História Angels - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~jjgirl

Postado
Categorias Ariana Grande, Justin Bieber
Personagens Ariana Grande, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Ariana Grande, Justin Bieber
Exibições 50
Palavras 1.694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Não tô morta gente,desculpa o atraso! Beijos,Babi ♡

Ah,e vou indicar Doing It Right dos Jacks. Kisses.

Capítulo 6 - Capítulo Seis


Fanfic / Fanfiction Angels - Capítulo 6 - Capítulo Seis

Coloquei os filmes e sentei com o pessoal. Não se passaram nem quarenta minutos e todos já estavam dormindo. Revirei os olhos e levantei indo até a televisão e desligando-a em seguida. Fui até o meu quarto e peguei alguns cobertores para o pessoal. Cobri os meninos,o casal,e por último Justin,que se agarrou no edredom e pareceu ficar mais confortável. Fui para o quarto e me joguei na cama,adormecendo em seguida.

(...)

Acordei com Loren me batendo com travesseiros,me fazendo encara-la raivosa.

--Deus! O que foi?--Perguntei e ela sorriu.

--Preciso conversar...--Se deitou ao meu lado.--Seria cedo demais para eu e o Luke...

--Considerando que vocês se conheceram ontem...Sim,é absurdamente cedo,mas Luke não é o tipo que faz por diversão,então acho que tá de boa...Mas espere pelo menos uma semana Loren,que abstinência.--Ela gargalhou e eu a acompanhei.

--Ótimo conselho,mas e você e o...

--Justin? Não existe eu e o Justin,palhaça.--Respondi e ela revirou os olhos.

--Tudo bem,mas há probabilidade de existir. Só preciso dizer que isso foi bem estranho,afinal,anteontem ele meio que quase deixou claro que o beijo não significou nada,considerando que ele sempre foi um babaca,o fato de ele ficar todo fofo e meigo do nada é meio estranho.--Concordei com a cabeça e ela suspirou.--Mas o futuro a deus pertence.

--Pois é...Vamos esperar pra ver,né?

--É o que temos...Os meninos estão todos lá embaixo. Vamos?--Assenti. Me levantei indo até o banheiro e escovando meus dentes. Dei uma penteada no cabelo e saí do quarto acompanhada de Loren. Descemos as escadas e os meninos falavam sobre alguma coisa. Gritei um bom dia e todos responderam. Fui até a cozinha para preparar o café. Fiz panquecas e...Só panquecas mesmo. Coloquei o suco na mesa e gritei os meninos que logo apareceram como se fossem canibais. Sentamos na mesa e começamos a comer em meio a risadas e brincadeiras.

--Gente,vamos lá pra casa jogar Just Dance?--Chris sugeriu e todos concordaram. Levantei limpando as coisas da mesa e lavando a louça e depois subi para tomar um banho.

Sempre fico me perguntando como seria minha vida se meus pais estivessem vivos. Provavelmente não conheceria meus amigos de agora e viveria no inferno de Southampton. Mesma rotina,pais que não se importam com o que eu faço e deixo de fazer,Loren comigo todas as manhãs e Jim me perturbando. Jim,esse sim era um problema. Não mencionei que após um tempo de sua revelação,ele voltou a me atormentar por mensagens. Mudei de número três vezes e por alguma obra do destino ele sempre conseguia meu novo número.

Saí do banheiro e vesti uma roupa fresca. O clima estava totalmente desagradável,afinal,era calor,e a única vantagem do calor é ir à praia ou à piscina. Acho extremamente nojenta a forma como ficamos grudando e suando por isso,coloquei um short jeans e desci as escadas encontrando os meninos. Entramos nos carros e fomos até a casa de Chris. Depois de uma tarde inteira jogando,eu já estava faminta e fraca.

--Chris,tem nutella?--Perguntei após me jogar no imenso sofá branco.

--Não.

--Isso é um absurdo. Vou sair pra comprar então. Peguei meu celular e coloquei no bolso do short e peguei um dinheiro que estava em cima da mesa.

A rua estava escura e bem fria. Ela impressionante como o clima aqui mudava de uma hora para a outra. Abracei meus próprios braços e continuei a caminhar até uma lojinha próxima e para a minha surpresa,estava fechada.

