História Anjos e Demônios - Capítulo 53


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin
Tags Anjos|demônios|amor|disputa
Visualizações 55
Palavras 1.844
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oih amoras, turu boum? Boa leitura pra tu que tá lenu!! Ler é boum, ler é vida, enquanto tiverem o Spirit Fanfics nas mãos, vão se tornar ainda mais pervertidas com essas Fanfic Hot kkkk!

Capítulo 53 - Mas eu tomei a pílula


[Algumas semanas depois]

Acordei mais sonolenta o possível. Sabe quando você já acorda com vontade de voltar para a cama? Hoje eu estou assim. Faz duas semanas que eles se foram. Os professores me perguntam ainda sobre eles, e eu não sei o que responder. Acho que venho me afastando das meninas... eu não ando conversando muito com elas. Só com a Yang lee... ela se encontra no mesmo estado que eu. Só que ela sofre pelo luto. Ela voltou a se alimentar, não nos disse porque, só disse que foi por conta de um sonho, não entendi direito mas isso é bom. As coisas já estão "normais". Nenhum professor toca mais no assunto do "Garoto que foi morto por reagir a um assalto." E isso também é bom, quer dizer, isso é bom para ajudar a Yang lee a superar o luto.

Sai da cama finalmente e tomei um banho. Vesti o uniforme da escola, penteei os cabelos, passei o reboco(maquiagem), peguei meu celular e os fones e desci para a sala. Olhei para a mesa do café da manhã, meus pais estavam sentados junto com meu irmão. Me sentei e esbocei um sorriso falso. 

--Bom dia...-- Minha mãe sorriu e cortou um pedaço de bolo de chocolate para mim. Quando fui dar a primeira garfada no bolo, uma vontade enorme de vomitar me dominou. Larguei o garfo e sai correndo em direção ao banheiro. Ergui a tampa da privada as pressas e vomitei ali. Eu não entendo porque do vômito, ainda nem tinha comido nada. Deus, o que tá acontecendo? Quando terminei de vomitar tudo, me sentei perto da privada e limpei a boca com as mãos. Me ergui e lavei o rosto. Me olhei no espelho confusa.-- Estou doente? Eu... Não tenho porquê vomitar.-- Disse à mim mesma. 

Ally: Aconteceu alguma coisa?-- Perguntou se encostando na quina da porta.

--Não, eu estou bem... só devo ter comido algo ontem que não me caiu bem... ou estou gripada, normalmente eu costumo vomitar quando estou gripada.-- Disse secando as mãos e o rosto. Se me lembro bem, eu vômito mesmo quando pego uma gripe... É, talvez seja isto. Levei as costas da mão até a testa. Estranho... Não está quente.  Talvez seja porquê minha mão está molhada e não dá pra sentir. Bom, que seja. Dei de ombros e sai do banheiro deixando o garoto sem entender nada. Mas eu também não estava entendendo... Peguei minha mochila no quarto e desci para esperar Allyson na sala.

Richard: Esta tudo bem? Nem tocou no café...-- Meu pai se sentou ao meu lado no sofá. 

--Ah, sim... Esta tudo ótimo, só estou sem fome.-- Menti.

Richard: Você? Sem fome? O que que tá acontecendo? Se deixar você come até a geladeira...-- Ele disse rindo. Joguei uma almofada em sua cara e ri junto. Allyson surgiu na sala, nos despedimos de nossos pais e saímos. As meninas, depois de um tempo deixaram de vir me chamar, pois eu sempre arranjava uma desculpa para não ir com elas. Evitar as perguntas do tipo "Por que eles foram?" Ou "ele vem te vistar né?" Ou até "Sinto pena de você, mas vai ficar tudo bem, amiga." Assim que chegamos na escola, umas três meninas mais ou menos da idade do Allyson vieram falar com ele.

Menina 1: Ally!! Que bom que chegou, Oppa! Sabe, preciso de ajuda em um exercício de matemática...-- Ela sorriu fofa. Pelo visto ele é popular entre as meninas. Ri sozinha. Olhei pra ele e ele estava com uma expressão de tédio.

Ally: Eu não sou seu "Oppa".-- Disse frio. Quase cai na gargalhada ali. A menina olhou para baixo triste. Pus a mão na boca pra não rir.

