História Anjo sedutor - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin
Tags Bts, Park Jimin
Exibições 56
Palavras 1.780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Não faça algo que se arrependerá


Entrei em meu quarto jogando as sacolas no chão e sentindo-me exausta.

— Quero um espaço para minhas coisas. - pediu ele abrindo uma das sacolas.

— Vou comer alguma coisa e depois arrumo um lugar em meu armário. - olhei a quantidade exagerada — Provavelmente terei de tira todas as minhas coisas para pôr as suas.

Ele me olhou por um curto tempo e vez uma careta voltando sua atenção as sacolas com um sorrisinho no lábios animado.

Sair do quarto caminhado pelo curto corredor até a escada, antes pudesse descer o primeiro degrau ouvi vozes vindo do primeiro quarto.

Girei nos calcanhares indo em direção a porta.

Dei duas batidinhas e girei a maçaneta em seguida me deparando com dois garotos sem camisas e varias roupas espalhadas pelo o cômodo.

— O que é isso?... Ou, melhor quem são você? - o encarei.

— Oi. - disse o garoto de cabelos rebranqueados e pele pálida — Tudo bem?

Ele me parecia completamente sem graça e então empurrou seu amigo o incentivando a falar.

— Olá... Sou Teahyung e ele é Yoongi. - ele deu sorriso sem graça.

— São amigos do meu irmão? - quis saber desconfiada.

— O que vocês estão fazendo aqui? - ouvi a voz irritada atrás de mim.

Virei o rosto encontrando o "Anjo".

— Queríamos saber como as coisas estão indo, Jimin. - disse o tal garoto Teahyung olhando para ele.

— Como estão vendo, muito bem. Agora voltem. - ordenou o "Anjo" rabugento.

— Disse que não devíamos vir. - comentou o garoto de cabelos brancos de expressão seria.

— Vocês também são anjos? - me intrometi os olhando com certa desconfiança.

— Sim. - disse o garoto de cabelos brancos sem emoção.

— Jimin, não precisa ser tão rabugento. - disse Teahyung o olhando — Sabemos que você esta sentindo...

— Cale a boca! - gritou o "projeto de Anjo" me assustando — Vocês não sabem de nada.

O Anjo nos deus as costas desaparecendo deixando-me ainda mais assustada.

— O q-que foi isso...? - me expressão era de espanto sem duvidas.

— Você conhece o humor do Jimin, Teahyung. Avisei que essa sua ideia não iria dá certo. - disse o de cabelos branco com os braços cruzando — Vamos embora.

O garoto deu as costas e desapareceu enquanto caminhava.

Continuei encarando tudo aquilo em choque.

— Onika? - me despertou o garoto Teahyung.

— Oi? - o olhei ainda espantada.

— Você precisa ajudar o Jimin. - pediu ele — Mesmo que pareça difícil de atura-lo, jamais peça para que ele desapareça. Vá até o fim, por favor.

O olhava sem compreender onde ele queria realmente chegar.

— O que esta falando?

— Jimin só tem essa chance ou vá ser condenado... - aqueles olhos eram cheios de preocupação e medo, fazendo-me perguntar se realmente estava vendo isso em seus olhos — Por favor, lembre-se...

E simplesmente o garoto desapareceu deixando-me só no cômodo mergulhada em perguntas.

Respirei fundo e voltando a realidade enquanto minha mente fazia questão de lembra-me os acontecimentos.

— O que é isso? Estão tentando me enlouquecer? Ou me testar? - reclamei saindo do quarto.

Nada ultimamente tem sido normal para mim. Evitando qualquer pensamento sair do quarto.

Parei no corredor sem saber para onde devia ir sentindo uma estranha sensação em meu peito. Um peso forte, como se meu coração estivesse inchando e as artérias não conseguissem suportar seu estranho crescimento.

Segurei na parede tentando respirar e suportar aquela estranha dor.

A dor crescia conforme o tempo ia passando tornando-se insuportável.

