História And When I Look In Your Eyes. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bruxas, Escolar, Fadas, Lobos, Lobsomens, Magia, Originais, Sobrenatural, Vampiros
Exibições 88
Palavras 3.793
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie.... Como eu prometi eu voltei, sdds? Tá, vou parar de enrolar vcs pq eu seu que tem gente ansiosa, deixo meus comentários pro final Hehe leiam as notas finais
E.... Boa leitura<3

Capítulo 2 - Capítulo 02


Fanfic / Fanfiction And When I Look In Your Eyes. - Capítulo 2 - Capítulo 02

Capítulo: II
"Ele está esperando abandonado e paciente, já faz tempo, não? Um selvagem mascarado, essa é a história famtasmagorica do passado.
Ele disse: Siga me! Siga, siga!
Mais de 30 anos atrás quando ele os levou para baixo, vocês são os próximos então sentem se é apreciem o show.
Siga me, então você verá
Siga me, eu sei que a verdade é difícil de engolir
Siga me. Siga siga siga.
Então você verá um pesadelo em ação... "

“Ele está esperando abandonado e paciente, já faz tempo, não? Um selvagem mascarado, essa é a história fantasmagorica do passado.
Ele disse: siga me. Siga, siga!
Mais de 30 anos atrás quando ele os levou para baixo, vocês são os próximos então sentem e apreciem o show.
Siga me, então você verá
Siga me, eu sei que a verdade é difícil de engolir
Siga me. Siga siga siga
Então você verá um pesadelo em ação… “

“Derick? “
Abri meus olhos assustado, mas não havia ninguém ali.
“Você quer me esquecer? Hihi, não vou deixar sabe por que? Por que você me matou!”
Me encolhi na cama, fazia de novo aquelas ilusões em minha mente, de novo eu ouvia sua voz, como a de um fantasma me culpando por acontecimentos do passado. Eu tinha culpa mesmo.
Abri meus olhos depois que o calafrio passou, e olhei para a cama ao lado, Yato estava lá deitado com um livro na cara. Parecia tão distraído com o romance francês que nem percebeu meu ataque de medo… Não que eu estivesse com medo.
Depois de lutar com meu corpo, resolvi levantar…

A noite estava fria e as estrelas eram apagadas com as luzes dos corredores acesas, observei por um instante o corredor, suas paredes cor mouse de maracujá, as portas padrão dos quartos e o piso branco com efeitos do tempo. A escola estava silenciosa tudo que podia ouvir era o barulho de meus passos ao caminhar. Meu pijama azul não era capaz de me proteger do frio, e mesmo de meias sentia o frio do piso congelar meus pés. Sai para fora, passando pela porta entre aberta, nenhum professor ou a própria diretora passavam a noite na escola, então as portas eram abertas e sem qualquer vigilância.
Para onde iríamos se fugissemos?
Deixando minhas roupas ao pé de uma árvore, virei lobo correndo pelos arredores da floresta, a noite a vida naquele lugar muda.

Olhos brilhantes de predadores, os seres mais indefesos em seus abrigos, o piar de uma coruja enquanto corria, parei numa clareira. Mais um passo e entraria no território dos lobos do Sul. Não eram minha antiga alcateia, então seria considerado um inimigo, desafiar uma alcateia inteira seria como assinar meu contrato de morte. Dei meia volta esperançoso do que a vida poderia me oferecer.
Voltei para a escola, estava sem fome, então ia tentar dormir de novo… Se minha mente me permitir.
Entrei na escola, o clima estava pesado olhei para a parede e avistei:

Vá dormir, você foi uma criança má crianças Más devem ser punidas

Li atentamente as palavras escritas na parede, me aproximei devagar e toquei na parede, um líquido preto havia manchado as paredes com aquelas letras.
Escutei um ruído atrás de mim, um arrepio por minha espinha.
-Tem alguém aí? – me virei na espera que alguém desse sinal de vida. Não havia ninguém atrás de mim, o corredor estava deserto, apenas eu estava ali ou não.
Me virei devagar, e na minha frente a garota, seus cabelos bagunçados e seus olhos completamente negros, gritaria se pudesse mas perdi o controle do meu corpo caindo no chão desacordado.
         
