férias?— Perguntei assustada. 

— Na verdade eu iria fazer um mochilão pela Europa.— Ele deu um sorriso tímido. Sorri encantada. 

— É muito fofo da sua parte usar esse dinheiro com o Noah.

— É o meu filho.— Ele riu e pegou três bolos de dinheiro na caixa.— Acho que isso dá.

Assenti. 

— Será que ele não está com fome?— Perguntei olhando pro bebê.— Ele não para de comer o próprio pé. 

Zayn riu e guardou a caixa de volta no guarda roupa. 

— Ele veio com uma bolsa, acho que lá tem algumas coisas. Está lá na sala.

— Falando assim parece que ele é um boneco que nós compramos.— Eu ri e peguei Noah no colo. Saímos do quarto de Zayn e fomos até a sala, onde havia uma bolsa de bebê no sofá. Como eu não tinha visto aquilo? 

— Hum... Aqui tem: Fraldas, chupeta, lenços umedecidos, pomada e a mamadeira.— Ele tirou a mesma da bolsa e a balançou no ar. 

— Ótimo. Vai lá fazer.— Mandei. Zayn me olhou e negou com um sorriso.

— Eu não sei fazer, você vai fazer. Eu vou ficar com ele.— Veio em minha direção para pegar o bebê mas eu não deixei. 

— Nada disso, você é o pai, você faz a mamadeira. E se não sabe procura na internet.— Zayn bufou e pegou o celular na mesinha de centro, procurando na internet como se faz a mamadeira de um bebê. 

 

— Está pronto.— Zayn saiu da cozinha com a mamadeira pronta. 

— Já experimentou pra ver se não está muito quente?— Perguntei sentada no sofá com o Noah nos braços. 

— Eu não vou beber isso, Faith.— Ele fez uma expressão de nojo.

— Não é pra beber, idiota. Pinga um pouco na mão pra ver se não está muito quente.— Assim ele fez. 

— Está bom.— Ele sentou ao meu lado e me deu a mamadeira. Peguei e encostei o bico na boquinha de Noah, que logo abriu e começou a mamar. 

— Ele está com bastante fome.— Eu ri.— Daqui a pouco é hora de trocar a fralda. 

— Sua vez.— Zayn levantou as mãos.— Eu já fiz a mamadeira. 

— Tanto faz.— Revirei os olhos. Noah parou de mamar e eu tirei a mamadeira de sua boca, dando pro Zayn. Ergui o bebê e o coloquei deitado em meu peito e dei uns tapinhas de leve em suas costas, o fazendo arrotar. 

— Vou arrumar minha cama.— Zayn se levantou. 

— Que? 

— É, eu vou dormir no chão. Você é o Noah podem dormir na minha cama. O quarto de hóspedes está cheio de bagunças. 

Assenti e ele foi para o quarto. Olhei para o bebê em meu colo, ele me olhava com a mãozinha na boca. Que menina esse garoto tem de colocar tudo na boca. 

— Você é muito fofo, sabia? É, você é sim. A sua mãe é uma cobra, sem ofensas.— Toquei seu nariz com a ponta do meu indicador.— E o seu pai é um doido varrido. Espera só pra conhecer seus tios, são piores. A tia Faith é a mais legal de todas. 

— Para de mentir pro meu filho, Green.— Zayn apareceu na sala. — Já arrumei tudo, vem. 

Me levantei e o segui pelo corredor até seu quarto, ele tinha feito uma cama improvisada no chão ao lado da cama.

— Faith.— Zayn me chamou. Olhei para ele e o mesmo ria.— Você peidou? 

—Que? Não.— Eu neguei.— Acho que foi o seu filho. 

Zayn se aproximou e cheirou o a bunda do bebê no meu colo, ele fez uma careta e se afastou. 

— É, foi ele.— Disse com nojo.— Eca. 

Revirei os olhos e coloquei o bebê na cama. 

— Pode pegar a bolsa dele pra mim?— Pedi. Zayn saiu do quarto e logo voltou com a bolsa de Noah. Peguei uma fralda dentro dela, a pomada e o lenço umedecido. Tirei a calça preta que o bebê vestia e desabotoei seu bori branco. Abri as abas da fralda e virei o rosto pro lado com o cheiro que subiu. 

— Como é que pode? Ele só bebeu leite.— Zayn perguntou indignado. Tomei cuidado para não sujar a cama de cocô enquanto limpava o filho do meu melhor amigo. Depois de limpar bem, passei a pomada para não o deixar assado e enrolei a fralda suja, dando a para Zayn. 

— Que nojo, Faith. Que nojo.— Ele segurou pela pontinha e correu pro banheiro para jogar fora. Eu ri do seu drama. 

Noah brincava com a chupeta que eu dei pra ele. Coloquei sua fraldas corretamente e fechei seu bori, logo depois subi suas calças.    

Zayn voltou do banheiro e colocou a bolsa em cima de sua bancada do outro lado do quarto. 

Tirei a chupeta das mãozinhas de Noah e ele choramingou um pouco. Pus a chupeta no criado mudo ao lado da cama, Zayn pegou Noah e o deitou no meio da cama, enquanto eu colocava travesseiros a sua volta. O bebê foi fechando os olhinhos até dormir profundamente.

— Tenho medo de dormir com ele.— Admiti. 

— Quer dormir comigo?— Zayn perguntou e eu assenti. Deixamos Noah em completa segurança na cama e Zayn se deitou em sua cama improvisada no chão, que era grande o suficiente para caber nós dois. Apaguei as luzes e me deitei ao seu lado. Me virei de frente pra Zayn e ele me encarou sorrindo. 

— Obrigada.

— Sempre com você, lembra?— Ele riu e me puxou para perto de si. Deitei minha cabeça em seu peito e ele fez carinho em minhas costas até cairmos no sono


Notas Finais


Então, é isso.
É a minha primeira fic postada aqui no social e eu gostaria muito que vocês dessem opiniões CONSTRUTIVAS.

Bjs ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...