História And if it's love, LOVE? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Bickslow, Cana Alberona, Evergreen, Freed Justine, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel
Tags Fraxus, Freed Justine, Laxus Dreyar, Laxus X Freed
Exibições 104
Palavras 2.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Lemon, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura, qualquer erro me avisem.

Capítulo 3 - Fugaz


Fanfic / Fanfiction And if it's love, LOVE? - Capítulo 3 - Fugaz

Quando amanheceu voltamos para magnolia. O caminho com Laxus foi desconcertante para mim. Ele se mantinha mais calado que tumulo, mas o que me assustava mesmo era sua expressão. Frustrado e irritado. Pensei se eu tinha feito alguma coisa de errado e me lembrei da noite passada e depois do que Erza disse sobre os sinais. Será que estava tão na cara assim que até ele percebeu e agora estava com raiva de mim? Isso não fazia sentido e ele teria me perguntado! Talvez eu devesse começar a pensar na possibilidade de arranjar uma namorada. Assim, não sei, ele permaneceria pensando que eu apenas admiro ele e também calaria o povo da guilda antes que aquelas coisas chegassem aos seus ouvidos. Mas eu sabia que me apaixonar por outra pessoa não era possível para mim agora, não adiantava nem tentar.

Já era possível vermos as portas da guilda. Laxus não se afastou nenhuma vez sequer de mim e isso já estava começando a me perturbar. Sabe aquela carga louca que ele faz a gente sentir? Então, ficou forte, ao ponto dos meus cabelos levantarem e meus dedos faiscarem. Então paralisei no mesmo lugar sem entender nada o olhando do meu lado. Ele bufou alto parando também, aquilo pareceu mais um rosnado (dava até para se imaginar minha cara completamente desorientado). Ele nem sequer me olhou somente agarrou meu braço e me puxou com força para o lado.

- La... O que?

Ele me soltou somente na parede de um beco e bateu uma mão do lado da minha cabeça que deixou qualquer movimento em meu corpo beirando ao zero. Seus olhos se fixaram nos meus e talvez eu não fosse tão inteligente assim, por que eu não estava entendendo coisa nenhuma.

- Para de me provocar! Eu não quero isso!

Praticamente rosnou contra meu rosto me deixando perplexo, meus murmúrios finalmente conseguiram ser audíveis.

- E-eu nã-o... O que?...

- Isso aqui Justine!

Senti o aperto em meu queixo e mais rápido que, advinha, eu já sentia seus lábios pressionados com força sobre os meus. Suas mãos desceram para minha nuca me trazendo mais para si enquanto forçava a abertura em minha boca com a sua própria. Eu chocado ainda. Mesmo assim estremeci sentindo sua língua pressionar e chupar a minha, seu corpo se apertando contra o meu. Ele parou e ensaiou um pequeno afastamento, mas acho que essa ideia foi abandonada por que não demorou nada para ele voltar a me beija ainda mais intenso. Quando eu finalmente percebi o que estava acontecendo e que eu não estava fazendo nada ali, levei minhas mãos para seu casaco os puxando fortemente respondendo aquele beijo eletrizante. Não poderia usar termo melhor.  O trazendo mais e mais para mim, quanto? Quanto fosse possível! Conseguir expelir um Laxus muito tremulo por entre os lábios e isso pareceu bastar para ele arrancar a espada da minha cintura a jogando longe e suas mãos deslizarem pelo meu corpo até prenderem minhas nádegas me pressionando para cima, gemi sofrido pela força enquanto agarrava seus cabelos o beijando Fervorosamente.

Eram sensações demais! Por todos os deuses, o que estava levando ele a fazer isso? Era pedir demais que não parasse nunca e que em vez disso só melhorasse?

Eu nem sabia o que era respirar mais e meu corpo parecia grudado ao seu por imã. Uma perna sua estava no meio das minhas rosando minha virilha propositalmente e ele podia muito bem sentir o quão duro eu estava com aquilo. Suas mãos mesmo assim afundavam nas minhas nádegas com volúpia arrancando mais e mais gemidos meus. Gemidos esses que saiam muito perto do seu ouvido.

Quando eu pensei que pudesse desmaiar por falta de ar (o que por mim tudo bem) ele de repente parou novamente respirando ofegante contra meu queixo. Suas mãos se afastaram para a parede o que me fez ter que suportar meu peso sozinho. Eu tentava buscar ar rapidamente procurando também algo para falar que fosse plausível, mas eu não encontrava nada e tudo piorou quando eu senti sua mão de volta a minha cintura a empurrando com força contra o muro e logo depois a pequena cratera que se formou ao lado da minha cabeça.

Olhei de olhos arregalados seu punho na parede depois para sua cabeça baixa, seus olhos movendo-se rápidos pelo chão como se procurasse respostas ali.

