História And Tomorrow?! - Capítulo 22


Escrita por: ~

Exibições 53
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi gente! Desculpa a demora, mas vocês sabem que me amam! xoxo

Enfim, eu demorei por vários motivos, mas não vou falar pra evitar fadiga. Só saibam que é por motivos pessoais, e que eu ja botei nos meus bloquinhos de nota o assunto para escrever os próximos capítulos, então eu acho que serei mais breve! Mas, sabe né, meu pc estragado e minha mãe fazendo tcc não rola saushuashuahs bjbj

Boa leitura

Capítulo 22 - Change Yourself


Aproveite as oportunidades, a vida não costuma dar uma segunda chance.

 

 

*** UMA SEMANA DEPOIS ***

            Finalmente a semana mais insuportável da minha vida, foi uma semana frustrante e cansativa. Cheia de contratempos e pessoas me dizendo o que fazer, além de que eu estava me segurando para não descer a mão na Alison e nisso cheguei à uma conclusão: COMO DIABOS EU VOU SER MÃE?! Eu não sei me controlar, não tenho paciência, e com crianças precisa de MUITA paciência. E eu não tenho paciência com nada, nada, nada, nada, nem comigo mesma, ás vezes, faço uma merda e fico tão puta comigo que dá vontade de me dar um murro na cara. Ignorando toda a merda que foi cuidar de uma criança mimada, finalmente, depois de várias coisas acontecerem e impedirem de que isso fosse possível, eu, hoje, irei buscar o Caleb para vir passar dois dias aqui.

Foi uma recomendação médica que tivemos para deixa-lo aqui por dois dias só para ver se ele se habituava, e não tinha uma piora, ou desse alguma alergia.... Por que, ele está, como posso dizer.... Mais ou menos, e por isso precisam começar os teste para ver se, de fato, ele está bem para vir morar comigo, o que não irá acontecer tão cedo com a Emma, infelizmente. Então, por causa disso nós iremos busca-lo hoje depois do café da manhã.

Eu acordei um pouco cedo, talvez esteja ansiosa demais.... Me levanto da cama com um pouco de dor nas costas, mas as ignoro e vou direto para o banheiro, tomo banho, arrumo o cabelo, visto um macacão curto azul (degradê), e coloco um all star, faço uma maquiagem simples e desço as escadas. Ao chegar no andar de baixo, visualizo minha mãe fazendo o café da manhã, e, de novo, ovos com bacon. Já estou farta disso! Mas, eu não vou fazer nada para mudar isso, afinal, tenho preguiça de fazer minha própria comida.

            Nós comemos a comida enquanto debatíamos alguns assuntos desnecessários, e em seguida fomos para o hospital, ao chegar lá, alguns médicos andavam de um lado para o outro, enquanto alguns bebês choravam em alguns cantos do berçário, e outras enfermeiras tentavam acalmá-los. Enquanto ficávamos na sala de espera, eles o limpavam, o trocavam, e o vestiam, para que ele pudesse ir embora conosco, não demorou muito para que eles aparecessem com o menino enrolado em uma pequena manta que eu havia comprado, eu o peguei com medo de derruba-lo, e eu me senti uma completa desastrada, então o entreguei rapidamente para minha mãe e ela o colocou no bebe conforto, acho que é melhor eu sentar num banco e elas o colocam em meus braços, caso contrário a criança cai no chão. Enquanto eu estava tremendo, porque eu estava com medo de quase ter derrubado o menino no chão, eu escutei a enfermeira chamar por mim, olhei para a minha mãe e ela assentiu com um sorriso no rosto enquanto balbuciava o pequenino, eu caminhei em direção a mulher que segurava em suas mãos uma pequena caixinha azul escuro.

- Olha, caiu esses dias, e como tem muitas mães que guardam, pensamos em deixar para você fazer o que quiser. – Ela entregou-me uma caixinha fechada.

- Eca! Que merda é essa? – Eu disse após abrir.

