História And out Come the Wolves - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Jaime Lannister, Lyanna Stark
Tags Baratheon, Cersei, Jaiana, Jaime, Jon, Lannister, Lyaime, Lyanna, Renly, Rhaegar, Robert, Ship, Snow, Stannis, Targaryen, Tyrion
Visualizações 22
Palavras 1.278
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obrigado a quem comentou!!! e vamos que vamos!

Capítulo 8 - Lyanna Baratheon


– Está a própria donzela hoje - Ouviu Jaime segredar na sua nuca, colando o corpo no seu, e eriçando cada pelo de seu corpo, fazendo com que seu coração disparasse - exceto que a donzela seria mais recatada- Gracejou divertindo-se quando o sangue afogueou-lhe as faces.
Ele também estava perfeito, não que alguém fosse ver ela admitindo,todavia desejara seu toque durante toda a noite, e todas as vezes que o vislumbrou olhando de volta, só conseguiu correr para o irmão.
Bran era seu porto seguro,Jaime não ousaria tocar nela na sua presença. "E nem eu ousaria tocar nele", o pensamento veio sem ser chamado.
– Poderia me dar o prazer dessa dança,Sra.Baratheon?- O maldito usara seu novo nome, seu nome de casada, apenas para provocar, o que conseguiu facilmente, por mais que já estivesse casada há algum tempo, ainda não se acostumara a deixar de ser tratada por Stark.
– Queira me desculpar, "Grande Leão do Rochedo"- devolveu- Não sirvo para esse tipo de diversão.Não tenho jeito para tal coisa.
O olhar do homem a sua frente, faíscou por um momento, pareceu que ia dizer algo espirituoso, mas desistiu.Ao invés disso, se inclinou, ajeitando a flor nos seus cabelos, roçou os lábios em seu pescoço sedutoramente.
– Pense bem,pode ser a única chance que terá de ter meu corpo tão próximo do seu.
Sentiu seu rosto queimar, com a imagem mental do que ele estava sugerindo.
– Jaime...- antes que pudesse recusar novamente, ou procurar uma desculpa para se afastar, seu marido apareceu com sua animação corriqueira, gesticulando e falando muito alto.
– Venha querida!Vamos aproveitar esta canção antes que acabe!
– Robert eu não...- tentou desesperada.
Foi carregada para o centro do salão, por um Robert totalmente alheio aos olhares dos outros, tentou a conduzir, porém ela não fazia idéia de como acompanhar, sempre fora boa com cavalos e espadas, mas a dança nunca fora pra ela.
A loba podia sentir os olhares sobre ela, ouvia suas risadas, algumas das moças ali, não haviam completado quatorze dias de seu nome, e mesmo assim zombavam dela com desprezo, algumas riam discretamente, enquanto que outras debochavam abertamente de sua inabilidade. Conseguia sentir Robert se retesar.Seus olhos ardiam com lágrimas que ela se esforçava para não derramar.
"Idiota" praguejou mentalmente "porque me fez passar por isso?"
Quando sentiu que não poderia mais aguentar, fialmente a canção morreu. E para sua felicidade iniciaram "a mulher do dornês" e o marido a soltou.
Cambaleou até o estrado, e se sentou sendo seguida pelo idiota presunçoso com quem havia se casado. O homem parecia duas pessoas ao mesmo tempo, quando estava sóbrio era gentil e carinhoso,até amável, contudo quando bebia, fazia coisas como essa.
Derrotada, deixou-se estar em silêncio,enquanto ele resmungava algo sobre terem se envergonhado na frente de todos.Mal conseguia suportar todo o falatório, tinha quase certeza que era seu sangue da lua, que estava atrasado, e por isso andava tão irritada,desde que sairam de Winterfell, nunca mais havia tido suas regras, tinha medo de estar grávida, embora todos os índicios reforçassem sua idéia.Não falara nada para ninguém, por medo de estar errada, não queria enfurecer o herdeiro de Pedra do Dragão, com uma gravidez falsa.
Percebeu de repente o que se recusava a admitir, depois que casara, tornara- se uma pessoa que não era : uma pessoa com medo.
Finalmente uma criada aproximou-se entregando um bilhete ao Baratheon, e ele saiu a passos largos, agradeceu silenciosamente aos Deuses por isso.