Menina 2: Ah, Ally... ajuda a gente! Você é o mais inteligente da sala, e também... Nós gostamos de você.-- Ela estava vermelha. Gente, que fofooh!

Ally: Mas eu não...-- Ele suspirou.

Menina 3/1: Não o que?-- Perguntaram juntas.

Ally: ...não gosto de vocês.-- Completou sorrindo e saiu andando. O queixo das meninas caiu. Não me aguentei e ri.

--Não liguem, depois de um tempo... Vocês se acostumam, e ele passa a gostar de vocês.-- Disse ainda rindo.

Menina 3: Acho que não, Desde que ele chegou que trata todo mundo assim.-- Ela disse triste.

Menina 1: Menos o Taehyang.-- Quando ouvi esse nome lembrei do Tae. E sorri.

Menina 2: E aquela menina que usa óculos e senta no fundo da sala. Não sei como ela conversa com ele, aliás, ela não falava com ninguém né?! Por que será que ele não fala conosco?--Sai de perto e deixei as meninas conversando sobre o meu irmão. Eu andava rindo pelo corredor quando sinto meu pulso ser puxado. Me viro totalmente enraivecida. Que estranho, a pouco estava rindo... 

--O que é?! Aff, me deixa!!-- Disse para a pessoa e só depois notei que era Baekhyun. 

Baek: Nossa, desculpa...-- Disse sem jeito.

--Não, desculpa eu, é que não estou num bom dia.-- Encolhi os ombros envergonhada.

Baek: Não? Mas a pouco te vi rindo... Bom,  não importa, a gente podia ver um filme lá em casa, né?! Eu não tenho nada pra fazer e... Agora que meus amigos não estão mais comigo, uns eu não sei e o Chany voltou... eu moro sozinho, e é chato não ter companhia.-- Disse coçando a nuca. Sorri.

--Depois da aula eu vou para a sua casa, aproveitamos e vamos juntos no seu carro.-- Agora que eu falei, me lembrei de algo.-- Ah e falando nisso, aquele dia na minha casa, vocês disseram que nenhum de vocês sabiam dirigir mas... Você tem carro! Como assim?-- Ele pareceu pensar um pouco procurando a resposta.

Baek: Bom, é... eu... é que...-- Ele estava se enrolando nas palavras.

--Não, tudo bem. Então, que filme vamos ver?-- Mudei de assunto. Ele sorriu.

Baek: Isso a gente vê lá, podemos assistir terror, romance, comédia, suspense, ficção, mistério ou ação... sei lá...-- Disse contando nos dedos.

--Tudo, menos romance.-- Disse de modo desesperado. Ele deu de ombros e sorriu.

{...}

Estava na mesa da lanchonete com meus amigos. Todos conversavam animadamente, menos eu e Yang lee. As vezes ela falava ou até sorria, mas eu estava me sentindo estranha. Passei os olhos pelo local e vi Baekhyun sentado com uns garotos e umas garotas, ele estava me olhando. Sorri para ele e voltei minha atenção a minha mesa. Eu estava inquieta. Olhei para o prato de Sun hee sem querer e de novo... levei a mão até até boca e sai correndo até o banheiro feminino. Abri a porta de uma das cabines e despejei o vômito em uma privada. Continuei vomitando até que sinto alguém por meus cabelos para trás para que não pegasse vômito nele. Estranhei pois não tinha nenhuma garota no banheiro assim que entrei. Assim que terminei, respirei fundo e olhei para quem segurou meus cabelos. Me assustei a ver Baekhyun.

Baek: Você está bem? Vi você sair correndo e vim atrás... o que você comeu hoje?-- Perguntou ele preocupado.

--Eu...tô bem, só gripada, eu acho... Não comi nada de estranho, eu estou bem. Quando estou gripada costumo vomitar, é do meu organismo.-- Levantei. Ele parecia mais aliviado. Andei até a pia e lavei o rosto e limpei a boca.-- É melhor você sair, esse é o banheiro feminino.-- Disse encarando o espelho.

Baek: Sim mas antes vamos até antes infermaria.-- Disse me puxando para a salinha da enfermeira.

--Não precisa, é só uma gripe! Vai passar, não faz isso!-- Disse tentando parar de andar mas ele só me puxava. Enfim chegamos na infermaria e ele falou com a moça. Ela sorriu e veio até Min (A: Tenderam? Min Yoongi kkkk eu tenho sérios problemas...). 

