História Anjo Negro - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Tags Karol Sevilla, Ruggarol, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Exibições 128
Palavras 689
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa a demora
Boa Leitura!

Capítulo 4 - Secrets!


Fanfic / Fanfiction Anjo Negro - Capítulo 4 - Secrets!

Tenho um segredo

Você pode guardá-lo?

Jure que esse você vai guardar

É melhor trancá-lo em seu bolso

E levá-lo para o túmulo

Se eu te contar

Eu sabarei que você não vai contar o que eu disse

Porque duas pessoas podem guardar um segredo se uma delas estiver morta

Secret - The Pierces

*Karol Sevilla*

Eu acordei cedo, levantei e tomei um banho relaxante, hoje o Ruggero pediu para se encontrar comigo, está sentindo minha falta. As vezes me pergunto como me tornei isso, fria, indiferente, parece destino.

Martina: Karol? - ela interrompeu meus pensamentos

Karol: Oi mãe...- falei encarando a parede

Martina: Eu preciso sair, não quero você perto da Luna. Entendeu?

Karol: Ela te contou? - sorri sínica

Martina: Não quero que isso se repita, eu não suportaria.

Karol: Do que ta falando? - olhei confusa

Martina: Nada - ela falou seca e bateu a porta.

Mas...O que poderia acontecer de novo? Eu não entendo.

*Ruggero Pasquarelli*

Mandei algumas mensagens para a Karol e ela não respondeu, estranho. A Luna também não me responde, já estou aqui esperando faz horas.

xxxxxx: Ruggero?

Ruggero: Luna?

Luna: Você continua se encontrando com ela - vi sua respiração ficar ofegante

Ruggero: Luna...Eu posso explicar

Luna: Explicar o que? - ela gritou puxando uma arma da bolsa

Ruggero: Luna abaixa essa arma

Luna: Você já estava com ela faz tempo não é? Eu não sou tão burra e frágil como a Karol sempre diz.

Ruggero: Luna eu amo a sua irmã e meu pai me obrigou a casar com você.

Luna: CALA ESSA BOCA 

(***)

*Martina Sevilla*

Eu entrei apressada na velha casa e fui em direção a ele, já sabia que estaria aqui.

xxxxxxx: Eu sabia que viria - ele sorriu

Martina: Você sempre faz isso... deixa ela em paz - falei alterando a voz

xxxxxxx: Você sabe que não pode mudar o destino. Só estou dando um empurrão

Martina: Isso já se repetiu muitas vezes. Já chega Mario - gritei olhando pro seus olhos

Mario: Você sabe que são minhas filhas né? Isso nunca vai mudar, nos entregamos ao desejo e nasceram, uma ingênua feito você e a outra com os mesmos dotes do papai. A má fica no lugar da boa e blá blá blá - ele sorriu sínico

Martina: Eu não vou deixar isso acontecer, não dessa vez.

Mario: O que vai fazer? Eu já convenci meu irmão a casar o Ruggero com a Luna, e também fui o responsável por juntar ele e a Karol no passado. Você nunca vai mudar o destino. 

Martina: Por que você sempre faz isso?

Mario: Porque eu quero a Karol do meu lado, mas ela se entrega ao amor, e sempre acontece o mesmo.

Martina: Eu te odeio!

Mario: Sério? Nunca me disse isso enquanto transávamos 

(***)

*Karol Sevilla*

Não sei o que aconteceu com o meu carro, mas pifou logo hoje. Peguei meu celular para mandar mensagem pro Ruggero e Luna tinha deixado um recado pra mim.

Luna: Querida irmãzinha, fui no seu lugar encontrar meu noivo e talvez seja a última vez que vai ver ele. Beijos da Mosca morta!

Eu parei diante daquela mensagem e não sabia o que fazer, meu sangue ferveu. Subi as escadas e peguei uma arma, não perguntei nada, apenas peguei as chaves do carro da minha mãe, ela tinha saído de táxi, estranho. 

Percorri uma longa estrada até chegar onde eles estavam, parei o carro um pouco longe e desci segurando a arma. Me aproximei quieta e escutei a discussão deles.

Ruggero: Luna olha o que você ta fazendo.

Luna: Eu cansei de fingir ser a boazinha

Ruggero: Você ta nervosa, abaixa a arma

Luna: Não, eu nunca vou ser ela né? - vi lágrimas correr no seu rosto

Ruggero: Eu não tenho culpa se conheci ela primeiro

Luna: Quer dizer que se tivesse me conhecido primeiro não iria gostar dela?

Ruggero: Eu amo a Karol, não sei porque sinto uma atração tão forte por ela.

Luna: Então comece a gritar, quem sabe ela escuta sua declaração - ele fechou os olhos e só surgiu o som de disparo

Ruggero: NÃOOOOOO

 

 


Notas Finais


E aí?
As coisas estão esquentando né?
Bjuss!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...