História And Tomorrow?! - Capítulo 16


Escrita por: ~

Exibições 139
Palavras 1.310
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


OLÁ!
Bom, como vocês pediram capítulos maiores... Eu acho que esse já é grande o suficiente, mas o próximo creio eu que será maior ainda!!
Boa Leitura... E POR FAVOR, não me matem.

Postando o capítulo bem cedo, por que sim <3
Feliz dia das crianças para vocês! c:

Capítulo 16 - The time has come...


Fanfic / Fanfiction And Tomorrow?! - Capítulo 16 - The time has come...

Horas depois eu acabei melhorando e deixando de lado a ideia de ir ao hospital, pensando bem é melhor ficar em casa mesmo.

            Na manhã seguinte, eu levantei tomei banho, arrumei as casa, comprei mais algumas coisas para os bebês, e depois fui pesquisar um pouco sobre certas coisas. A Ryo veio até a minha casa, como de costume, e nós começamos a conversar.

- Cara, você sabia que existe parto humanizado, cesáreo, normal, na água, de fórceps, de cócoras e o parto natural...? – Eu disse perplexa enquanto lia um blog no notebook.

- Sim, Maddie... Acredite, eu sei. – Ela disse enquanto mexia no celular.

- Tá fazendo o que?

- O QUE QUE VOCÊ ACHA?

- Nossa, sua grossa! – Eu disse revirando os olhos. – Vamos ver alguma coisa na TV?

- Tá... O que? Por exemplo.

- Olha, você já assistiu esse “Um bebê por minuto”? - Eu disse enquanto mudava de canal.

-  Não... Coloca aí.

            Nós assistimos e... Francamente, eu não quero ter filhos. Gente que sofrimento, eu não estou preparada. Talvez seja por isso que as pessoas sempre dizem “adolescentes não podem engravidar”, mas quem é que se importa com o que os outros dizem? Minoria, é claro. Ninguém escuta os outros verdadeiramente, é apenas uma atuação do “eu me importo” mas, é claro que nem sempre isso vai ser verdade. Embora, três únicas palavrinhas façam uma pessoa se sentir bem... Nós continuamos assistindo até os dois episódios que iriam passar seguidos, acabarem. Ryo se levantou, caminhou até a cozinha pegou um copo d’água caminhou em minha direção e disse.

- Sinto muito por você! Mas, sério... Depois desse episódio eu nunca vou ter filhos.

- Deixa de ser idiota, nem sempre dá tanta merda igual nesses casos aí...! Eu espero.

            Nós continuamos conversando, e algumas horas depois ela foi embora para sua respectiva, casa. Eu organizei algumas coisas, tomei banho, jantei, vesti um pijama e logo em seguida fui para o meu quarto onde dormi profundamente.

*** TRÊS SEMANAS DEPOIS ***

            Hoje eu completo vinte e cinco semanas (seis meses), eu ás vezes sinto contrações, o que é muito estranho. Porém, eu não sinto dor. Minha mãe disse que são apenas contrações de teste, mas eu sinceramente não sei. Ás vezes eu tento me convencer de que tudo irá correr bem, mas são nesses momentos que eu me sinto frustrada o bastante para saber que NÃO É VERDADE. Através de pesquisas na internet, acabei por descobrir que se eu tiver um parto normal, eu posso acabar morrendo. Isso pode ter soado egoísta, mas é que eu não me vejo morrendo por causa de uma outra vida que eu nem sei se irá sobreviver ao parto... Semana passada eu fui no médico, ele me disse que um dos bebês não está evoluindo, que estava tudo bem, mas agora... Agora um é mais velho que a outra, e isso pode causar complicações durante o parto, o que me deixou cismada.

            Ultimamente eu estou inchando, mas não é pouco. Minhas pernas e mãos ficam muito inchadas, o médico me aconselhou a ficar deitada para quando isso acontecesse, e até que resolve. O problema de ficar inchada, é que eu acabo tendo formigamento, e vai por mim, é horrível! Mas, tudo bem... Logo, logo a gravidez chegará ao fim, e eu não precisarei me preocupar com tudo isso...