--Inferno.--Falei baixo para mim mesma. Decidi procurar a outra loja,afinal,estava me sentindo uma grávida com desejo. Andei bastante e nada.Fui caminhando mas não tinha noção de onde poderia vender. Uma pessoa racional,teria dado meia volta e deixado pra amanhã,mas eu sou eu então fui até uma desconhecida perguntar onde tinha.

--Boa Noite...--Cutuquei uma moça que por sinal era muito estilosa.--Sabe onde tem uma loja de doces ou algo do tipo por aqui?--Ela gargalhou junto com um cara que estava abraçado a ela.

--Não me parece o tipo de pessoa que frequenta esse lugar...Sabe,a parte Sul...--Sorriu de canto e eu a encarei confusa.--Mas eu vou te dar a informação gatinha...Com certeza não é aqui que vai encontrar sua loja de doces.

--Obrigada...?--Me virei para sair mas ela segurou em meu braço. Senti suas unhas perfurando meu braço e a encarei,puxando ele com brutalidade em seguida.--Algum problema?

--Te aconselho e não voltar mais aqui...--Sorri.

--Seria um prazer.--Respondi e saí andando. Voltei caminhando por aquelas ruas geladas até que senti alguém me seguindo. Pensei até na possibilidade de aquela garota estar atrás de mim,mas logo descartei. Continuei andando em passos rápidos na tentativa de achar uma rua clara,mas não achei,estava bem escuro na verdade. Me xinguei mentalmente de todas as ofensas possíveis por ter me metido nessa,por um pote de avelã e chocolate. Cheguei perto de uma rua com dois caminhos. Por qual eu iria não sei,e se soubesse traria alpiste ou algo assim pra marcar o caminho,mas nem pensei nisso. Um arrepio percorreu por todo o meu corpo quando senti mãos segurando em meu braço.

--Hum...--Me virei para encarar o cara que sorriu ao olhar ao meu rosto.--É você mesmo...Ariana,sim?--Assenti assustada. Parando para olhar até que ele era bem bonito. Seus olhos eram bem verdes e seu corpo era de tirar o fôlego. Ele fazia bem aquele tipo moderno que tinha carros e era conhecido por bastante gente. Ele soltou meus braços calmamente mas não conseguia correr.--Me desculpa se te machuquei.

--Não me machucou.

--Bom...Perdoe-me pelos modos...Me chamo Ivan Morello.--Apertou minha mão de leve. Tinha a impressão de já ter ouvido esse nome mas é coisa da minha cabeça,certeza.

--Me conhece de onde?

--Ouvi falar muito de você,seus amigos são meus conhecidos...

--Hum...Legal,foi bom te conhecer, a gente se vê,tudo bem?

--Claro que sim.--Sorri e passei meu número. Ele parecia confiável. Saí e acabei virando a direita. Comecei a correr por uma rua imensa,até que já estava ofegante e cansada. Peguei meu celular e liguei pra Justin que no segundo toque atendeu.

"MEU DEUS ARIANA,ONDE VOCÊ TÁ"

"Justin...Me ajuda...Vem me buscar."--Falei em meio a suspiros.

"Ok,onde você tá?"--Perguntou com urgência.

"Tô na rua...Hanfield..."

"Em qual parte?"

"Perto do muro de tijolos..."

"O QUE? O QUE TÁ FAZENDO AÍ?"

"Vem logo."

"Tá,já estou chegando."

E não deu outra. Uns sete minutos depois avistei o carro de Justin vindo em alta velocidade. Entrei no mesmo e ele me encarou preocupado.

--O que aconteceu?

--Nada. Andei muito e acabei me perdendo.--Ele suspirou.

--Por que estava ofegante?

--Corri.--Ele revirou os olhos.

--Caralho,não faça mais isso garota!--Ele passou a mão na testa.--Não venha mais para o lado de cá,está ouvindo?--O encarei confusa.

--Você é a segunda pessoa que me diz isso hoje?

--O que? Quem foi a primeira?

--Não sei o nome,mas era bonita.--Ele assentiu.

--Falou com mais alguém?--Assenti.

--Ivan Morello,Mirello,sei lá...Ele foi simpático.--Respondi e Justin me encarou com os olhos cerrados mas arregalou em seguida,socando o volante.--O que foi?

