História Anjos e Demônios - Jikook - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V, Wendy
Tags Jikook, Jimin, Jungkook, Namjin, Suga, Vhope, Wendy, Yoondy
Visualizações 260
Palavras 1.412
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi galera! Por que estou postando de terça-feira? Bom, é que amanhã terei 2 provas, então irei passar a manhã estudando. E não iria dar tempo de postar, por isso preferi postar hoje.
Obrigada aos comentários e favoritos do capítulo anterior, amo vocês!
Boa leitura ><

Capítulo 14 - Interrupções


Fanfic / Fanfiction Anjos e Demônios - Jikook - Capítulo 14 - Interrupções

(Point Of View Jeon Jungkook)

 

- Jeon, acorde... você precisa sair dessa vivo, junto comigo. É o Jimin, levante. Nos tire daqui! Por favor...

Ele ficava repetindo estas palavras enquanto me sacudia levemente, estávamos sentados numa cama de um local desconhecido, mas que parecia muito familiar para mim.

- Se você não acordar agora não iremos conseguir sair, iremos morrer.

Disse o ruivo, aflito, olhando para os lados e muito apavorado.

Acordei zonzo, ainda lembrando do meu sonho. Jimin estava nele, com as mesmas roupas que o encontrei há alguns minutos, mas ele parecia mais tranquilo, e tinha uma expressão angelical presente. Estou em cima do Jimin, levantei-me, tentando me recuperar de tanta fumaça ao redor.

Olhei em volta e o outro pesadelo voltara, ainda estava com Jimin, no incêndio. Como estou conseguindo sobreviver? A voz de Jimin estava me chamando, mas ele permanece inconsciente. Como isso aconteceu?

Percebi que o fogo havia diminuído, essa era a minha chance, a nossa chance de escapar daqui vivos. Tossia frequentemente, porém ainda conseguindo respirar, mesmo que pouco. Apoiei minha cabeça no peito de Jimin, procurando ver se ele ainda respirava. Ele está vivo! Mas não por muito tempo, terei que tirá-lo daqui. O peguei no colo, passando seus braços pelo meu pescoço, enquanto corria para fora do lugar, Jimin resmungava com dores, acho que ele realmente está ferido.

Passei pelos corredores, mas parecia que eu sempre voltava no mesmo lugar. Foi quando escutei a tal voz novamente...

Vá para a esquerda, lá é o caminho... você está quase, Kook! Nos tire daqui, pense em mim e você vai conseguir. Pense no meu lado Anjo, o lado que te ama.

Ouvir a voz falando o apelido que somente o Jimin falava antes, arrepiou-me por inteiro.

Anjo que me ama?

Afastei estes pensamentos tentando me concentrar em sair daqui. Fiz o que a voz indicou. Segui a esquerda, e vi a mesma porta por qual havia entrado, mas agora a mesma estava totalmente destruída. Dei uma última olhada do lugar, e suspirei. Nunca vai dar certo os lugares que tentamos viver.

Abri a porta e a claridade quase me cegou. Pisquei algumas vezes antes de definitivamente abrir os olhos. Sentei-me na escada que tinha e Jimin no meu colo, com um cenário horrível atrás de mim. Encarei Jimin, que não parecia bem. Foi quando eu voltei a realidade e percebi que o mesmo precisava de ajuda. Levantei-me e procurei meus amigos na multidão. Os encontrei muito preocupados.

- Jimin! Jungkook! Porra! – Jin disse enquanto se aproximava junto dos outros. – Ficamos muito preocupado. Você é louco de ir sozinho buscar ele no meio do incêndio? E essas queimaduras?

- Seokjin, meu Deus! Está parecendo minha mãe! Eu estou bem, mas Jimin não. – Exclamei, rindo. – Poderia me ajudar com o Jimin, por favor?

- Ah sim, pode ser. – Ele disse, um pouco sem graça, o que me fez rir mais ainda. – Pare de rir, só me preocupo com as pessoas.

- Namjoon tem sorte. – Murmurei, mas ele conseguiu ouvir.

- Quem disse que estou com o Namjoon? – Seok cruzou os braços, ficando numa posição de seriedade.

- Quem disse que não está comigo? – Nam chega por trás e abraça Jin, que cora no mesmo instante. – Os que se feriram estão sendo levados para lá. – Ele aponta para um canto que tinha apenas alguns Anjos/Demônios. – Iremos daqui a pouco.

Assenti, murmurando um obrigado e fui praticamente correndo para o lugar indicado.

- Alguém poderia ajudar este Demônio? – Perguntei num tom de voz um pouco alto, para que pudessem ouvir. Um Anjo sorriu para mim e disse que cuidaria dele, porém neguei, dizendo que queria ficar o procedimento inteiro com Jimin, o Anjo aceitou.

Ajudei o “médico“ a colocar Jimin numa pequena cama improvisada, ficava num lugar totalmente vazio, somente separado por algumas e pequenas salas, provavelmente estava vazio antes do incêndio acontecer. O Anjo, cujo se chama Kai, disse que iria pegar alguns medicamentos por causa dos ferimentos – que não eram graves, já que os Mistos são conhecidos por se curarem rápido – e já voltava, aproveitei o momento e me sentei ao lado de Jimin, numa cadeira, segurando uma de suas mãos.