         
           ~ Samantha on~

Era minha primeira noite naquela escola, era tudo tão calmo, acho que pela primeira vez Luki, meu irmão, estava errado.
Ao auge dos meus 16 anos, tinha meus poderes de cura e minhas asas brancas como as de anjo.
Dizem que a muitos anos, minha mãe dona dos poderes de cura da natureza, curou um anjo que havia caído do céu. Após o anjo se restabelecer com os chás e remédios naturais, quis dar um prêmio para minha mãe, concedeu a ela a cura dos céus e quando nasci alguns anos depois herdei esse poder, junto com asas brancas outros presentes do céu.
Abri meus olhos, as cobertas estavam em volta de meu corpo magro, olhei para os lados procurando por minha companheira de quarto Cristal, ela era uma bruxa e isso me fascinava. Mas ela não estava lá. A porta estava entre aberta se movimentando com o vento. Me levantei calçando minhas pantufas e caminhei pelos corredores:
-Cristal? Onde você se meteu? – Sussurrei baixinho pra não acordar os outros.
Quando me aproximo da parede, pixada em preto:

“vá dormir, você foi uma criança má, crianças Más devem ser punidas”

Me aproximei com passos lentos, quando senti que estava pisando em algo, olhei para baixo e vi uma mão, tinha um garoto caído em minha frente, gritei horrorizada antes de ver se ele estava vivo e sai correndo. Quem quer que o tivesse deixado daquele jeito não era amigo.
No meio do corredor meus pés se trocam e eu tropeço. Ia cair de costas no chão, mais um par de braços fortes segurou minhas costas, me salvou antes que meu corpo se  chocasse com o chão frio.
-Y-Yato? – gaguejei. Ele era muito mais alto que eu, seus olhos suaves e seus cabelos castanhos avermelhados levemente bagunçados, parecia confuso em me ver.
-Samantha… Seu cabelo tá azul. – ele me olhou estranho.
Ótimo cabelo de novo você acabou de mostrar que eu estou apavorada.
-É o que está fazendo?
-Correndo. – assenti, e ele me olhou confuso.
Olhei para cima e vi ela ali, reconheci Cristal pela camisola branca de verão, seus olhos estavam completamente negros e sua feição de horror me deixou paralisada:
-Samantha… Seu cabelo tá ficando azul escuro…  - Yato parecia não entender o jogo de cores. Me escondi atrás dele, julgando sua força capaz de nós proteger. Ele se virou para onde eu olhava e viu Cristal em sua forma aterrorizante, pude ver por uma fração de segundo seu medo, mas ele logo suavisou o olhar. Abriu seus braços me protegendo de algo que supostamente era Cristal.
Quando alguém chegou, sua identidade coberta por um capuz, foi rápido, surgido do céu, um chute e Cristal caiu no chão:
-MORRE SATANAS!! – o capuz caiu mostrando seus cabelos e seus olhos cor de vidro… Shirayuki.
-Não sabia que tinha Satan aqui na escola – Isa chegou balançando suas asas suavemente. Suas roupas coloridas iluminavam o corredor de uma forma graciosa.
-Cristal – me aproximei dela, ela estava bem, só desacordada coloquei minha mão em suas costas a restabelecendo sem acorda lá, sua pele tomou cor, e o terror sumiu de seu semblante.
-Vou levar ela de volta pro quarto.  – sussurrei ouvindo passos.
-Outro demônio? Tá virando palhaçada tio San! – Yuki bateu os pés no chão, como se incomodasse os seres lá de baixo assim colocando o capuz, Yato permanecia imerso em seu mundinho particular. Quando o garoto surgiu, usava um pijama em tom único azul sua pele pálida com alguns cortes a vista seu cabelo bagunçado num tom verde aidetico. Seus olhos tristes e inespressivos.
-O que aconteceu? – Ele falou baixo sem perceber todos em posição de ataque enquanto esfregava um de seus olhos.
-Ah, você não parece um demônio. – Yuki cruzou os braços abaixando o capuz.
-Derick. – Yato murmurou, e o garoto a nossa frente atendeu.
“Ah, o nome dele é Derick “
-Sim, - Ele olhou pra mim concordando. Olha a macumba.
        

