História Anne - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Manuel Neuer, Originais, Thomas Müller
Personagens Personagens Originais
Tags Bayern, Futebol!, Louane Emera, Romance
Exibições 80
Palavras 1.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ!

Capítulo 6 - Um presentinho e um beijinho


Fanfic / Fanfiction Anne - Capítulo 6 - Um presentinho e um beijinho

Antes mesmo de Anne "Responder" a minha pergunta, nossos lábios já estavam colados. Ela não negou ao beijo então acho que foi um Sim.



O Beijo era calmo, delicado. Estavamos apreciando cada fração de milésimo do beijo. Suas mãos estavam na minha nuca é as minhas entrelaçadas em sua cintura, fazendo assim nossos corpos ficarem bem mais próximos.



Eu não sabia exatamente por que estava fazendo aquilo, simplesmente me deu vontade de beijar seus lábios tão rosados, Sei lá. Mesmo sabendo que isso pode me causar um problemão daqueles, eu a beijei. Pode me causar não só problemas pelo fato dela estar morando na mesma casa que eu, dormindo na mesma cama, mas por eu ser quatorze anos mais experiente que Anne.



- Me Desculpa, eu… - Tentava falar algo, mas havia engolido as palavras.



- Não precisa pedir desculpas, eu queria. Você não acha que eu deixaria alguém me beijar a força, por mais que esse alguém tenho o triplo da minha força, acha? - Ela questionou com naturalidade, para a minha total surpresa.




No primeiro momento achei que Anne me daria uns belos tapas na cara, mas não. Ela também queria, o tanto quanto eu.



- É... Você me surpreendeu agora!



- O quê você acha que eu iria fazer? Bater em você talvez? - Perguntou Rindo.



- Não eu nunca pensaria isso de você. - Menti. - Agora vamos!




O caminho de volta para casa foi tranquilo. Pensei que ficaria um clima e tanto entre nós, mas não ficou. Foi bem mais suave. Me surpreendi com a atitude de Anne, estava tão tranquila que parecia que não havia acontecido nada entre nós. Mas ambos sabíamos que aconteceu e não foi apenas um beijo.



- Eu vou trocar de roupa pois já estou atrasada para o trabalho! - Ela falou assim que entramos no apartamento.



Em seguida Foi correndo para o quarto.



- Você trabalha? - Gritei para que ela ouvisse.



Eu realmente não sabia sobre esse detalhe de Anne. Me surpreendo cada vez mais com ela, como suas atitudes, maturidade e inteligência prematura.



- Sim, eu trabalho numa livraria que fica bem perto daqui. - Ela gritou de volta.



Uns Três minutinhos depois e ela falou quê eu poderia entrar no quarto pois já havia se trocado.



Ao entrar no quarto vi algo diferente, havia uma foto enorme de um homem tocando um violão colado na parede onde ficava a cama, o que me assustou.



- Desculpa se você não gosta. Sabe… ele é a minha inspiração. - Ela falou ao ver minha cara ao ver a foto colada na parede.



- Ele quem? - Questionei a coisa mais óbvia.



- O Shawn, aquele que esta colado na parede. Ele e lindo não é? - Certamente ela estava brincando comigo.



- Oh Como é! Você disse quê ele é sua inspiração... Você canta?



- É, eu canto sim, e toco violão e um pouquinho de teclado. - Falava enquanto amarrava o cadarço do tênis. -Mas faz um tempinho quê eu não toco.



- Por que não?



- O meu vizinho infernal quebrou o meu violão, ele disse quê foi sem querer. Eu só não bati nele pois só tinha 10 anos, mas eu fiquei com um raiva daquelas.



- Entendi!



- Agora eu tenho que ir. Tchau Manu.



- Tchau, bom trabalho.



Ela depositou um beijo molhado em minha bochecha é saiu correndo, realmente estava atrasada.


Após alguns minutos que Anne saiu eu tomei um banho, e deitei para tentar dormir um pouco. Mas fui retirado do meu sono por uma voz insuportável.



Era Thomas. Desde que Lisa foi passar um tempinho na Espanha com a mãe dela ele não me deixa em paz, estou pensando até em abrir um quartinho para ele.



- Thomas meu queridinho você não tem mais casa não? Eu preciso de Privacidade.



- Tenho sim, más eu gostou mais da sua. E eu não sabia que você gostava de banda masculina adolescente. Que Gay. - Falou. Certamente referindo-se a foto colada por Anne.


- Eu não gosto. E se eu gostasse teria algum problema? Não. E para a sua informação esse negócio ai não é meu, é da Anne.


- Falando em Anne… você não tem nada o que contar não? - Falou insinuando algo.


- Não Thomas eu não tenho.



- Sério? Algo que tem haver, você, a Anne, um carro, e línguas? - Era só o que me faltava, o Thomas ficar me espionando.



- Contínuo sem entender. - Falei, mas é mentira pois sei quê ele está falando sobre o Beijo.



- Ah Manuel para, eu já sei de tudo. Nem precisa mentir. Você tava lá, quase comendo a Anne detro do carro, você e bem mais rápido do que eu imaginei. Que feio hein?!?



- Quem te contou isso? Você está dando para me vigiar, Thomas...?



- Não seu idiota, foi a Anne que me contou! Eu tombei com ela lá em baixo ai ela se confessou pois eu sou a BFF dela!



- Sei bem! Sei também que você encheu ela de perguntas maliciosas


- Eu sei bem as suas intenções maldosas com a moça Anne.



- Intenções maldosas? Você está enchendo de mais hoje! Pode ir embora.



- Não. Lembra quê vamos ir lá no…


- Eu lembro sim. Mas não vamos mais, nos vamos comprar um negócio para A Anne.



- O quê? Camisinhas?


- Não, eu vou comprar um martelo para bater com ele na sua cabeça!


**



Nós fomos até uma loja de instrumentos musicais é compramos um violão para Anne, achei que seria legal. Aproveitando a nossa ida na loja, Thomas comprou uma guitarra elétrica, certamente para matar os vizinhos de vez, já que ele não toca porra nenhuma.




- Anne querida! nós compramos um presente para você! - Falou Thomas assim que Anne entrou pela porta.



- Presente? Mas nem é o meu aniversário!



- Pessoas especiais não ganham presentes apenas no seu aniversário! - Falei.



- Nossa Manu Tá todo poético, sei não em Anne!


- Cala a boca e entrega o presente.



- Entregue você!



Peguei o violão que estava no chão embrulhado num papel horrível que Thomas havia escolhido.



Rasguei o papel pois iria estragar a surpresa, em seguida entreguei o violão para ela. Abriu-se um sorriso de orelha a orelha em seu rosto.



- Muito muito muito muitíssimo obrigada! - Falou enquanto me abraçava fortemente.




Assim que afrouxou o abraço, meus olhos novamente se concentraram em seus lábios rosados. Por um minuto esqueci que Thomas estava ali é colei os nossos lábios só quê dessa vez o beijo era mais intenso, muito intenso, mas intensidade do beijo não tirou a sua ternura.




- Calma aí Manu, você vai engolir a garota!










Notas Finais


O Thomas é um estraga prazeres!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...