História Angel (Markson) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Jackson, Mark, Markson, Yugbam
Visualizações 102
Palavras 2.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu sei que demorei, me desculpem;-;
Pelo menos eu trouxe.

Capítulo 2 - Esse garoto é realmente esquisito


Fanfic / Fanfiction Angel (Markson) - Capítulo 2 - Esse garoto é realmente esquisito

    - Vem logo, antes que eu desista dessa ideia. - Jackson pegou o loiro pelo braço, e se direcionou a saída do local, já que eles já tinham recebido alta.

- Não vai mesmo me dizer o que é? - perguntou emburrado fazendo um bico com os lábios. Jackson não iria admitir, mas tinha achado aquele bico extremamente fofo.

- Eu simplesmente não consigo acreditar que você realmente não sabe o que é um coração. - já estavam do lado de fora e começou a tatear os bolsos com um mão, já que a outra segurava o braço de Mark.

- Ah! Então esse é o nome! Mas pra quê serve? - perguntou curioso. Ele não sabia o que era um coração já que não tinha um e nem precisava de um.

- Aish, garoto, eu já te explico. Apenas quero achar uma coisa. - falou um pouco irritado por não ter achado o celular no bolso. Soltou o braço do garoto e retirou a mochila das suas costas colocando-a no chão, ficando agachado para procurar o aparelho no meio daquelas caixinhas de presentes - que recebia das garotas da sua escola - e livros.

- Meu nome é Mark, se quiser que posse te ajudar. Acho que tá procurando algo.- falou animado, agachando ao lado de Jackson, o observando procurar o aparelho.

- Deixa, eu acho que eu esqueci em casa. E o meu nome é Jackson. - deu um suspiro e fechou a mochila, colocando-a novamente nas costas. Pegou novamente no braço de Mark e começou a andar em direção a sua casa/lanchonete.

- Ok, Jackosn, agora me diz o que é um coração. - Jackson bufou. Não conseguia acreditar que alguém não sabia o que era um coração. É uma coisa que se aprende no Ensino Fudamental I, ou até mesmo antes.

- Ele serve para bombear o sangue e você viver. - falou de um jeito simples, já que não queria detalhar por está estressado com tudo que estava acontecendo.

- Mas eu não preciso disso. - falou debochado, mas de um jeito infantil. Jackson pegou a mão do menor, e a colocou no peito do garoto que arregalou os olhos e deu um grito, fazendo o mais alto tampar os ouvidos com as mãos.

- O que foi? Tá chamando a atenção de todo mundo. - falou olhando para as pessoas ao redor que estavam o olhando estranho.

- EU TENHO UM CORAÇÃO E NÃO SOU HUMANO. - gritou ainda com a mão no peito. Estava confuso. Estava pensando na hipótese de ter virado um humano, e só de pensar que iria morrer, já o deixava em desespero.

Eu virei humano?

- Do que você tá falando?

Esse garoto é realmente um maluco!

- Quer saber, apenas me segue. - desistiu de tentar entender aquele garoto e começou a andar em direção a sua casa/lanchonete. - Você não vem? - se virou para trás buscando uma resposta do loiro, que ainda estava paralisado com tudo que estava acontecendo. O menor apenas acenou com a cabeça e se pôs a caminhar logo atrás de Jackson.

Mark estava confuso, não queria acreditar na hipótese de ter virado um humano, sendo que é praticamente impossível isso acontecer com um anjo, de acordo com o que ele sabe. Iria perguntar sobre isso para Jin.




[...]



O caminho foi silencioso. Mark pensava no que iria fazer para "voltar", e Jackson aproveitava o silêncio para pensar. Tinha a impressão de que tinha esquecido de algo, mas não conseguia se lembrar. Com tudo que estava acontecendo consigo em apenas algumas horas, o fez ficar um pouco avoado e acabar se esquecendo.

Estavam apenas à alguns metros da lanchonete, quando percebeu que JaeBum estava em frente da mesma, enquanto olhava apreensivo para o celular com JinYoung no mesmo estado ao seu lado. Jackson chamou os garotos e assim que eles o viram, correram em direção ao mesmo e o deram um abraço triplo.