               ~Derick on~

Abri meus olhos devagar, a visão foi voltando aos poucos e pude ver a parede pixada:

Vá dormir, você foi uma criança má, crianças Más devem ser punidas

Olhei para os lados levantando com um pouco de dificuldade,
“O que aconteceu? “ cocei a cabeça começando a caminhar. Minhas pernas estavam um pouco banbas, devo ter desmaiado de fome… conclui.
Caminhando pelos corredores, ouvi vozes decidi segui las para ver quem eu encontraria. Me aproximando pude ver Yato, meu colega de quarto, Uma garota com cachos azul escuro. A fada com roupas coloridas e uma pessoa coberta por um capuz pronta para me golpear.
-Ah, você não parece um demônio. – A garota de nariz arrebitado tirou o capuz. A fada estava do seu lado com suas roupas bem coloridas ela deve estar arrumada para a parada Gay, ouvi dizer que tem que usar roupas coloridas. Cristal estava no chão, sua expressão serena nem um pouco intimidadora nos braços da garota de cabelos azuis.
-Derick. – Yato sussurrou e eu olhei pra ele.
“Ah, o nome dele é Derick “a garota de cabelos azuis concluiu em sua mente.
-sim, - Eu concordei com ela. E todos me olharam sem entender. Ué… Só respondi o pensamento dela. Devagar o cabelo da garota, começou a clarear de um tom azul profundo, foi para azul claro, quase azul bebê.
-Ow… É devo estar delirando posso jurar que seu cabelo mudou de cor. – Apontei pra garota.
-É, - ela riu. – Meu nome é Samantha… E o cabelo é normal – ela coçou a cabeça dando de ombros.
-Sim, - assendi olhando pra garota de nariz arrebitado.
-Ah, Yuki. – Ela colocou as mãos nos bolsos.
-Sou a Isa – a fada sorriu. – Podemos voltar a dormir Yuki?
-Sim, agora que não tem mais um demônio rondando a escola – Yuki e Isa saíram andando.
-Estou com fome. – Sussurrei colocando as mãos na cabeça.
-Você não vai me comer né? – O cabelo da garota ficou num tom um pouco mais escuro que antes.
-Não. – dei um risinho e sai.
Virar um lobo naquele momento seria como colocar em risco todos a minha volta, meu lobo era controlado por meu coração, se eu sentisse fome na forma lupina, ele devoraria qualquer um que  visse pela frente, na forma humana andei pela floresta a busca que algo para comer. Me aproximei de um animal, era um alce velho e doente, seus dentes haviam apodrecido e por isso ele não comia a dias. Era a vítima perfeita.
Ia pular em cima dele matá lo com as próprias mãos.
Pulei em cima dele, mas quando ia morder seu pescoço, avistei um par de olhos azuis curiosos pelo que eu iria fazer.
Só que não foi num alce que eu pulei.
-aí! – ela fechou os olhos agoniada. Desculpe July....
-Desculpe, confundi você com o meu lanche. – sai de cima dela um pouco envergonhado. Ela só sorriu se levantando, enquanto batia a mão em suas roupas.
-estou com fome – sussurrei
-deu pra perceber. – Ela gargalhou alto. – Tome. – ela me entregou um esquilo já abatido. – era pra mim, mas acho que se eu não te der você vai me comer.
Tirei a pele do esquilo, mordendo sua carne, não gostava muito de carne de esquilo, mas a fome a tornou a carne mais saborosa que já provei.
Com a boca suja de sangue, olhei para ela, que me olhava comer curiosa.
-Ei – ela sorriu se aproximando. – Você tá todo sujo, - um risinho. Olhei ela sem expressão nenhuma e ela riu de novo.
-Vem cá lobinho. – Ela se aproximou e com um lenço de papel limpou os cantos da minha boca, ela era bem menor que eu, mas conseguiu fazer o serviço nas pontas dos pés.