            Me levantei, arrumei toda a casa, cuidei do quintal. Fui fazer exame sanguíneo, e de pressão. E acabei tendo que ficar por seis horas no hospital tomando soro, o pior é que quando você vem é só isso que acontece... Tomar soro, estou enjoada disso... Quando voltei para casa, senti meu estômago revirar, corri para o banheiro onde passei algumas horas (enquanto vomitava), acho que hoje não é, de fato, o meu dia de sorte. Só espero que daqui á algum tempo tudo se resolva... Depois de tanto insistir, consegui dormir. Acordei as cinco e meia da manhã, caminhei até a janela do meu quarto, e passei a observar o nascer do sol, em meio aos pássaros cantando, o céu totalmente limpo e bonito, as pessoas saindo apressadamente de suas casas para trabalhar... Eu estava totalmente relaxada, até meu celular despertar, fazendo-me pular de susto pois eu havia esquecido de desativar o alarme, e o mesmo era um rock pesado. Arrumei o cabelo, escovei os dentes, desci as escadas e fui fazer o café da manhã, infelizmente eu queimei a panqueca, então eu tive que sair para comprar pão. Assim que voltei, ainda um pouco nauseada, sentei-me num assento da cozinha, comi toda a minha refeição, e em seguida fui assistir um pouco de TV. Quando eram sete e quarenta e cinco, senti meu celular vibrar, mesmo com um pouco de preguiça, me forcei para levantar e pega-lo em cima da mesa de centro, assim  que eu olhei quem era vi que era a Ryo me chamando no chat.

--

MADISOOOON DO CÉU, NEM TE CONTO!

O que foi?

BABADOS FORTÍSSIMOS!!!

Porra RYOKO, fala logo, merda!

Tá, é que sabe o Henry...?

Não, qual?

Tu é lerda é? O HENRY, HENRY PROFESSOR TARADO.

AAAAAAAAAH. Conte.

Então, ele foi preso.

Pois é, amiga! Estou tão feliz!! Mas, e aí...?

ELE VAI TER QUE PAGAR A FIANÇA DE SEI LÁ QUANTOS MIL. ISSO É CLARO, SE ELE QUISER SAIR.

Eu estava precisando de notícias boas! Mas, eu preferia que ele fosse condenado á morte, ele é um canalha!

Miga, chega de rancor! Você já está até apegada aos bebês...!

Isso não vem ao caso! É diferente, bem diferente... Tem mais algum babado?

Sim... É claro! Nossa escola está de greve!

Porque? Que desnecessário...

Por causa de preconceito, as meninas estão achando as regras da escola bem machistas... EEE... Por causa que todo mundo rejeita grávidas lá, essas coisas...

BEM DESNECESSÁRIO, ATÉ PORQUE NÃO VAI MUDAR... NÉ NON?!  Miga, preciso ir... Bye

Byeeee

--

            Assim que desliguei, com um sorriso no rosto, por causa da nossa conversa. Coloquei o celular ao meu lado, e voltei á assistir atentamente ao programa que estava passando... Ás três da tarde, a Ryo me chamou para darmos uma volta, fomos até um parque próximo daqui. Bom, como praticamente nada na vida é justo... Estávamos sentadas, quando de repente um cara encapuzado apareceu, e nos abordou dizendo para entregarmos os celulares que estavam em nossas mãos, nós queríamos reagir, até que ele sacou a arma e apontou para a minha barriga, naquele momento... Vi como o ser humano é um lixo, não generalizando, até porque tem pessoas que realmente são muito, muito boas... Sabe, elas são... Pessoas... Mas, é como diz a música do Projota... “Na paranóia, nóia, quem não ganha te ataca...” a arma podia até ser de brinquedo, mas o impacto que algo como isso faz na vida de uma pessoa, não é um brinquedo. Por isso é que eu acho mais do que certo ter estrutura familiar antes de ter filhos, é o que eu não tenho... Mas, espero que um dia eles não façam mal á nenhum ser humano... A ninguém da espécie deles, ou de qualquer outra....

Perplexas, nós levantamos, e saímos correndo para minha casa, nos trancamos e ficamos lá por horas... Até a minha mãe chegar, nós explicarmos toda a história, e irmos a delegacia fazer um B.O, o pai da Ryo é policial, porém quase não fica em casa, então ficava um pouco difícil de comunica-lo  sobre o ocorrido... Agora, será mais um trauma para a vida... Bom, traumas todo mundo tem... Dizem que é assim que você faz o seu mundo. [...]

***DUAS SEMANAS DEPOIS***

            Aqui estou eu... Vinte e sete semanas... Dores insuportáveis... Estou sozinha em casa... Acho que... Preciso mesmo de ajuda... Eu estava com um travesseiro encostando na minha barriga, de bruços... Escutei um barulho e... Me levantei... Minha calça se encharcou... Líquido amniótico...? Será que......

Continua...


Notas Finais


SÉRIO
N ME MATEM
Eu queria ter pegado leve, porém, como eu disse no primeiro capítulo... É baseado em fatos reais, e isso é uma coisa que quase sempre acontece (em relação ao assalto) :/
Espero que tenham gostado!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...