- Finalmente! Eu estava te esperando aqui à mais ou menos meia hora, e já pensava na hipótese de você ter morrido. - JB falou com uma feição aliviada, se soltando do abraço.

- Não faça mais isso, eu quase tive um ataque cardíaco. - JinYong disse dramaticamente, colocando a mão no peito, o que arrancou uma pequena risada de Mark. - Quem é esse garoto? - olhou para o garoto atrás de Jackson, que permaneceu calado.

- Acho melhor a gente entrar. - falou se direcionando a lanchonete a abrindo a mesma com a chave do local. Suspirou percebendo que a sua avó ainda não havia chegado.

- Porque esse garoto tá com você? - JB perguntou sussurrando, olhando para o loirinho que estava sentado em uma das mesas do local, olhando para um canto qualquer.

- É meio confuso. - falou suspirando se sentando ao lado de Mark, sendo seguido pelo moreno que se sentou na sua frente.

- Você vai nos explicar, principalmente sobre a parte desse garoto. - JinYoung falou susurrando a última parte, mesmo sabendo que ele iria escutar. - Tivemos que cancelar com os outros garotos que iriam jogar, estávamos preocupados.




[...]



- Você tem realmente certeza que tá bem? - Junior perguntou pela segunda vez após ouvir a história de Jackson por não ter participado do jogo.

Estavam preocupados, pois Jackson não era o tipo de garoto que se atrasava ou não iria para um compromisso sem dá explicações. Era o típico garoto pontual que sempre chegava antes do horário marcado e que quase nunca se atrasava. Os amigos sabiam que para Jackson não ter ido tinha um motivo, mas não imaginavam que o garoto tinha ido parar em um hospital.

Como que esse garoto caiu daquela altura e não tem nem mesmo um arranhão?

- Eu já disse que sim, pode soltar meu braço também? - JB soltou o braço do loiro e olhou desconfiado para o loiro que estava ao lado de Jackson.

- Eu acho que você sabe de alguma coisa. - falou diretamente para Mark que desviou o olhar do mesmo. - Ele é mudo? Não falou nada até agora.

- Acredite, ele não é. Não sei o por quê de está assim agora, antes ele estava bem mais agitado. - falou dando de ombros. - Vamos, fale algo, você ainda é um estranho e eu preciso saber algo sobre você para continuar aqui em casa até você ir embora.

- Isso mesmo, Mark. - JinYong falou ainda olhando com uma mão apoiada na mão com um olhar desconfiado. O moreno sabia o nome do garoto por causa da breve explicação que Jackson tinha o contado. O mesmo tinha ocultado algumas informações como a do garoto falar "sozinho" e não saber o que é um coração. - Que tal falar a sua idade?

- Eu... - quase ia falar a sua idade verdadeira, mas achou melhor repensar. Não poderia dizer que tinha uma idade maior do que a estimativa de vida de um humano. - Eu tenho a mesma idade que ele. - apontou para Jackson.

- Você tem dezoito anos? - JaeBum perguntou e o garoto confirmou com a cabeça. - Tem certeza que não se lembra de onde vem?

- Ah, isso eu sei. - falou sorridente, fazendo os outros garotos que estavam ali o olharem esperançosos. - Mas vocês não ia acreditar em mim mesmo. - falou dando de ombros.

- Vamos, nos fale. Eu posso te levar pra lá e aí tá tudo resolvido. - disse o loiro, esperançoso.

- Eu vim de lá. - apontou para o lado de fora, mais especificamente para o céu, já que a entrada do local - tanto a parede, quando a porta - eram de vidro, o que dava a visão do lado de fora - O céu. - assim que falou isso, JaeBum e JinYoung começou a ter uma crise de risos extremamente escandalosos e Jackson abaixou a cabeça, colocando a mesma entre as mãos. - Ya! Do que está rindo? Eu tô falando sério. - perguntou irritado, olhando para o dois garotos que estava praticamente chorando de tanto rir.

