História Angel Black - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Justin Bieber
Personagens Demi Lovato, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Dor, Obsessividade, Policial, Possessividade, Romance, Sexo
Exibições 151
Palavras 1.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


PORRAAAA... Eu só quero agradecer a todos vocês por tudo :) Vocês arrasam sempreeee!!!! AMO VOCÊS
>> Música tema é STITCHES do Shawn <3
>> Boa leitura meus amores :)

Capítulo 3 - Reconciliation?


Fanfic / Fanfiction Angel Black - Capítulo 3 - Reconciliation?

“Por favor, tenha misericórdia de todas as nossas lembranças....” – Justin Bieber

 

P.V.O Justin Bieber

Stratford, Canadá

23:58hrs P.M.

 

      Eu juro que queria estourar a cabeça daquele infeliz chamado Scott. Filho da puta do cacete. Mais ele me paga na escola, eu sei bem o que fazer.

     Ao meu lado havia uma Esmeralda enraivecida, mas eu é quem devia estar bravo com ela. Eu falei que a porra da saía estava curta de mais. Porém ela não me escutou e isso me deixou puto. Odeio quando ela age da forma errada, odeio quando ela mostra seu corpo demais, odeio quando alguém olha para ela.

 

 - Ei, você passou da entrada! – ela falou me alertando, porém eu já sabia.

 

   Iriamos ter uma conversa séria, muito séria.

 - Eu sei! – a única coisa que saiu da minha boca foi isso.

    Não nos falamos mais. Eu continuava relembrando das mãos do idiota tocando na minha garota, tocando no que é meu! Ninguém toca no que é meu, ninguém.

 

    Alguns minutos depois, chegamos a uma clareira dali eu estacionei o carro e suspirei quando o mesmo parou, ela apenas suspirou forte e olhou para fora do carro, olhando para onde havíamos ido. Eu odeio quando ela tenta me ignorar, eu odeio quando não estou perto dela, perto o bastante para toca-la toda hora.

 

 - Não quero brigar com você, Justin! Vamos para casa, por favor. – sibilou chateada, respirando forte enquanto massageava o cotovelo.

 - O que aconteceu com seu cotovelo? – questionei preocupado. Ela rio irônica e revirou os olhos enquanto soltava uma lufada de ar.

 - Eu me machuquei quando você me jogou aqui! – ela falou sem expressão alguma.

 - E-Esmeralda, me perdoa! – tentei tocar o braço dela, mais a mesma se afastou do meu toque, e como um raio, meu coração se despedaçou.

 - Não toque em mim, só me leve para casa! – soquei o volante com força quando a vi tentar abrir a porta do carro, mais a mesma estava trancada.

 - Não! – falei alto, puxando seu braço para que ela virasse em minha direção. – Me escuta! – seus olhos estavam molhados, suas bochechas em um tom vermelho.

 - Só me deixe ir! Você nunca termina uma festa ao meu lado! Sempre age por impulso, eu não aguento mais nada disso! – meu corpo gelou e meu subconsciente me alertou, dizendo-me que estávamos em uma área perigosa.

 - Não pense que vamos terminar por conta disso! – falei passando a mão em meus cabelos.

 - Não é só você que determina algo! Eu... eu não sei porque faz isso, sabe que me magoa pra caramba! – secou as lagrimas com raiva e virou o rosto para a janela do carro.

  

     Ela sempre foi a parte mais bonita do meu mundo. Ela sempre foi algo de se admirar, ela sempre foi tudo para mim, na verdade.

 

 - Eu não consigo me ver longe de você! Eu não consigo acordar e perceber que eu possa ter perdido você! Eu realmente não aguentaria um dia. Você é tudo de mais importante para mim, e eu desistiria da eternidade para tocar em você, porque eu sei que você me senti de alguma maneira! – eu falava tudo olhando para frente, para as estrelas refletidas no céu, repetindo uma parte da sua música favorita, Iris do Goo Goo Dolls.

   

      Ela não falou nada, apenas continuou olhando para frente enquanto lágrimas caiam dos seus olhos.

