História Anjos sem Planos - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~BeckPiih

Postado
Categorias Originais
Tags Amigas, Amizade, Foras, leiam, Muitoamornocoração, Pegação, Piadas, Separação, Shipps, Tretas
Exibições 25
Palavras 1.268
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Cap 1- De volta ao lar💜


Fanfic / Fanfiction Anjos sem Planos - Capítulo 2 - Cap 1- De volta ao lar💜

1 ano depois.....

Anne narrando

Acordei cedo em pleno sábado para acabar de arrumar as minhas coisas e a da naná, o Rodrigo deve ta colocando as malas no carro, melhor eu me apressar.
Vou no banheiro, tiro minhas roupas e me olho no espelho e vejo meus cabelos agora platinados. Entro no banho ouvindo alguma música aleatória da minha playlist.
Saio do banho em direção ao meu quarto me trocar, coloco uma calça jeans simples, uma blusa regata preta e um tênis branco, saio do quarto ver o Rodrigo.

- Rodrigo? - saio gritando pela casa
- Filha já te pedi pra me chamar de pai - ele me pede saindo da cozinha, sendo acompanhado pela naná
- Ta, tanto faz - me agacho para falar com a naná - Oi meu amorzinho - ela vem correndo ao meu encontro e sou recebida com uma lambida na boca.
Me levanto para me recompor e lavar a boca e falar com o Rodrigo, fico de costa para a pia e de frente para o Rodrigo.
- Vamos sair de que horas? - pergunto revirando os olhos
- Anneliese, não faça essa cara, e vamos sair daqui a uma hora e meia - ele me responde bravo
- Quando a gente for sair me chama - saio da cozinha com uma maçã na mão e ouço ele resmungar algo

1 hora depois.....

-ANNELIESE CÁRTER - o Rodrigo grita meu nome
- MEU NOME É ANNELIESE GRIGORI - saio gritando e batendo a porta do quarto. - VOCÊ NÃO TEM O DIREITO DE OCULTAR O NOME DA MINHA MÃE.
- BAIXE O TOM PRA FALAR COMIGO ANNELIESE, E VÁ JÁ PRO CARRO - ele aponta o dedo para a porta já aberta
- Vou buscar a minha filha - falo revirando os olhos.
- Ela tá lá fora já - ele me corta
- Ta, tchau...

Saio de casa rumo a naná, e a vejo deitada na sombra de uma árvore.

- Vem filha - a chamo e ela vem correndo, me agacho para falar com ela - Olha, você vai ficar um ou dois dias sem a mamãe, mas quando a gente se ver de novo eu te levo pra passear num lugar bem lindo e te compro um presente, ta bom? - pergunto quase chorando e recebo um latido e uma lambida de compreensão

- Anne, entra no carro com a naná
- To indo - respondo colocando a coleira de carros na naná. Coloco ela no carro e partimos rumo o aeroporto

Coloco meu fone no ouvido, no volume máximo e apoio minha cabeça no vidro da janela e fecho meus olhos. Ao abrir os olhos vejo que estamos chegando no aeroporto, acho cochilei.

- Quer água filha? - meu pai pergunta, reparando que eu acordei
- Não, obrigada - respondo seca

Ele volta a olha para a pista e estaciona na frente de uma porta de vidro, tiro o meu sinto, destravo a coleira da naná e abro a porta do carro, saio com a naná do carro e o Rodrigo pega minha mala, entramos no aeroporto e enquanto o Rodrigo foi fazer o  check in eu me sentei com a naná no colo, nem a naná nem o Rodrigo irão comigo pois ele vai resolver os documentos da naná, então vou ter que ficar na casa de uma tia que eu certamente não lembro.

