História Android Imperfeito - Capítulo 85


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Androide Nº 16, Androide Nº 17, Androide Nº 18, Bulma, Cell, Chichi, Dende, Gohan, Goku, Kuririn, Mestre Kame, Mr. Satan, Piccolo, Tenshinhan, Trunks, Vegeta, Videl, Yamcha
Tags Android, Cell, Gohan, Videl
Visualizações 49
Palavras 3.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Super Power, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá Peoples!!!
Bem gente, quero avisar a vcs esse cap eu o fiz enquanto estava em um consultório psicológico, pq? Bem, lembram de q eu falei q aconteceu algo ruim na minha familia? O q aconteceu foi o seguinte, minha cunhada estava grávida de 7 meses e eu ia ser a madrinha, só q minha cunhada entrou em trabalho de parto e o nenem dela nasceu deformado e não durou três dias, foi um baque federal em todos nós, agora minha cunhada está com depressão pós-parto e ela, mesmo sendo madrinha da minha filha, tem medo de chegar perto da minha nenem... eu fiz questão de ir com ela nas consultas com o psicologo, afinal, além de cunhada e madrinha do meu casamento, ela é minha grande amiga e eu quero ver ela sorrir de novo, além disso, como eu ia ser madrinha do nenem dela, eu acho q meu afilhado gostaria de me ver dando forças a mãe dele.... ela lê as minhas histórias como uma fantasminha e foi na sala de espera do consultório do psicologo q eu escrevi os caps de ELU e AI, ela até me pediu para postar o cap 20 de ELU do jeito q estava, (ela até sorriu ao ler o cap, coisa q tava dificil de acontecer)
Quanto a esse cap, eu o fiz depois do psicologo me pedir para sempre lembra-la de coisas q a faziam alegre e meu irmão, assim como meu marido, se empenharam na causa, nós começamos a lembrar de quando ela ñ podia ver a cara do meu irmão e ele - para pegar no pé dela - ficou fazendo umas brincadeiras bem pervs com ela, ai me veio a ideia desse cap e eu (na vdd, nós, pq meu irmão tbm lê os caps, além do meu marido) rolei de rir ao lembrar e escrever isso de acordo com o contexto de AI... minha cunhada tbm sorriu e mais do q isso, ela riu (timidamente, mas riu) e pronto, foi o q eu precisava para postar esse cap! Então o q vcs vão ver aqui é algo VERIDICO q aconteceu com meu irmão e com a minha cunhada, então é para ela esse cap tbm!!!! TAMO JUNTAS FLOR!!!! Ñ IMPORTA A DOR!!!!!
Leiam!

Capítulo 85 - Libertando Poderes! - Pagando o Inimigo Na Mesma Moeda!


Fanfic / Fanfiction Android Imperfeito - Capítulo 85 - Libertando Poderes! - Pagando o Inimigo Na Mesma Moeda!

Os guerreiros ficaram espantados diante do que viam, Ragnarok conseguiu avançar para o super saiyajin e isso era assombroso, afinal, ele conseguira desencadear a transformação só por causa de seu estado emotivo e das lembranças de seu mestre. Gohan se lembrou de como ele mesmo alcançou a transformação, foi depois de uma longa discussão com Goku, onde Gohan havia criticado o jeito mole de Goku para com ele, isso fez com que Goku o atacasse transformado com um kamehamehá, Gohan barrou o ataque com as mãos, porém sua mente começou acusa-lo sobre sempre precisar dos outros para ajuda-lo e para protege-lo e foi pensando em mudar sua maneira de ser e para proteger aqueles que ama que Gohan avançou e se transformou. Agora, o mestiço via isso em seu primo, essa mesma convicção expressada nas palavras de Ragnarok fez Gohan ver que não era só ele quem pensava assim e que com certeza, isso deveria ser de família.

Raditz estava abobalhado, ele estava vendo seu filho totalmente transformado, não só isso, ele via que o braço de seu filho – que antes estava totalmente debilitado – havia sarado de forma surpreendente e além disso, a técnica que seu filho sempre usava tinha um novo aspecto, parecendo ser muito mais resistente e forte. Raditz não conseguiu suprimir as lágrimas, seu filho estava crescendo na frente dele e se tornando mais forte que ele, como não ficar orgulhoso?

