História Anjo Perdido - Destiel - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Crowley, Dean Winchester, Gabriel, Personagens Originais, Rowena MacLeod, Ruby, Sam Winchester
Tags Bottom!cass, Destiel, Supernatural, Top!dean, Yaoi
Exibições 43
Palavras 2.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olha o smut bottom!Cass meu povo

Capítulo 2 - Desesperados


Castiel havia chegado em casa após mais um dia cansativo de trabalho. Seu marido, Dean, ainda não estava em casa, algo comum nas sextas, já que o seu loiro trabalhava algumas horas a mais para não ter que ir à oficina aos finais de semana.

Iria fazer quatro anos que eram casados, mesmo assim, Dean continuava o mesmo, fazendo as mesmas coisas pequenas que faziam com que Castiel se sentisse especial. Essa era uma delas, chegar um pouco mais tarde na sexta, para que o final de semana fosse apenas dos dois.

Sorrindo, Castiel começou a cozinhar.

Iria deixar tudo pronto para que quando Dean chegasse, ele apenas precisasse de um banho para se sentar à mesa com o esposo e pudessem desfrutar o resto da noite de uma maneira agradável.

Castiel fazia o que seu amor mais apreciava comer, preparou dois x-tudo e de sobremesa uma torta de cereja.

Logo após a comida ficar pronta, não demorou muito para que Dean chegasse em casa e cobrisse seu Cass com beijos e caricias que faziam com que ambos sorrissem.

– Vai tomar um banho pra gente jantar Dean! — Castiel protestou.

– Tudo bem anjo, você venceu. — Ele fez um gesto de redenção com as mãos. — Mas só vou porque eu quero comer e o cheiro desse hambúrguer está maravilhoso!

Castiel riu e ficou observado o esposo correr pro quarto para tomar um banho.

Pouco tempo depois, Dean se juntou ao seu amado para que pudessem jantar juntos, durante a refeição falaram sobre o dia que cada um tivera, reclamaram dos chefes e discutiram algumas ideias para o final de semana.

– Tudo estava ótimo como sempre meu amor. — Dean elogiou satisfeito após finalizar a refeição

– Dean, pode confessar, tudo que eu toco fica perfeito. — Castiel brincou.

– Isso explica por que eu sou tão gostoso.

O moreno deu uma gargalhada contagiosa, fazendo com que Dean também o acompanhasse na risada.

– Você é tão convencido. — Castiel disse entre uma risada e outra. — Não sei como posso ter me casado com você.

– Simples Cass, você pode negar, mas no fundo sabe que me ama tanto que não pode viver sem cada defeito meu. — Dean disse antes de puxar Castiel para um beijo.

O loiro estava certo, Castiel havia dito milhares de vezes a ele que havia se apaixonado pelos seus defeitos e que apenas havia aceitado suas qualidades.

– Eu amo você Cass.

– Eu também amo você Dean.

Voltaram a se beijar.

Ambos sabiam exatamente como aquilo ia acabar, era tensão demais entre os dois para que nada acontecesse.

O beijo foi esquentando cada vez, os toques foram ficando mais e mais íntimos, quando se deram conta, Dean já estava com Castiel em seu colo e o levava para o quarto do casal.

Algumas peças de roupas foram ficando pelo caminho, gemidos se tornavam cada vez mais altos e as marcas de mordidas e chupões já ganhavam vida.

Por sorte a porta do quarto estava entreaberta então só foi preciso empurrá-la com o pé para que ela abrisse, ou seja, os dois não precisaram se separar para que chegassem ao seu destino.

Deixando Castiel gentilmente sobre a cama Dean tirou sua calça de moletom e em seguida tirou a do moreno, deixando ambos apenas de boxer, o loiro parou poucos segundos para olhar o homem que amava deitado na cama, com as pernas abertas, era seu sinal para que o loiro deitasse sobre ele para que pudessem continuar.

E foi o que fez.

Deitou-se sobre o amado e voltou a beijar seus lábios rosados, os beijos quentes fizeram com que ambos movimentassem seus corpos como se a penetração já estivesse acontecendo, fazendo as ereções se tocassem por cima do tecido fino, arrancando gemidos que se perdiam pela predominação do barulho da cama se chocando contra a parede.

Ambos já estavam em desespero.

Estavam desesperados para que pudessem se tocar sem que um fino pedaço de tecido o impedissem.

Estavam desesperados para que os corpos pudessem saciar o desejo e o fogo que estarem juntos causava.

Estavam desesperados para se amar.

Cass queria prazer, queria ver seu loiro gemer seu nome, queria ver seu marido gozar, então inverteu as posições, e ficou sobre o loiro.