 

Jimin Pov's

 

Não sei com qual direito Teahyung torna a se intrometer em minhas missões vindo com seu ar de sabedoria. Ele sabia melhor que qualquer anjo no universo que jamais deveria intrometendo-se em minha vida e muito menos quando envolvesse-a.

Bufei furioso vendo a grande cidade a baixo.

Por um momento minha mente ficou submissa em pensamentos suicidas nos quais poderiam colocar um fim em tudo isso de uma vez por todas. Na verdade faria qualquer coisa para não precisar seguir a diante arriscando a felicidade Dela...

Encarei a altura por um curto instante e pulei livrando-me de qualquer pensamento mantendo apenas a imagem de seu rosto em minha mente.

Senti o forte puxão e meu corpo se chocou com o chão.

Abri os olhos vendo o anjo intrometido me encarando com reprovação.

— Se sucumbindo a uma tentação, Jimin?! - disse Namjoon com reprovação a na voz.

Continuei deitado disposto a ignorar o possível sermão que estava por vir.

— "Eles" podem facilmente te controlar dessa maneira? - Namjoon ainda me encarava — Esperava perseverança de sua parte.

— Perseverança em que? - quis saber sem emoção alguma.

— Em se salva. - disse ele e sentou no parapeito.

— Não me faça ri. - disse sarcástico — Você sabe melhor que ninguém que não tenho salvação.

Ele virou o rosto para mim lançando seu olhar mortal.

— Pergunto-me o que mais "Eles" colocaram em sua mente. Ou arrancaram sua fé?

— Estou vulnerável para que consigam controlar meus pensamentos, mas não para me arrancarem a fé. - disse e virei meu rosto para ele.

— Até onde seria capaz de ir por aquela mortal? - quis saber ele olhando a cidade.

— Até a morte.

Namjoon levantou-se e deu alguns passos se aproximando de mim.

— Seus pensamentos suicidas de instantes atrás a deixaram há um passo da morte, neste exato momento. - disse ele com um olhar severo — Vocês estão ligados, Jimin. Seja mais sábio.

Ouvi aquilo foi como um choque em meu corpo e antes que qualquer outro pensamento surgisse  em minha mente a mentalizei surgindo no corredor de sua casa.

Corri até a garota deitada do chão e mesmo vendo que estava viva não conseguia evitar o medo e aquele sentimento de desespero dentro de mim.

A peguei em meus braços sentindo o peso de seu corpo e o calor emitido dele, por tanto tempo havia desejado senti-la que agora pergunto-me o por quê de sentir tanto medo.

A coloquei sob sua cama a cobrindo.

Por um logo tempo me permitir ficar sentando ao seu lado observando e lembrando-me de que havia feito isso tantas vezes, mas nunca se compararia agora, por que podia senti-la.

Estendi minha mão tocando seu rosto sentindo a maciez de sua pele e seu calor.

— Por que você me escolheu...? - questionei-me num sussurro — Sou o pior de todos...

Afastei minha mão abaixando a cabeça preocupado com o que estava por vir.

Senti sua mão segura a minha.

Levantei meu rosto encontrando seus olhos sob mim.

— Onde você foi? - quis saber ela sonolenta.

— Volte a dormi. - pedi.

Ela assentiu fechando os olhos.

— Não desapareça de novo. - pediu ela apertando forte minha mão.

"Não irei a lugar algum... "  

 

(...)

 

Ouvi o som de passos no corredor.

Suspirei concentrando-me para ficar invisível aos olhos dos mortais.

Com cuidado tirei sua para que não a acordasse ouvindo a porta ser destrancada atrás de mim.

— Onika! - gritou o irmão dela irritado.

— Não pense que vai se livra só por que esta dormindo. - disse ele bravo e puxou o cobertor dela.

— Vamos acorde! - gritou ele.

Apertei meus punhos segurando-me firme para não fazer nada a ele.