- Merda! – Ele disse baixo e eu mordi meus lábios não sabendo o que falar. – Merda! – Seus olhos não voltaram aos meus e ele se virou sumindo de uma vez com um relâmpago.

                                                                              -Quebra de tempo-

Rolei novamente na cama encarando sem nenhum motivo a cômoda do meu lado. Meu coração ainda estava acelerado, minha mente mesmo que conseguisse raciocinar ainda não estava totalmente ajustada.

Dedilhei novamente o polegar em meus lábios como se eu ainda pudesse sentir cada sucção e mordida que foi deixado ali. Eu ainda sentia, ainda podia sentir a pressão das suas mãos que não hesitaram em me apertar, em me trazer para mais perto de seu corpo como se ficar longe fosse tortura. Eu ainda sentia sua boca engolir a minha com fome querendo mais, seu calor aumentando. Eu estremeço só em pensar que ele poderia ter o que quisesse de mim ali, eu estava totalmente entregue.

O que eu sentia por ele seria meu fim, eu sabia, mas não me importava. Quero um fim junto com ele.

Virei-me novamente para o outro lado suspirando ainda sentindo meu rosto queimar. Eu não entendi direito sua reação depois do beijo, mas eu penso que ele esta confuso. Se for isso então tem uma chance de ele... Esta Gostando de mim, não é? Por favor, consciência, se concentre, tente achar explicação por que... Por que se for isso mesmo eu não vou me segurar nenhum segundo a mais nessa cama.

Ouvir o barulho na porta e me levantei rapidamente ajeitando meu cabelo e minhas roupas (eu estava uma bagunça de tanto ficar virando no cochão). Hesitei antes de abrir – e se fosse ele?-, mas antes de segurar a maçaneta ouvir a voz de mulher. Abrir a porta vendo Evergreen e Bickslow.

- O que foi? – Perguntei estranhando já que estava de noite.

- Finalmente né! Primeiro sai em uma missão e não fala nada comigo, depois desaparece por um dia inteiro... Agora to vendo que se esqueceu de hoje à noite. – A mulher disse com a mão na cintura.

Cruzo os braços olhando o mago das marionetes.

- O que deu nela?

- Falta de homem. – Disse rindo recebendo um olhar feroz da morena.

- O que?!

- E o que tem essa noite?

- Sabia! Como se esqueceu? É aniversario da Lisanna, o mestre permitiu a festa na guilda então se arruma logo!

Pensei que ele com certeza estaria lá. Eu não sabia direito o que falar, mas queria muito vê-lo já que a ultima vez foi hoje de manhã.

- Ei, Freeed? Volta pra terra. – Olhei a língua na frente do meu rosto e me afastei para dentro do meu quarto.

- Vou me arrumar. Vejo vocês lá. – Disse e vi Ever trocar um olhar demorado com Bickslow antes de suspirar e concordar. Ela disse um está bom e se afastou. Já o outro entrou no meu quarto sem permissão e se jogou na minha cama. – O que esta fazendo?

- Deitando... Sei que você vai demorar uma eternidade para se arrumar...

- Eu não demoro nada e vai embora. Esta me atrapalhando. – Pedi abrindo meu guarda roupa caçando uma roupa.

- Na verdade... Eu quero falar uma coisa com você. – Disse se sentando.

- Não quero detalhes da sua missão com a albina menor. – Credo.

- Mas eu quero da sua com o Laxus. – O olhei um pouco surpreso, não sabia que era de conhecimento geral que eu tinha ido com o Loiro. Desviei o olhar quando me lembrei do beijo. Continuei escolhendo as roupas.

- E o que você quer saber?

- Aconteceu alguma coisa? – Perguntou em tom de mistério, o olhei confuso. – Você não foi para a guilda, aconteceu alguma coisa? – Repetiu me encarando, eu percebia mesmo com a mascara.

- Não... Eu só estava cansado, agora chega de me interrogar.

Fui para o banheiro, tomei um banho e me troquei o mais rápido que pude já que estava atrasado, por isso meus companheiros de equipe vieram me chamar. Esse é o primeiro aniversario da Strauss depois de voltar de Edolas então tiveram essa ideia de uma grande festa. Eu particularmente não me importo, mas festa é festa. E sendo da Fairy tail ainda é melhor.

Sair do banheiro e o mago das marionetes ainda estava na minha cama estendido folgadamente e ainda dormia! Segurei por de baixo da sua mascara e sair puxando, o que o fez acordar meio desorientado caindo no chão. Rir da sua cara e logo depois saímos do quarto em direção a guilda.

Mesmo eu pedindo que não, Bickslow ainda me contou sobre sua missão. Parece que ele estava fazendo progresso e hoje seria o grande dia em que iria conseguir a albina na sua cama. Amanhã eu vou curtir da cara dele, posso até sentir essa certeza. Lisanna é louca no dragon slayer de fogo.