Enf: Tá bom querida, como se sente?!-- Expliquei tudo para ela e ela sorriu.-- Bom, talvez seja só uma gripe mesmo ou você comeu algo estragado ou...-- Ela parou e sorriu.-- Não acho que seja isso, você é nova demais, mas... Gravidez, talvez?!-- Arregalei os olhos. 

--NÃO! Não é isso, eu só tenho 17 anos, ah, lembrei! Ontem eu comi queijo de madrugada e tinha um gosto estranho, é, o queijo devia estar estragado, sim, só pode ser isso!-- Disse rápido e ri nervosa.

Enf: Ah, então pode ser isso.-- Ela sorriu. Suspirei aliviada e sai daquele lugar encontrando Baekhyun do lado de fora.

--Não voltou para a sala? Já tocou o sinal...-- Disse sorrindo.

Baek: Eu devo cuidar de você, sou seu anjo da guarda!-- Disse ele rindo. Ri junto.

--Ex...-- Falei debochada e ele riu.

Baek: Ok, vou te levar para a sala... e aí? O que ela disse?-- Perguntou ele sorrindo.

--Comi queijo estragado...-- Respondi rápido. Ele riu e eu acompanhei. Chegamos enfrente a sala e ele bateu a porta. A professora abriu.

Prof: Já comecei minha aula, S/n!-- Me olhou feio.

Baek: Ela passou mal, professora. Levei ela na infermaria, por isso ela se atrasou.-- Ele respondeu antes de mim.

Prof: Verdade, S/n?-- Me olhou ainda com o olhar matado.

--É isso que dá comer queijo estragado.-- Ri sem jeito. Ela suspirou e fez sinal para entrar. Entrei e me sentei no meu lugar, as meninas me olharam e eu apenas sorri.

{...}

Eu estava escolhendo o filme e ele fazendo a pipoca. 

Nos sentamos no sofá e dei play no filme. Era um filme de terror. 

{...}

Apareceu uma cena em que o psicopata do filme que era o vilão também, dava órgãos cru para a mocinha comer. Essa sena foi ao estremo para mim. Peguei a bacia de pipoca vazia, e vomitei ali mesmo. Baekhyun se assustou. Larguei a bacia no chão e fui lavar meu rosto e tirar o gosto de vômito da boca. Quando voltei ele estava sentado no sofá me olhando.

Baek: O que você tem? Isso não pode ser efeito de um queijo estragado, S/n.-- Ele estava sério. Suspirei. Me sentei ao seu lado.

--Eu não tenho nada, é só uma gripe, é só uma gripe.-- Disse a mim mesma.

Baek: Não, não é só uma gripe! Eu... S/n, vou te fazer uma pergunta.-- Ele me olhou e eu assenti.-- Quando foi a última vez que você... teve relações sexuais?-- Essa pergunta me pegou. Contei mentalmente. Foi a duas semanas atrás, um dia antes dele ir embora.

--Um... um dia antes... dele ir embora. Eu e o Jin, nós...-- Tentei organizar meus pensamentos.

Baek: Tem alguma chance de...-- O interrompi.

--NÃO!! Não tem nenhuma chance, eu tomei a pílula! Eu tomei, sei que tomei! Não tem como, não...-- Disse incrédula.

Baek: Tem certeza que tomou?-- Ele arqueou as sobrancelhas. Ri pelo nariz.

--Mas é claro, se bem que...-- Estremeci.-- Oh, meu Deus, Não!-- Entrei em desespero.-- Eu lembro que aquela foi a primeira vez que tomei a pílula, sempre usamos camisinha, e eu não senti gosto de remédio, pelo contrário, tinha gosto daquelas bainhas de tic-tac! Não, não, como eu sou burra! Eu deveria, eu deveria ter desconfiado!-- Comecei a chorar. Ele me abraçou.-- Meu futuro, minha faculdade, meus sonho... perdidos, e e tudo por eu ser uma burra que confundiu duas coisas completamente diferentes! Eu me odeio.-- Meu choro só aumentava.

Baek: Se acalma, vai ficar tudo bem.-- Aquelas palavras não me confortaram. Não era justo, eu tomei a pílula, eu tinha certeza... mas e o gosto estranho? Não, eu tomei e pronto. Eu só estou gripada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...