Dean sabia dos planos do moreno então apenas se conteve em tocar seu Cass enquanto ele beijava seu corpo.

Os beijos tiveram início no pescoço, passando pela clavícula, peitoral e abdômen, até chegar na pélvis, onde o moreno aplicou pequenas mordidas e chupões, perto do membro ereto do marido fazendo-o com que ele ficasse ainda mais duro e dolorido — se isso fosse possível.

– Cass... por favor...

Ouvir a voz suplicante do loiro que se contorcia pela necessidade de ser tocado embaixo de si era extremamente prazeroso para Castiel, fazia com que o moreno fosse ao céu e ao inferno apenas por um timbre rouco de voz.

Tirou a boxer do loiro com a boca, roçando os dentes contra a pele macia do marido para provoca-lo ainda mais.

– Ca-

– Calma baby...

Dean gemeu, Castiel estava levando ele a loucura e eles nem ao menos estavam se tocando como o loiro realmente desejava.

Mas ambos já estavam acostumados, a necessidade dos seus corpos se tocarem era assustadora, dolorida e peculiarmente prazerosa.

Quando finalmente a boxer do loiro chegou ao chão, ele foi pego de surpresa por uma boca quente que o chupava avidamente, lhe arrancando um gemido junto com um som de surpresa.

Castiel fazia o sexo oral com vontade, chupava o membro como se fosse seu doce favorito, levando o loiro a jogar sua cabeça para trás e revirar os olhos juntamente com um gemido quase grotesco de prazer.

– Cass... agora não...

O moreno estava levando Dean a um estado que ele perderia a sanidade, e ele não queria chegar ao seu ápice sem dar o devido prazer a seu moreno. Cass entendendo isso, parou o sexo oral e voltou a beijar seu amado.

O beijo agora tinha gosto de pré gozo, mas isso era algo da qual eles estavam acostumados, já era algo que até mesmo apreciavam e as vezes, em alguns beijos mais castos, era algo da qual sentiam falta.

Castiel dominava o loiro, rebolava em cima dele da forma mais sexy e provocante possível, mas isso não era algo que se manteria por muito tempo, já que uma das coisas mais apreciadas por Dean era vê-lo se contorcer de prazer em baixo de si.

Não aguentando mais sua excitação, Dean inverteu as posições, ficando por cima do moreno, que lhe deu um de seus mais belos sorrisos.

O loiro virou Castiel de bruços com pressa e ele logo empinou seu corpo em aprovação a posição, Dean começou a beijar suas costas, até chegar a bunda do marido, não resistindo ao farto traseiro que Castiel tinha, ele logo mordeu a banda esquerda com força, fazendo com que o moreno gemesse sem pudor.

– Dean... anda logo! — A voz do moreno era urgente e necessitada.

– Como quiser, meu anjo.

Dean sorriu malicioso e deslizou sua mão esquerda por toda a costas de Castiel, até chegar em sua nuca, onde seus dedos se enroscaram nos curtos cabelos negros e o puxou, direcionando Castiel a sentar em seu colo de costas pra ele.

Os corpos se chocaram e Castiel sentou em cima do membro duro do loiro, ele não sabia o que Dean queria, porém quando ele começou, Castiel só conseguiu gemer.

Dean masturbava Castiel, enquanto revezava entre mordidas e chupões em seu pescoço, sentido o moreno rebolar em aprovação.

Mas não era aquilo que Castiel queria, ele queria sentir Dean o abrindo, e o penetrando cada vez mais fundo, então, já que Dean não estava o preparando com deveria, ele mesmo o fez.

Desvencilhou-se de Dean e se jogou de costas na cama, olhando a cara do marido que não entendia nada, então ele abriu as pernas e levou o indicador a sua entrada e começou a se penetrar com o digito, gemendo com a sensação de se tocar.

Castiel fechou os olhos e começou a fazer movimentos provocativos gemendo sem pudor para provocar o marido, que se deliciava com a cena, aproveitando para tocar a si mesmo.

Penetrou um, dois, três dedos e Dean viu tudo, se controlando ao máximo para não gozar com a cena e com o próprio toque.

– Eu estou pronto Dean, não me faça ter que fazer todo o trabalho sozinho...

A voz de Castiel foi tão manhosa que Dean não podia mais brincar com preliminares, ele se pôs em cima do moreno e posicionou seu membro na entrada já preparada do mesmo, olhando nos olhos azuis do marido, ele o penetrou de uma só vez.

Assim que sentiu Dean entrando por inteiro em si, Castiel fechou as pernas em volta dele, dando total liberdade para que o marido o penetrasse como quisesse.

Dean o penetrava num ritmo calmo o que pra Castiel era uma tortura prazerosa, seu membro latejava e soltava mais gotas de pré-gozo a cada vez que Dean estocava, ele se contorcia embaixo do loiro, querendo mais e mais.