Lime era outra que estava abobalhada com o que via, Ragnarok transformado lhe fazia sentir algo que ela não podia sequer cogitar em sentir: segurança, só havia duas pessoas que ela conhecia que a fazia se sentir assim, uma era seu avô e a outra era seu pai. A ruiva também sentia o braço de Ragnarok em volta de si de uma forma protetora e ele olhava para Kulde com um olhar que deixava Lime tremendo e não era por causa da raiva que o acastanhado – agora loiro – sentia, era porquê... ele estava lindo desse jeito. A menina se martirizou internamente, como poderia achar um cara como Ragnarok lindo? Sendo que ele foi muito bruto com ela desde que o conheceu? Lime não sabia responder, ela só sabia que seu rosto estava quente demais e ela tinha certeza que estava corada, ou com febre e ela preferia que fosse a segunda opção.

Ragnarok sentia seu corpo fumegar e uma estranha força se apoderar dele, ele sentia que estava bem elétrico, era como se houvesse tido uma boa noite de sono que recarregou completamente suas energias, mas muito mais do que isso, ele se sentia alguém novo, alguém que renasceu, ele sentia seu corpo vibrar diante de seu novo poder e foi então que ele olhou para os demais, notando os olhares sobre ele, algo com certeza estava diferente e ele não sabia bem o que era, mas não importava agora, o que importava para ele era punir o assassino de seu mestre e a pessoa que fez Lime chorar. O garoto não sabia dizer bem o porquê, só sabia que estava furioso com o fato de que Kulde fez Lime chorar, para Ragnarok, a ruiva não deveria lançar uma lagrima de tristeza e se fosse para chorar, deveria ser de alegria e só havia uma pessoa que podia fazer Lime chorar e esse alguém era ele. Desde quando pensava assim? Não sabia responder, mas ele estava querendo e muito que Lime sorrisse, nem que seja uma única vez para ele.

Kulde ficou assombrado por alguns instantes, porém ele logo se encontrou furioso, Ragnarok não só se transformou em super saiyajin, como também estava protegendo Lime e segurando a menina pela cintura. Para Kulde, o único que podia fazer isso com a ruiva era ele, pois ela deveria ser sua e de mais ninguém, além disso, o fato de ele estar preso em uma cela feita especialmente para deuses não o ajudava em nada e ele agora bufava de nervoso enquanto encarava Ragnarok, Lime e a cintura da menina aonde o acastanhado – agora loiro – estava segurando.

Ragnarok observava atentamente cada expressão do rosto de Kulde, vendo o quanto ele estava louco pelo fato de que Lime estava sendo protegida por ele. O mestiço notou como o deus do gelo direcionava o olhar para ele, depois para Lime e depois para um ponto que ele não soube identificar de imediato, porém, quando Kulde voltou seu olhar para ele e fez a mesma rota, Ragnarok percebeu que o terceiro lugar que o inimigo focava era o braço dele que estava na cintura de Lime. Aquilo fez o acastanhado – agora loiro – sorrir confiante e travesso, se ele quis brincar indecentemente com Lime antes, estava na hora de receber o troco, além de dar uns sustinhos na ruiva. Todos veem quando Ragnarok sorri e até estranham a reação do garoto, então o mestiço olha para Cherub, Seraph, Arcangel e para Cell, nesse último ele tenta lançar uma conversa telepática, sendo bem-sucedido ao descobrir que Cell estava tentando desvendar o que Ragnarok pensava.

-Cell! Está me ouvindo?

-Estou!

-Diga aos parentes da Lime que eu vou fazer umas brincadeiras com a escória e que vou precisar da ajuda da Lime, então, para que eles não se assustem, eu quero deixar de sobre aviso.... Falou Ragnarok com uma voz mental travessa.

-.... Nem imagino o que fara... quer dizer, imagino sim.... Falou Cell suspirando pesadamente. –Só você mesmo... sempre foi assim....

-Vai querer dar um de tutor para cima de mim agora? Pensou o mais novo super saiyajin um pouco revoltado.