Ficou observando as pessoas passando por ela, enquanto que Cersei era assediada por vários homens, Lyanna era só a estranha nortenha, que não se encaixava nas descrições de uma boa esposa.Quando começou a se sentir confortável novamente, percebeu o sogro de seu irmão se aproximando. Tywin Lannister o homem que não sorria sentou-se ao seu lado, e ficou por um longo tempo estudando os convidados, até que terminou com a situação incômoda com uma pergunta:
– Pretendem ficar em nossa companhia , mais algumas voltas de lua?
–Eu preferia que fossem dias, mas infelizmente, meu marido não partilha de minhas idéias de diversão - Sorriu.Ele não. Lorde Tywin Lannister era um homem como seu pai. Não gostava de homens como seu pai.
– É uma lástima, desejaria convidá-la e a Lorde Baratheon, para que partilhassem de nossa mesa, no casamento de Jaime, que deve ocorrer em duas quinzenas, todavia não quero prendê-los contra sua vontade. De qualquer forma a noiva deve chegar em dias e poderão prestigiar o noivado.
Cada palavra era um soco no estômago.Nada em sua vida tinha a preparado para se sentir assim em relação a alguém. Tentava forçar-se a pensar racionalmente, afinal era casada, e não poderia ter nada com o gêmeo dourado, "exceto os beijos que trocaram" uma voz em sua cabeça teimava.
"Dois beijos", o segundo mais enlouquecedor que o primeiro, sonhara com esse beijo diversas vezes, e acoradara molhada nas partes íntimas, do mesmo modo que ficava quando algumas vezes Robert, fazia algo que lhe agradasse sob os lençóis.
Não teve coragem de perguntar, com quem seria a união, não fazia diferença, não queria que nehuma mulher o tocasse, queria seus lábios apenas nos dela.
"Estou louca" se puniu mentalmente.Como poderia achar que amava aquele arrogante e metido herdeiro Lannister, quando era casada com o Lorde mais desejável dos Sete Reinos?Quando agora para todo e sempre seria Lyanna Baratheon...
Sentiu a cabeça ficando zonza, desculpou-se e saiu andando pelos aposentos do Rochedo,talvez andar fizesse com que voltasse a razão.
Nunca seria permitido que tivesse outro homem senão seu marido, sonhos não adiantavam.
"Só o corpo dele será meu, e só ele poderá me tocar". repetiu para si mesma, até quase ficar convencida.
Andou por algum tempo, subindo e descendo escadas, revirando cada aposento desocupado, até que se perdeu a noção do tempo.Notou que tudo estava mais silencioso. E resolveu voltar pra seus aposentos.
Nem bem havia começado o percurso sentiu a primeira fisgada de dor, se encolheu na tentativa de amenizar, sentiu algo escorrer por suas pernas.
Aterrorizada e com as dores aumentando, rastejou até uma sala desocupada. Levantou seu vestido e constatou o que já sabia, estava perdendo sangue, e como nunca tivera cólicas fortes, sabia por consequência que estava perdendo o bebê.
Nesse momento como se fosse invocada, uma criada se materializou na sua frente, provavelmente estava próxima e a vira em pânico.
– Oh!- A criada levou as mãos na boca quando percebeu o que acontecia- Preciso chamar alguém, você...
Lyanna silenciou-a com um gesto.
– Você não chamará ninguém, vai me carregar ao quarto e me ajudar, e não contará isso a ninguém,ou eu farei com que pague.- ameaçou juntando toda suas forças, e raiva contida.
A mulher pareceu chocada,mas assentiu colocando o braço da loba sobre seus ombros, carregou-a para seu quarto,preparou um banho e a despiu das roupas manchadas de sangue.
– Se não for tratada vai morrer, senhora... 
– Não se preocupe isso não vai acontecer...Irei conseguir as ervas de que necessito e farei meu repouso.
A mulher a sua frente nada respondeu, pegou uma camisola de seu baú, e ajudou-a a vestir, seu corpo doía, mas não estava febril, e por isso agradecia.
Lyanna deitou-se sobre sua cama exausta por tudo que havia acontecido naquela noite.
Agradeceu a criada e pediu que se retirasse, recomendando novamente que não falasse a ninguém o que viu. Apesar da dor se sentia aliviada, não queria nem um filho daquele homem, pelo menos não agora, não com os sentimentos confusos que tinha a corroendo, se soubesse do ocorrido, o marido ia exigir saber porque não avisara.
A mulher parou na porta, antes de sair e perguntou:
– Devo chamar Lorde Baratheon, senhora?
A loba ponderou por um minuto, respondendo decidida.
– Chame Jaime Lannister.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...