História .anime - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Hansol, Yuta
Tags Anime, Death Note, Hansol, Ligações, Yusol, Yuta, Yutaz
Visualizações 39
Palavras 760
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Droubble, Fluffy, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom, já tivemos ".mangá" agora temos ".anime". Criativo, criativo!
Eu estou começando a assistir Death Note, e essa ideia veio desde que minha amiga disse que Yuta e Hansol são, com toda a certeza, Kira e L.
Ela é louca, mas me deu a ideia para esse plot, espero que gostem!

Capítulo 1 - O que você faria se tivesse um Death Note?


As quatro horas da manhã o telefone tocou.

Ainda de olhos fechados, minhas mãos buscavam pelo meu celular, naquele emaranhado de cobertores e lençóis. Era Yuta Nakamoto, meu namorado. Bem, se ainda fosse Taeyong, podia presupor que ele estava bêbado ao me ligar aquele horário e simplesmente voltar ao meu amado sonho, mas era Yuta e eu estava ferrado caso não atendesse.

— São quatro horas da manhã. – falei sem cerimônias e ouvi ele suspirar do outro lado da linha. Nossas conversas de madrugada nunca tinham um “Oi” ou um “Adeus”. Yuta apenas divagava, enquanto eu olhava para a parede cinza do meu quarto, tentando prestar atenção nas suas palavras — O que foi?

— O que você faria se tivesse um Death Note? – perguntou com um ar pensativo. Era como se estivesse pensando naquilo por horas e só tivesse coragem de me perguntar agora, e eu não duvidava que fosse esse o caso. Foram nas ligações de madrugada que Yuta teve coragem de me dizer, depois de um ano de namoro, que me amava. E são nessas mesmas ligações que Yuta me pergunta o que eu faria se tivesse a Varinha das Varinhas ou se portasse o Death Note.

Entenda, para Yuta, aquele tipo de pergunta era realmente importante em nosso relacionamento. Em nosso primeiro beijo em frente ao um cinema abandonado, ele apenas fingiu que nada havia acontecido, e perguntou qual nome eu gostaria de ter caso fosse japonês como ele. Quando eu lhe disse que o amava ele foi infeliz o suficente para me deixar sem resposta por um ano, e só foi dar noticia naquela mesma noite, com a pergunta: “Hansol hyung, você acha que Robin deveria ficar com Ted ou Barney?”.

Com o tempo aprendi que aquelas perguntas sem noção era a forma de Yuta esconder o que estava sentido de verdade. Quando me perguntou sobre o nome japonês, foi para esconder a vergonha que ficou quando nos beijamos. Quando eu lhe disse que o amava e ele perguntou sobre Robin, bem ele estava tentando dizer que não estava pronto ainda.

Sobre a pergunta do Death Note? Bem, há algumas semanas tive a infeliz idéia de apresentar  o anime Death Note para Yuta, e como para fechar o combo de péssimas ideias, disse que deveríamos assistir o anime sozinhos.

Na verdade, para o japonês, o simples fato de assistirmos animes juntos era mais uma de suas formas diferentes de demonstrar que me queria por perto sempre, e eu realmente admirava isso. No entanto, o falatório de Nakamoto me desconcentrava demais. Então propus que víssemos o anime sozinhos daquela vez.

Aquela pergunta era sua forma de demonstrar saudade.

— O que eu faria se tivesse um Death Note? Bem, acho que seria um Light Yagami, só que idiota. O primeiro nome seria do nosso professor de História. Aliás, temos uma prova com ele daqui a pouco, e vou me ferrar dez vezes mais por não dormir direito. Boa noite Yuta, já está tarde! – falei em um tom que ia do sono até a sarcástica e engraçada ironia, mas aparentemente Yuta falava sério. Parecia estar irritado com minha resposta.

— Acho que nosso professor de história é o próprio Shinigami! – bufou e eu ri — Não acredito que estou namorando um Kira em potencial, Ji Hansol! Se eu tocasse em um Death Note eu com certeza renunciaria o poder do caderno! – falou com o seu tom de criança irritada e mimada, e eu daria tudo para ver o biquinho que com certeza se formou em seus lábios.

— Do que você está falando? Com certeza você seria minha Misa Amane! – ele ficou em silencio e eu sorri, com meus olhos ainda fechados pelo sono. Oh, te peguei Yuta, você ficou com vergonha!

 — Nesse caso eu tomaria o lugar de L, então tome cuidado de não pegar qualquer coisa que caia do céu, Ji Hansol!

— Iríamos nos caçar como cão e gato? Isso me parece excitante! – silencio novamente. Apenas consegui ouvir a respiração calma de Yuta, e aquilo estava quase me fazendo dormir.

— Ah por que você tem que ser assim? Eu te liguei com intenção de brigar com você seu idiota! Não saia do roteiro. – eu ri e ele me acompanhou — Estou com saudades, posso ver o resto dos episódios de Death Note com você? Não nos vemos direito agora que você inventou essa palhaçada de vermos animes separadamente!

— Tudo bem, eu também estva morrendo de saudades. Agora eu realmente tenho que voltar a dormir, L! – ri da minha própria fala. Acho que estou realmente bêbado de sono.

 — Boa noite, tome cuidado Hansol Yagami!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...