-Não disse isso... só disse que te conheço bem demais para saber o que fará e já aviso, você vai ver o que é a minha prima furiosa e com certeza não vai gostar.... Falou Mirai Seraph sorrindo de canto.

-Não se preocupe... vou avisar a ruivinha aqui, do meu jeito claro.... Falou o mestiço sorrindo maquiavelicamente. –Avise meu primo e os demais também, acho que é bom eles saberem antes de virem para cima de mim com paus e pedras!

-Paus e pedras você vai receber do meu tio caso faça algo impróprio... não diga que eu não te avisei! Alertou o android meneando a cabeça.

-Deixa comigo, sei me virar, agora vou matar dois lobos com um tiro só!

Cell findou a telepatia e colocou a mão na cara, se o Ragnaok desse tempo fosse parecido com o do seu futuro, Lime poderia contar os dias de paz que tem. O Android então avisa a todos sobre o que Ragnarok está tentando fazer e Cherub ficou confuso, preocupado e principalmente enciumado, tudo bem que Ragnarok salvou sua filha duas vezes, mas isso não era motivo para ele usa-la em seu plano, além disso, Dezesseis pressentia que o mestiço iria fazer algo tenebroso com sua filha e isso não o deixava tranquilo nem um pouco. Seraph olhou para Cell e ambos suspiraram, prevendo a morte de Ragnarok da forma mais terrível possível, os dois conheciam a prima que tinham e sabiam que quando ela estava furiosa, não era bom ficar perto dela, além disso, se alguém a provocar, não era nada bom estar no campo de visão dela, pois qualquer tipo de martírio poderia cair sobre a cabeça de quem estivesse perto, mesmo que essa pessoa não tivesse nada a ver com o que aconteceu.

Ragnarok sorriu mais diabolicamente, coisa percebida por Lime, o mestiço então acentua o aperto em torno da cintura da ruiva, a trazendo para mais perto de seu corpo, a menina fica confusa, envergonhada e muito raivosa, afinal, ela achava que só havia uma pessoa que poderia fazer isso com ela e essa pessoa seria seu marido e só depois que os dois casassem. Ragnarok percebe a mudança de humor da ruiva e sorri mais, de forma que seu sorriso diabólico se tornou mais sensual, fazendo Lime corar ainda mais, logo o mestiço vai em direção ao ouvido da menina e suspira perto do mesmo, fazendo Lime ter um arrepio de cima para baixo, logo depois Ragnarok sussurrou:

-Escuta pirralha, estou a fim de brincar com a cara desse desgraçado, mas para isso vou precisar da sua ajuda, então, topa?

Lime não era trouxa para não entender as intenções por trás dessa ajuda, ela estava relutante em relação a isso, afinal, iria parecer que ela e Ragnarok estavam tendo um caso e que ele tinha total permissão para tocar nela, coisa que ela jamais deu, além disso, ela não queria que Ragnarok passasse a mão nela, além de vergonhoso, isso só iria dar a ele a chance de jogar na cara dela e isso com certeza ela não iria tolerar, porém... ela também gostaria de fazer Kulde pagar por todo o medo, angustia, lágrimas, pavor e depressão que ela passou desde que ele a capturou na primeira vez, então, mesmo relutante, ela aceitou com um leve e tremulo aceno, fazendo Ragnarok sorrir mais.

O mestiço então comprime mais a cintura dela, para depois descer a mão da cintura até a coxa, fazendo leves caricias, o que fez Lime ficar da cor de seu cabelo e fechar os olhos de vergonha e indignação com o ato. Kulde rosnou com o que viu e começou a se debater, fazendo Ragnarok suprimir uma gargalhada. Cherub é outro que estava raivoso com o que viu, porém ele sabia que era parte de um plano para enlouquecer Kulde e pelo visto, estava dando certo, então ele tentou se acalmar, mas era sua filha que estava sendo “assanhada” pelo mestiço, então controlar-se estava sendo difícil. Arcangel suspirou e revirou os olhos, pensando em como a juventude de hoje estava tão desavergonhada para o seu gosto. Seraph e Cell tiveram a mesma atitude, ambos arregalaram os olhos e já estavam vendo o sangue de Ragnarok vertendo na neve. Raditz chorava de orgulho, assim como Bardock, Turles nem se manifestou, porém ele olhou para o albino e ficou imaginando se isso acontecesse entre Seraph e sua filha, esse pensamento fez uma aura negra em volta dele, coisa percebida por seu irmão mais novo que sorria faceiro diante da cena, porém para Gohan, aquilo estava sendo um martírio pelo simples fato de que sua mente começou a imaginar ele e Videl nessa situação.