— Onika! Acorde agora! - gritou a despertando assustada.

— O que foi Jongshin? - quis saber ela sonolenta.

— Com que permissão você entrou em meu quarto e bagunçou minhas coisas?!

— Eu? Não baguncei nada. - disse ela sentando na cama.

Bufei irritado e parei o tempo.

— Teahyung e Yoongi, aqui agora. - os chamei.

Em segundos depois os dois apareceram em minha frente.

— Eu sei que vocês estão vendo então já sabem o que quero.

— Foi mal, Jimin. - disse Teahyung coçando a nuca sem graça.

— Você perdeu boa parte da sua energia com isso. - avisou Yoongi com sua irritante seriedade.

— Por culpa de vocês. - disse os encarando — Vão arrumar a bagunça.

— Devia deixar você arrumar sozinho, V. - reclamou Yoongi enquanto caminhava com Teahyung — Você que fez a bagunça toda só para encontrar uma camisa.

— Eu não gosto de cores escuras. - argumentou Teahyung.

Os dois saíram pela porta indo arrumar a bagunça no quarto do Sr. Irritadinho.

Virei meu rosto vendo os dois paralisados em minha frente e por um instante perdi o controle os vendo se move e rapidamente reassumi.

Respirei pesado sentindo-me cansando e sem forças cair de joelhos no chão deixando que o tempo voltasse ao seu rumo.

— Quero meu quarto bem arrumadinho do jeito que deixei mais cedo! - gritou o irmão irritante antes de sair batendo a porta.

— O que deu nele? - se questionou ela.

— Jimin? Você esta aqui? - pela primeira vez ouvi sua voz chamar por meu nome.

Forcei-me a ficar de pé sentindo que minhas pernas lutavam para apoia-me.

— Estou aqui.

— Jimin? Onde você esta? - ela me procurava com olhos pelo o cômodo — Jimin?

Fechei minhas mãos com força por não ter energia o suficiente para ficar visível aos seus olhos novamente.

— Jimin? - seu olhar cabisbaixo fixou-se em minha direção dando-me a ilusão de que estava me vendo — Para onde você foi...?

Sem conseguir mais evitar deixei que meu corpo caísse no chão perdendo o sentido.

 

Onika Pov's

 

Não havia conseguido dormir a noite passada, cheguei a deixar a porta da varanda aberta iludindo-me ao pensar que ele poderia entrar por ela no meio da noite e livra-me da preocupação por não saber onde estava ou se estava bem.

Abri a porta do quarto pegando minha mochila sob o sofá e ao dá as costas ouvi algo estranho fazendo-me virar rapidamente encontrando ele deitado no chão desacordado.

Aquela estranha sensação da noite passada me invadiu e antes que pudesse dá-me conta estava ao seu lado.

— Jimin? Jimin? - o chamava preocupada e olhando seu corpo a procura de algum ferimento.

— O que é? Me deixe dormi. - resmungou ele virando para o outro lado e deixando-me incrédula.

— Você estava dormindo?! - disse incrédula — Eu não acredito.

Levantei irritada por esta preocupada com esse projeto de Anjo a toa.

— Pelo menos vai dormi no sofá, assim não irei pensar que morreu da próxima vez. - resmunguei.

— Estava preocupada comigo? - ele virou o rosto para mim com um sorrindo.

— Logico que não. - disse brava.

— Ok, acredito. - disse ele ainda com o sorrindo colocando as mãos por baixo da cabeça — Devia vesti algo menos infantil.

— Desde quando meu uniforme é infantil, seu idiota. - o encarei.

— Não é bem do uniforme que estou me referindo. - ele sorriu com maliciosa e seus olhos me guiaram para onde ele estava olhando.

— Seu pervertido. - chutei suas costelas me afastando irritada.

— Esta louca! - gritou ele com uma expressão de dor e levando as mãos até onde o chutei.

— Você que é um pervertido! - gritei saindo do quarto e batendo a porta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...