História Angel Black - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Justin Bieber
Personagens Demi Lovato, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Dor, Obsessividade, Policial, Possessividade, Romance, Sexo
Exibições 140
Palavras 1.257
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


PORRAAAA
EU JUREI QUE ESSA FANFIC NÃO ESTAVA BOA E TAUS, MASSSSSSS VOCÊS SÃO AS MELHORES <3

Enfim, muito obrigada a todos que gostaram dela e que irão me acompanhar :)
Esse capitulo é mais para mostrar como ele é e como ele... ENFIM NÉ...
>> Desculpem qualquer erro
>> Música tema é In The Name Of Love (Da Bebe Rexha e Martin Garrix <3)
>> Boa leitura :)

Capítulo 2 - I'm Possessive


Fanfic / Fanfiction Angel Black - Capítulo 2 - I'm Possessive

“Meus pensamentos são seus 24hrs por dia.…”- Esmeralda McConer

 

P.o.v Esmeralda McConer Stratford, Canadá

22:23hrs P.M.

 

   O som estridente de algo havia me desperto naquela hora. Meu subconsciente me empurrava para abrir os meus olhos o mais rápido possível, porém meu sono era grande demais para isso.

  Tentei virar e dormir de novo, mas o celular não deixava, e fui obrigada a levantar e pega-lo para ver quem estava me incomodando. Justin. Droga, esqueci completamente!

 

 -ONDE PORRA VOCÊ ESTAVA, ESMERALDA? – seu grito foi estridente de mais, me fazendo distanciar meu celular do ouvido.

 - Ei, ei, ei! Calma aí, não grita comigo. – falei com raiva. Escutei seu riso irônico e meu sangue ferveu mais ainda.

 - Não é para eu gritar? Eu juro que quero te esganar agora, cacete! Porque não atendeu as minhas ligações? – sua voz era grave e carregada de ódio.

 - Eu estava dormindo, tá legal? – bufei e levantei.

 - Você tem que estar aqui em dez minutos, nem um segundo a mais! – e desligou.

 

     Eu juro que as vezes ele é uma pessoa boa, mas tem vezes em que ele não colabora muito.

    Ele nem sempre foi assim, seu humor mudou conforme o tempo. Sua possessividade também. Ele, na verdade, sempre foi muito cuidadoso comigo, mas a alguns anos atrás ele piorou. Até começou a regular minhas roupas e me “protegia” dos urubus, nome que ele dava aos garotos que se aproximavam de mim. Meio louco, eu sei, mas ele nunca deixou de me amar, e nem eu a ele. Somos loucos, porém eu tenho tanto medo que isso piore, que as vezes me pego imaginado dando um tempo disso tudo.

 

      Decidi parar de pensar e começar a cuidar rápido, pois sabia que ele odeia esperar. Levantei da cama e segui para o banheiro para tomar um banho. Depois de alguns minutos, sai do banheiro e troquei de roupa, uma saia florida, um cropped branco e tênis da adidas. Me maquiei rápido e corri para fora de casa, indo em direção a casa ao lado. Não deu tempo de tocar na campainha e a porta da casa do Justin, que ficava ao lado da minha, foi aberta, revelando um Bieber irritado olhando para mim com cara de poucos amigos.

 

 - Não vai com essa saia! – nem desejou uma boa noite.

 - Vou sim, nem começa!! – falei brava e revirei os olhos. – E aproposito, oi para você também, minha noite foi interrompida mais está ótima e estou pronta para irmos logo!!! – arqueei uma sobrancelha em deboche e virei caminhando em direção ao seu carro que estava estacionado em frente à casa dele.

 - Essa saia esta curta, Esmeralda! – sibilou com raiva.

 -  Não está não, você que está vendo coisas onde não tem! – disse me virando e o encarando. - Agora vamos logo, por favor? – ele bufou e fechou a cara.

 

     Certo, ele é insuportável na maioria das vezes.

    Não falei nada, apenas entrei no carro quando ele destrancou o mesmo com a chave.

 

     Que lindo, iriamos ir à festa do Shawn e ele agindo como um completo babaca. Eu mereço!

 

 No caminho para a festa não falamos nada, apenas o silencio reinava no carro, e isso estava me agoniando, porém eu não iria dar o braço a torcer e eu acho que ele leu meus pensamentos, pois começou a falar.

 

 - Sabe que eu odeio quando veste esse tipo de roupa! Eu não gosto quando olham para você! – ele falou e logo bufou ao terminar.