A guilda estava brilhante na rua escura. Como agora tinha muitos membros então não foi surpresa o amontoado de gente pela entrada, mesmo assim entramos indo em direção ao balcão. Só precisei sentar no banquinho ali para já não ver mais o mago das marionetes, mas eu nem liguei, o que eu queria mesmo era encontrar o Laxus. Procurei em volta com o coração a mil, minha barriga dava tantas voltas que eu já pensava que estava passando mal. Não encontrando nada me voltei ao balcão suspirando, foi quase no mesmo momento que ouvi a risada grosa que me fez olhar para trás no mesmo estante e vê-lo.

Ele estava sentado a uma mesa na qual estava cheia de mulheres da cidade e da guilda. Por baixo de seus braços grandes havia duas delas em cada e ele ria enquanto bebia uma caneca enorme de cerveja. Fiquei o observando, quer dizer, eu estava paralisado o secando completamente!... E só que ele parecia o velho Laxus de sempre que nunca me beijaria e isso me atordoa. Por mais que eu queira lutar por ele agora, agora vendo ele ali me parece um conto de fadas o desejo de tê-lo só para mim. E eu não tenho fada madrinha então estou com problemas.

Meu coração insinuou um belo salto quando virando o rosto seus olhos cinzentos pararam nos meus. Então ele me encarou um tanto surpreso e perdido como se tivessem apagado de repente as falas do seu roteiro. Eu queria ter sorrido, mas não consegui me forçar a isso então o olhei serio com a esperança de que ele entendesse que eu queria falar com ele. Seu cenho se franziu e ele virou o rosto e junto virando outra caneca na boca. Eu queria me levantar e ir até lá, tá, na verdade eu já me levantava, mas parei quando o vi puxar o pulso de Mirajane que passava a trazendo para seu colo.

Ela pareceu se surpreender e o deu broncas enquanto as outras garotas se afastavam. Eu me mantive na mesma posição o vendo deslizar a mão pela costa da albina a puxando mais para si falando algo em seu ouvido. Ela ficou um pouco vermelha e eu juro que queria me virar e sair dali, mas por algum motivo imbecil eu permaneci. Ele continuou falando em seu ouvido, apertando vez ou outra a cintura definida contra o próprio corpo. Um momento seus olhos voltaram aos meus de longe e eu entendi perfeitamente o recado: Observe.

Então o vi agarrar os cabelos brancos e enterrar a língua na boca dela. Não prestei atenção nos gritos de surpresa e animação que muitos soltaram, também não notei que vários me olharam. Talvez entendendo, talvez não o que significava aquilo. Eu somente sentia aquela dor dilacerante no meu peito e meus olhos arderem até as lagrimas não se permitirem mais permanecer presas. Então para completar eu sorri como sendo o perdedor ali e sair correndo como um covarde.

Por que eu o admirava mesmo?

Parei em um corredor da guilda e não aguentando mais joguei minhas costas na parede descendo ao chão. Tentei parar com aquele furacão no meu peito e as lagrimas que não paravam de cair enquanto apertava minha boca. Quando conseguir me acalmar fiquei ali olhando o nada até algumas pessoas começarem a passar pelo corredor e eu ter que me levantar.

Ir para casa seria ótimo agora.

Ele simplesmente não me ama. Isso era obvio então por que me surpreendi? Só acho que ele não precisava me humilhar. Se o Laxus é meu amigo então para que todo aquele show? Ele só precisava dizer que não estava interessado. E por que diabos ele me beijou? Eu fui um teste, uma experiência? Ele estava se divertindo enquanto eu pensava que...

- Ei? – Voltei a mim quando ouvi a voz próxima, na verdade bem próxima. Encarei meu amigo na minha frente cutucando meu braço. – Tudo bem?... Vem comigo.

Meu pulso foi puxado e eu ofereceria resistência, mas parece que até meu corpo carecia de algumas palavras amigas ou sarcásticas. Talvez eu devesse contar para alguém do meu amor fodido: Estou precisando realmente que alguém ria da minha cara e fale que eu sou o maior idiota.

Quem sabe assim eu não siga em frente.

 

 ...

''Ele não teve tempo para se arrepender

Foi buscar prazer naquela sua velha garantia

E com lagrimas secas, sigo em frente sem meu cara.

Você voltou para aquela que já conhecia

Muito distante de tudo que havíamos vivido

Eu segui um caminho problemático

Minhas possibilidades são imensas,

Eu vou voltar ao luto.''

                       - Back to black


Notas Finais


Entt... To com um pouco de raiva do Laxus. Não foi legal escrever ele devorando a branquela no meio da guilda... (Eu acho que eu sou doida hehe) Bjs pessoal e me dizem o que vcs acham da atitude do Loiro-delicia (delicia é pouco)!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...