- Chegamos quase atrsados - o Rodrigo vem nervoso falar comigo
- Tenho quanto tempo pra me despedir de vocês? - pergunto olhando para a naná me olhando triste
- 1 minuto - dou um pulo da cadeira assustando a naná
- Mais já? - arregalo os olhos, quase marejados
- Sim filha! - ele me da um beijo na testa e me abraça - tchau minha filha
- Tchau papai - falo chorando já, me ajoelho e abraço a naná - Tchau amorzinho, papai coloca a comida da naná por favor. - pego minha mala e dou um último abraço nele
- Pode deixar filha.

Nós nos soltamos e eu entro no avião, sento perto de um senhora muito fofa que me oferece uma bala, eu balanço a cabeça negando coloco os fones e tento me concentrar em algo.

Lembranças on

" - Anne, acorda a Tata está te chamando para ir brincar na casa dela. - me acordei com a mamãe me chamando. Levantei dei um beijinho na bochecha dela e ela me levou para o banho.
- Dormiu bem minha princesinha?- pergunta a mamãe com um sorriso
- Sim, mamãe, sonhei que eu era uma bailarina muito linda.- respondo dando gargalhadas ao lembrar do sonho
- Você já é uma bailarina linda filha.
- Mas eu quero ser um bailarina de verdade mamãe- respondo enquanto ela me tira da banheira.
- Você vai ser, florzinha- ela me da um beijo na testa e me leva de volta parao quarto.

A mamãe escolhe um vestido simples e me calça com uma sandália de dedo. Saímos do quarto na mesma hora que o papai está subindo as escadas.

- Papai, eu to linda?- pergunto rodando e parando com a mão na cintura
- Ta muito linda- ele responde me da um beijo estalado no topo de minha cabeça e levantando para beijar a mamãe

Descemos para tomar café da manhã, juntos já que o papai não vai para o trabalho hoje e nem a mamãe. Comemos panquecas que o papai fez e suco de laranja, eu estava comendo um pouco mais rápido porque eu queria ir logo para a casa da Tata.

-Filha coma devagar!- fala a mamãe. Eu faço que sim com a cabeça enquanto dou o último gole no suco.
- Acabei, me leva papai?- papai e mamãe caem na risada e eu também.
- Claro q te levo filha - o papai fala rindo ainda

"Na casa da Tatá...."

- Corre devagar nane - grita a Tata pra mim - você vai...
- Não consigo ouvir mais nada, só sinto dores nos meus joelhos e cotovelos, a tata rir da minha cara enquanto me ajuda a levantar
- Eu avisei - fala a tata e nós caímos na gargalha. - olha que linda nane ela olha vislumbrada para a grama
- O que é isso tata? - pergunto olha aquele bichinho minúsculo vermelho com preto andando na grama
- A mamãe falou que ela se chama joaninha...
          
Lembranças off

Acordei acho que já eram umas três horas da tardes, acordei com a senhorinha me chamando, falando que o avião já pousou, tentei pegar minhas malas que foram no porta malas, mas eu não as alcanço, então brota um rapaz do além me ajudar a pegar as malas.

- Obrigada - digo um pouco desinteressada
- Você poderia agradecer direito? - ele fala sorrindo de lado
Afs que babaca Obrigada moço - falo com meu sorriso mais falso
- De nada moça - depois que ele fala isso e sai do avião dando gargalhadas.

Saio do avião e vou esperar alguém que eu nem conheço direito. Depois de uns 2 minutos vejo uma mulher com uma placa escrito "Srt Cárter", sou eu e ela colocou o nome do Rodrigo... fui na direção dela me apresentar.

- Oi, tudo bem? Bom eu sou a senhorita Cárter - falo me apresentando
- Oi eu sou a Bruna sou irmã do seu pai - ela estica a mão se apresentando também e a cumprimento, com um apertar de mãos
- Vamos? - a pergunto
- Só estou esperando meu filho - ela responde rápido
- Ok...


Notas Finais


💙= Lu narrando
💜= Anne narrando
💜💙= Anne e Lu narrando
💙💜= Lu e Anne narrando

Beijos amores 😘😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...