-Obrigado…. -Sorri. Ela amassou o lenço o colocando na pequena bolsa que carregava. Soltou um bocejo que cobriu com a mão na boca.
-Acho que ainda dá pra voltar a dormir. – Sussurrei olhando pro céu, escuro.
-quer carona? – Assumi minha forma lupina, e ela acariciou meu focinho.
-Como você é grande. – Ela sorriu. 
“sobe” sussurrei em sua mente, me abaixando. Ela subiu e se segurou firme. Comecei caminhar, em seguida correr e logo estávamos vencendo as árvores até a clareira da escola. Deixei July na porta de seu quarto e com um sorriso sonolento ela se despediu. Então caminhei até o meu quarto os corredores estavam silenciosos e só ouvia o som de meus passos.
Ao entrar em meu quarto vi Yato com a mão no olho que ele cobria, Samantha estava ao seu lado sentada na cama, estava igual só que seu cabelo estava roxo estou tendo alucinações com cabelos que mudam de cor outra vez…
Entrei no banheiro que tinha no quarto, era modesto, mas espaçoso voltei a forma humana curioso pelo sumiço de minhas roupas, eu e minha mania de esquecer de tira las na hora de virar lobo. Em uma alcateia virar lobo e rasgar roupas era tão normal, Lucy me tirou desse hábito, mas eu ainda esquecia. Tudo bem Derick, só que agora você não tem mais um pijama pra dormir.
Estava me arrumando, quando escutei um estrondoso grito de dor, sai para fora do banheiro usando apenas com a cueca box que havia conseguido vestir as pressas, Samantha estava no chão tentando se levantar enquanto Yato estava na cama apertando sua cabeça entre as mãos com força. Seus gritos agonizantes de dor me arrepiaram.
-E-eu… posso ajuda lo. – Samantha um pouco pálida tentava raciocinar. Me aproximei de Yato, mas ele me empurrou, seu tapa olho caiu, seu olho coberto era cinza e negro, brilhava de forma aterrorizante e um líquido negro escorria por sua bochecha.
-Me diz que você é exorcita… - Dei um passo para trás.
-Sou curandeira. – ela se aproximou de mim.
-Posso cura lo.
-Tá… Eu seguro e você cura. – Olhei para garota de cabelos azulados e como mágica seus fios assumiram a cor roxa, e ela olhou para mim afirmando, pulei em sima de Yato de uma forma um tanto violenta e ele se assustou se debatendo em baixo de mim, um espontânea soco em meu rosto e acabei perdendo um pouco a noção, com força chutou minha barriga e eu fui para o outro lado, batendo as costas com força na parede, chamei meu lobo rosnando para ele. Pulei em cima dele o imobilizando com minhas pernas, ele se debatia mas não era mais capaz de me atacar.
-Samantha agora! - rosnei da forma mais impaciente possível. Yato com uma força impassível e totalmente inesperada me empurra para trás, se deitando em posição fetal no chão
-Essa não! – Ele se levantou olhando suas mãos espantado elas pareciam normais para mim. Samantha se aproximou devagar como se ele fosse um animal arisco.
-Você está bem? – sussurrou baixinho. Yato se virou com seus dois olhos arregalados.
-Você não pode ficar aqui vai embora! – Ele grudou suas garras no pescoço da garota de cabelos roxos que começaram a se azular aos poucos talvez um padrão de cores, talvez seja a forma dela de dizer algo…
Empurrei Yato na parede, ele largou Samantha tentando recuperar o fôlego.
-Você não está no seu juízo perfeito. – Rosnei com minha voz lupina.
-Yato… me deixa eu te ajudar… - Os olhos de Samantha brilhavam.
-Vá embora. – Ele respondeu frio
-Nem eu sei o que está acontecendo. – Colocou as duas mãos apertadas em sua cabeça.
