História Animal Instincts - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Tags Animal, Bts, Drama, Instincts, Jikook, Jimin, Jungkook
Visualizações 29
Palavras 1.746
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá!
Bem, faz algum tempo que não escrevo ou posto mais nada, mas hoje estou de volta. =D

Trago a partir de hoje essa fanfiction em especial que é uma "versão" Jikook de "Animal Instincts" (originalmente Klaine da série Glee).
Com essa fic, fui muito feliz e me trouxe alegrias tão incríveis que literalmente faz meus olhos encherem d'água e meu coração aquecer apenas por lembrar.

Eu sei que infelizmente o tempo não volta, talvez essa história não conquiste a mesma quantidade de leitores que a outra, mas podemos reviver àquela sensação, certo?

Então, espero que cuidem bem dela e deem amor.
Boa leitura ;)

Capítulo 1 - Apresentação.


Olá, meu nome é Park Jimin. Tenho cabelos loiros e lisos que eu tento deixar o mais bagunçado possível para dar um ar mais descontraído, olhos negros e puxados que quando sorrio se tornam duas linhas, pele branca como porcelana e um belo corpo. Quando vou a algum lugar, sempre chamo muita atenção até mesmo quando eu não quero.

Ainda não houve uma vez em que eu tenha recebido um "não" como resposta. Quando quero alguém, eu consigo.

E uso desse meu "poder" para satisfazer o meu desejo. Mas este desejo não é qualquer um, é algo muito repudiado pelos outros, mas pra mim é algo completamente normal e prazeroso.

Além de conquistar pequenos corações alheios, eu preciso senti-los. E quando digo senti-los, quero dizer literalmente.

(...)

Boate Cypher, um dos meus lugares preferidos e melhores para conseguir alguém, sempre tive sorte por aqui.

Acabei de chegar e já tenho olhares sobre mim. Dirijo-me ao bar, peço uma bebida e me acomodo em um dos bancos para avaliar meu cardápio de hoje. Mas de repente alguém para do meu lado com um drink em mãos e um belo sorriso sacana estampado em seu rosto.

– Boa noite, esperando alguém?

– Não, apenas apreciando esse delicioso drink... – Passei a língua de forma delicada sobre meus lábios intencionalmente. Aquele seria o sortudo da noite.

– Se importa se eu fizer companhia? – Ele disse sem tirar os olhos da minha boca e eu assenti – Meu nome é Taehyung. – Me estendeu a mão.

– Jimin.

Sorri e apertei sua mão de volta. Logo ele me puxou para dançar e não demorou muito para estarmos no meu carro trocando beijos quentes, porém demos uma pausa para eu poder dirigir até minha casa.

Se há uma coisa que não gosto é de transar no carro, por isso sempre levo minhas “diversões” para casa. Tenho um quarto especialmente para isso, pois a cama onde me deito para dormir é quase sagrada. Apenas eu posso me deitar lá, não qualquer um estranho.

Além de eu possuir um quarto de diversões, minha casa também é perfeita para aquele meu pequeno prazer culposo que mencionei antes.

Eu e Taehyung adentramos em casa já aos beijos, eu mal conseguia andar com ele beijando todo o meu pescoço. Usando uma pequena força consegui domá-lo e conduzi-lo até o quarto. Lá o deixei me prensar contra a parede e eu encaixei minhas pernas em sua cintura.

Em questão de instantes, já estávamos sem nossas camisas, quando ele começou a chupar e mordiscar meu pescoço e ombro nu, gemi de prazer e arranhei suas costas um pouco forte demais, o que o fez parar e me encarar.

– Não tinha reparado como suas unhas são grandes e... Afiadas... – Disse Taehyung um pouco surpreso.

– Se quiser eu posso me controlar e não lhe arranhar...

– Não! Pode me arranhar, eu gosto disso. É sinal que estou indo pelo caminho certo! – Mais uma vez o sorriso cafajeste estava no rosto dele – Apenas me pegou de surpresa...

