História Animais Yaoi ( Personagens Baseados em Animais ) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Animais, Animais Yaoi, Hentai, Lemon, Orange, Yaoi, Yuri
Visualizações 115
Palavras 2.315
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


SE VOCÊ NAO GOSTA DE LEMON VAZA DAQUI PIRANHAGIII!!!

OLHA QUEM CHEGOU VIADAS DO MEU CORAÇÃO.

Eu amei escrever esse cap ( eu sempre amo neh 😂 )

Tem Lemon sim! Pra recompensar vcs por todas as vezes que eu trólei 😂👊

Espero que gostem! Bye bye

Boa Leitura ✴

Capítulo 7 - Por você, eu sou qualquer coisa


Fanfic / Fanfiction Animais Yaoi ( Personagens Baseados em Animais ) - Capítulo 7 - Por você, eu sou qualquer coisa

P.O.V Zebra

Acordo e mexo minha mão do meu lado, não sinto a presença do Leão e então me levanto.

Coço os olhos levemente e vou em passos lentos até o banheiro, faço minhas higenes e desço as escadas.

Eu estava apenas de cueca e de blusa social branca grande, vou para sala e o Leão estava vendo futebol na televisão.

Me a próximo dele o abraço por trás, em seu pescoço.

— Bom dia — Falo no ouvido dele e ele se levanta e vem até mim, me pega pela cintura e me coloca no colo dele. Com as pernas em volta da sua cintura.

Ergo a sobrancelha sentindo a respiração dele perto do meu rosto.

— Bom dia — Ele disse com a voz grossa e me colocou no chão.

— E o meu beijo? — Falei indo pra perto dele mas o mesmo recua.

" merda isso sempre acontece " penso abaixando meus braços e olhando para o chão.

— Já disse que eu não sou gay! E só aceitei esse casamento porque meus pais me obrigaram — Ele falou e eu senti um bolo se formar na minha garganta.

Eu sabia que ele não gostava de mim, mas eu amava ele. Aquele jeito mandão e arrogante dele, me deixava louco.

Eu fui privado de muitas coisas por causa do nosso casamento arranjado.

Já estamos casados à um ano e nunca nós beijamos.

Ele não é mais virgem e beija todo mundo, agora eu, com os meus dezessete anos ainda não toquei uma boca se quer, nunca senti nenhum tipo de prazer.

Nossos pais arrumaram esse casamento quando ainda eramos crianças, como uma união por causa de negócios!

As familias queriam uma parceria então tivemos que nos casar! Uhuuuuuuuuu maior bosta que já aconteceu comigo!

Moramos em uma casa grande, eu, ele e nossos filhos.

Duas crianças quê foram adotados para ser nossos filhotes, já que eu não posso ter filhos e ele não é gay ( como o mesmo já disse ).

Depois dele dizer aquilo eu Suspirei es fui pra cozinha, comecei a fazer um suco de laranja.

— Que horas são? — Perguntei quando senti a presença dele na cozinha.

— São dez e quarenta e cinco — Respondeu e pegou uma maçã.

— Vou chamar as crianças — Limpei minhas mãos no avental e fui até o quarto do Dog e da Cat acorda-los.

Mexo nos cabelos do dog e ele levanta coçando ois olhinhos, faço o mesmo com a Cat e ela acorda também.

A cat tem 8 anos e o Dog 5, eles se dão super bem e são super fofos um com o outro, nem parece irmãos.

Pego o Dog no colo e lhe dou um beijinho na testa, pego a mão da Cat e desço com eles.

— Bom dia meus amores — O Leão veio até eles e bagunçou os cabelos ruivos do Dog que reclamou baixo e depois deu um beijo na bochecha da Cat que limpou a mesma depois!

— Ai que nojo pai! — Ela disse e eu ri baixo.

Coloquei o Dog encima da mesa e a Cat se sentou ao lado do Leão na cadeira.

— Oque vão querer comer? — Perguntei colocando o avental de novo.

— Bolo de chocolate!! — Cat disse e o Dog levantou as mãoszias.

— Colate — Ele disse fofo e eu ri.

— Bolo de chocolate só depois do almoço — Falei e eles suspiraram.

— Então panquecas — Cat disse e Dog sorriu.

— Okkkkk — falei e comecei a fazer a massa da panqueca.

— Amores porque vocês não vão arrumar as camas enquanto a comida não ta pronta hein? — Leão diz e as crianças se levantaram indo para o segundo andar da casa.

Eu fazia a panqueca na frigideira e podia sentir um par de olhos me encarando.

Olho para trás e o Leão olhava fixamente para a minha bunda e coxas, senti minhas bochechas corarem e logo olho pra frente me concentrando nas panquecas, ou melhor, tentando.

Termino e as crianças descem, depois de comermos fomos para a sala e assistimos vários filmes, que nesse caso foram três mas eu falo vários porque eu posso.

~ Mais Tarde ~

[ 14h46pm ]

— Parqueeeeee — Gritava a Cat andando/correndo pela casa.

