História Anelise - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Ellen Page
Exibições 44
Palavras 1.015
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, estou de volta com um capítulo fresquinho para vocês, acho que ficou legal, em fim:
Boa leitura!

Capítulo 5 - 15 Again?


Fanfic / Fanfiction Anelise - Capítulo 5 - 15 Again?

Justin Bieber:

Olhei para seus olhos por um momento, eles eram brilhantes e castanhos. A brisa da noite fria soprava seus cabelos, dando um ar angelical para o possível anjo na minha frente.

—C-Como? V-você...e-eu?

Ele sorriu, um raio desceu pelo céu fazendo um barulho estrondoso.

—Você se assusta com tão pouco, imagino como será a sua aventura. Você é especial para todos nós, precisamos de você!

—Nós quem?

Perguntei, tentando não ter um surto psicológico com meu próprio sonho.

—Eu, você e muitos outros.

—Por que eu deveria ajudar?

Novamente, voltei a fazer perguntas. Eu encarava fascinado com as asas do garoto a minha frente. Me perguntei se elas eram tão macias quanto pareciam.

—Porque daqui á dois anos, quando Anelise tiver seu primeiro filho, você vai se jogar de uma ponte e arderá no inferno por ter cometido suicídio.

Arregalei os olhos e dei dois passos para trás.

—Do que você está falando? Como sabe sobre Anelise?

Ele sorriu.

—Eu sei de tudo, sei o que acontecerá e oque já aconteceu. Sei que você não suportará viver sem o amor da mulher que ama e que pagará por um erro que não cometeu.

Eu me mantive calado, ouvindo o que ele teria a dizem em seguida.

—Eu já fui uma pessoa humana antes, Justin, eu já me apaixonei antes e morri por isso. Eu morri enforcado por ter me relacionado com uma mulher da realeza e algo parecido com você vai acontecer se não segui o que foi lhe mandado.

—O que você quer?

—Preciso que me escute com atenção: O seu final feliz já existiu á muito tempo mas, ele foi tomado de você. Você precisa recupera-lo.

—O que? Como?

—Conquiste-a, faça-a se apaixonar por você novamente e terá o seu final feliz.

Outro raio cortou o céu e uma chuva forte começou a cair. Os pingos de chuva atravessavam o meu corpo como se eu fosse invisível. O tal “Anjo” me olhou e colou os olhos no céu.

—Começou.

O que? O que começou?

Suas assas se recolheram, sumindo de minha vista.

—Não posso dizer por agora, eu preciso saber se você aceita.

Ele se virou e uma luz branca apareceu atrás dele.

—Aceitar o que?

A chuva caia mais forte agora e o vento não para nem um minuto se quer.

—Aceita tomar o que é seu por direito? Seja de qual forma seja?

Ele caminhou apressadamente até a luz branca e me olhou uma última vez.

—Você aceita ser feliz?

Ele olhou quase como se me implorasse para que eu aceitasse.

—Sim, mas...espere!

Ele sumiu na luz brilhante e meus olhos pesaram. Eu estava com sono...

 

Acordei com a cabeça entre latejos e com a luz do sol iluminando meu rosto. Eu não me lembro de ter deixado a cortina aberta, eu soltei um ruído quando me sentei na cama, com as mãos na cabeça. Franzi as sobrancelhas a encontrar um pacote de salgadinho em baixo do meu travesseiro.

—Que diabos?

Eu sussurrei, eu fiquei bêbado durante a festa? Eu nunca deixo lixo no meu quarto. Olhei em volta não reconhecendo o lugar onde eu estava, parecia meu antigo quarto na casa da minha mãe. Ela deve ter me trago durante a minha provável bebedeira com quatro prostitutas em uma boate de strip.

Minha mãe deve ter ficado com saudades de mim e deve ter posto a antiga decoração novamente. Levantei o pulso procurando meu relógio, ele não estava ali...espera...cadê as minhas tatuagens?

Me levantei correndo e fui até o banheiro. Me olhei no espelho e...

Eu dei um grito.

Eu...Eu...Eu estou mais jovem, minhas tatuagens sumiram, o meu cabelo está caindo sobre meus olhos e eu estou magro. Um furacão passou pela porta do banheiro.

—O que foi, Justin? Está machucado? Quer ir para o Hospital?

Eu olhei para seu rosto.

Outro grito.

—Mãe o que aconteceu com você?

Ela franziu as sobrancelhas e se olhou no espelho.

—Nada... deve ser o cabelo, eu te disse que cortei ele ontem—Ela deu uma pausa—  Garoto!—Ela me deu tapa no braço—Grita assim de novo e você vai ter que enterrar a sua mãe por ter feito ela ter um ataque cardíaco!

Acariciei meu braço.

—Ai, doeu!

—Era para doer, nunca vi você gritando desse jeito. Agora vai para a escola, você vai ficar atrasado.

—Que escola? O que aconteceu ontem?

Ela me olhou de novo e apertou os olhos em minha direção.

—A mesma escola que você frequenta por treze anos? E ontem você chegou da escola e foi dormir, querido, você está doente?

Ela mediu a minha temperatura.

—Acho que sim...

Eu disse em um fio de voz. O que estava acontecendo? Eu já tinha meu palpite do que seja, mas não pode ser...foi só um sonho maluco. Oh, isso! Eu ainda estou sonhando, claro! Eu ainda não acordei e estou relembrando a minha infância. Eu precisava saber mais:

—E as prostitutas?

Ela arregalou os olhos e deu um pulo.

—QUE PROSTITUTAS JUSTIN DREW BIEBER? VOCÊ ESTÁ FICANDO MALUCO? QUE HISTÓRIA É ESSA?—Ela agarrou a minha orelha e foi me puxando até o quarto.

Eu fiz merda.

—Ai, ai, ai, ai, ai, ai, ai, mãe!

Ok, não era um sonho. Eu senti a dor do tapa que ela me deu e esse puxão de orelha...

—É brincadeira mãe!

Eu menti e ela largou a minha orelha. Seu rosto estava vermelho e ela parecia querer soltar fumaça. Eu não vejo minha mãe assim á muito tempo! Ela saiu do quarto batendo a porta. Eu acariciei a minha orelha e soltei um suspiro. Ela disse algo sobre a escola...eu vou ver Anelise de novo, isso, eu tenho que chegar nela antes do Ryan.

Eu te disse Justin, você vai voltar a suas antigas origens e vai salvar a todos.

Uma voz na minha cabeça sussurrou e eu me lembrei de Jason.

Jason?É você?

Eu pensei e em segundos ouve uma resposta.

Sim Justin, vou te guiar em sua aventura.

Eu sorri.

O que me aconselha a fazer agora?

Eu pensei me sentando na cama.

Que tal você começar com um banho?


Notas Finais


Adeus meus docinhos, nos vemos no próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...