Dean já estava em seu limite, Castiel era apertado e quente, fazendo com que a fricção fosse maior e que seu pau fosse praticamente sugado pra dentro toda vez que começava a penetrar.

Porém a maior compensação daquilo, era ver Castiel gemer seu nome e se contorcer abaixo de si, aquilo valia ouro para o loiro, e ele queria ver o moreno totalmente acabado pelo prazer que ele conseguia lhe proporcionar.

Então ele voltou a masturbá-lo, só que agora no mesmo ritmo em que ele penetrava o marido.

– Puta... merda... Dean!

O moreno gemeu ao sentir Dean o tocando mais uma vez, mantendo o ritmo da penetração, isso fraquejou Castiel, que sentia o orgasmo chegando fazendo com que seu corpo ficasse relaxado e solto.

Isso não passou despercebido por Dean, as pernas do marido não estavam mais em volta do seu corpo, e ele gemia entrecortado pela sensação do orgasmo tomando conta de seu corpo.

– Isso Cass, goza pra mim, chamando o meu nome.

O loiro aumentou a velocidade das estocadas, junto aos movimentos da masturbação, não levando muito mais tempo para que Castiel sentisse um frio na barriga ao gozar nas mãos do marido.

– Dean!

Dean sorriu maliciosamente ao assistir o Castiel gozando pra si e gemendo seu nome, como havia pedido, ele parou de estocar dentro do moreno e levou a mão suja de gozo a boca, lambendo tudo que estava ali, sem deixar nada escapar, ele não se importava mais em se saciar, havia ganhado a noite a ver Castiel tão vulnerável e saber que era ele quem o deixou assim.

Castiel arfava, a sensação ainda era presente em seu corpo, e se não fosse por isso, ele teria ficado duro mais uma vez ao ver o marido se deliciando com seu gozo.

Aquilo era injusto aos olhos de Castiel, Dean ainda não havia chegado ao seu ápice e lá estava ele, se deliciando com a sensação do orgasmo.

Então o moreno quis retribuir, tirando forças do desejo que sentia, ele puxou o marido para um beijo quente, abraçando-o e sentindo sua ereção que ainda estava ali, soltando gotas de pré-gozo.

Ao se desfazer do beijo, Castiel se dirigiu ao pau duro do marido e mais uma vez lhe aplicou o sexo oral, porém dessa vez, ele só iria para quando Dean gozasse em sua boca.

Castiel dessa engoliu todo o membro, sentindo a glande tocar sua garganta, mas isso não fez com que ele parasse, ele manteve sua boca o mais sem ar possível, para que a sensação se sucção fosse ainda maior e chupou o membro com mais intensidade do que na primeira vez naquela noite. Dean logo levou suas mãos ao coro cabeludo de Castiel, puxando os cabelos a cada sucção que o moreno fazia.

As mãos livres de Castiel faziam com que o loiro ficasse arrepiado a cada arranhando que ganhava nas coxas, e isso junto ao boquete, foi o suficiente para que ele não demorasse muito ao se desfazer na boca do marido. Castiel engoliu tudo de uma vez, sem se engasgar, aproveitando cada gota e o sabor que o marido tinha.

– Porra Cass... — Dean disse entrecortado pela respiração pesada. — Você acabou comigo.

– Culpa sua, você me destruiu essa noite. — O moreno riu e brincou com o marido. — Agora eu sei por que eu me casei com você.

– Porque? — O loiro perguntou com uma sobrancelha levemente arqueada.

– Você é muito bom de cama, eu tenho sorte. — Castiel riu com um sorrio maroto no rosto.

– Eu posso dizer o mesmo de você. — Dean o puxou e deu um beijo em seu pescoço. — Deus, eu sou abençoado por ser casado com você.

Eles se beijaram ternamente, e durante o beijo, Dean, mesmo que ainda estivesse se recuperando do orgasmo, deitou Castiel gentilmente na cama, junto a si.

– Eu tô exausto. — O loiro afirmou ao abraçar o marido

– Eu também. — Castiel se aconchegou ao peito do loiro e fechou os olhos. — Boa noite Dean.

– Boa noite Cass. — Disse ao lhe dar um beijo no topo da cabeça. — Sonhe comigo.

Tudo que Dean se lembra antes de dormir, foi do Castiel rindo da sua brincadeira. 


Notas Finais


Okay, eu sinceramente espero que tenham gostado do smut, é meu segundo na vida, gente
Logo mais sai cap novo, então, não entrem em pânico
E não achem que o smut no primeiro cap foi de graça MUAHAHAHHAHAHAHHAHA
Um beijo da tia karor que ama muito vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...