História Angels (INTERATIVA) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Interativa
Exibições 23
Palavras 1.240
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Mecha, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Estupro, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


CHEGAY
ta ai mais um cap novo minhas quianças
beijos do tio ou do pai
foda-se
é nois
VRAULISON

Capítulo 10 - A caçada "divina" começou


Enquanto ele andava pela cidade, olhando cada esquina em busca de um mercadinho sentiu uma mão tocar me seu ombro, logo como se fosse de imediato virou se e socou a cara do ser que o tocou, e pelo jeito não era uma boa ideia já que era Miguel, engoliu seco e os olhos queimaram de raiva, mas em meio segundo já estava voando a parede de uma loja por um soco, a dor era intensa, tossia um pouco por causa da poeira e levantou tossindo sangue, não era da ferida, mas sim do tumor que ele tinha, sentia o câncer em seu pulmão. Merda! era só o que o faltava! Miguel e câncer, acho que não era uma boa ideia zuar algumas páginas religiosas do facebook no ano passado, estava pagando com câncer, enquanto retomava a consciência olhou para frente e viu Miguel na porta da loja segurando uma caixa de cigarros, o olhou com desprezo e disse.

- não acredito que você fuma isto... esperava maconha mas... cigarro? é o que? um "bad boy"? -perguntava Miguel brincando com a cara dele-

- não, apenas sou o cara que vai te arrastar ao inferno -limpou o sangue da boca enquanto olhava Miguel- apenas me dê a caixa de cigarros, eu fumo tudo e você me mata pelo jeito... -suspirava, a dor de cabeça já se mantinha presente, a dependência do cigarro era alta, mas Miguel o olhou com uma cara de "não vou te matar".

- não vim aqui para te matar, vim para te dar uma missão, claro se você for capaz de fazer ela -disse rindo-

- apenas me fale Miguel! ou quer que eu chute seu traseiro da terra? -perguntou rindo um pouco da cara do novo Deus-

- você vai caçar lúcifer, mas os meio anjos irão te caçar também, todos eles -disse Miguel já com uma cara séria- não pense que vai ser fácil... estão armados e pronto para te caçar

- Miguel... como tem coragem de controlar a mente deles?! -perguntou o Garoto amaldiçoado, ok, sem cigarro e ainda por cima caçar e ser caçado? que perfeição- 

- apenas tive vontade e fiz, é simples -disse Miguel sem se importar- vocês meio sangues são a escória dos anjos e demônios... -disse o olhando, parecia que era sério, ele não ligava para os meio sangues-

- M-Miguel... -rosnou apertando forte o próprio peito- me livre do câncer e caço lúcifer... mas também vou querer os cigarros, é o meu pagamento -disse olhando Miguel, mesmo na frente de Deus ainda sim iria ser um caçador de recompensas- 

- feito -jogou a caixa ao Garoto e estalou os dedos, o fazendo se sentir bem- sem câncer, sem dependência do cigarro... vai durar mais isto que você chama de corpo -disse o olhando- e vem cá... qual o seu nome? -perguntou olhando aqueles olhos negros que atraíram a atenção do Deus, eram negros com uma intensidade alta, como se as próprias trevas estivessem dentro dele-

- meu nome? bem... -olha Miguel- quando eu estiver perto de morrer eu te falo -sorriu de canto- tem como fazer aparecer um isqueiro no meu bolso? o meu está acabando... -olhava Miguel-

- você está bem folgado mas... -faz um aparecer no bolso dele- estou devendo mesmo, vai caçar lúcifer e o matar?

- sim, adeus Miguel -disse se virando e saiu andando guardando a caixa em um bolso escondido da jaqueta- velho tem muito cigarro nessa porra... -olhando a caixa- tem uns 20 maços de cigarro... posso morrer feliz fumando tudo -sorriu de canto enquanto andava pela cidade e pegava um dos maços da caixa, o abriu pegando um cigarro e o ascendeu começando a fumar guardando o maço no bolso de trás da caixa- se eu fosse o cão aonde iria? -tentando pensar-

 

----------------------

Enquanto isto no céu olhavam a terra, quem olhava? todas as personificações, como se estudassem o meio anjo e meio demônio, se a mãe era a personificação da força, qual seria a potência do soco dele? a força? o raio de destruição? não sabiam, mas sabiam que deviam deter ele, eram ordens de Miguel, o novo Deus, não tinha como ele errar, deus não erra nunca! mas suas almas estavam vazias, eram como cascas vazias que apenas respondiam sem vontade, sem sentimento, sem amor, sem felicidade, não tinham nada em suas vozes, era como se não existissem mais pessoas dentro dos corpos e eles abriram suas asas, não em sombra, mas em carne e osso, eram douradas e grandes, começaram a voar em direção a cidade aonde se encontrava aquele garoto que na visão de Miguel caso matasse sozinho lúcifer poderia causar muitos problemas a ele.

 

-----------------------

Enquanto isto a moto dirigia a uma região isolada, era em direção as montanhas, corria rápido, mais rápido que muitos carros pegariam em uma estada de terra cheia de pedregulho esparramado, fazia de tudo para não acordar a moça que estava de carona nele, parou após algumas horas perto de uma cabana de madeira, era simples, apenas um andar, uma chaminé e duas janelas do lado da porta, uma na esquerda e outra na direita, ficou parada em frente a moto e deu um ronco alto, fazendo a mulher acordar, ela olhava ao redor se perguntando como foi parar ali, ouviu novamente mais um ronco da moto e a olhou, ficou meio espantada, sentia que dela vinha uma energia maligna, algo de ruim emanava dela, mas ela não se preocupou muito com isto, desceu e perguntou a olhando.

- aquele garoto pediu para você me trazer aqui? –perguntou e ouviu um ronco baixo como um sim- entendi... ele é confiável? –ouviu mais uma vez um ronco baixo- ele quer me machucar? –ouviu um ronco alto em desaprovação, ela sorriu- aonde ele está? –a moto deu uma derrapada no chão se virando para a cidade e deu um ronco alto empinando para a cidade- entendo... ele vai ficar bem? –não ouviu nada, a moto apenas se desligou- deve estar cansada... vou entrar na casa ok? –ouviu um ronco baixo da moto que logo voltou a ficar quieta, ela apenas assentiu e entrou na casa-.

Quando entrou viu que era bem simples, apenas um sofá grande, uma televisão, uma cozinha pequena e um quarto, estava tudo limpo, havia alguns livros em cima de uma mesinha na frente da televisão, foi até ela e sentou no sofá pegando o livro, um deles era a bíblia sagrada, o outro a bíblia do demônio, o que a chocou um pouco mas se manteve o mais calma que pode, até que viu um livro que deu um frio na espinha dela, na capa estava escrito “COMO MATAR DEUS”, ela gelou, aquele garoto queria matar deus? Ou era apenas algo a mais para ler, não sabia o que pensar, mesmo “dormindo” na viagem em que teve com a moto estava cansada, era como se ainda ficasse exausta, deitou-se no sofá fechando os olhos e se lembrou da cena do demônio a estuprando, ela pedia socorro enquanto antes ele gemia o nome dela, ela se sentia suja e chorava enquanto sentia a dor, mas tudo acabou quando aquele Garoto a salvou, ora ele era belo, ora ele era aterrorizante, transmitia a segurança e a insegurança com ele, ora transmitia vida, ora transmitia a morte, o que será que ele era? Será que havia alguma resposta nestes livros a mais que estavam jogados na mesa? Ou não? 


Notas Finais


ta aí o capítulo
espero que tenham gostado filharada
um beijo e vraulison!
fiquem com xablau e não usem drogas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...