 

     Minutos se passaram e ela resolveu quebrar a minha tensão.

 

 - Eu não me vejo sem você! Todo o futuro que eu construo me minha cabeça todas as manhãs, você está nele! E, apesar de tudo, eu não consigo entender você. É tão complicado e ao mesmo tempo tão claro, mais o pior é que eu não consigo me ver dizendo um adeus, ou até mesmo um até logo!! – ela me olhou e sorriu mínimo. – Eu amo você! – ao terminar, se inclinou e selou nossos lábios em um selinho demorado. Eu a puxei para o meu colo quando a mesma fez menção em se afastar.

 

    Minhas mãos foram de encontro a cintura fina dela, a puxando mais para cima, a deixando confortável. Os seus lábios doces me prendiam em uma dança sensual e ao mesmo tempo tão romântica, do jeito que só ela sabe fazer. Uma das minhas mãos escorregaram para a sua coxa, a apertando e subindo um pouco da sua saía, me permitindo sentir a textura da sua pele macia. Meu membro dando sinais, seus suspiros deixando as janelas do carro embaçadas e meu subconsciente só imaginado coisas obscenas que eu faria com aquele corpo esculpido por anjos.

 - Eu preciso de você! – sibilei nervoso e eufórico, me permitindo adentrar em seu cropped e apalpar seus seios.

  

      Tudo parou no momento em que ela segurou minhas mãos, parando com todos os movimentos.

 - Justin.... Não consigo! – hesitou em falar, mais logo falou meio receosa.

 

    Eu respirava ofegante, um pouco meio aéreo, mas logo meu subconsciente se tocou. Eu ultrapassei a linha vermelha. Droga!

 

 - Esmeralda, me desculpa! – tentei olhar em seus olhos, mas a mesma desviou os mesmos.

 - Tudo bem! – ela tentou sair do meu colo, mas a prendi no lugar.

 - Olha para mim! – falei mais a mesma continuou com a cabeça baixa. – Olha para mim! – repeti de novo, e dessa vez a mesma levantou a vista e me encarou constrangida.

 - D-Desculpa de novo, amor!  - sua voz saia tremula e seu choro pareceu aumentar.

 - Não, pare de me pedir desculpas! Eu que deveria pedir, eu não deveria ter ido longe demais. – disse pondo uma mecha do seu cabelo atrás da orelha.

 - Tudo bem! – dela suspirou forte e olhou para o lado, com as bochechas coradas. – Eu prometo, vai ser com você! Mais só não agora. – seu medo era evidente.

 - Eu vou esperar quanto tempo for preciso, e isso é uma promessa!

 

[...]

 

     Parei o carro em frente à sua casa e sorri a olhando atento.

 - Desculpas de novo! – ri constrangido e beijei sua bochecha. – Me espere amanhã, ok? Não gosto quando vai com a Babi! – revirei os olhos e ela rio negando com a cabeça. – Do que está rindo?- questionei confuso dando um meio sorriso.

 - Você tem ciúmes da Barbara? – arqueou uma sobrancelha.

 - Tenho! Ela vive tirando você de perto de mim! – fiquei emburrado e a mesma negou e se inclinou me dando um beijo na bochecha.

 - Boa noite! Eu te amo. – disse e abriu a porta do carro.

 - Boa noite! Também amo você! -disse e a mesma fechou a porta do  carro e seguiu para casa.

 

    A olhei até que ela estivesse dentro de casa, e logo fui em direção a minha casa ao lado, estacionei o carro e desci. Peguei meu celular e liguei para o Ryan. Minutos depois ele atendeu.

  - Alo? – sua voz estranha me dizia que o idiota já estava bêbado.

 - Quero a imagem do Scott manchada amanhã na escola! – sorri ao terminar a fala.

 

 

"Ninguém toca em nada que é meu sem que eu permita... Ninguém!!!"- Justin Bieber


Notas Finais


Me digam o que vocês acharam <3 E agradeço pelos comentários do capitulo passado :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...