História Anjo Caído - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Carla Tsukinami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Anjos, Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Carla Tsukinami, Demônio, Diabolik Lovers, Drama, Homem-lobo, Irmãos Mukami, Irmãos Sakamaki, Kanato Sakamaki, Karlheinz Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Magia, Novela, Reiji Sakamaki, Romance, Ruki Mukami, Sequestro, Sexo, Shin Tsukinami, Shuu Sakamaki, Sobrenatural, Subaru Sakamaki, Tortura, Vampiros, Violencia, Yui Komori, Yuma Mukami
Exibições 112
Palavras 871
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Josei, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


HALLO!!

Esse capítulo é do tempo atual, mas ele se passa em algum lugar lá de baixo ^^ Espero que curtem <33

BOA LEITURAAA <3333

Capítulo 15 - Capítulo Extra 6


Fanfic / Fanfiction Anjo Caído - Capítulo 15 - Capítulo Extra 6

 

Em algum lugar na 5º camada do Inferno...

--Então é você a Melissa... A maldita humana que estragou minha vida ao se relacionar com meu pai e gerar aquela criança desgraçada! - apertava seu pescoço com uma força robusta, à empurrando contra a parede de sua sela. - Não sente vergonha de estragar a minha vida quando você teve aquele bebê maldito?

--N-Não s-sei do que est-está falando... - gaguejava, com a voz falha e com dificuldades para respirar.

Apertei seu pescoço ainda mais, tirando seus pés do chão e olhando em seus olhos verdes.

--Não me faça de idiota, vagabunda! Você teve uma filha quando era mais jovem, uma menina.. E essa menina estragou a minha vida por completo quando meu pai resolveu ir atras dela! Eu odeio você, sua filha e principalmente meu pai por preferir aquela abortada do que seus outros filhos!

--C-Como sabe que eu tive uma filha? Eu nunca contei isso a ninguém... - ela realmente está testando a minha paciência? Essa mulher não tem medo de mim ou é muito suicida?!

--Não é muito difícil quando meu pai fala dela por todos os cantos, falando que ela é a mais forte entre todos os filhos dele, que é a filha que ele sempre quis ter, a filha perfeita, o "orgulho do papai"! - debochei - Tsc! Eu nunca vi motivos para ele ser tão atraído por ela, ela não tem um poder magnífico, não sabe nem a sua história e muito menos sabe da existência de ninguém daqui! Ela é um nada! - falei em voz alta, com minha raiva refletindo em meu rosto ao lembrar das palavras de admiração do meu pai pela garota.

--Não fale isso da minha filha! Ela é a melhor pessoa do mundo, embora eu nunca à tenha conhecido pessoalmente, ela é e sempre sera a minha princesa, a filha dos sonhos!

--Isso é o que vamos ver... - dei um sorriso perverso - quando eu mata-la com minhas próprias mãos e vê-la sofrer e sentir tudo o que eu havia sentido durante todos esses anos!

--Você não vai machucar minha filha! Eu não vou deixar! - ela cuspiu na minha cara, ah filha da puta!

Estava prestes a torcer o seu pescoço e mata-la de vez, mas senti uma dor imensa no coração, o que me fez solta-la repentinamente e apertar meu peito.

--O que é isso?! - gritei em desespero.

--Você é desprezível... - reconheci de imediato o dono dessa voz.

Dirigir-me meus olhos até ele, vendo-o encostado na porta da sela da humana e me fitando com um olhar arrogante e de desprezo no rosto.

--P-Papai?! - a dor aumentou ainda mais depois dessa palavra - P-Pare com isso! Está doendo!

--Como ousou vir aqui e ter a coragem, ou burrice, de ameaçar a minha Melissa, sua puta maconheira! - gritou comigo, furioso.

--Como sabia que eu estava aqui? - a dor estava passando aos poucos, mesmo assim a dificuldade de respirar ou falar ainda era a mesma.

--Sempre que eu passo perto de você, sinto cheiro de cachorro morto, então não foi difícil de te achar. Aliás, esse cheiro é bem semelhante ao cheiro da pepeca da sua mãe, a unica que me arrependi de ter relações sexuais e ainda ter o azar de ter você como filha. - ele praticamente cuspiu aquelas palavras na minha cara. Minha vontade era de chorar, nunca gostei da minha mãe, sempre me inspirei no meu pai mas o mesmo nunca me deu importância. Sempre se preocupava mais com aquela maldita biscate! Que ódio daquela vadia! 

--Por que você me despreza tanto?! Eu nunca te dei motivos para me odiar do jeito que me odeia! - indaguei prestes a chorar.

Ele sorriu pelo nariz e se aproximou, eu estava ajoelhada ante a ele. Melissa, a humana que há pouco ameacei, estava atras de mim, observando tudo.

--Não é obvio? - ele perguntou, com um sorriso cínico - Você é um defeito na minha vida, só de você existir já é motivo suficiente para eu te desprezar. - falou arrogante, meus olhos já estavam marejando de lágrimas, mas não permiti que nenhuma delas caísse. - Ah, não começa a chorar! Não tenho tempo pra isso. Mas saiba de uma coisa, inseto desprezível... - pausou pra fazer um suspense.

--Saber do que?!

--Se você encostar mais uma vez na Melissa, vou arrancar todos os seus dentes, seus dedos e principalmente vou selar seus poderes para que nunca mais os use novamente! - vociferou, olhando pra mim e para Melissa, que se levantou e nos olhou com um pouco de medo - Outra coisa... - seus olhos voltaram à mim - Se chegar perto da May, se pensar por um mísero segundo em ter contato físico ou visual com ela, machucando-a ou não, eu mato você da pior maneira que minha mente puder imaginar, e olha que eu tenho muita imaginação à solta quando se trata de matar alguém. - após isso, me deu um tapa forte no rosto e me chutou bem no estomago e começou a gargalhar freneticamente.

Maldita May!!!

Eu juro que, muito em breve, irei atras de você e farei você pagar por me trazer tanto sofrimento! Vagabunda!

 

 

 

Continua...

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado <333
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Quem sera essa garota, afinal?????????? O que esse capitulo teve de interessante??? Tire suas conclusões >:D


ATÉ O PRÓXIMO CAPÍTULO E OBRIGADA PELO VISTO <333 BJOS ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...