— Se continuar assim ninguém vai pra lugar nenhum! — Leão disse sem paciência e ela parou de correr.

— Vão se arrumar enquanto eu e o papai arrumamos o carro — Falei e a Cat e o Dog subiram para o quarto.

Leão ergueu a sobrancelha e me fitou.

— Coloca uma roupa maior — Ele fosse com a voz firme e eu arfei.

— C-como assim? — Droga gaguejei. Olho pra ele.

— Sua roupa ta muito colada, realçando sua bunda e coxa. Coloca outra — Ele diz e pega as cadeirinhas das crianças, para por no carro.

— Oxii essa roupa ta ótima meu filho — Pego as cadeirinhas dele e vou até o estacionamento aonde tava o carro.

Escuto ele bufar e o mesmo vem atrás de mim, ele abre o carro e eu ingênuo fico de bunda pra cima, arrumando as cadeirinhas no banco de trás.

Ele passa atrás de mim e logo um lado da minha bunda começa a arder, depois de um longo estralo dado pela mão grande e forte do Leão.

Gemi baixo e olhei para ele.

— Oque é? Sua bunda parece a de uma mulher! — Ele falou e entrou no carro.

Zebra Off

P.O.V Leão

Ele tava muito sexy!

Mas é claro que nunca na minha vida eu ia admitir que estava gostando dele. Do jeito que ele come, anda ou até mesmo morde a parte de cima da caneta quando ta fazendo lição de casa.

Entrei no carro e coloquei o sinto, logo depois as crianças entraram também e depois o Zebra.

Ele se sentou no meu lado e as crianças atrás de mim.

Fomos para o parque e deixamos as crianças brincando no tanque de areia, me sentei em um banco com o Zebra e eu não sei porque, toda vez que eu olhava pra ele aquele sorriso me detonava.

As vezes eu não consigo controlar o meu temperamento então eu acho que é por isso que ele se mantem distante de mim .... Sinceramente eu acho que não deveríamos estar juntos, sabe, é meio que obrigatório o nosso casamento mas eu queria que as coisas entre nós acontecesse normalmente.

Primeiro o namoro, cinema, beijo e etc.

Ele estava de cabelo solto e uma camiseta branca aberta dos lados, deixando a parte de cima do seu corpo a amostra.

Eu realmente tinha ficado bravo quando eu vi ele assim, é claro que ele não pode usar essas coisas na rua! Só pra mim.

P-R-A M-I-M !

— Da pra parar de encarar aquela mulher? — Ele me diz em um tom seco, e só depois eu percebo que encarava uma mulher de cabelos ruivos vibrantes.

— Eu encaro quem eu quiser! — Respondi ríspido.

— Eu sei — ele suspirou — Mas poderia pelo menos fingir que nós amamos perto das crianças?

Aquilo me quebrou, o fingir.

— Sim — Disse e coloquei a mão na coxa esquerda dele.

O mesmo deu um breve Pulinho no banco e eu pude ver de canto de olho que ele tava corado.

Depois de algumas cansativas horas no parque, já eram quase sete da noite.

As crianças ainda estavam enérgicas e brincavam com seus novos "amiguinhos".

~ Mais tarde ~

Já eram 21h09pm e as crianças tinham ido dormir, eu estava na sala e o Zebra na cozinha.

Ele tava demorando pra caralho então fui lá ver oque ele tava fazendo.

Ver aquela cena maravilhosa me deu água na boca, ele estava com a bunda pra cima e pegando um negocio no armário.

Não consegui me conter e o abracei por trás, posicionando meu membro bem no meio da sua bunda, coberta apenas com a box vermelha dele.

Ele levantou rapidamente e colocou os cotovelos apoiados na pia, começou a rebolar contra o meu membro já endurecido, eu estava acostumado as provocações dele mas aquilo já era demais.

— Esta gostando Lion!? — Eu amo esse apelido puta merda.

— Quieto — Disse firme e aperfei sua nádega direita bem forte.

— A-ahh — Ele gemeu e aquilo me estimulou mais ainda.

— Eu te quero Zebra — Sussurrei na sua orelha e vi seus pelinhos ralos se arrepiarem com a minha frase.

Aquilo era fofo e ao mesmo tempo pervertido, só ele conseguia me fazer sentir assim.

Logo o mesmo se virou para mim e se sentou na pia, abriu as pernas e esticou os braços. Pedindo colo.

— Me pega Daddy — Falou com uma voz sensual e não pensei duas vezes antes de me por entre as suas pernas e pega-lo fortemente pela coxa.

Selei nossos lábios em um beijo quente e apaixonante! Percebi que era a primeira vez que ele havia beijado alguém porque o mesmo tentava a todo custo me acompanhar nos movimentos, tanto dos lábios quando o da língua.

Ele depositou os braços nos seus ombros e os apertou logo quando o ar começou a fazer falta para mim.

Me afastei dos seus lábios mais nossas respirações ainda se confundiam pela proximidade.

— Eu tinha esperado tanto por isso — Ele falou com os olhos fechados e a respiração acelerada.