-Vo-cês…. Sa-sa-saiam da-qui-qui. – Ele falava ofegante com uma dificuldade fora do normal. As garras de Yato cresceram assumindo a cor preta e ele veio para cima de nós, Samantha se assustou e veloz eu o empurrei para o lado.
-Você consegue o colocar para dormir? – Olhei para ela um pouco assustada. Provavelmente a primeira vez que ela falava com um lobo… Ou talvez tivesse um vampiro tentando golpea-la.
Yato se levantou cambaleando, foi para cima de Samantha:
“Ole! “ ela pensou dando um passo para o lado, enquanto Yato tropeçava em seus próprios pés e caia de cara no chão. Aproveitei a brecha e pulei em cima de Yato, o segurando no chão ele se debateu um pouco mais logo cedeu e ficou parado, provavelmente juntando forças pra outro golpe. Samantha mexia as mãos de forma simétrica e logo sua pele atingiu um tom brilhante como uma estrela no céu azul.
Yato urrou e asas negras como as de um demônio sem penas brotaram em suas costas, seus olhos estavam negros totalmente sem cor e seus dentes tão afiados quanto suas unhas que haviam virado garras. Samantha com delicadeza tocou o rosto de Yato, tendo sua cabeça em suas mãos. Yato protestou tentando a todo o custo se libertar, mordi cruelmente uma de suas asas, e como um monstro ele gemeu de dor, Samantha aproveitou a reação de dor e iniciou a cura. Todo o brilho que sua pele assumira foi para sua mão e em seguida para o corpo de Yato desaparecendo na medida que ele fechava os olhos.
-Volte ao normal, por favor. – Samantha aproximou seu rosto do dele, suas formas humanas voltavam enquanto o cabelo da garota ficava totalmente rosa.
Talvez esse seja o poder dela… curar e mudar a cor do cabelo das pessoas.
Sai devagar de cima dele, permanecia imóvel no chão.
“Ele é forte “ sussurrei na mente de Samantha muita preguiça para abrir minha boca e pronunciar palavras…
-Oque? - Ela olhou para mim espantada. – Você fala estilo telepatia?
“é,” dei um risinho olhando para ela, ao colocar minhas patas dianteiras no chão, senti uma dor terrível na esquerda, com o golpe de Yato havia torcido a mesma.
-Bom…-ela me analisou – Acho que tenho energia pra te ajudar. – Ela se aproximou de mim, e eu dei um passo manco para trás.
-Tudo bem se eu pegar sua pata? – Ela sentiu meu receio.
Estendi minha pata pra ela, nunca havia sido curado dessa forma antes, ela pegou minha pata e sua mão brilhou e como com Yato o brilho foi para minha pata desaparecendo em seguida. Por uns instantes era como se minha pata tivesse entorpecida fora de meu corpo, mas logo eu já a sentia, estava novinha. Coloquei ela no chão, não podendo disfarçar minha animação.
-Brigado! – Exclamei bem mais alto do que o planejado. – Mas… - Hesitei – O que vamos fazer com ele?
Ela respondeu mentalmente: “deita lo na cama e deixa lo tranquilo até que melhore. “
“Ah, sim” respondi na mente dela. Juro que não passou pela minha cabeça joga lo dum penhasco.
Com cuidado virei humano, peguei Yato nos braços o colocando na cama. E que se foda nudez, ninguém liga.
Quando o deitei senti um belo zun-zun-zun em sua mente, sua atividade cerebral havia aumentado.
“Está tomando a consciência… “ sussurrei bem baixinho em sua mente.
“O que aconteceu? Pq minha cabeça dói….? “
“Eu não sei ao certo… mas você ficou meio doidão e atacou a Samantha. “
“Desculpe… como ela está? “ senti uma pontada de preocupação com a garota de cabelos que mudam de cor bem mais alta que o normal.
“Está bem você não chegou a machuca lá, ela tava aqui agora, mas deve ter ido pro quarto dormir… “