--Ivan? E como esse Ivan era?

--Bom,ele era...

--Não importa,não chega perto dele.--O encarei com as sobrancelhas arqueadas.--Ele não é confiável Ariana! Que porra,fica um minuto sozinha e já sai falando com todos os gangsters do Canadá.--Arregalei os olhos.--Sim,ele é um.

--Bom,você também.

--Mas eu sou um gângster legal,do bem.--O encarei debochada.--Ok,não do bem,mas ainda sim somos diferentes.

--E por que?

--Porque eu sou mais divertido que ele...Sou mais bonito...

--Bom,eu não achei.--Falei brincando e ele me encarou raivoso.

--Bom...Mas você me beijou.

--E quem garante que não beijei ele?

--Eu,você não faria isso?

--E quem disse que não?

--Eu disse. Você não seria louca.

--Seria.

--Não seria.

--Seria,ele me pareceu bem simpático,bonito,tinha um corpo que meu Deus...--Falei rindo e ele me encarou com mais raiva.--Ciúmes Justin?--Mordi o lábio e ele riu sarcástico.

--De você? Nunca.--Ok,isso me magoou um pouco mas a gente releva.--Só não chega mais perto daqui,não vou estar sempre ao seu dispor.--Disse seco.

--O que quer dizer com isso?

--Quero dizer,que se eu estiver ocupado na cama com qualquer vadia,ou fazendo qualquer coisa na próxima vez,vai ter que se virar.--Abri a boca e virei pra frente.

--Não vai ter próxima vez...Porque você vai ser a última pessoa para quem eu vou ligar.--Virei minha cara e encostei minha cabeça na janela.

O resto do caminho voltou em silêncio,obviamente. Chegamos na minha casa e saí do carro sem nem esperar ele. Entrei e todos me encararam e sorriram. Esse pessoal deve ter poder de teletransporte. Quase agora estavam na casa do Chris e agora já estão na minha.

--Estava fabricando o cacau,Ari?-Chris perguntou e eu revirei os olhos.

--Vou subir.--Respondi subindo as escadas e entrando no meu quarto.

A realidade é que as palavras de Justin me acertaram em cheio. Tudo bem,nos conhecemos há pouco tempo,mas sou uma pessoa que se apega a outra com bastante rapidez. Senti ciúmes sim,até porque quero alguém que beije só minha boca e não a de todo mundo. Tomei um banho e vesti uma camisola de seda,deitando na cama e ligando a televisão. Coloquei em um filme qualquer e fingi estar prestando atenção. Umas meia hora depois,a porta foi aberta revelando Justin que entrou sem camisa, fechou a porta e sentou em minha cama. Senti uma imensa vontade de ficar admirando todas aquelas tatuagens,mas lembrei que estou chateada com ele.

--O pessoal saiu.--Ele disse baixo e eu o encarei,encarando a televisão em seguida.--Olha...Desculpa...

--Tá. É só isso?

--Bom,eu não sei muito bem o que dizer para me desculpar,até porque eu erro com todo mundo mas você é a única que faço questão de me desculpar no momento.--Queria sorrir,mas tenho que ser dura.

--Não me referia a isso. Mas tudo bem. Está desculpado.--Sorri.

--Ok,obrigado.--Ele olhou pra televisão.--Fala sobre o que?

--Não sei,não estava prestando atenção.--Ele deitou ao meu lado.

--Tudo bem. Quer fazer alguma coisa?--Assenti.

--Quero dormir.

--Ok,estou indo.

--Não,fica aqui. Prometo tentar não abusar de você.--Disse e ele riu.

--Não seria ao contrário?--Neguei.

--Do jeito que você está com certeza quem abusaria de você sou eu.--Rimos.--Deita aí.--Ele assentiu e começou a tirar a calça.--Ei,vamos dormir,não fazer sexo.

--Podemos fazer se você quiser.--Sorriu malicioso e eu gargalhei.

--Tô cansada.--Ele assentiu.--Mas é melhor manter uma distância,ou não respondo por mim. Adoraria abusar desse corpinho.--Ouvi sua gargalhada e logo em seguida ele apagou a luz me abraçando por trás e assim dormimos.


Notas Finais


Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...