História Angels and Demons - Capítulo 59


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ao no Exorcist, Originais
Personagens Kuro, Personagens Originais, Rin Okumura
Tags Anjos, Demonios, Estudantes
Visualizações 15
Palavras 1.394
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


HEY GUYS! Sumi por um pequeno tempinho, de uns três dias, mas cá estou eu trazendo mais um capítulo para vocês.

O capítulo de hoje será focado na Alice e na Jessie. Resolvi fazer capítulo especial para as duas, porque cá entre nós, é um OTP!

Espero que gostem e divirtam-se lendo.

Capítulo 59 - Sakura


Fanfic / Fanfiction Angels and Demons - Capítulo 59 - Sakura

Depois da aula, Jessie foi direto se encontrar com a loira, que a esperava no jardim, como sempre. A híbrida sabia que havia um forte sentimento crescendo em relação às duas. Toda vez que olhava no fundo dos olhos verdes da garota, sentia borboletas no estômago, que surgiam apenas quando estavam juntas. Chegando no local, observou Alice tendo todo cuidado do mundo ao mexer com as plantinhas, o que fez a Mochizuki abrir um largo sorriso e se aproximar. 

Jessie: Quem é?  -Perguntou enquanto colocava as mãos nos olhos da loira.

Alice: Jessie. -A humana abriu um lindo sorriso ao ouvir a voz dela.

Jessie: Ah, como descobriu? -Disse fazendo bico e cruzando os braços. 

Alice: Porque eu conheço sua voz. -Virou-se para encará-la. -E eu te reconheceria até em uma multidão, Jess.

Aquelas palavras fizeram o coração de Jessie falhar a batida, a morena ficou encarando a garora por um tempo, até ouvir sua voz novamente. 

Alice: O que tem para me ensinar hoje, Jess-sensei? 

Jessie: A-ah, bom...que tal começarmos pelas pessoas? -Questionou e a loira assentiu, ambas se sentaram no chão.

Alice: E então? 

Jessie: Bom...a sociedade é uma coisa muito engraçada. -A morena disse suspirando. -Ela espera que você entre nos padrões que ela impõe. Você tem que seguí-los para ser aceito. Por isso muitos tem medo de não serem aceitos, medo de ficarem sozinhos, e sofrerem.

Alice: Você fala disso tão melancólica...

Jessie: É que eu já senti isso na pele... -Suspirou.

Alice: Por quê? -Perguntou se aproximando da híbrida e tocando em seu ombro.

Jessie: Ali...eu sou lésbica. E eu já sofri muito preconceito por isso...

Alice: Jess...e-eu... -Os olhos da loira ficaram marejados e ela abraçou a amiga fortemente. -Se eu puder, quero te proteger de todo o mal desse mundo, você não merece sofrer.

Jessie: Ali... -A morena retribuiu o abraço e afagou aqueles cabelos dourados. -E eu vou fazer de tudo para não vê-la chorar novamente. 

▲▼▲▼▲▼▲▼▲▼▲▼▲▼▲▼▲▼▲▼▲▼▲▼▲

Uma semana depois 

Os dias passaram como um flash, e o clima foi mudando, assim como o relacionamento das duas garotas. Ficaram cada vez mais próximas, criando cada vez mais laços. E Jessie tinha cada vez mais certeza que estava apaixonada pela humana. Sabia que seria difícil, por conta do que ela era, e por conta de sua vida. 

Alice: Não acho uma boa ideia, Jess-chan.

Jessie: Ali, você disse que seus pais vão voltar mais tarde hoje, é uma ótima oportunidade para você conhecer os melhores lugares da cidade.

Alice: Não sei, não...

Jessie: Vai mesmo ficar trancada em uma casa pro resto da vida? -A morena questionou provocando a amada.

Alice: Não! -A loira fez um bico, que Jessie achou muito fofo.

Jessie: Então, vai se trocar, eu te espero aqui.

A Ootsuka entrou na casa para poder se trocar, fez tudo com cautela, para que Kin não desconfiasse. Voltou para o jardim escondida, e quando Jessie a viu, o ar faltou em seus pulmões. A loira usava uma camisa de mangás curtas verde, que deixava sua barriga à mostra, mas também utilizava jardineira por cima. Nos pés, um All Star branco de cano baixo, e seus cabelos estavam amarrados em um coque mal feito, mas elegante. 

Jessie: V-você está...

Alice: V-vamos logo, antes que Kin-chan venha me procurar... -Corou violentamente com possível elogio da híbrida. 

Jessie guiou a amada até o centro da cidade, onde ficavam os festivais e os melhores restaurantes. Alice ficava cada vez mais maravilhada com as pessoas, com a comida, com as coisas. Mas não desgrudava um segundo do braço da morena, que também fazia questão de ficar ao lado da amada. A híbrida comprou dois dangos para as duas, a loira adorou o doce, nunca havia comido na vida, já que eram seus pais que escolhiam o que ela poderia comer.

Alice: Isso é uma delícia. -Disse alegremente.

Jessie: Deveria experimentar com anko. -A morena sugeriu e terminou de comer o seu.

Alice: Essa não... -O olhar da garota ficou centrado em algo que estava atrás de Jessie, que se virou para ver o que era.