-A dor…. É suportável. – Ele sussurrou bem baixinho, a cura de Samantha era muito eficiente mesmo.
-Eu não sou um vampiro comum. – ele se arrumou um pouco na cama.
-Bom, - fui para minha cama, acobertando minha nudez com o edredom, grosso e quentinho. – Tudo que sei de vampiros, aprendi com um lobo que não batia bem da cabeça. – Ri ao me lembrar de meu pai, e ele ainda se considerava um Alpha digno. - Yato riu
-Meu tio… não me ensinou muita coisa, ele apenas me treinava para quando entrasse em combate.
-Todas as coisas, aprendi com os livros. Até que nos separamos desejo seguir meu próprio caminho, mas até hoje sinto que foi apenas interesse. E você?
-Minha humana morreu. – Sussurrei um pouco cabisbaixo como doida pronunciar o verbo “morrer”.
-Humana?
-Sim,quando fugi da alcateia acabei a encontrando… Mas não quero falar nisso, espero que entenda. – Fui sincero com o Vampiro à minha frente.
-Ou…. – Ele fez uma pausa atendo ao que eu tinha dito,
-Você disse que seu tio tinha interesse em você, acho que não entendi direito essa parte.
-Ele viu minha família ser dizimada, e apenas se sentou para assistir… sem fazer nada. Ele sabia da força dos meus poderes e achou que quando crescesse eu daria minha vida para protegê-lo.  – Yato demonstrava sentir se mal com as atitudes do tio interesseiro.
-ele jogou bem sujo, você acha que ele ainda vai vir atrás de você?
-Sim, - Yato se levantou, pegando um travesseiro macio e voltando a se deitar em seguida.
Me ajeitei na cama, os cobertores quentes logo me envolveram, fechei meus olhos devagar colocando de forma simpática um ponto final na conversa, enquanto Yato aproveitava a doce música que o silêncio tocava para nós… se os pensamentos das pessoas naquele prédio deixassem.
                ~Samantha on~
Me deitei na minha cama, totalmente esgotada rezando para que o galo demorasse a cantar,
-Sam?  - escutei, e abri um olho para ver quem era.
-Cristal.... Que bom que você acordou, o que aconteceu?
-é... Nada eu estava dormindo.
-ela sorriu confusa.
-Mas, você...
-Ah, - Ela gargalhou. - esqueci de avisar eu sou sonâmbula. - Ela riu.
-Poha Cristal! - Taquei o travesseiro nela e me virei para não olhar seu rosto.

                  ~Samanta off~

-Durmam meus pequenos, amanhã o pesadelo começa - uma figura envolta por roupas pretas com uma asa negra faltando em suas costas caminha pelos corredores de forma silenciosa.
-durma minha pequena fada…. Os desamores virão para você ao amanhecer…  - acariciou a face da fada adormecida que usava vestimentas para dormir na cor verde limão florescente. Sempre chamativa.
-Yuki… sua expressão adormecida faz você parecer uma boa garota… - A figura com a face coberta solta um risinho, ao cobrir com o cobertor a garota de nariz arrebitado.
Um flash de luz….
Um suspiro…
E em um piscar de olhos a estranha figura de roupas negras e uma asa só desaparece dos terrenos da escola, como palavras jogadas ao vendo… Sua aparição morreu nas sombras da madrugada… Mas, talvez.


Notas Finais


Uma estranha voz, no final do capítulo... Uma voz, quem é o dono dessa voz?
Mistérios... Para serem solucionados... Falem suas teorias,
Bom, espero que estejam gostando, sinceramente esse capítulo não me agradou muito... Mas espero que pensem diferente de mim.
Bom... O próximo sai sábado que vem...
Bjinhos vejo vocês nos comentários💙😄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...