Dei de ombros e voltei a beijá-lo. Nosso beijo agora estava mais urgente que antes, nossas calças já incomodavam. Desci do colo dele e agora eu o lancei contra a parede, tirei a minha calça olhando-o fixamente enquanto ele se livrava da dele sem tirar seus olhos de mim.

Quando estávamos apenas com nossas boxers no corpo e visivelmente excitados, o conduzi até a cama e o empurrei caindo sobre ele cuidando de cada centímetro daquele corpo muito bem definido. Enquanto deixava pequenas marcas nele, eu continuava o arranhando deixando-o cada vez mais arrepiado.

– J-Jimin... – Taehyung gemeu, mal conseguia formar palavras compreensíveis – Se você queria me enlouquecer, já conseguiu...

Com isso, sem aviso prévio o virei de costas, peguei o lubrificante que estava ao meu alcance e a preservativo e o penetrei. Em um primeiro instante, ele soltou um gemido de dor, mas logo se transformou em prazer. Ficamos assim alguns instantes, até que nós dois finalmente chegamos ao ápice e caímos de exaustão.

– Depois dessa noite, – Taehyung disse ofegante – Posso dizer que foi a melhor transa da minha vida até o momento!

– Você também foi fantástico! – Me virei para ele mais uma vez arrastando uma unha em seu peito nu fazendo-o se arrepiar novamente – Quer uma bebida? Vou preparar uma para mim...

Como esperado ele aceitou e eu levantei para ir até o bar que eu tinha na cozinha.

Percebendo que eu tinha os olhos dele sobre meu corpo, fiz questão de sair do quarto rebolando mais que o normal, levando-o a lamber e mordiscar seus próprios lábios. Enfim sai do cômodo e fui até a cozinha passando os dedos pelo meu cabelo o jogando para trás.

Peguei uma garrafa de Soju* para mim e outra para Taehyung. Abri as duas garrafas e digamos que deixei a bebida dele mais “especial” que a minha. Ele iria precisar para nossa próxima atividade.

– Voltei! – fechei a porta com o pé e lhe entreguei a pequena garrafa com um sorrisinho no rosto – Espero que você goste desse sabor, me esqueci de perguntar antes...

Ele provou e então assentiu sorrindo de satisfação. Enquanto eu saboreava a minha bebida, observava Taehyung ansiosamente bebendo a sua com um tanto de pressa.

– Está tudo bem, Tae? – Perguntei percebendo que a droga que coloquei em seu copo já estava fazendo efeito.

– Estou ótimo! – Ele já tinha o olhar um pouco vago – Bem até demais!

– Você parece mais agitado! Não vai me dizer que já está bêbado! – Ri forçado.

– Na verdade, estou mais agitado sim, mas deve ser porque tenho uma visão incrível bem na minha frente e estou louco para tocar nesse corpo outra vez.

O chamei com um dedo, o beijei um pouco mais calmo e o voltei para a parede. Só que dessa vez foi até a parede especial, onde começaria o meu verdadeiro prazer.

Enquanto o beijava profundamente, o prendi nas braçadeiras que tinham fixadas na parede e no mesmo instante parei de beijá-lo e o encarei sorrindo.

– Oh, estou vendo que as coisas vão esquentar ainda mais aqui...

Taehyung dizia ainda agitado enquanto eu vesti minha boxer de volta.

– Jimin, porque você se vestiu? Me tirou uma visão maravilhosa...

– Faz parte da brincadeirinha... – Cheguei perto dele e sussurrei em seu ouvido passando a unha do meu indicador de novo em seu peito – Diga-me uma coisa... Enquanto eu faço isso, – Agora o arranhei com todos os meus dedos com um pouco mais de força – Seu coração dispara?

– Dispara... – Ele respondeu quase num sussurro.

– Ótimo... – Prendi agora suas pernas e voltei com apenas o indicador sobre sua pele para continuar sussurrando ao pé do seu ouvido - Agora me responda se isso dói... – Afundei a unha até machucar sua pele a ponto de sangrar.

– Não sei como, mas não dói... – Ele olhava para o pequeno ponto vermelho se formando ao redor na minha unha - Okay, agora você está começando a me assustar... – Ele me olhava com certo medo – C-como você fez isso e por quê?