Jessie: O que foi? -Questionou confusa. -Só estou vendo o babaca do Arthur.

Alice: Meu irmão...

Jessie: O que?! O Arthur é seu... -Antes que pudesse terminar a frase, a loira puxou a amiga para dentro de um restaurante e tampou sua boca.

Alice: Eu não quero que ele me veja, por favor... -A morena assentiu e tirou a mão macia da amada de sua boca.

Jessie: Como assim ele é seu irmão? -Sussurrou.

Alice: Nossos pais são divorciados, a minha guarda ficou com meu pai, e a dele com a Amy-sama...e nem meu pai, é meu pai biológico, já que ele nos abandonou quando eu tinha 4 anos. Akira é meu padrasto, que cuidou de mim como um pai.

Jessie: Por que chama sua mãe de "Amy-sama" e sua madrasta de "mãe"? 

Alice: Porque, mesmo sendo rígida, Naomi sempre cuidou de mim como uma mãe de verdade, diferente de Amy-sama. 

Jessie: Entendo...bom, veste isso, assim o Arthur não te reconhece. -A Mochizuki tirou seu moletom e deu para a loira, que hesitou por um instante, mas acabou aceitando.

A loira utilizou o capuz para esconder seu rosto, e Jessie a levou para um lugar mais afastado, onde Arthur não as veriam. Apressadas, acabaram esbarrando com um valentão da escola. E obviamente ele sabia da sexualidade de Jessie.

Valentão: Ora, ora, ora. Olha quem temos aqui. -O garoto sorriu de canto.

Jessie: Me erra, baka! 

Valentão: A gay e a namoradinha dela. -Ele pegou no pulso de Alice e a puxou de trás da Mochizuki.

Alice: M-me solta...

Valentão: Você é muito bonitinha. -Sorriu malicioso.

Jessie: Tire. Suas mãos sujas. Dela! -A morena vociferou e segurou a gola da camisa do garoto, o empurrando contra uma parede.

Alice: Jess, para! -A loira tentou interferir na briga, tentando puxar o braço da amada, mas acabou se assustando com os olhos avermelhados de Jessie.

Quando a morena percebeu o espanto no rosto da Ootsuka, sua sanidade voltou, fazendo-a soltar o valentão. Tentou se explicar, mas Alice saiu correndo. Jessie ficou desesperada, já que a humana não conhecia nada da cidade. Procurou-a em todos os cantos doa centro.

Até que finalmente a achou, estava admirando uma sakura, abraçando o próprio corpo. A morena se aproximou vagarosamente, não querendo assustá-la. Tocou em seu ombro, e a loira virou-se rapidamente.

Jessie: Ali, deixa eu me explicar. -Suplicou a garota.

Alice: O que aconteceu lá, Jessie? -Questionou num fio de voz.

Jessie: Senta, em vou te contar tudo.

Ambas se sentaram embaixo da sakura, Jessie tentava tomar coragem para contar tudo para a amada, que a olhava insistente. Então, a morena respirou fundo e deu início a explicação. 

Jessie: Você conhece o mito sobre os anjos e demônios, certo?

Alice: Sim, eu li um livro sobre isso. Mas o que tem a ver com...?

Jessie: Acontece que não é só um mito, Ali. Esse seres existem. 

Alice: Do que você está falando...?-Fez uma cara de confusa.

Jessie: É difícil de acreditar eu sei, você não deve estar acreditando em mim...

Alice: Eu acredito em você, Jess. Só estou tentando processar.

Jessie: Espera, acredita mesmo em mim?

Alice: Claro que sim...mas quer dizer que...você é um deles? -Arqueou a sobrancelha. 

Jessie: Não só um, como os dois. Meu pai é um demônio, e minha mãe uma quimera, criada pelo Vaticano. O que me faz ser uma híbrida. 

Alice: Sempre achei que você era especial, Mochizuki Jessie. E que viraria meu mundo de cabeça para baixo. -A loira disse sorrindo, enquanto encarava os olhos negros da amada.

Jessie: Não está com medo de mim? 

Alice: Eu nunca teria medo de você. -Num ato inesperado, a Ootsuka colou seus lábios nos da morena, que retribuiu o beijo.

As duas passaram alguns minutos ali, abraçadas embaixo daquela linda e bela árvore. Enquanto uma explicava mais sobre a mitologia, a outra ouvia tudo atentamente, segurando a mão da amada. Ambas agora sabiam claramente o que sentiam uma pela outra, amor.

Alice: Se um dia eu tiver uma filha, ela se chamará Sakura. -A loira disse sorridente.

Jessie: Por quê? -Questionou enquanto sentia o cheiro dos lindos cabelos da humana.

Alice: Porque, assim, sempre lembrarei desse momento. 

Jessie: É um nome lindo.

Colaram seus lábios novamente, para logo depois se levantarem, já que estava ficando tarde e precisavam ir para casa. Caminharam calmamente pelas ruas, até chegarem em frente a casa dos Ootsuka's. E lá, se surpreenderam com o que viram. Havia duas viaturas da polícia paradas em frente ao domicílio, os pais de Alice conversavam com dois políciais. A loira apenas conseguiu pensar em o que aconteceria com Jessie.


Notas Finais


BOOOOMMMMM
Bom, foi isso, minna. Deixem o que acharam do capitulo e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...