História Anjo da escuridão - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anjos e Demônios, Romeu e Julieta, Sussurro (Hush, Hush)
Tags Anjos Caídos, Demonios, Vampiros
Visualizações 17
Palavras 1.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu voltei para ficar, porque aqui é o meu lugar.
Hello amores, como que vocês estão? Eu estou péssima kkkkkk faculdade e mais problemas. Dessidi voltar com a fic, na verdade nunca desisti só dei um tempo kkkkk bom sem enrolasão vamos lá. Beijos.
Ps: não sei quando voltarei a postar desculpa sou sincera.
Ps2: comentem não me abandonem, sei que sou dificil kkkk amo vocês.

Capítulo 16 - Treinamento parte 2


Me sentia estranha nesse ponto da floresta uma bela clarera se mostrava diante de meus olhos linda e majestosa, mas ao mesmo tempo sinto como se cada fibra do meu corpo respondesse a gama de energia desse local, como fogos causando uma grande explosão dentro de 88mim simplesmente não consigo controlar, não quero os controlar. 

Lucia me afastou até o meio da clareira- estamos no "coração "da densa vegetação  que cerca a propriedade de Dona Tereza, convenhamos não foi fácil chegar até esse local e provavelmente ganharei mais alguns arranhões na volta.

-Sente-se Luna - Lucia estendeu um grande tapete em estilo Árabes sobre a curta grama, apontando o local onde deveria me sentar ela faz uma prevê Avaliação sobre meu corpo, sinto como se ela pudesse ver além de mim.

- Como isso funciona Lucia? - minha voz sai baixá e com certa cautela. 

- Acaumaté criança, confie em minha experiência.  - ela fecha seus olhos por longos segundo, sinto uma energia diferente tomar o lugar em minha volta me sento assim como foi indicado, observo o local a minha volta mais uma vez antes de me concentrar no que Lucia está fazendo. 

Aos poucos meus olhos se fecham e inconsciente mente me conecto aquela estranha, mas agradável  energia a minha volta, sinto como se estivéssemos dançando em um mesmo ritmo não sei como apenas sinto como se cada célula do meu corpo já soubesse o que fazer uma paz invade minha mente  mergulho no inconsciente.

Aos poucos sinto uma energia diferente mais forte e predominante, as pontas dos meus dedos começam a formigar meu coração despara e como um baque sou atingida por aquela peculiar fragrância que apenas Leopoldo tem seu cheiro enpreguina minha mente sinto meu corpo reagir a ele de uma forma tão intensa e avassaladora, me sinto conecada a cada parte de seu corpo.

No meio de meu torpor sou atingida por uma sensação desesperadora como se estivesse sendo sufocada por alguma coisa minha mente se torna turva uma vontade desesperada de chorar me domina e me sinto impotente diante de alguma coisa só não sei ao certo o que uma única frase sai de meus lábios de forma sofrida e baixa 

- Leopoldo preciso de você.  - sinto como se sua mão estivesse me tocando seu calor me aquece de uma forma tão familiar me sinto segura e protegida, porém essa sensação dura apenas alguns segundo logo mergulho em um caos de escuridão e aos poucos meus sentidos se esvai antes de apagar minha mente grita o seu nome que acaba saindo de forma debilitada entre meus lábios.  

Aos poucos abro os meus olhos estou em um ambiente claro fortes luzes brancas predominam no que posso acreditar ser o quarto de primeiros socorros da mansão pelo forte cheiro de álcool, minha cabeça está latejando e sinto como se cada membro estivesse sido amassado e triturado tudo doi. Tento me levantar, mas essa idéia fica apenas em minha mente pois meus músculos parecem não querer cooperar com a vontade desesperadora de me debruçar sobre o vaso sanitário e despejar o pouco do lanche que sobrou em meu estômago.

- Calma criança, você está bem não se preocupe. - ouso a voz mansa de Piedro.

- Co...mo - minha fala sai entre cortada, minha garganta se encontra seca e um gosto amargo toma minha boca, parece bile me sinto desesperada e com medo. 

Lágrimas involuntárias escorrem por meu rosto não sei ao certo o que está acontecendo comigo minha mente está tão confuso sem falar nos meus sentidos, sinto como se cada fragmento que existe dentro de mim estivesse sendo quebrado e moldado estou perdida em uma confusão de emoções e lembranças.  

- Leo... Leopoldo. - digo seu nome, mesmo diante da dificuldade que sintô minha garganta pode sangrar e arder, mas preciso dele aqui eu sei que pode me sentir.

Sinto mãos em minha volta tentando me segurar na cama me debato sobre cada palma fria que entra em contato com minha pele, o único que pode me salvar é ele só quero seu toque, Leopoldo é meu eixo e sem ele me encontro perdida nesse emaranhado de energias estou desequilibrada e ele é o único que pode me salvar. 

POV Leopoldo 

Hoje mais do que nunca me sinto perdido a muitos anos não me deparo com essa sensação de vazio minha mente e corpo estão cansados, mas não consigo dormir não me permito dormir. Exausto de ficar trancafiado dentro de meu quarto deso as escadas rápido até a área da academia da mansa, quando abro a portá sinto meus pulmões clamarem por ar solto minha respiração de forma pesada, com movimentos rápidos retiro minha camisa jogando de qualquer jeito sobre o chão forrado, me direcionando até o saco de areia e o primeiro baque surto pode ser ouvido.

Perco a nosão de tempo estou tão preocupado em esquecer o rosto de Luna que me concentro apenas na forte queimasão que domina meus músculos devido aos movimentos repetitivos depois de horas sobre o saco de pancadas. Após um último murro me seguro sobre as correntes presas sobre o teto, respirando de forma forte e ofegante olho para o seu através da grande vidraça a minha frente vejo a majeitosa lua banhando os jovens amantes, meu suor escorre por cada poro levando um gosto salgado até meus lábios. Estou tão destruído que não sinto a presensa dela, sua energia é tão forte e única que me deixá desorientado e perdido, aquela fragrância tão única minha Luna a garota que mexe com cada parte do meu corpo o desejo aflora em mim de uma vez.

Sua paz sobre mim durante pouco tempo logo sinto uma angústia tão forte em meu peito que chega a doer em minha alma, seu desespero se torna o meu, sua dor a minha estamos ligados de alguma forma. Caiu de joelhos tentando processar em minha mente os últimos acontecimentos, mas logo sou acertada por uma onda tão forte de sentimentos que me vejo perdido e ofegante meus olhos se enchem de lágrimas minha mão vai de encontro com meu peito meu coração e alma estão sendo despedaçados.

Levanto o meu olhar quando sinto a presença de todos ao meu redor não consigo focar a minha  visão em ninguém me sinto angustiado quero gritar, mas nada sai de meus lábios algo está preso em minha garganta e uma única palavra que pode ser entendida por todos os  presentes no recinto ante de cair na inconsciência. 

-Lu....Na - caiu em posição fetal um grito de dor corta o silencio da noite. 

 

 


Notas Finais


Espero que gostem escrevi pelo celular de madrugada porque senti Saudades ownt ...
Ps: esse teclado me odeia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...