– Coloquei uma coisa na sua bebida... – Dei de ombros sem tirar os olhos do pequeno ponto de sangue que saia do seu peito – Ela aumenta sua adrenalina na medida certa e anula a área do seu cérebro responsável por transmitir dor...

– E por que você está fazendo isso tudo?

– Eu preciso satisfazer o meu prazer, Tae! – Agora o olhei nos olhos profundamente, mais um pouco e eu conseguiria enxergar sua alma – Se não, eu posso ficar louco!

Taehyung ficou pálido com minhas palavras e meu olhar sobre si. Me virei, alcancei a mordaça e amarrei nele. Taehuyng estava com tanto medo que nem se debateu para evitar que eu o amordaçasse.

Quando eu abaixei o olhar novamente para o seu peito nu, ele me acompanhou e também olhou para o mesmo local. Agora que ele já estava onde eu queria, finquei todas as minhas unhas com mais força na mesma ferida enquanto Taehyung gemia de pavor já que ainda não sentia dor, mas via seu peito sangrar cada vez mais.

– Fique calmo... Apenas quero ver o seu belo coração batendo.

Depois de perfurá-lo até onde minha unha permitiu, peguei o bisturi e uma toalha para enrolar em sua cintura para amparar o sangue. Com o bisturi, comecei a abrir o peito de Taehyung que suava frio e chorava assistindo a cena.

Lá estava o meu prazer, um jovem coração batendo e cheio de vida!

Sorri e depois suspirei em satisfação. Aquele era meu doce prazer culposo, ver corações ainda batendo em seus corpos originais, era algo fascinante pra mim!

– Ops, precisamos fechar isso certo? – Vi que Taehyung já estava enfraquecendo – Já estou satisfeito e você foi perfeito! – Beijei seus lábios.

A "parede" em que Taehyung estava preso se tornava uma mesa ao tirar uma trava, deitei-o e soltei seus membros já que ele estava fraco e tonto demais para correr dali. Voltei ao meu pequeno armário de brinquedos, como gosto de chamá-lo, e peguei uma pequena maleta onde tenho bisturis, agulhas, linhas e coisas do tipo.

Taehyung estava tonto, mas eu o mantinha acordado com minúsculas doses de adrenalina em sua corrente sanguínea.

Em um instante costurei seu peito outra vez, apliquei minha técnica de cicatrização instantânea e por fim o dopei para ele conseguir dormir. Enquanto ele dormia pacificamente, eu o limpei completamente e em seguida fiz uma tatuagem de um coração com uma flecha cravada do tamanho certo do corte para quando ele visse achasse que aquilo não passava de um sonho louco e havia ficado tão bêbado na noite anterior a ponto de tatuar o próprio corpo e sem se lembrar de nada.

Depois do desenho estar perfeitamente pronto, coloquei sua roupa, o carreguei até meu carro e o levei para casa dele depois de ver seu endereço em sua carteira.

Estes tipos que carregam o endereço na carteira são os melhores, pois assim não preciso perder tempo procurando em cadastros pela internet.

Como eu não sei se ele mora sozinho e para não correr qualquer risco, eu o deixei ainda desacordado e encostado na porta de sua casa. Com certeza no dia seguinte ele não iria se lembrar de nada, estaria mais preocupado em saber como foi parar outra vez em casa.

Assim eu voltei para o meu lar, retornei ao meu prazeroso quarto para relembrar as últimas cenas que aconteceram ali, limpei todo o local, tomei um relaxante banho e enfim fui para minha cama sagrada e confortável.

 Isso foi um pouco da minha rotina. Para muitos, uma coisa doentia, mas para Park Jimin...

Puro prazer.


Notas Finais


Mesmo que seja o mesmo enredo da original, há alguns detalhes que vou mudar (além dos nomes dos personagens kkk'), não se preocupem. ;)

*Soju é uma bebida alcoólica tradicional coreana e tem sabores, só não sei se eles realmente guardam na geladeira. kkkk'

Versão original (Klaine) -> https://spiritfanfics.com/historia/animal-instincts-5331791

Beijos e até o próximo! ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...