- É o pedaço de cordão umbilical que estava no umbigo do seu bebezinho.

- Não moça, quero isso não, pode jogar fora. – A mulher deu uma risada sem graça e assentiu.

            Após sair com uma cara vermelha de perto da mulher, esperei o médico me liberar para poder ver a Emma, e assim que ele liberou a entrada eu fui ao seu encontro, e pude vê-la do mesmo jeito que há duas semanas atrás, com aparelhos para respirar, pobre Emma. Depois de meia hora acariciando o seu pequeno corpo, percebi que já era hora de ir embora, então eu fui até onde minha mãe e o Caleb estavam e nós fomos para casa.

            Ao chegar lá eu o coloquei no berço, e liguei a baba eletrônica, desci as escadas e fui para a cozinha pegar uma maçã para mim comer, e como ele ainda estava dormindo, aproveitei o curto período e fui assistir alguma série, enquanto comia a maçã. Alguns minutos depois, escutei meu celular vibrar, e, me forcei a levantar para pega-lo em cima do outro sofá, quando olhei era uma mensagem da Ryo no facebook.

Ryo: Madison, tenho uma notícia maravilhosa!

Madison: Me conta, me conta!

Ryo: Advinha.

Madison: Fala sério né! Conta logo essa merda senão eu não irei querer saber...

Ryo: Isabela Reis convidou eu e você para irmos à festa dela. E você sabe que ela é uma das melhores pessoas para ser amiga, já que ela é popular, e tem um status na escola.

Madison: SÉRIO?! MORTA ESTOU! Quantas horas?

Ryo:  Lá para as dez da noite, com horário para terminar ás duas da manhã!

Madison: Vou ver se dá para mim ir! Tchau, Caleb acordou...

Ryo: Tchau!!

            Eu coloco o sofá sob a cabeceira do sofá, me levanto respirando profundamente, e caminho até o quarto do Caleb, ao chegar lá notei que ele tinha deixado o quarto com um odor insuportável, então eu o peguei. E mesmo quase vomitando na criança, eu consegui troca-la perfeitamente, a devolvi para o berço e balbuciei o mesmo para que ele dormisse profundamente, arrumei as coisas e ouvi a porta da entrada abrir, desci as escadas para ver quem era e avistei a minha mãe.

- Mãe, posso te perguntar uma coisa?

- Já está perguntando... – Ela disse enquanto guardava as compras.

- Eu posso ir numa festa com a Ryo?

- Madison, é claro que não! Você tem que cuidar do Caleb, esqueceu?

- Mas, mãe...! Vai ser de madrugada, ele nem vai saber, afinal, vai estar dormindo.

- Madison, uma criança da idade dele acorda de três em três horas. Lide com isso, agora me ajuda a guardar essas coisas.

            Mesmo com a cara de cu que eu estava fazendo ela continuou dizendo que não, e não e não. E ai que saco. Eu só queria que ela me ouvisse uma vez na vida, eu sei, eu sei, aconteceram coisas horríveis com ela e por isso ela pode estar chateada.... Mas, qual é! Eu sou uma adolescente não posso ser impedida de realizar o que eu gosto. Eu tenho dezessete anos e já tenho que me preocupar com coisas que, sei lá, não me fazem sentir-me tão preocupada...

            Eu sigo o dia normalmente, e tentando lidar com o fato de que eu NÃO PODIA ir nessa bagaça, mas tudo bem, eu vou dar um jeito. Afinal, eu posso dizer que sou um pouco chata, consigo o que quero, nem que seja da pior maneira. Mas, é por uma boa causa. Olho novamente uma notificação no meu celular, e, de novo, é a Ryo.

Ryo: Você vai?

Madison: Vou sim! Porém, só meia noite e meia! Pode vir me buscar nesse horário?

Ryo: Posso sim!

Madison: Até mais então...!


Notas Finais


Não esqueçam de comentar, e desculpa mesmo pela demora!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...