Tomei um remédio, que Kai disse que ajudaria os meus leves ferimentos a se curarem mais rápido, agradeci mentalmente por não estar tão machucado.

- Jungkook. O que... onde estou? – Uma voz reconhecida me chamou, fazendo-me despertar dos meus devaneios. – Por que você está segurando minha mão? – Falou de novo.

- Eu te salvei do incêndio. – Disse, intercalando meu olhar a seus lábios e os seus olhos. – Não poderia nem dizer obrigada?

- Obrigada. – Falou simples. Me encarou fortemente e sorriu. Aquele sorriso... me destruía por inteiro. – Por que você está me olhando tanto, há algo de errado? – Disse com um tom ingênuo.

- Não. – Respondi, aproximando-me, ele não recuou. – Talvez você queira me matar depois do que farei, mas não irei me arrepender. – Sorri de canto e ele ficou confuso.

Coloquei minha mão livre em seu pescoço, aproximando ele de mim. Jimin deixou seus lábios entreabertos e olhos fechados, o que na minha opinião, deixou o mesmo muito sexy. Roçamos nossos lábios e senti aquela energia percorrendo no meu corpo. Fiquei em cima da cama, passando minhas pernas pelo seu corpo, subindo em seu colo. Nos beijávamos ferozmente, com muita paixão envolvida. Nossas línguas eram sincronizadas, deixando-nos cada vez excitados. Jimin colocou uma das suas mãos pelo meu cabelo e puxando os mesmos delicadamente, enquanto a sua outra ia passando pelo meu corpo parando na cintura e a apertando cada vez que iniciávamos outro beijo. Por um momento, parei e o encarei, tendo a certeza de que ele estava querendo isso mesmo, ele assentiu e eu estava prestes a tirar a sua camisa quando...

- Oh, desculpe-me! – Kai disse soltando uma pequena risada, enquanto colocava seus equipamentos em cima da pequena mesa que ficava ao lado da cama. E rapidamente saí de cima do colo do Jimin, abaixei a cabeça, muito envergonhado. – Tentem em outro lugar. Agora iremos cuidar do garoto.

Como ele falou com toda esta tranquilidade? Que vergonha! Eu e Jimin estávamos quase... fazendo aquilo? De verdade? Como isso está acontecendo?

Sentei-me novamente e observei todo o procedimento. No final, o médico se despediu e disse que Jimin ficaria bem, em seguida, foi cuidar de outros feridos. Park dormia, e sua pele não estava mais suja, nem com as diversas queimaduras de antes.

Fiquei acariciando seus cabelos, pensando no que poderia acontecer se Kai não tivesse nos impedido de continuar o tal ato. Bufei, até porque Jimin nunca aceitaria tentar fazer aquilo outra vez, já que ele não é apaixonado por mim.

- Está pensando no que poderia ter acontecido? – Jimin disse, abrindo os olhos e mexendo em seu cabelo, o arrumando. Encarei ele e neguei com a cabeça, o que fez o ruivo dar uma leve risada. – Não tem o porquê de negar. Eu também estava pensando sobre isso.

- E chegou a qual conclusão? – Perguntei, desviando meu olhar para a janela, já sabendo a resposta da pergunta. Ele se sentou e chegou bem perto do meu ouvido, podia até escutar sua respiração.

- Que deveríamos tentar outra vez. – Sussurrou, fazendo-me arrepiar por inteiro.

- Tentar o que outra vez? – A voz de Taehyung surge no quarto, suspirei irritado. Porra! Eu não posso ter um momento de paz?

- Tentar dar um soco na sua cara por ter me atrapalhado. – Disse e me virei, revirando os olhos. Ele deu de ombros, um pouco confuso.

- Você será liberado daqui algumas horas, Jimin. – Tae falou, nos olhando desconfiado. – Por que o Jimin parece diferente e não está sendo grosso como de costume?

- Taehyung já chega, não estrague o nosso momento calmo. – Disse impaciente por tantas perguntas.

- Ainda não acabei de falar, caralho. – Tae andou pela sala, se aproximando de nós. – Vamos passar a noite na floresta, acampando, merecemos um descanso, mesmo não necessitando. Jimin, você poderia vir conosco? Queríamos poder conver...

- Sim, eu irei. – Jimin falou o interrompendo, me encarando com um olhar malicioso. – Também preciso falar com vocês.

- Isso foi mais fácil do que eu pensei. Será que o fogo trás os Demônios de volta a realidade? – Tae brincou, saindo do quarto.

Sentei perto de Jimin, selando nossos lábios de novo. Fiz uma trilha de beijos, indo para seu pescoço e voltando aos seus lábios. Separei-me, sussurrando em seu ouvido:

- Estarei esperando pela nossa conversa hoje à noite.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Gente, Jikook na ousadia e alegria HEHEHE
Se puderem, comentem para eu saber de tudo, e do que vocês acharam! ><
Até sábado! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...