- Me desculpa, eu não consigo levar isso a sério. - falou limpando os olhos. Mark fez uma careta para ele e o mesmo riu. - Esse garoto é realmente estranho. - logo um som de barriga roncando foi escutado, o que fez Mark se assustar.

- O que é isso? - falou assustado. JB tentou segurar o riso e Jackson apenas revirou os olhos.

- Você tá com fome, já que esse barulho provavelmente veio de você. - Jackson falou se levantando e indo em direção a cozinha da lanchonete, sendo seguido por Mark

Humanos fazem esse barulho quando estão com fome? Eu já ouvi essa palavra em algum lugar, mas não me lembro do significado. Acho melhor eu ficar quieto, se não ele vai achar que eu sou louco.

- Quero só ver o que que a sua avó vai fazer quando encontrar esse garoto na casa dela comendo da comida dela. - JaeBum falou sem se levantar da mesa em que estava. A cozinha não era tão longe e possuía um balcão que os separava.

- Eu acho que ela não vai ter muitos problemas com ele, pelo menos eu espero. Minha vó sempre tenta ajudar os outros. Provavelmente ela vai entender a o problema dele. - falou dando

- Realmente, mas o que você vai falar sobre o Mark?

- Eu ainda não sei, talvez a verdade, porque você sabe que não adianta esconder nada dela, ela sempre acaba descobrindo. - desistiu de procurar algo e voltou a se sentar no mesmo lugar de antes. - Não tem nada nessa cozinha. - falou bufando.

- Claro que tem, essa é a cozinha da lanchonete, tem que ter algo. - JinYoung se levantou e entrou na cozinha pegando uma embalagem de rámen. A jogou na mesa em que Jackson estava, fazendo o mesmo se assustar. - Viu? Você que é um cego. - falou debochado, fazendo um careta se formar na cara de Jackson.

- Eu me sinto vazio. - Mark falou colocando a mão na barriga.

- É fome. - Júnior pegou o paciote de rámen o foi para a cozinha do local. - Eu faço o rámen, Jackson vai com o garoto e dá uma roupa pra ele, e o JaeBum me ajuda com a comida. - falou enquanto enchia a panela com água e colocava a mesma no fogão, já ligado.

- Quem precisa de ajuda com rámen? - JB perguntou confuso. Rámen era uma das coisas mais simples e básicas de se fazer na Coréia do Sul.

- EU preciso. E o que vocês ainda estão então fazendo aqui? - olhou para os dois que ainda continuavam no mesmo lugar. - Vão logo!

Jackson se levantou revirando os olhos, e Mark apenas seguiu o loiro para os fundo da lanchonete. O maior abriu a porta e se direcionou para o seu qtuarto.

- Isso tudo é seu? Que legal! - Mark estava maravilhado com a quantidade de brinquedos que tinham ali, a maioria eram brinquedos antigos e estavam em várias prateleiras do quarto.

- Eu coleciono. Toma. - Jacksonr jogou um moletom cinza e um short folgado para o garoto que conseguiu pegar por reflexo. - Pode tomar banho nesse banheiro, tem sempre uma toalha reserva, é a azul. - ia saindo do quarto, quando Mark pegou o seu braço, o impedindo de continuar. - O que foi agora?

- Eu apenas queria agradecer por ter me ajudado até agora. Eu juro que vou achar uma maneira de te recompensar, me peça algo, eu irei te ajudar. - disse sorrindo para o maior que deu um sorriso nasal.

Ele pode ser estranho, mas é adorável.

- Eu apenas quero que você tente ser um pouco mais normal. - Mark fez uma careta e Jackson deu um sorriso de canto.

- Eu não tenho culpa se é vocês que são estranhos. - disse com uma cara irritada entrando no banheiro. Jackson negou com a cabeça e riu um pouco por causa do garoto. Achava o seu jeito engraçado e adorável - coisa que não iria admitir nem para si mesmo -, mesmo sendo estranho.

    Esse garoto é realmente esquisito.


Notas Finais


Eu sei que a fic tá acontecendo devagar, mas é assim mesmo.
O Mark é menor que o Jackson sim!
Me julguem.
Até a próxima, bezu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...