História Anjos e Demônios - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin
Tags Anjos|demônios|amor|disputa
Visualizações 43
Palavras 1.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Continuação do capítulo anterior, esperei meus demoninhos dormirem pra postar!!


Boa leitura!

Capítulo 56 - Oh, meu Deus! Um filho?! Part2


Quando eu entrei em casa, não tinha ninguém na sala, papai e mamãe deviam estar trabalhando e o Ally no quarto. Larguei minha chave em cima da mesinha de centro e me despedi de Baek que voltou para sua casa. Eu precisa tomar coragem e arranjar um jeito de contar sobre a gravidez para a mamãe. Eu precisa de conselhos, mas eu não tinha para quem pedir. As meninas não poderiam saber dessa gravidez, Jiovanna me mataria! Quando andava pelo corredor, em direção ao meu quarto, a porta do quarto de Allyson se abriu.

Ally: Ah, você chegou. Mamãe ligou e avisou que hoje eles vão chegar mais tarde, que não era para esperarmos eles para o jantar.-- Disse indo para o andar de baixo. Fui para o meu quarto. Me sentei na cama e fiquei pensando em tudo que estava acontecendo na minha vida.

--Eu fui molestada, virei amiga de anjos, namorei ou namoro um anjo, não sei, fui sequestrada por dois demônios, descobri que meu irmão "adotivo" é um bruxo, fiquei grávida do meu namorado anjo e agora o meu amigo anjo que também foi meu anjo da guarda é a única pessoa que sabe que eu vou ter um filho!-- Disse para mim mesma.

Ally: OH, MEU DEUS! UM FILHO?! CACETE, QUE PORRA É ESSA?!-- Me assustei ao ouvir os gritos de Allyson. Ele estava parado na porta que eu me esqueci que tinha deixado aberta com uma caixa de remédio nas mãos.

--Hã? Filho? Não! Eu não... eu não disse isso, eu disse... eu disse FILME! Isso, filme!-- Disse tudo muito rápido. Ele entrou no quarto e se sentou assustei o meu lado.

Ally: Não minta! Eu não sou surdo, e se você tentar mentir conto para a nossa mãe o que eu ouvi... tudo. Inclusive a parte dos anjos e demônios e principalmente, a parte sobre "Molestada" foi isso que você disse né? Foi esta a palavra que você usou! Anda, pode começar a falar, me explica tudo desde o começo!-- Falou sério. Minhas mãos começaram a soar.

--Ok...-- Respirei fundo.-- Foi assim: Tudo começou no meu primeiro dia de aula, quando eu os conheci, eles estavam na sala de aula e eu estava indo pra lá com as meninas, eu não falei com eles, mas os achei estranho e por isso não gostei, mas aí...-- Fui contando toooda a história para ele. As vezes ele falava algumas coisas, quando eu disse quem me molestou ele disse "Você é muito trouxa de aceitar as desculpas deles..."ao que eu respondi: "Cala a boca, cuida da sua vida e me escuta até o fim!" E ele se calou. Contei todo o resto; ele se impressionou com algumas coisas e com outras nem tanto. No fim,contei a ele sobre a gravidez, não dei detalhes, é claro, eu ainda não sei se ele... hã, como eu digo isso...? Se ele "entenderia" o assunto. Eu realmente não sei, nunca conversamos muito...

Ally: Caralho, você vai ser mãe... Oh, meu Deus! Você vai ter um filho!-- Ele gargalhou.-- Imagino VOCÊ tão infantil que chega a dar pena cuidando de uma criança!!-- Ele zombou.

--CALA A PORRA DA BOCA! Isso é sério, tá me entendo? Eu vou ter um filho de um anjo que está no céu! No céu! Meu filho nunca vai ver o pai dele e o pai dele nunca vai vê-lo!-- Disse frustrada. Ele parou de rir.

Ally: Verdade... Sinto muito. Mas que é engraçado, é!-- Ele disse e dessa vez nós dois gargalhamos.

--Eu estou com fome, vou fazer o jantar... me ajuda?-- Perguntei ainda rindo.

Ally: Quando você não está com fome?-- Perguntou debochado.

--Calado, agora eu como por dois!-- Falei acariciando minha barriga.

Ally: Só por dois? Achei que agora comia por 10, já que antes de estar grávida comia por 5...-- Disse irônico e eu o empurrei. Fomos rindo até a cozinha. Ele me ajudou a preparar o jantar. Quando estávamos comendo, ele disse:

Ally: Como meu sobrinho ou sobrinha vai se chamar?-- Perguntou depois de tomar um gole de seu suco de uva.

--Se for menino, eu realmente não sei, mas... Se for menina...-- Sorri boba.-- Rosalie. Era o nome da vovó...-- Disse feliz.

Ally: Eu não gosto desse nome, eu prefiro nomes mais... Simples. Marina, Sofia, Sabrosa, Vitória, Manuela...-- Deu de ombros.

--Se for menino, que nome você daria?-- Perguntei fitando o prato.

Ally: Era o pai dele era um anjo não era? Então... Gabriel. Gabriel é nome de anjo.-- Disse simples. Sorri.

--Você gosta desse nome?-- Perguntei fofa.

Ally: Sim, gosto.-- Ele estava sendo sincero.

--Então se for menino... Será Gabriel, se for menina... Rosalie!-- Disse sorridente. Ele sorriu também.

Ally: Você chamaria seu filho de Gabriel apenas porque eu disse que gosto?-- Perguntou sorrindo.

--Claro. Por que não?! --Quando me ouviu, seu sorriso foi ainda maior. Terminamos o jantar e eu lavei a louça. Assisti um filme com Allyson e fomos cada um para o seu quarto. Eu fiquei um bom tempo acordada pensando mil e uma maneiras de contar para meus pais dessa gravidez. Senti uma vontade enorme de tirar minha vida por um momento. Estaca tudo de cabeça para baixo. Eu não tentava demonstrar, mas eu não estava conseguindo lidar com essa coisa de ser mãe. Estava sendo difícil, sabe... me percorria uma insegurança. E se eu não for uma boa mãe? Como vai ser criar um filho sozinho? Eu vou conseguir terminar o colegial? Fazer uma faculdade? Realizar meu sonho? Vou suportar todos os olhares que certamente vou receber por engravidar cedo demais? Eu estava muito preocupada, eu não sei se era uma pessoa adequada para ser mãe! Toda desastrada do jeito que eu sou, não duvido nada de que deixe a criança cair assim que a pegasse no colo! Sou um desastre. Pra você ver... uma simples noite, ou, no meu caso, tarde, pode acabar com tudo! Não que eu não queira essa gravidez, mas é que, eu não quero essa gravidez mesmo. Não, eu não penso em abortar. Nunca! Não é porque eu não queria que tenho o direito de tirar a vida de alguém! Eu não queria, mas fui irresponsável, e agora tenho que assumir as consequências, e eu vou assumir e fazer de tudo para fazer o meu filho se sentir amado e protegido perto de mim.


Notas Finais


Oi gente, desculpa o capítulo curto, é que saporra toda era para acontecer no capítulo anterior mas meus demoninhos não deixaram então eu tive que dividir o cap, mas espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...