Ragnarok estava se divertindo como nunca, além de deixar seu inimigo furioso, ele estava deixando Lime completamente a sua mercê, mas não era o bastante para ele, ele queria se divertir mais e para isso, ele abraçou Lime com seu outro braço, aquele que estava com a técnica metamorfos e Lime estremeceu com o contato, pois o metal frio encostou em sua pele um pouco aquecida. Ragnarok então desliza a outra mão – aquela que estava na coxa dela – para o bumbum, dando leves apertadas ali enquanto via Lime morder o lábio inferior tentando suprimir um gemido. Kulde começa a gritar com a cena, falando e prometendo as mais terríveis mortes geladas ao mestiço que continuava suprimindo as gargalhadas, todos os demais estavam só observando, porém, os olhos arregalados deles diziam tudo por si só, Gohan sentia suas pernas fraquejarem e sua mente o traia com mais imaginações sobre ele e Videl nessa mesma situação, além disso, o maldito incomodo no meio das pernas voltou e ele se amaldiçoou por não ter pedido explicações a seu pai sobre isso.

O mais novo super saiyajin então decidiu enlouquecer de vez o inimigo, fazendo com que a mão que estava transformada pela técnica metamorfose fosse para as costas de Lime, acariciando ali com delicadeza e libertinagem ao mesmo tempo, a outra mão – que estava no bumbum de Lime – subiu um pouco e foi tocando em seu abdomem, para depois subir mais um pouco e parar no seios esuqerdo da garota. Lime soltou um gritinho de surpresa e prazer ao mesmo tempo, fazendo Kulde começar a socar, chutar e lançar técnicas mortais na cadeia que o prendia, tentando se libertar de qualquer maneira, já os demais estavam esbabaçados diante do que viam, não era possível que Lime estava deixando isso acontecer sem nem ao menos mandar Ragnarok para “aqueles” lugares. Gohan estava tremulo já, o incomodo no meio das pernas estava pulsando e Santo Kami! Como é que Ragnarok estava aguentando tudo aquilo, se fosse Gohan quem fizesse isso, com certeza ele já teria invadido a boca de Videl com um daqueles beijos de levar ao céu.

Ragnarok já não suprimia mais o riso, porém o mantinha baixo, só para Lime e ele ouvir, foi então que uma ideia mais macabra passou por sua mente e ele não deixou de lado, o garoto então vai até o pescoço alvo de Lime e dá uma lambida prazerosa no local, fazendo a ruiva se sobressaltar, dar mais um gritinho e começar a arfar. Os demais se assombraram de tal maneira que mesmo que tentassem falar, as palavras não saiam, Gohan – ao ver Ragnarok lambendo o pescoço de Lime – se lembrou de quando ele lambeu o pescoço de Videl, na mesma hora sua boca ficou seca e seu “incomodo” vibrou no meio das calças a ponto de doer, aquela cena o fez sentir falta do contato de sua língua com a pele da morena e Kami-sama! Ele se lembrava bem de como se sentiu ao escorregar sua língua na pele de Videl, o sabor, o cheiro, a textura, a macies, a quentura daquela pele era algo inigualável, só uma coisa tinha um mesmo patamar para Gohan e essa coisa se chamava beijo.