 - Já parou para pensar que eles só “olham”? – disse com raiva. – Eles não tocam em mim, eles não me beijam, eles não são o meu namorado! Então para de agir como se todo mundo fosse me atacar e me estuprar! – assim que falei a última frase, ele apertou o volante com força, me fazendo soltar um suspiro.

 -  Nem fala isso! – arqueei uma sobrancelha e o olhei em dúvida se tinha entendido tudo o que falei, ou foi só essa parte. -  Ok, desculpas! – assenti, mais não falei nada.

 

     Ele hoje até que está mais compreensivo.

 

[...]

 

        Descemos do carro e logo ele se posicionou ao meu lado, passando o braço ao redor da minha cintura, me puxando contra o seu corpo. Típico.

       Suspirei e começamos a andar, logo Shawn apareceu com um enorme sorriso no rosto.

 

 - Esmeralda, Justin! -  ele saldou-nos com um abraço em mim e um toque estranho com Justin.

 - Eae cara, parabéns! – Justin sorriu e bagunçou os cabelos do mesmo.

 - Parabéns Shawn! – falei sorrindo apenas.

 -  Divirtam-se! – falou e assentimos, seguindo para perto dos amigos do Bieber.

 

       Não queria estar aqui, mas eu precisava, afinal considero o Shawn meu irmão mais velho, porém eu ainda não vi a Babi aqui. Talvez ela não esteja em cas...

 - ESMERALDA! – seu grito foi estridente, me fazendo ri e abri os braços para ela. – Você veio! – ela rio e me puxou para longe de Justin, que revirou os olhos com força.

 - Pois é né, é o que parece! – ela me deu um tapa e sorriu.

 - O Shawn me garantiu que você viria, mas eu não te encontrei! -  falou enquanto me levava para um barzinho improvisado na sala.

 - Cheguei agora, garota! – ri do seu desespero.

 

       Babi era minha melhor amiga desde que me entendo por gente. Irmã do Shawn e “pega” o Ryan, outro amigo do Justin. Bem louquinha na maioria das vezes, porém tem o melhor coração de todos.

 - Preciso dançar, e pegar geral!!! – falou enquanto erguia o copo.

 - Ué, já esqueceu do Ryan? – perguntei cínica.

 - Aquele filho da puta! -  revirou os olhos e virou o copo.

 - Brigaram? – questionei enquanto bebia meu refrigerante. Por incrível que pareça eu nunca tomei um pingo de álcool.

 - Sim! – me olhou, mais logo deu de ombros e me puxou para o meio da sala, onde uma batida agitada começou. Uma coisa que domino bem é a dança, e com muito orgulho.

 

    Meus quadris se movimentavam ao som da música e eu me deixei levar, fechando os olhos, me permiti descer até o chão e subir com leveza, minhas mãos passeavam pelo meu corpo enquanto eu me mexia. Sorri quando senti mãos em minha cintura, me puxando em direção ao seu corpo, me pressionando. Espera. Não é o Justin.

    Me soltei rápido e me afastei a tempo de ver o Justin partindo para cima do Scott. Merda.

 

 - SEU.FILHO.DA.PUTA!! – a voz de Justin estava alterada, seus punhos se chocavam contra o rosto de Scott, e com certeza iria destruir, se os garotos não tivessem tirado Justin de cima do Scott.

 

    Logo Justin estava ao meu lado, soltando fogo pelo nariz. Segurou em meu braço com força e me puxou para a saída da casa de Shawn.

   Quanto mais ele me arrastava, mais machucava o aperto em meu braço.

 - Eu falei que não era para ter vindo com essa porra de saia, caralho! – abriu a porta do carro e me jogou lá dentro. Meu cotovelo foi de encontro a marcha do carro, machucando-o.

 - Aí! – sibilei com dor. Ele deu a volta e adentrou o carro, nem ligando se havia me machucado ou não.

 - Você precisa me obedecer mais vezes, Esmeralda! – bufei, o sangue subiu a minha cabeça.

 - Eu não sou a merda de um objeto! – grunhi com raiva.

 - Você é minha, Esmeralda! – ele rosnou enquanto ligava o carro e saia da casa do Shawn.

 - Posso deixar de ser!

 

   Em minha defesa, eu não devia ter falado isso...

 

 

“Baby, eu estou ficando quebrada demais...”


Notas Finais


Comentem em nome do pai, porque particularmente, eu não gostei... Mais vocês tem que conhecer como é o esquema, certo? certo! jdhddbdhdhdh

kiss <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...