— Você que me provocou, mas eu não sou gay — Falei e comecei a marcar seu pescoço e ombros.

Arranquei toda a sua roupa, que era apenas uma blusa moletom roxa clara e uma box.

Deixei ele completamente nu e o mesmo começou a arrancar a minha camiseta com um pouco de dificuldade noa botões.

Ajudei-o e assim ficamos nus, quer dizer, ele ficou nu porque eu ainda permanecia com a cueca box preta.

— Aqui não é seguro Daddy — Ele diz apoiando a cabeça na dobra do meu pescoço — Me leva pra cama

Sorri e o levei para o segundo andar, entrei no quarto e tranquei a porta.

O joguei praticamente na cama e tirei a minha box.

Ele ficou de quatro pra mim e chupou seus próprios dedos, levou eles até a parte de trás da bunda e deu um gemido baixo quando os dois dedos entraram dentro dele, o rasgando.

Me SESI na cama completamente duro e o encarei, ele entendeu o recado e enquanto se preparava ele começou a me chupar, com movimentos lentos mas melados.

Sua saliva escorria pelo meu membro e pelo canto da sua boca, de uma forma realmente excitante.

— Já ta bom, vira de costas pra mim e tira os dedos. — Falei com a voz rouca e ele estremeceu, era tão bom vê-lo totalmente submisso à mim.

Passei minha glande no seu Buraquinho e como resposta recebi um gemido arrastado baixo do mesmo.

— V-vai logo com isso — Mandou ele com a voz fraca e baixa.

— Calma — Só para brincar um pouco, comecei a penetra-lo devagar, até de mais.

Ele era muito apertado e aquilo estava dificultando a minha entrada.

Comecei a sussurrar coisas pervertidas no ouvido dele para tentar fazer ele relaxar quando percebi que ele estava fazendo muita pressão na parte de trás.

Entrei depois sem muita dificuldade, esperei para que ele se acostumasse e comecei a fazer movimentos de vai e vem rápidos, fundos e fortes.

Com cada vez mais pressão, arrancando vários gemido altos, contidos e arrastados do menor que se controlava para não acordar as crianças.

Não demorou muito tempo para ele gozar, comecei a fazer movimentos mais rápidos dentro dele e o mesmo me ajudava indo para trás com força e com velocidade.

Ele estava tentando me agradar e quilo era muito fofo.

Sai de dentro dele e gozei em sua coxa e bunda, o melecando por inteiro na parte de trás.

— aaaahh!! Porque tirou? — Ele falou inflando as bochechas, fazendo uma cara extremamente fofa.

— Porque você iria passar mal com a quantidade de gozo que saiu do seu daddy — Me disse deitando do seu lado ofegante.

Ele respirava pesadamente e ofegava muito, ele estava com a barriga e o meio dos peitos no meu braço, e eu podia sentir seu coração bater rápido.

— Eu te amo — Ele disse corado e eu me virei para encara-lo.

— Oque disse? — Falei me aproximando do seu rosto.

— E-eu te amo — Respondeu e eu sorri.

— Eu também te amo — Falei e selei nossos lábios rapidamente.

— Mas você disse que ... Não era gay — Ele desvios os olhos de mim.

— Por você, eu sou qualquer coisa — Falei e o deitei encima de mim.

Ele sorriu e vi seus olhos fecharem, coloquei seus cabelos atrás da orelha e nos cobri com um lençol beje, fiquei acariciando seus cabelos longos até dormir também.

Leão Off

P.O.V Zebra

~ No Dia Seguinte ~

[ 10h56am ]

Acordei cedo e fiz um café da manhã bem gostoso, as crianças ainda estavam dormindo então não as acordei, para ter um momento com o Leão.

Nem acredito que nos transamos ontem!

EU FUI CORRESPONDIDO PORRAAAAAAAAAA!!!!

TO SURTANDO!

Eu tava com uma camiseta de mangas marrons com branco.

Coloquei meus cabelos dentro da camiseta pra não entrar na comida e acabei esquecendo de tirar, mas isso não importa.

Subi as escadas e ele ainda estava pelado, dormindo que nem um anjinho.

Até senti pena de acorda-lo, ele tava TÃOOOO FOFOOOOO.

Me coloquei por cima dele e comecei a beijar seu rosto delicadamente.

— Acorda — dei um beijo na sua testa — já ta na hora — um na sua bochecha.

Vi ele abrindo os olhos e sorrindo pra mim.

— Bom dia — Falei e ele me pegou pelos braços juntando nossos lábios em um beijo quente.

[ Mídia/GIF ] 

— Bom dia meu amor — Ele falou e continuou a me beijar docemente e apaixonadamente. 


Notas Finais


Oque que vocês acharam? Curtiram? Não? ( foda seeee )
Espero vocês nos comentários ( grandes pfv kkk ).
Não eu não sei quando vai sair o próximo e é isso ai!
Vejo vcs nos comentários amores!
Beijos na bunda .♥
~ @Nik


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...