O mais novo super saiyajin estava se sentindo triunfante, além de deixar o inimigo louco, ele estava tendo as melhores sensações e visões de sua vida! Lime ainda tentava recuperar o folego e mesmo que Ragnarok não voltou a lambe-la no pescoço, ela ainda não conseguiu dar a volta na respiração, porém para os dois, uma coisa que eles nunca pensaram que iria ocorrer aconteceu, eles queriam mais daquilo. Ragnarok sentiu o gosto da pele de Lime e seu interior vibrou, assim como algo começou a pulsar no meio de suas pernas e um sentimento de gana lhe sobreveio, ele até tentou lutar contra, colocando sua testa no ombro da menina enquanto ainda massageava suas coisas e seu seio, porém o cheiro da pele de Lime lhe chamava, lhe corrompia, lhe enlouquecia e quando viu, lá estava ele lambendo de novo, provando do fruto proibido e sentindo o quanto estava desejando aquilo, assim como sentia o quanto Lime também desejava, pois ela já estava toda trêmula, como se seu corpo esperasse por mais disso, além de que, Ragnarok sentiu que algo durinho havia se formado no seio da menina e aquilo só o enlouqueceu mais, fazendo-o lamber e mordicas o nódulo da orelha dela, o que fez Lime começar a gemer baixinho, fazendo ambos se prenderem mais naquele jogo e Santo Kami! Que alguém os parasse, era a única coisa racional que conseguiam pensar.

A cena estava tão impactante que ninguém se deu conta que havia ainda duas meninas por ali, Freya e Pan olhavam a tudo aquilo com certa confusão, porém a acastanhada estava bem mais confusa, enquanto Pan parecia avaliar o que estava acontecendo como algo até... comum. Foi então que Freya resolveu pedir sobre o que estava acontecendo, pois ela não aguentava mais ficar em dúvida sobre aquilo, mal sabia ela que Ragnarok e Lime agradeceram aos céus quando ela começou a falar.

-Mas afinal... o que o meu irmão e ela estão fazendo? Pediu Freya intrigada.

-Eles estão namorando, só isso! Respondeu Pan como se nada fosse.

-NAMORANDO??? Gritaram todos os demais, até mesmo Lime e Ragnarok.

-Sim. Respondeu a menininha morena de forma natural.

-Pan... como sabe sobre isso? Pediu Seraph pensando nos meninos que poderiam pedir Pan em namoro.

-Já vi o papai e a mamãe fazerem isso várias vezes e o papai me disse que isso é o que namorados fazem. Explicou a criança calmamente.

-Você não presta mesmo Gohan.... Falou o albino tentando controlar sua ira.

-CALADO!!! Gritou Gohan roxo como uma beterraba de vergonha.

-Isso significa que a Lime vai ser minha cunhada? Pediu Freya esperançosa.

-COMO É QUE É??? Pediram todos, menos Pan e Freya.

-Isso é decisão deles! Falou Pan de uma forma muito madura.

-Mas eu gostaria tanto de ter uma cunhada como a Lime, eu gostei muito dela. Disse a menininha acastanhada correndo para Lime e abraçando as pernas da mesma. –Ei Mano, você promete?

-Prometo o que? Perguntou Ragnarok como quem não sabia sobre o que estava sendo falado.

-Promete casar com a Lime? Pediu a mais nova simplesmente.

-O QUE??? EU NÃO POSSO PROMETER UMA COISA DESSAS!!!!!!! Berrou o mais velho muito vermelho.

-Mas vocês não estavam namorando agora a pouco? Pediu a garotinha confusa. –Mamãe sempre me disse que quem namora um dia vai se casar!

Os dois não sabiam o que responder, como negar algo a Freya agora? Era claro – para os mais velhos – que aquilo não era namoro, talvez pudesse ser classificado como um pega, ou algo do tipo, porém Freya não conhecia nada disso e seria difícil explicar algo assim a ela e para piorar, Pan afirmou que os dois estavam namorando e ainda deu exemplo do seu pai, ou seja, agora era impossível convencer Freya do contrário, ainda mais com a frase de Suno na cabeça dela. Ragnarok tentou achar uma saída e ele só encontrou uma, porém isso iria totalmente contra ao que ele disse para Lime antes de ela ser “raptada” por Kulde, ele então olhou para Lime e depois para Freya e disse:

-Talvez um dia, talvez Freya, talvez.... Ok?

-OBAAAAAAAA!!! Obrigada Mano! Falou a menininha dando um salto e abraçando Lime de novo. –Eu quero muito que você se case com a Lime, muito mesmo!

-E por que isso? Perguntou Lime envergonhada, furiosa com Ragnarok e confusa.

-Porque eu quero ter sobrinhos logo! Respondeu Freya naturalmente.

Agora era a vez de Lime e Ragnarok virarem um tomate, ou melhor, uma beterraba de vergonha, dava para ver fumacinhas saindo das orelhas dos dois e para piorar a situação, tanto Lime quanto Ragnarok começaram a pensar em como se fazia filhos, tendo em seus pensamentos um ao outro como coparticipantes. Seraph e Cell tiveram a mesma reação, um tapa na própria cara, enquanto Raditz chorava orgulhoso, Bardock o acompanhava, Turles não estava nem aí, Cherub tinha uma aura maligna em volta de si, Arcangel revirava os olhos e Gohan estava tendo uma batalha interna contra sua mente, assim como estava vermelho e sentindo uma dor aguda no meio de suas pernas.

Kulde ainda rosnava e se debatia quando Ragnarok decidiu que bastava por hoje, ele sabia que não podia vencer um deus, porém ele também sabia que sua espada podia imobiliza-lo e foi com esse pensamento que Ragnarok empunhou a espada K e correu até a cela do inimigo. Kulde sabia o que Ragnarok pretendia fazer e sabia também que realmente funcionaria, porém ele não desistiria e o deus do gelo se cobriu totalmente com seus cristais negros, Ragnarok já esperava por isso e então o garoto só traspassou a espada em Kulde, abrindo uma brecha no meio dos cristais, logo os mesmos começaram a se quebrar e Kulde sentiu a lamina da espada em seu peito, o imobilizando. Arcangel aproveitou a deixa e se contatou diretamente com o Kaioshin do Leste, este veio diretamente para buscar Kulde, o amarrando e inutilizando seus poderes, assim, Kulde foi levado por Kibito – que veio junto com Shin – para o conselho de deuses, ele pagaria pelo o que fez.

Todos vibraram ao saber que o inimigo iria ser punido e Lime até chorou de alegria, sendo abraçada por sua família, Ragnarok sorriu com isso, mas foi alvejado por seus familiares, então todos decidiram voltar e festejar, não sem antes Raditz e Ragnarok terem sua conversa e deixarem as coisas entre os dois esclarecidas. Para a surpresa de todos, Shin volta com uma presilha de cabelo, a mesma que Kulde estava portando antes da batalha começar, Shin só entrega a presilha a Arcangel e o velhinho já imaginava o que significava, sendo assim, ele foi até Lime e prendeu uma mecha do seu cabelo na região da testa, a presilha reagiu e então Lime começou a brilhar, logo pode-se ver a menina com cabelos verdes e olhos de íris roxa.

Foi uma surpresa para todos aquilo e então Shin explicou que aquela presilha era da mãe de Lime e que a mesma era para trancar os poderes da filha, mas agora que estava em posse de Lime, os poderes dela estavam livres, Lime chora ternamente e toca a presilha, logo que suas lágrimas caem no solo, flores começam a desabrochar e galhos se formam, foi então que Cherub se lembra do que aconteceu na primeira vez que Lime correu para a caverna, sendo assim, as lágrimas de Lime criaram vida e fizeram aquele bloqueio de raízes e galhos. Todos então voltam para a vila, recebendo caras surpresas das mulheres do grupo, porém isso não impediu a festa na vila nevada.

Enquanto isso, Vasti observa a tudo... em lágrimas de felicidade.


Notas Finais


Olá di novo!
Se em ELU eu chorei, aqui eu rolei de rir... só vc mesmo né cunhadinha.... depois eu q sou lesada e louka.....
sashuuhashuauhshuaushuahushuahusuhauhshuasuhahusuhauhsuhahuhuaushauhsuhauhsuhahushuashuauhsuh
Prox cap: VAMOS VISITAR A CASA DO TURLES!!!!! (como eu queria q chegasse essa parte!!!!)
Kissus de felicidade (TODO MUNDO PRECISA DISSO!!!!! TODO O DIA!!!!!) e até! o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...